Joaquim Barbosa cobrou 60 mil da Câmara de Vereadores de Itajaí para falar de corrupção.

As despesas do evento foram custeadas pela Câmara de Vereadores de Itajaí (SC); Barbosa exigiu sigilo do valor cobrado pela palestra e a liberdade de deixar de responder a perguntas consideradas “inadequadas”

1469-11460

Joaquim Barbosa discursou sobre Ética e Administração e relatou suas experiências a frente do STF e de sua visão sobre o sistema político brasileiro. Ao fim de sua explanação o ex-ministro ainda respondeu a uma série de perguntas encaminhadas pelo público sobre temas como a redução da maioridade penal e a corrupção no país.

O ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa recebeu R$ 60 mil por uma palestra de uma hora que ministrou no dia 13 de abril na cidade de Itajaí, em Santa Catarina, sobre Ética e Administração. As despesas, que incluíam passagens, segurança e hospedagem, foram pagas pela Câmara de Vereadores da cidade.

Entre as condições impostas por Barbosa para aceitar o convite, estava manter em sigilo o valor cobrado pela palestra e ter a liberdade de deixar de responder a perguntas consideradas “inadequadas”. “O patrimonialismo faz parte do nosso DNA”, discursou Barbosa. As informações são da coluna Expresso, da revista Época. In Portal Forum. Fotos do Portal da Câmara de Vereadores de Itajaí

convite2

Prefeitos contra o salário mínimo são inimigos do povo e defendem o trabalho escravo

município novo

 

As prefeituras nadam em dinheiro na hora de promover festas do santo padroeiro da cidade, carnaval, carnaval fora de época, Natal, réveillon, rodeios, embalos de finais de semana, shows comícios, 31 dias de São João, inaugurações de pequenas obras etc.

Não falta grana para pagar os altos salários do prefeito, secretários, vereadores, e uma imensa corte de cargos comissionados de familiares, de fantasmas e outras assombrações.

Quem realmente trabalha nas prefeituras recebe o salário mínimo do mínimo: começa pelos professores do ensino primário, os servidores dos postos de saúde, das creches, dos serviços essenciais para o povo pobre.

Dilma Rousseff, para o descontentamento de chefes de currais eleitorais, deu um basta na criação de municípios. Os ladrões das prefeituras enriquecem roubando dinheiro desviado dos governos da União e Estados. Difícil um prefeito brasileiro que não foi processado ou que esteja livre de investigação.

A corrupção no Brasil começa com os prefeitos, secretários municipais e vereadores governistas, com a vista grosa dos tribunais faz de contas, vereadores da oposição, do juiz e do promotor das varas municipais, das polícias civil e militar e fiscais e procura-dores, para o deleite de diferentes máfias de obras e serviços invisíveis. Que nada se faz que preste para o povo.

prefeito honesto

O SALÁRIO MÍNIMO DO MÍNIMO 

Publica o Jornal da Manhã de Ponta Grosa: O aumento de 6,78% no salário mínimo impactará no setor público e deve atingir, principalmente, a folha de pagamento dos municípios. Segundo levantamento do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (DIEESE), a participação de servidores que recebem o salário mínimo nas administrações municipais é mais expressiva que em âmbito estadual ou federal.

O presidente da Associação dos Municípios do Paraná (AMP), Luiz Sorvos, afirma que, com o aumento, será ainda mais difícil para as prefeituras se manterem dentro da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). “A receita dos municípios não vai acompanhar o aumento no salário mínimo, não haverá aumento real no Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e, se em 2013 o custeios da folha já foi crítico, neste ano deve piorar”, diz.

 

BRA_FDSP prefeitura são paulo corrupção

Um município que não pode pagar um salário mínimo do mínimo deve pedir falência, e voltar a ser distrito. Isso depois de revistos os contratos de todas prestadoras de ser√iços, levantados os contratos de parentes e contraparentes das autoridades municipais, e investigado o destino das verbas recebidas das secretarias estaduais e ministérios da União.

Onde vai parar a riqueza dos estados de terras raras e oceanos de água doce?
Onde vai parar a riqueza dos estados de terras raras e oceanos de água doce?

