Sigo cantando, pulsos fortes sustentando meu sopro

O jornaleiro

ÁRVORE ALADA

por Cristina Moreno de Castro

El Maria 22

El Maria 5

Rhaiza 1

para El Maria

.

Livre das cordas que enforcam os preconceituosos
Vi-me tronco, galho, raiz e corpo.
Mas não me aceitam, como sou: desacordada
(desprendida, desgrilhada, desgrenhada).
Dou de ombros e sigo cantando,
pulsos fortes sustentando meu sopro,
como uma ave nadadora e uma árvore alada.

Performance (produção e criação): El Maria

Fotografia: Rhaiza Oliveira

Ver o post original

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s