Atentado terrorista: Rádio incendiada na Amazônia

Benjamin Constant, Amazônia, foi palco de um ataque terrorista, com motivação política, e por pouco não vitimou uma jovem benjaminense.

Incendio-na-Radio-Encanto-do-Rio1

O ataque aconteceu às instalações da Rádio Encanto do Rio FM, de propriedade de Renato Pitanga, por volta das dez e meia da noite de 12 de março último, ao pequeno prédio que abrigava os equipamentos de transmissão e “coração” do sistema, localizado  num morro, atrás do Conjunto Habitacional Alonso Ipuchima, há, aproximadamente, 400 m da sede da Rádio.

Os terroristas investiram sobre três Transmissores e um receptor de Link de UHF, que  foram totalmente queimados. Antes de atear fogo no estabelecimento, espancaram uma das funcionárias. Moradores encontraram a jovem quase inconsciente num matagal próximo à Radio.

Pitanga vinha denunciando e fazendo duras críticas à Prefeitura Municipal de Benjamin Constant. Não é o primeiro ataque que a imprensa recebe no Alto Solimões, vários são os exemplos de violência impetrados sobre a imprensa. O mais grave ocorreu quando um jovem Repórter, Vanderley Canuto, foi assassinado com vários tiros na cidade de Tabatinga, vizinha a Benjamin Constant. Canuto, da mesma forma, vinha denunciando o antigo prefeito Saul Nunes Bemerguy.
incêndio bombeiros 1

íncêndio bombeiros 2
Segundo o empresário e proprietário da emissora Renato Pitanga o prejuizo inicial chega aproximadamente a R$400 mil reais,o equipamento mais caro consumido pelas chamas do fogo foi realmente o transmissor que é a espinha dorsal de uma emissora de rádio e o mais caro.
Em entrevista ao blog Otambaqui, Renato Pitanga disse: “Este atentando a emissora já era esperado, só não imaginava que seria tão rápido e nesta proporção, o corpo de bombeiros de Tabatinga, já constatou em laudo que o incêndio foi proposital e que a partir de agora, detetives e investigadores enviados pelo governo do estado estarão a caminho de B. Constant para averiguar o incêdio criminoso constatado pelas autoridades, o que faremos agora é tentar recuperar o prejuizo e renascer das cinzas como uma fenix (risos), aliás esta emissora sempre foi uma feniz renascendo em 2009 de uma tempestade que destrui alguns equipamentos e agora iremos sim renascer deste incêndio, só esperamos que a justiça seja feita e que os criminosos possam ser encontrados.”

incêndio

O certo é que quem perde com todo esse atentado criminoso é a população, principalmente ribeirinha que nao tem acesso a TV e internet e encontra na emissora uma forma de acompanhar as noticias e novidades.

Fotos: Almecy Marques-Encanto do Rio
Texto: Marcello Bhacana – Otambaqui Noticias

 O assassinato de Vanderlei Canuto Leandro

“A pressão política, tradicionalmente forte nas regiões norte e nordeste do Brasil, é muitas vezes sinónimo de lentidão, ou mesmo de impunidade, em casos desse género. No entanto, é sabido que Vanderlei Canuto Leandro incomodava as autoridades locais devido às suas denúncias radiofónicas de casos de irregularidades financeiras. Esta audácia é muito arriscada em territórios assolados pela corrupção, o crime organizado e uma elevada insegurança. Solicitamos aos serviços da polícia federal de Manaus, encarregados do processo, que acelerem sua atuação e que explorem a eventual conexão entre esse assassinato e a profissão da vítima, mesmo que isso implique pedir explicações às autoridades de Tabatinga”, declarou a organização Repórteres sem Fronteira.

Jornalista Vanderlei Canuto Leandro
Jornalista Vanderlei Canuto Leandro

Vanderlei (também chamado “Wanderley”) Canuto Leandro apresentava o programa “Sinal Verde” na Radio Frontera, uma estação bilingue instalada no lado peruano da fronteira. Era igualmente presidente do sindicato de moto-táxis – Sindimoto – de Tabatinga. Na noite do dia 1 de setembro de 2011, desconhecidos a bordo de uma moto dispararam oito vezes na sua direção quando Vanderlei se encontrava nas imediações de seu domicílio. O jornalista teve morte imediata.

Segundo o blogue de notícias Blog da Floresta [http://www.blogdafloresta.com](http://www.blogdafloresta.com), Vanderlei Canuto Leandro havia acusado abertamente a prefeitura de Tabatinga de compras sem licitação e de desvio de merenda escolar, processos atualmente em mãos da justiça. No passado dia 6 de maio, o jornalista havia apresentado uma denúncia no Ministério Público do Amazonas na sequência das ameaças de morte que o prefeito, Samuel Beneguy, lhe teria proferido. De acordo com o texto da queixa, o prefeito teria abordado nesse mesmo dia o jornalista em plena rua e ter-lhe-ia recordado que “numa zona de fronteira as mortes ocorrem facilmente”. Vanderlei Canuto Leandro também se queixara de perseguições por parte do prefeito, nomeadamente através de apreensões sucessivas de motocicletas do Sindimoto. Samuel Beneguy negou as acusações.

Qual estado brasileiro mais mata e mata e mata mais e mais jornalistas?

Dilma vai ou vai federalizar as investigações dos atentados e assassinatos de jornalistas?
Dilma vai ou vai federalizar as investigações dos atentados e assassinatos de jornalistas?

