FMI e países imperialistas temem o efeito dominó da Grécia

Uma Grécia incomoda muita gente, duas Grécias incomodam, incomodam muito mais.

Duas Grécias incomodam muita gente, três Grécias incomodam, incomodam, incomodam muito mais.

Espanha, Portugal e Irlanda são bolas da vez. A direita européia está em polvorosa. Tremem de medo os governos conservadores, monitorizados pelo FMI e vassalos dos Estados Unidos.

A imprensa vendida, elitista, que defende os interesses da pirataria do colonialismo europeu, principalmente na África e América do Sul, faz a orquestração do medo. A propaganda de que Hugo Chávez, Lula da Silva e Alexis Tsipras são terroristas. Antes este tipo de jornalismo marrom satanizava Che Guevara, Fidel Castro e Mandela.

Desde a queda do muro de Berlim, o comunismo não faz medo. Depois da implosão das torres gêmeas, nos Estados Unidos, a palavra-chave é terrorismo. Tanto que, na véspera das eleições na Grécia, a França realizou uma passeata com chefes de governos que condenaram a chacina de jornalistas na redação do jornal satírico Charlie Hebdo. Lideravam a passeata François Hollande e Ângela Merkel, que fizeram campanha contra Alexis Tsipras.

A imprensa hoje cria um novo Frankenstein ou Drácula.

ESPANHA 

larazon. espanha populismo medo

 

PORTUGAL

Portugal
‘FT’ questiona se novo líder grego pode vir a ser um Lula ou um Chávez

 

.

O G1 (Globo) faz a verberação da orquestração do medo da Inglaterra, que é o medo da França, que é o medo da Alemanha, que é o medo dos Estados Unidos:

Transcrevo:

Texto foi publicado após vitória do partido contrário a austeridade no país.
Autor faz conjecturas sobre como deverá ser o mandato de Alexis Tsipras.

 

Texto do FT questiona se novo líder grego será como Lula ou Chávez (Foto- Reprodução: FT)
Texto do FT questiona se novo líder grego será como Lula ou Chávez (Foto- Reprodução: FT)

 

Neste final de semana, o partido Syriza venceu as eleições legislativas da Grécia. Entre seus principais pontos, o programa econômico do Syriza compreende o fim das medidas de austeridade e a renegociação da dívida pública do país, que representa 175% do PIB.

Diante desse cenário de desconfiança do mercado, já que o partido do líder do Syriza, Alexis Tsipras, é contra a austeridade, o jornal britânico “Financial Times” publicou um texto em que questiona se a nova liderança poderá vir a ser “um Lula” ou “Chávez”, em referência aos ex-presidentes do Brasil e da Venezuela.

Para Tony Barber, autor do texto, a questão central, “para a qual nenhuma resposta definitiva pode ser dada”, é saber se Tsipras está disposto a fazer acordos com os credores da Grécia. Segundo Barbar, “durante três anos, Tsipras, às vezes, soava como Hugo Chávez , o presidente populista e ‘bicho-papão’ dos EUA, e , por vezes, como Luiz Inácio Lula da Silva, o ex-presidente brasileiro, que, uma vez no cargo, governou como um reformista, em vez de um esquerdista radical”.

Jovem e carismático

Tsipras, um líder político jovem (tem 40 anos) e carismático, foi fundamental nessa transformação do Syriza.
Conhecido por seus discursos empolgantes e sua aversão a gravatas, ele assumiu a liderança do partido em 2008 e foi eleito para o Parlamento em 2009.

“A crise econômica e o colapso dos partidos tradicionais certamente ajudaram a aumentar a influência do Syriza, mas foi Alexis Tsipras que catapultou o partido”, explica Christoforos Vernardakis, professor de ciência política da Universidade Aristóteles de Salonica e fundador do instituto de pesquisas VPRC.

“Isso aconteceu porque Tsipras é jovem e não parece ter medo. Ele pegou uma esquerda que estava na defensiva e a transformou em uma opção crível para o governo.”

Para seus simpatizantes, Tsipras é um líder nato, que trata com respeito quem está a seu redor. “Ele gosta de processos e decisões coletivas”, diz Samanidis.

Nikos Karanikas, um velho amigo e colega de partido, por exemplo, diz que, apesar da ter se tornado um líder político proeminente, Tsipras ainda vive em um bairro de classe média de Kypseli, em Atenas, e continua a trabalhar como engenheiro civil.

Seus críticos, porém, costumam retratá-lo como um político arrogante, inexperiente e com fome de poder.

Mudança

No que diz respeito a suas propostas políticas, o Syriza não só se opõe ao resgate internacional da Grécia e às medidas de austeridade como quer renegociar parte da dívida grega.

Cartazete de propaganda espanhola
Cartazete de propaganda espanhola

Essas promessas têm gerado nervosismo nos mercados financeiros e já se especula sobre uma possível saída da Grécia da zona do euro.

De acordo com o correspondente da BBC na Grécia, Mark Lowen, muitos no país parecem dispostos a dar uma chance a Tsipras.

Outros, porém, acreditam que uma vitória do Syriza poderia aprofundar a crise no país e levar a um confronto entre a Grécia e a União Europeia.

 

 

Das relações de Lula com a rosa da Operação Porto Seguro

Quem não corre o risco de escolher amigos, cônjuge, sócios e funcionários errados?

