DESVIOS

Talis Andrade

por Talis Andrade


Delfim e Roberto Campos
parceiros de partido
e vícios
traçaram um único curso
rumo ao paraíso

Delfim os lábios rosados
lambuzados de mel e melaço
do poder infinito
ganhou dos íntimos
o carinhoso apelido
a Gorda
dos beiços de alfini

As mãos calejadas
de contar dinheiro
foram aveludando
no bater do bolo
de rolo prometido
ao povo

Pelo regime
de desengorda
auto-imposto
come Delfim
trinta por cento
de tudo que é
de gosto

Vício venial a gula
tornou-se rendoso
pecado (na) capital
Delfim
inconfessável desgosto
continua untuoso

Navegando no pântano
do Rio Ipiranga
lanterna na popa
navalha na carne
Roberto Campos salvou
das mãos piratas
a arca do tesouro

Pela imprevista façanha
de argonauta
a mestiça nobreza paulista
descendente dos escravocratas
bandeirantes capitães-do-mato
concedeu a Roberto Campos
dourado rostrato
o gratuito mandato
de deputado perpétuo
e safado

Ver o post original

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s