Embora o perfil internacional do Brasil tenha se mantido em ascensão, o governo sistematicamente deixou de expressar liderança em questões relacionadas à liberdade de imprensa. A violência contra jornalistas aumentou, com quatro assassinatos diretamente relacionados ao exercício da profissão; também piorou a posição do Brasil no Índice de Impunidade do CPJ, que destaca os países onde jornalistas são assassinados com regularidade e as autoridades não se mostram capazes de solucionar os crimes. Juntamente com a Índia e o Paquistão – dois outros países mal classificados no Índice de Impunidade – o Brasil levantou objeções à abrangente proposta da UNESCO para ajudar as nações a combater a impunidade e proteger jornalistas. Em face de fortes críticas, a embaixadora do Brasil na ONU, Maria Luiza Ribeiro Viotti mais tarde manifestou amplo apoio à liberdade de imprensa e a elementos do plano da UNESCO. Entretanto, o compromisso do governo com a liberdade de expressão foi posto à prova em outra importante questão internacional. O Brasil apoiou uma iniciativa liderada pelo Equador para enfraquecer a Comissão Interamericana de Direitos Humanos, o órgão de monitoramento de direitos humanos da Organização dos Estados Americanos, e sua relatoria especial para a liberdade de expressão. Em dezembro, Mauri König, repórter investigativo e ganhador do Prêmio Internacional de Liberdade de Imprensa do CPJ, deixou o país após receber ameaças de morte por suas reportagens sobre corrupção policial. O governo da presidente Dilma Rousseff apoiou duas iniciativas que promovem o direito púbico à informação. Rousseff assinou uma lei de acesso à informação e criou uma comissão para investigar os abusos contra os direitos humanos cometidos durante a ditadura militar no país, entre 1964 e 1985.

chacina3

26 Journalists Killed in Brazil/Motive Confirmed

Rodrigo Neto, Radio Vanguardia and Vale do Aço

March 8, 2013, in Ipatinga, Brazil

Mafaldo Bezerra Goes, FM Rio Jaguaribe

February 22, 2013, in Jaguaribe, Brazil

Eduardo Carvalho, Última Hora News

November 21, 2012, in Campo Grande, Brazil

Valério Luiz de Oliveira, Radio Jornal

July 5, 2012, in Goiânia, Brazil

Décio Sá, O Estado do Maranhão and Blog do Décio

April 23, 2012, in São Luis, Brazil

Mario Randolfo Marques Lopes, Vassouras na Net

February 9, 2012, in Barra do Piraí, Brazil

Gelson Domingos da Silva, Bandeirantes TV

November 6, 2011, in Rio de Janeiro, Brazil

Edinaldo Filgueira, Jornal o Serrano

June 15, 2011, in Serra do Mel, Brazil

Luciano Leitão Pedrosa, TV Vitória and Radio Metropolitana FM

April 9, 2011, in Vitória de Santo Antão, Brazil

Francisco Gomes de Medeiros, Radio Caicó

October 18, 2010, in Caicó, Brazil

Luiz Carlos Barbon Filho, Jornal do PortoJC Regional, and Rádio Porto FM

May 5, 2007, in Porto Ferreira, Brazil

José Carlos Araújo, Rádio Timbaúba FM

April 24, 2004, in Timbaúba, Brazil

Samuel Romã, Radio Conquista FM

April 20, 2004, in Coronel Sapucaia, Brazil

Luiz Antônio da Costa, Época

July 23, 2003, in São Bernardo do Campo, Brazil

Nicanor Linhares Batista, Rádio Vale do Jaguaribe

June 30, 2003, in Limoeiro do Norte, Brazil

Domingos Sávio Brandão Lima Júnior, Folha do Estado

September 30, 2002, in Cuiabá, Brazil

Tim Lopes, TV Globo

June 3, 2002, in Rio de Janeiro, Brazil

Zezinho Cazuza, Rádio Xingó FM

March 13, 2000, in Canindé de Sáo Francisco, Brazil

José Carlos Mesquita, TV Ouro Verde

March 10, 1998, in Ouro Preto do Oeste, Brazil

Manoel Leal de Oliveira, A Regiao

January 14, 1998, in Itabuna, Brazil

Edgar Lopes de Faria, FM Capital

October 29, 1997, in Campo Grande, Brazil

Reinaldo Coutinho da Silva, Cachoeiras Jornal

August 29, 1995, in São Gonçalo, Brazil

Aristeu Guida da Silva, A Gazeta de São Fidélis

May 12, 1995, in São Fidélis, Brazil

Marcos Borges Ribeiro, Independente

May 1, 1995, in Rio Verde, Brazil

Zaqueu de Oliveira, Gazeta de Barroso

March 21 1995, in Minas Gerais, Brazil

Joao Alberto Ferreira Souto, Jornal do Estado

February 19, 1994, in Vitória da Conquista, Brazil

chacina 5

8 Journalists Killed in Brazil/Motive Unconfirmed

Paulo Roberto Cardoso Rodrigues, Jornal Da Praça and Mercosul News

February 12, 2012, in Ponta Porá, Brazil

Valderlei Canuto Leandro, Radio Frontera

September 1, 2011, in Tabatinga, Brazil

Auro Ida, Olhar DiretoMidianews

July 21, 2011, in Cuiabá, Brazil

Valério Nascimento, Panorama Geral

May 3, 2011, in Rio Claro, Brazil

José Givonaldo Vieira, Bezerros FM and Folha do Agreste

December 14, 2009, in Bezerros, Brazil

Jorge Lourenço dos Santos, Criativa FM

July 11, 2004, in Santana do Ipanema, Brazil

Mário Coelho de Almeida Filho, A Verdade

August 16, 2001, in Magé, Brazil

Natan Pereira Gatinho, Ouro Verde

January 11, 1997, in Paragominas, Brazil

chacina última

CLIQUE NOS NOMES DOS MÁRTIRES DA IMPRENSA PARA SABER MAIS SOBRE A VIDA E MORTE DE JORNALISTAS NO BRASIL SEM GOVERNO E LEI