A melhor pedida para Cunha: renunciar a presidência da Câmara para não perder o mandato de deputado

O que pesa contra o mais fiel representante da família brasileira

.

por João Valadares

Mariano
Mariano

O que pesa contra o mais fiel representante da família brasileira.

Fiz um resuminho no Correio Braziliense de hoje.

1 – O Ministério Público da Suíça localizou quatro contas secretas nos país europeu controladas por Eduardo Cunha. Foram bloqueados 5 milhões de dólares.

2 – O delator Julio Camargo afirmou que foi pressionado pelo presidente da Câmara a pagar 10 milhões de dólares em suborno referentes a um contrato de navios-sonda na Petrobras que teria sido intermediado pelo lobista Fernando Baiano.

3 – Do valor total relatado pelo executivo da empresa Toyo Setal, Cunha teria pedido diretamente 5 milhões de dólares. Disse que a parte que caberia ao lobista Fernando Baiano também deveria ser paga. O delator apresentou uma planilha informando os pagamentos feitos no exterior por intermédio do doleiro Alberto Youssef.

4 – Em depoimento de delação premiada, Alberto Youssef, o principal operador do esquema, também relatou que Cunha era um dos beneficiários dos desvios na Petrobras. Ele citou justamente o contrato para contratação de navios-sonda das empresas Samsung e Mtsui.

5 – Os delatores afirmam que Cunha ameaçou Camargo por meio de Fernando Baiano. O deputado havia dito que proporia um requerimento para investigar no TCU as obras em que Camargo estaria à frente. O requerimento, de fato, foi apresentado pela deputada Solange Almeida (PMDB-RJ).

6 – Cunha também é acusado de ter recebido dinheiro sujo do esquema de corrupção na Petrobras pelas mãos do policial federal Jayme Alves de Oliveira Filho, o Careca. O policial atuava como funcionário do doleiro Alberto Youssef. Fazia a entrega da propina.

.

Cunha abriu empresas de fachada para tentar ocultar contas, diz MP da Suíça
Aroeira
Aroeira

.

Ministério Público da Suíça revela que Eduardo Cunha abriu empresas de fachada para tentar ocultar contas. Cerca de R$ 20 milhões em quatro contas bancárias do presidente da Câmara e de seus familiares já foram congelados

Seu nome, portanto, apenas aparece como um “beneficiário”.

Segundo investigadores da Suíça, a manobra é normalmente usada por quem tenta esconder algo, seja da Justiça ou de algum ator exterior.

A auditoria do banco suíço também encontrou “disparidades” entre a renda do deputado declarada e os valores transferidos. Parte dos depósitos vinham de contas que já estavam sendo rastreadas.

“O Escritório do procurador-geral da Suíça confirma que abriu um processo criminal contra Eduardo Cunha sob a base de suspeita de lavagem de dinheiro, ampliando em sequência para corrupção passiva”, informou a assessoria do procurador-geral Michael Lauber.

O presidente da Câmara já foi denunciado pela Procuradoria-Geral da República ao Supremo Tribunal Federal por corrupção e lavagem de dinheiro. In Pragmatismo Político

.

Falta de decoro parlamentar. Pego na mentira pelos deputados 
Nicolielo
Nicolielo

Em depoimento à CPI em março, Cunha mentiu. Disse não ter conta no exterior

Em depoimento à CPI da Petrobras, em março deste ano, Eduardo Cunha afirmou, em depoimento público, que não possuía nenhuma conta no exterior.

Além dos possíveis crimes eleitorais e tributários, a omissão de informação patrimonial é um dos motivos que, no Código de Ética da Câmara dos Deputados, “constituem procedimentos incompatíveis com o decoro parlamentar, puníveis com a perda do mandato“.

.

Cunha pode perder mandato de deputado

.

Zop
Zop

.

O colunista Bernardo Mello Franco lembra de duas passagens na Câmara em que Eduardo Cunha (PMDB) negou ou se calou sobre possíveis contas na Suíça.

Ao ser questionado pelo deputado Chico Alencar, líder do PSOL, ‘o presidente da Câmara se manteve em silêncio, como se não devesse explicações aos colegas e à sociedade que lhe paga o salário, as refeições, os voos em jato da FAB e a residência oficial em Brasília’.

Em março, na CPI da Petrobras, foi além: “Não tenho qualquer tipo de conta em qualquer lugar que não seja a conta que está declarada no meu Imposto de Renda”.

Mello Franco ressalta que, “ao negar a existência das contas, o presidente da Câmara mentiu à CPI e omitiu informações relevantes sobre seu patrimônio, o que caracteriza quebra de decoro parlamentar”. Segundo ele, aliados já admitem que a sua permanência na presidência da Câmara está se tornando insustentável.

