Das relações de Lula com a rosa da Operação Porto Seguro

Quem não corre o risco de escolher amigos, cônjuge, sócios e funcionários errados?

A imprensa anda a destacar que Lula da Silva falou 122 vezes ao telefone nos últimos dezenove meses, com sua amiga e chefe de gabinete da Presidência da República em  São Paulo, Rosemary Nóvoa de Noronha, segundo revela reportagem de Marcelo Freitas e Raphael Veleda para a edição brasiliense do Metro, jornal do Grupo Bandeirantes de Comunicação. Em média, uma ligação a cada cinco dias, entre março de 2011 e outubro de 2012, quando Lula já não era presidente da República.

Os telefonemas foram monitorados pela Polícia Federal, com autorização judicial, no âmbito da Operação Porto Seguro, deflagrada sexta-feira, 23, que prendeu seis pessoas, incluindo o nº 2 da Advocacia Geral da União, José Weber Holanda Alves, e dois dois irmãos dirigentes de agências reguladoras, Rubens Vieira, da Ana (Águas), e Paulo Vieira, da Anac (Aviação Civil). Um terceiro irmão, Marcelo, empresário, também foi preso [E todos soltos pela, mais que amiga, justiça federal].
A quadrilha é acusada de corrupção e tráfico de influência. Amiga íntima de Lula, que a nomeou e, ao final do governo, pediu para que ela fosse mantida no cargo, Rosemary é suspeita de ser uma das cabeças do esquema, que também vendia por até R$ 300 mil pareceres técnicos de servidores federais a empresas interessadas em negócios com o governo. Informa Dimas Oliveira.
Pouca interessa, neste caso as amizades. O importante para o Brasil é descobrir que empresas foram beneficiadas. Esse jornalismo investigativo a imprensa não tem coragem e interesse de realizar. Destacar a amizade de Lula vale como despiste.
Despistar tem como sinônimo:

1. desencaminhar, desnortear.

2. enganar, ludibriar, misturar.

3. baralhar, confundir, desorientar, enlear, iludir.

Fugir dos assuntos polêmicos, engavetar notícias, informar meias-verdades, o jeitinho brasileiro da imprensa esconder empresários e empresas.

Nenhuma autoridade é responsável pelas nomeações. Isso acontece em qualquer empresa com excelente serviço de RH. Nos governos existem os serviços de informações. Na ditadura militar tinha o SNI. Hoje eles existem em qualquer polícia militar que monitora todos os cidadãos. Nas forças armadas. Nos serviços de proteção ao crédito. No fisco. No sistema bancário. As operadoras de telefonia gravam todas as conversas. Todos os computadores são varridos. Cada edifício e milhares de ruas possuem câmaras de filmagem interna (sorria, você está sendo filmado). O Big Brother é

– Onisciente: Aquele que possui todo o conhecimento, toda a ciência.

– Onipresente: Aquele que está presente em toda parte.

– Onipotente: Aquele que pode todas as coisas.

Para facilitar, o TRE pretende um título eleitoral cujo número seja o mesmo para todos os documentos: identidade, carteira de motorista, carteira de trabalho, CPF…  A eficácia do método ficou comprovada nos campos de concentração de Hitler. Cada prisioneiro tinha um número marcado no braço.

Máquina de tatuagem nazista
Máquina de tatuagem nazista. Fique sabendo mais 

Determinaram tudo seria mais fácil
se em lugar de um nome
Sibonei tivesse um número.
A prática se mostrou bastante útil
nos campos de Treblinka e Dachau.
E Sibonei foi marcada
como o ferro marca o gado.

Um único número
para todos os documentos (…)
Um único número
economiza papel
e tinta.
Um único número
aligeira a burocracia
e facilita a localização de Sibonei
entre as demais jovens da boiada.


Leia mais. Transcrevi trechos do poema O Retrato de Sibonei

Buchenwald_Survivor_Tattoo_

Tatuagem de números nos campos de concentração nazista

Ate as crianças eram numeradas nos campos de concentração de Hitler
Ate as crianças eram numeradas nos campos de concentração de Hitler

Neste mundo dominado pelas multinacionais, um ex-presidente “é um velho caquético”, assim Rosemary (que amiga da onça!) definiu Lula.

Publica R7 Notícias: Uma conversa de Rosemary Noronha grampeada pela Polícia Federal em maio deste ano mostra a ex-chefe de gabinete da Presidência em São Paulo comparando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a “um velho caquético”. Ela dizia a Paulo Vieira, que estava preocupada com a imagem pública de Lula após um suposto tombo levado em casa. As informações são do Jornal Folha de S.Paulo.

A imprensa brasileira usa e abusa das palavrinhas  “suposto” e “suspeito”, com a desculpa do politicamente correto.

A queda de Fidel Castro
A queda de Fidel Castro

-rei-ruan

O tropeção do rei Juan Carlos
O tropeção do rei Juan Carlos

As nomeações para as agências reguladoras são sabatinadas e aprovadas pelo Senado.

Não é da competência de um presidente, de um rei, ou mesmo de um ditador, investigar a vida alheia. Isso é função dos serviços de informações estratégicas, da polícia, das promotorias e da imprensa.

Do governante o poder de nomear e demitir. A presidente Dilma Rousseff exonerou todos os funcionários denunciados pela Operação Porto Seguro. Que a Justiça faça sua parte. Coloque na cadeia os  corruptos e os corruptores.

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s