AÉCIO CONVOCOU BADERNA GOLPISTA PARA HOJE EM SÃO PAULO. ELE NÃO ESTARÁ PRESENTE

inndignados candidato nazista

 

Aécio Neves convocou uma manifestação contra a presidente Dilma Rousseff e o PT para as 15h (horário de Brasília) deste sábado, no vão do Masp, na Avenida Paulista, em São Paulo.

Em seu perfil no Facebook, o político derrotado em outubro à Presidência da República, disse: “Mais do que nunca nós temos que estar mobilizados”. Essa é a arma que nós temos: a nossa mobilização e a nossa capacidade de nos indignarmos com tudo que aconteceu e tudo que vem acontecendo no Brasil”.

As fracassadas manifestações realizadas por Aécio e adéptos visam um terceiro turno eleitoral, uma intervenção militar (que eles dizem ser de dois meses), o impeachment de Dilma Rousseff, a possibilidade de impugnação (contestação) da reeleição da presidente pelo canetaço de Gilmar Mendes, no desaprovar das contas da campanha.

Na campanha golpista estão, além de Aécio, que foi um governador corrupto e arbitrário, o ex-presidente Fernando Henrique, acusado de ser um agente da CIA, o deputado da extrema-direita Bolsonaro e o cantor Lobão.

Quem conhece Aécio Neves sabe que ele não participará da marcha nazista. Dinheiro para patrocinar a baderna ele tem. Saiu bilionário do governo de Minas, pode contratar claques e mais claques, como vem fazendo ultimamente no Congresso.

 

O Brasil precisa realizar já uma Campanha de defesa da Democracia, e mostrar os perigos do retorno de uma ditadura.

 

Deputado-Nazista-charge

 

DITADURA NUNCA MAIS. TORTURA NUNCA MAIS.

 

Com um amplo acervo de informações, imagens e documentários sobre a ditadura militar, o portal Memórias da Ditadura foi lançado ontem pela Secretaria Especial de Direitos Humanos. O portal tem conteúdo interativo e os internautas podem gravar depoimentos sobre o período do regime militar e publicar na página. O site tem área destinada a professores com planos de aula e material didático.

Um dos focos do projeto é levar informações sobre a ditadura a quem não conhece este período da história do país, conhecido, também, como Anos de Chumbo. O material disponível conta a história do período sobre vários aspectos, abrangendo a atuação dos movimentos de resistência, a censura, as violações de direitos humanos, a produção artística e cultural do período e o cenário internacional.

O site tem cerca de 50 depoimentos publicados. Neles, as pessoas relatam momentos vividos durante a ditadura militar e a percepção que têm do período.

O portal tem linha do tempo da ditadura, biografias de pessoas que atuaram no período e mapas com links de conteúdo. Produzido em código aberto WordPress, pode ser acessado por computador, tablet ou celular e garante a acessibilidade às pessoas com deficiência.

Presa e torturada durante a ditadura militar, a ministra da Secretaria de Políticas para Mulheres, falou sobre as marcas da violência física e psicológica sofrida no período. Ela destacou que as violações ocorridas durante a ditadura não podem ser esquecidas para evitar que se repitam. “Não podemos deixar que o passado caia no esquecimento. Precisamos lembrar sempre do que aconteceu e colocar nossa lente do futuro para que isso jamais se repita”, avaliou Eleonora Menegucci.

A parte destinada aos educadores tem orientações sobre didática, sugestões de leitura e filmes destinados ao preparo dos professores. O ministro da Educação, Henrique Paim, disse que o portal será divulgado nas escolas para estimular que os educadores acessem o material e abordem o tema em sala de aula.

Ele destacou a importância da educação para a preservação da memória. “Vai ser de muita valia para o sistema educacional brasileiro e para toda a sociedade para que tenhamos a memória viva de tudo que ocorreu na ditadura militar”.

A ministra da Secretaria de Direitos Humanos, Ideli Salvatti, ressaltou que o acervo de memória é colocado à disposição da população em um momento oportuno. Ela destacou os pedidos de intervenção militar que surgiram em manifestações recentes. “Temos uma parcela da população que advoga essa tese e, por isso, precisamos dar os instrumentos para que aqueles que não têm a informação saibam o significado de uma ditadura para que isso nunca mais aconteça no país”, disse.

O portal foi desenvolvido pelo Instituto Vladimir Herzog, com a participação de consultores e profissionais das áreas de educação e comunicação.

Clique aqui e conheça o portal 

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Um comentário sobre “AÉCIO CONVOCOU BADERNA GOLPISTA PARA HOJE EM SÃO PAULO. ELE NÃO ESTARÁ PRESENTE”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s