“Se a previsão se confirmar, restará ao peemedebista deixar a cadeira e lutar para não perder o mandato de deputado”, diz. In 247

Cunha, comedor de toco, não pode presidir a Câmara nem zoar de ditador e primeiro-ministro

As manchetes dos jornais de hoje indicam que acabou o parlamentarismo de Eduardo Cunha e suas aventuras de pequeno ditador na Câmara dos Deputados.
BRA_CB Cunha propina

BRA_OG Cunha propina

Pará
Pará

.

Chega ao fim a presidência de Eduardo Cunha

.

por Renato Rovai

A delação de Júlio Camargo, da Toyo Setal, de que Eduardo Cunha teria sido responsável pela cobrança de 10 milhões de dólares de propinas referentes a dois contratos de US$ 1,2 bilhão de navios-sonda, assinados pela Petrobras entre 2006 e 2007, é a tampa do caixão político do presidente da Câmara Federal que já vinha perdendo força no Congresso, apesar de todo seu comportamento de dono da Casa. Quem tiver dúvidas do que estou dizendo deve procurar o que Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) andou dizendo dele.

Cunha vem escapando de escândalos aqui e acolá há algum tempo. E vem conseguindo ampliar seu raio de atuação agindo como lobista de vários setores. Na disputa do Marco Civil da Internet, por exemplo, operou fortemente para derrotar a nova legislação a favor das teles. Certamente apenas por ideologia…

A força de Cunha no Congresso tem muito a ver com isso. Ele não é um líder natural, que conquista seguidores pela ideias que representa. Ele é aquele que sabe se movimentar nos bastidores e influir a partir de operações um tanto heterodoxas.

Diversos deputados falam à boca pequena que Cunha ganhou as eleições para a presidência na Câmara ainda na campanha eleitoral. E que sua força teria relação com o financiamento da campanha de vários dos eleitos.

Se é verdade ou não, as investigações que serão abertas a partir do depoimento de Júlio Camargo poderão mostrar.

Mas em política, as coisas são mais complicadas do que parecem. E hoje Cunha acabou.

E por que ele acabou?

Porque mesmo os deputados que podem ter sido agraciados com seus favores agora já devem estar apagando todas as chamadas e torpedos que receberam dele nos últimos meses. Sabem que neste momento se relacionar com o presidente da Câmara passa a ser uma ameaça.

Aos poucos, alguns começarão a não só a se afastar dele como vão lhe sugerir que é hora de baixar as armas e sair do foco. Ou seja, tentar fazer uma presidência menos barulhenta ou mesmo se afastar dela enquanto as investigações acontecem. E para que com a sua presença de investigado não atrapalhe a ação de todos os seus colegas.

Certamente Cunha vai ter a generosidade de parte da mídia na cobertura do seu caso. Principalmente da Globo, cujas relações que mantém não vem de hoje.

Antes de ser parlamentar, Cunha foi convidado por Paulo César Farias (lembram?) para presidir a Telerj na gestão de Fernando Collor, o senador da Lamborghini de 2,5 milhões de reais.

Na época, ele encaminhou a privatização da empresa e envolveu-se em um escândalo de superfaturamento. Ele assinou um aditivo de US$ 92 milhões da Telerj com a fornecedora de equipamentos telefônicos NEC Brasil que era controlada pela família Marinho (vejam que coincidência).

Mas mesmo com a benevolência quase certa da Globo, Cunha não vai dar conta do que vai acontecer com ele a partir de agora.

Manifestações contra o deputado passarão a ser uma constante depois disso. Principalmente porque ele tem se mostrado uma ameaça aos direitos da infância, dos LGBTs e de tudo que guarda relação com direitos humanos e ampliação de conquistas progressistas.

Ou seja, esses grupos terão ainda mais um motivo para combatê-lo.

Como previsto por este blogueiro, Cunha não estava indo com tanta sede ao pote à toa. Ele queria mostrar força para tentar escapar das denúncias que sabia apareceriam na Operação Lava Jato. E que poderiam levá-lo a ter o fim de Severino Cavalcanti.

Cunha jogou seu jogo duro e ainda vai tentar outras caneladas, como aprovar o processo de impeachment de Dilma. Mas a partir de hoje ele é mais do que um pato manco. É um congressista carimbado por uma acusação gravíssima de corrupção, porque dez milhões não são dez tostões.

Jarbas Cunha
Jarbas Cunha

E ai, meus caros, com essa ameaça lhe infernizando a vida, Cunha não terá alternativa. Vai ter de trabalhar para se defender. E ficará sem condições de liderar o que quer que seja. E terá de voltar para a tumba da sua inexpressividade. De onde nunca deveria ter saído. Ou seja, o caixão político de Cunha está sendo lacrado antes do seu primeiro pronunciamento à Nação. Transcrito do Portal Metrópole