Delta, uma empresa que nasceu em Pernambuco, comeu 170 milhões do governador Eduardo Campos

por Ricardo Antunes, antes de ser preso no dia 5 de outubro último

(…) Em menos de dois anos, o governo Eduardo Campos já repassou à Delta cerca de R$ 170 milhões.

Vamos ver se as auditorias prometidas para olhar com lupa os contratos da empreiteira com o Estado também não são meros tapa-buracos…

Afinal de contas, quanto desse dinheiro foi pago por serviços realizados de fato? E quanto poderia ser recuperado?

Provavelmente nada, como de nada adianta o discurso de austeridade em relação à Delta, a esta altura.

Ou seja, no Brasil, o crime compensa.

[A empresa Delta foi fundada em Recife por um pernambucano. Não vou citar o nome. Trata-se de um empresário exemplar. O filho mudou o endereço da sede para o Rio de Janeiro. Deu no que deu. Talvez esta notícia indique que nem todos os negócios da Delta eram sujos. Quero apenas demonstrar que as relações de Ricardo Antunes com Eduardo Campos não eram amigáveis. E que a prisão de Ricardo foi discutida em um jantar no Palácio das Princesas entre Antônio Lavareda e o governador. Dois ou três dias depois Ricardo estava preso pela Sorbonne].

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s