Vereador defende chacina de mendigos

Russo1

Durante uma sessão na Câmara Municipal de Piraí, Rio de Janeiro,  o vereador José Paulo Carvalho de Oliveira (PTdoB), conhecido como Russo, gerou polêmica ao afirmar  que os moradores de rua deveriam virar “ração para peixe”. A frase foi dita no mesmo momento em que ele se posicionava contra o direito dos moradores de rua de votarem.”Mendigo não tem que votar. Mendigo não faz nada na vida. Ele não tem que tomar atitude nenhuma”, disse.

O comentário foi feito no dia 8 de outubro, em uma discussão sobre os 25 anos da Constituição Federal. Na ocasião, o vereador ainda tocou em outros pontos polêmicos como a pena de morte, não prevista pela legislação brasileira. Ele comentou que achou uma pena quando acabaram com a pena de morte. “Deveria haver pena de morte. ‘Ah, vai matar inocente’. Não vai. Ainda que matasse, ia morrer muito menos inocente do que morre hoje, porque se um bandido soubesse que ele ia ser morto, com certeza ele ia pensar mais um pouquinho antes de fazer as coisas”, declarou.

Sobre a censura aos meios de comunicação, o legislador se mostrou preocupado com os conteúdos proporcionados para as crianças. “Fim da censura: eu acho isso ruim. Tem que ter censura. Tem um programa que passa altas horas da noite lá, tem um filme lá que pode passar de qualquer maneira. Eu sei que vai passar um filme ruim e não vou deixar meu filho ver. Mas nas propagandas de intervalo de um filme, de uma novela, tem coisas ridículas. Nas novelas de hoje passam gente transando escandalosamente na frente de criança. Tem que ter censura, sim, tem que ter um bom senso. Não pode se liberar tudo na vida, não, tem que ter censura”, defendeu.

O vereador pronunciou um discurso nazista/fascista/stalinista.  Coisa de reacionário, extremista, racista que prega a “solução final para os mendigos”. Isso é apologia do crime, das chacinas de mendigos, que são incendiados ou mortos a tiros, pauladas, e que entram na lista dos desaparecidos e do rendoso tráfico de cadáveres.

Comida para peixe. Na ditadura militar dos países do Cone Sul, inúmeros presos políticos foram transportados em aviões e jogados no alto mar.

Quanta ganha por mês esse vereador aproveitador do PTdoB de Piraí, terra que mata jornalistas?

José Paulo Carvalho de Oliveira não sabe distinguir um mendigo de um picareta político, de um funcionário de serviço fantasma, de um parasita vereador, de um lobista, de um gigolô e outros malandros – uma gentalha que “não faz nada” de útil, e sem trabalhar, vive uma vida de luxo e luxúria.

Jornalista Mário Randolfo Marques Lopes
Jornalista Mário Randolfo Marques Lopes

Que ele responda se já descobriram os assassinos do jornalista Mario Randolfo Marques Lopes que informava sobre a corrupção em Barra do Piraí. Randolfo havia sobrevivido a vários atentados contra sua vida nos últimos anos. Atentados por denunciar vereadores e prefeitos ladrões em Piraí.

95 moradores de rua foram assassinados desde o começo do ano

Rezo para que o discurso nojento do vereador José Paulo Carvalho de Oliveira não aumente a lista das chacinas de mendigos, impunemente praticadas no Brasil por assassinos cruéis e covardes.

Escreve Wilson Lima

Dados são da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República: Minas Gerais é o Estado que concentra o maior número de mortes, seguido de Goiás

Dos 195 assassinatos de moradores de rua registrados entre janeiro e junho, dez pessoas foram mortas por apedrejamento e nove por espancamento. Houve também o registro de sete moradores de rua que morreram após terem sido queimados.

In Wikipédia: Mendigomendicantepedintemorador de ruasem-teto ou sem-abrigo é o indivíduo que vive em extrema carência material, não podendo manter a sobrevivência com meios próprios. Tal situação de indigência material força o indivíduo a viver na rua, perambulando de um local para o outro, recebendo o adjetivo de vagabundo, ou seja, aquele que vaga, que tem uma vida errante.