A imprensa anda a destacar que Lula da Silva falou 122 vezes ao telefone nos últimos dezenove meses, com sua amiga e chefe de gabinete da Presidência da República em  São Paulo, Rosemary Nóvoa de Noronha, segundo revela reportagem de Marcelo Freitas e Raphael Veleda para a edição brasiliense do Metro, jornal do Grupo Bandeirantes de Comunicação. Em média, uma ligação a cada cinco dias, entre março de 2011 e outubro de 2012, quando Lula já não era presidente da República.

Os telefonemas foram monitorados pela Polícia Federal, com autorização judicial, no âmbito da Operação Porto Seguro, deflagrada sexta-feira, 23, que prendeu seis pessoas, incluindo o nº 2 da Advocacia Geral da União, José Weber Holanda Alves, e dois dois irmãos dirigentes de agências reguladoras, Rubens Vieira, da Ana (Águas), e Paulo Vieira, da Anac (Aviação Civil). Um terceiro irmão, Marcelo, empresário, também foi preso [E todos soltos pela, mais que amiga, justiça federal].
A quadrilha é acusada de corrupção e tráfico de influência. Amiga íntima de Lula, que a nomeou e, ao final do governo, pediu para que ela fosse mantida no cargo, Rosemary é suspeita de ser uma das cabeças do esquema, que também vendia por até R$ 300 mil pareceres técnicos de servidores federais a empresas interessadas em negócios com o governo. Informa Dimas Oliveira.
Pouca interessa, neste caso as amizades. O importante para o Brasil é descobrir que empresas foram beneficiadas. Esse jornalismo investigativo a imprensa não tem coragem e interesse de realizar. Destacar a amizade de Lula vale como despiste.
Despistar tem como sinônimo:

1. desencaminhar, desnortear.

2. enganar, ludibriar, misturar.

3. baralhar, confundir, desorientar, enlear, iludir.

Fugir dos assuntos polêmicos, engavetar notícias, informar meias-verdades, o jeitinho brasileiro da imprensa esconder empresários e empresas.

Nenhuma autoridade é responsável pelas nomeações. Isso acontece em qualquer empresa com excelente serviço de RH. Nos governos existem os serviços de informações. Na ditadura militar tinha o SNI. Hoje eles existem em qualquer polícia militar que monitora todos os cidadãos. Nas forças armadas. Nos serviços de proteção ao crédito. No fisco. No sistema bancário. As operadoras de telefonia gravam todas as conversas. Todos os computadores são varridos. Cada edifício e milhares de ruas possuem câmaras de filmagem interna (sorria, você está sendo filmado). O Big Brother é

– Onisciente: Aquele que possui todo o conhecimento, toda a ciência.

– Onipresente: Aquele que está presente em toda parte.

– Onipotente: Aquele que pode todas as coisas.

Para facilitar, o TRE pretende um título eleitoral cujo número seja o mesmo para todos os documentos: identidade, carteira de motorista, carteira de trabalho, CPF…  A eficácia do método ficou comprovada nos campos de concentração de Hitler. Cada prisioneiro tinha um número marcado no braço.

Máquina de tatuagem nazista
Máquina de tatuagem nazista. Fique sabendo mais 

Determinaram tudo seria mais fácil
se em lugar de um nome
Sibonei tivesse um número.
A prática se mostrou bastante útil
nos campos de Treblinka e Dachau.
E Sibonei foi marcada
como o ferro marca o gado.

Um único número
para todos os documentos (…)
Um único número
economiza papel
e tinta.
Um único número
aligeira a burocracia
e facilita a localização de Sibonei
entre as demais jovens da boiada.


Leia mais. Transcrevi trechos do poema O Retrato de Sibonei

Buchenwald_Survivor_Tattoo_

Tatuagem de números nos campos de concentração nazista

Ate as crianças eram numeradas nos campos de concentração de Hitler
Ate as crianças eram numeradas nos campos de concentração de Hitler

Neste mundo dominado pelas multinacionais, um ex-presidente “é um velho caquético”, assim Rosemary (que amiga da onça!) definiu Lula.

Publica R7 Notícias: Uma conversa de Rosemary Noronha grampeada pela Polícia Federal em maio deste ano mostra a ex-chefe de gabinete da Presidência em São Paulo comparando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a “um velho caquético”. Ela dizia a Paulo Vieira, que estava preocupada com a imagem pública de Lula após um suposto tombo levado em casa. As informações são do Jornal Folha de S.Paulo.

A imprensa brasileira usa e abusa das palavrinhas  “suposto” e “suspeito”, com a desculpa do politicamente correto.

A queda de Fidel Castro
A queda de Fidel Castro

-rei-ruan

O tropeção do rei Juan Carlos
O tropeção do rei Juan Carlos

As nomeações para as agências reguladoras são sabatinadas e aprovadas pelo Senado.

Não é da competência de um presidente, de um rei, ou mesmo de um ditador, investigar a vida alheia. Isso é função dos serviços de informações estratégicas, da polícia, das promotorias e da imprensa.

Do governante o poder de nomear e demitir. A presidente Dilma Rousseff exonerou todos os funcionários denunciados pela Operação Porto Seguro. Que a Justiça faça sua parte. Coloque na cadeia os  corruptos e os corruptores.