Urariano Mota: Os perdoados da ditadura

Urariano Mota
Urariano Mota

A revista Época nº 706  traz uma boa reportagem sob o nome de “Os infiltrados da ditadura”. Antes de continuar, é bom esclarecer que a reportagem é boa pelo assunto e por alguma verdade que deixa escapar, apesar da pauta e direção da revista. O fato é que, num surto de bom tema,  a reportagem traz a público os perfis breves de cinco agentes do Centro de Informações da Marinha, que se infiltraram na resistência à ditadura.

Assim, ficamos sabendo dos infiltrados Manoel Antonio Rodrigues, Gilberto de Oliveira Melo, Álvaro Bandarra, este na cúpula do PCB, de Maria Thereza Ribeiro da Silva, no PCBR, e mais Vanderli Pinheiro dos Santos, executor da sua farsa de tal maneira, que recebeu da Comissão da Anistia 234 mil reais e pensão acima de 3 mil por mês. Mas claro, recebeu e recebe porque alegou haver sofrido perseguição e torturas, ao requerer o benefício a pessoas de boa-fé na Anistia. Se uma pesquisa rigorosa se fizer, deve haver outros em igual situação, pois a decência é terra estranha a bandidos e assemelhados.

No sentido acima, a reportagem marca um tento. Os agentes duplos, as infiltrações nos partidos e movimentos clandestinos,  cujo maior exemplo é o senhor cabo Anselmo,  começam a aparecer. Leia mais

En la editorial de la revista, son bien conocidas las manipulaciones mentales, las tácticas del discurso: se relativiza para nivelar a los ejecutores con los ejecutados, torturados y torturadores. Como paso siguiente se instaura el reino de los lobos que lamen cariñosos a las ovejas, de leones a los que las cebras tiran de los bigotes, porque todo lo sanguinario y feroz es pasado. Porque el pasado, como diría el Marqués de Maricá, el pasado pasó. Mientras que la realidad resiste a tan piadosos propósitos. Pregunten a todo el mundo civilizado sobre los crímenes de guerra nazis y diga a las “víctimas” vengativas que el pasado pasó. Y ni se precisa preguntar a los humillados y atropellados de oriente. Pregunten acá cerca en Argentina. Si la humanidad concordase en que el pasado pasó, podemos llamar a los compañeros de Fleury para una cena de confraternización, al son de “hoy es un nuevo día, un nuevo tiempo ha comenzado.”

Pero mientras ese futuro superficial no llegue, que venga y se profundice la acción de la Comisión de la Verdad. Urgente, ya.

Transcrevi trechos nas versões em português e espanhol. Importante ler o texto completo, principlamente quando começam a reaparecer os infiltrados nos movimentos estudantis (vide greves da USP e Chile) e nas marchas dos indignados (notadamente na Itália e Portugal).

Chile. Estudantes continuam nas ruas. Sete meses de greve

Chile, los estudiantes realizaron una jornada internacional de protesta que celebraron con una marcha en las calles de Santiago. Ciudadanos de varios sectores marcharon por mejoras en el sistema educativo del país y para destacar la unión de los pueblos latinoamericanos. Veja vídeo

Os estudantes conntinuam com a luta pelo ensino gratuito. Contra a imprensa, o presidente pinochetista e os comerciantes da educação. O dinheiro que devia ir para as escolas fica com a polícia. Para comprar mais armas contra os estudantes


Por que o povo teme a polícia?

A polícia criou um legenda de medo. Sempre chega dando cacetadas. Nas paradas dos movimentos grevistas. Nas passeatas estudantis. Nas marchas dos sem terra, dos sem teto, dos sem nada.
Sempre chega atirando nas favelas, nos guetos. Temos a impunidade das chacinas da CCC. Da Candelária. De Carajás. De Carandiru.
Acontece em qualquer ditadura.
Temos uma ditadura econômica.

A imprensa denuncia a existência de governos paralelos no Rio de Janeiro e em São Paulo. Isso só existe nos países em guerra civil.
Lula da Silva proclamou a libertação de seis favelas cariocas. O Rio possui mais de mil favelas.

O governo paralelo tem suas forças armadas pagas pelo governo oficial. Policiais comandam as milícias. Que aterrorizam o povo e matam juízes e policiais honestos. E elegem políticos de mãos sujas.

A limpeza dessas almas sebosas começa no andar de cima.

Soldado raso é soldado raso. Recebe ordens.

Toda polícia uma organização hierárquica.
O comandante geral das polícias civil e militar é o governador de cada Estado da República Federativa do Brasil.

Governador corrupto,
polícia bandida!