O estado de indigência ou mendicância é um dos mais graves dentre as diversas gradações da pobreza material.

Os mendigos obtêm normalmente os seus rendimentos através de subsídios de sobrevivência estatais ou através da prática da mendicância à porta de igrejas, em semáforos ou em locais bastante movimentados como os centros das grandes metrópoles.

No Brasil, numa tentativa de abordar de forma mais politicamente correta a questão dos que vivem em carência material absoluta, criou-se as expressões pessoas em situação de rua e sem-teto para denominar este grupo social.

Onde tem vereador ladrão, tem prefeito como chefe da quadrilha ou vice-versa

Neste Brasil ninguém rouba sozinho as verbas da prefeitura. E está, está difícil encontrar prefeito honesto.

As verbas desviadas em serviços fantasmas, em obras superfaturadas,  inacabadas ou invisíveis são investigadas pelas câmaras municipais, secretarias estaduais, ministérios da União, tribunais de contas estaduais e da União, promotorias estaduais e federais, Polícia Federal e outros poderes.

Quanto mais poderes investigadores, mais dinheiro encantado.

BRA^PA_OL prefeito

Também no Maranhão. Cerca de 90 por cento dos municípios têm, pelo menos, um inquérito em curso
Também no Maranhão. Cerca de 90 por cento dos municípios têm, pelo menos, um inquérito em curso

BRA^SP_TI vereador

Guapiaçu, São Paulo
Guapiaçu, São Paulo
São José do Rio mais do que Preto, em São Paulo
São José do Rio mais do que Preto, em São Paulo

Juiz manda cortar salário da prefeita de Nova Independência

por Vinícius Marques

Neusa, que assumiu cargo depois de disputa judicial

O juiz da 2ª Vara de Andradina Paulo Alexandre Rodrigues Coutinho cortou o salário da prefeita de Nova Independência, Neusa Joanini (PSDB), do vice e de nove vereadores.

Neusa Lopes da Costa Joanina
Neusa Lopes da Costa Joanina

A Justiça concedeu liminar solicitada pelo Ministério Público, que entrou com ação em função dos altos salários pagos aos políticos da cidade, interior de São Paulo, na região de Aracatuba, que tem apenas 2 mil moradores e orçamento de cerca de R$ 12 milhões.

Neusa recebe salário mensal de R$ 18,6 mil. O pagamento mensal para a prefeita de Nova Independência é pouco inferior ao salário do governador do estado, Geraldo Alckmin (PSDB), que ganha R$ 20 mil.

Os vereadores recebem R$ 2,9 mil. O presidente da Câmara Geraldo Juniti (PV) tem salário diferenciado, segundo lei do ano passado, que foi vetada na gestão passada, mas vereadores derrubaram o veto. O presidente da Câmara recebe salário de R$ 3,9 mil.

O aumento está bloqueado e os salários devem ser reduzidos. Pela determinação, a prefeita terá de receber R$ 8,6 mil. Já o salário dos vereadores deve voltar ao valor pago anteriormente, de R$ 1,9 mil.

Juiz diz que dinheiro poderia ir para obras

Entre os argumentos para decidir cortar salários, a Justiça diz que dinheiro poderia ir a outras áreas. “Os valores pagos estarão sendo subtraídos de ações sociais e administrativas que o poder público poderia estar adotando, como construções de escolas, creches, pagamento de merenda escolar, compra de remédios”, afirma na decisão. A prefeita não foi localizada ontem, nem o presidente da Câmara. Ambos devem recorrer da decisão.

A escuridão do Maranhão rima com corrupção

BRA^MA_OEDM Escuridão

Quantos prefeitos e deputados estão envolvidos no esquema da agiotagem que matou o jornalista Décio Sá?

Essa gente é inimiga da transparência. Da claridade.

Os prefeitos jogam sujo e no escuro, como faz todo ladrão. Principalmente o gatuno de colarinho (de) branco.

Todo prefeito ladrão tem uma quadrilha de vereadores.

Isso acontece em terra que não tem justiça.