MPF contra passagens para cônjuges de parlamentares

thiagolucas passagem mulheres deputados

A democracia existe quando os poderes da República podem ser fiscalizados. Esta a verdadeira harmonia entre o executivo, o legislativo e judiciário. Qualquer poder que se torna intocável se torna ditatorial.

Em nome da democracia, o Ministério Público Federal vai abrir procedimento para investigar a existência de malversação de dinheiro público na concessão de passagens aéreas para as esposas e maridos dos deputados federais, restrito a parlamentares e assessores, cuja extensão foi aprovada pela Câmara Federal na última quarta-feira (25); segundo o MPF, o pedido pode até mesmo resultar em um processo por improbidade administrativa contra a Mesa Diretora da Câmara

Pater
Pater

247 – O Ministério Público Federal vai abrir procedimento para investigar a existência de malversação de dinheiro público na concessão de passagens aéreas para as esposas e maridos dos deputados federais, restrito a parlamentares e assessores, cuja extensão foi aprovada pela Câmara Federal na última quarta-feira (25).

De acordo com o procurador da República no Distrito Federal Frederico Paiva, a utilização do benefício por parte dos cônjuges dos congressistas equivale a bancar interesses particulares com verbas públicas. Segundo o Correio Braziliense, o pedido pode até mesmo resultar em um processo por improbidade administrativa contra a Mesa Diretora da Câmara.

Após a reação negativa em torno da medida, o presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), teria dito que pode rever a decisão. “Não vejo nada demais (na regalia), mas, se a Mesa Diretora quiser rever, é um direito dela. Na próxima reunião, ela que trate (do tema). Não tem problema nenhum da minha parte”, disse.

Brum
Brum

 

Campanha de Marina tem dois CNPJs, um esconde o caixa 2, e o outro lava mais branco

Sinovaldo
Sinovaldo

 

Em meio à polêmica sobre o avião fantasma usado na campanha de Eduardo Campos e Marina Silva, o PSB vai promover manobra jurídica para escapar das investigações da explosão que transformou Marina de vice em candidata a presidente.

A responsabilidade de esclarecer o caso passará para o comitê financeiro de Campos, que tinha CNPJ próprio e foi, providencial, oportuna,  malandra e rapidamente desativado logo após a morte do ex-governador de Pernambuco, como se a tragédia estivesse prevista. O comitê financeiro de Campos era, também, de Marina. Não existe votação isolada para vice-presidente. A campanha é uma só. O voto é um só.

Para um exemplo, o deputado Marcio França (PSB/SP) afirmou que os documentos sobre a propriedade da aeronave estavam dentro dela e, portanto, foram destruídos. Caso se confirme irregularidades na campanha, como o uso de laranjas na compra ou empréstimo do avião, Marina poderá ter seu registro impugnado.

 

PSB BLINDA MARINA E TROCA CNPJ DO COMITÊ FINANCEIRO

CNPJ

247 – O PSB quer usar uma manobra jurídica para blindar Marina Silva, nova candidata do partido à Presidência, na polêmica em torno do avião fantasma usado na campanha de Eduardo Campos e da própria Marina.

Sem dono declarado, caso não consiga demonstrar de quem é o avião em que o ex-governador de Pernambuco morreu e como ele era pago pela campanha, o partido estará sujeito à impugnação de sua candidatura.

Mas a sigla acredita ter encontrado um meio de distanciar Marina do caso. A responsabilidade pelos esclarecimentos será do comitê financeiro de Campos, que tinha CNPJ próprio e foi desativado logo após a sua morte.

Um novo comitê financeiro, com outro CNPJ, foi registrado no nome de Marina.

O PSB contratou um escritório de advocacia para cuidar do caso e, até agora, nenhum integrante do partido deu explicações claras sobre o assunto.

Marina pediu mais tempo para esclarecimentos e seu tesoureiro, o deputado Márcio França (PSB/SP), afirmou que os documentos poderiam estar dentro da aeronave (leia mais em “PSB debocha do País: documento estava no avião”). [É o jeitinho novo do partido de Marina fazer política].

Como o PSB não pretende indicar um dono para a aeronave, as vítimas do acidente, seja os que perderam seus imóveis em Santos (SP) ou os parentes dos ex-colaboradores de Campos que perderam a vida, tendem a ficar sem direito a reparações e indenizações.

 

Robar

por Manuel Martínez Llaneza
El DRAE define ‘robar’ en sus dos primeras acepciones como “Quitar o tomar para sí con violencia o con fuerza lo ajeno” y “Tomar para sí lo ajeno, o hurtar de cualquier modo que sea”. Para entender lo que significa el ‘para sí’, concepto esencial común a ambas, pondremos algunos ejemplos:

  • ROBAR es, por parte de un capitalista, apropiarse del producto del trabajo ajeno pagándolo miserablemente.
  • ROBAR es, por parte de un concejal de Urbanismo, recalificar terrenos o autorizar su uso en beneficio suyo y de su banda.
  • ROBAR es, por parte de una consejera de Educación, dejar en la calle a cientos de profesores para subsidiar a los colegios de su secta.
  • ROBAR es, por parte del gobierno, privar del mínimo sustento a los ciudadanos para dárselo a los bancos
  • ROBAR es, para un banquero, colocar preferentes a personas que le pedían abrir un depósito.
     (Transcrevi de Rebelión)

Ditadura. Crianças roubadas na Argentina e no Brasil.

Infância e adolescência atrás das grades
Infância e adolescência atrás das grades

Na ditadura militar Argentina, as vidas das estudantes sequestradas e torturadas eram roubadas, e os filhos adotados por cúmplices da guarda herodiana.

Na ditadura econômica brasileira,  cada detenta custa cerca de supertafurados dez mil reais por mês, e roubadas as vidas dos filhos.

Qual regime mais cruel?

 

 

Corrupção. Paraguaios indignados. Empresários brasileiros nem aí

Não conheço nenhum sindicato, federação ou confederação de bancos e empresas e indústrias ditas brasileiras incomodadas com a corrupção.

Nem centrais sindicais de trabalhadores.

Ou gostam ou são cúmplices pelo silêncio.

Quantos trilhões roubados?

Quantas vidas roubadas?

Veja a lista dos assaltos e chacinas a partir do ano 2003, e pense