Berlusconi juega el as de corazones marcado

Minister Silvio Berlusconi, 76, announces engagement to TV presenter Francesca Pascale, 27
Minister Silvio Berlusconi, 76, announces engagement to TV presenter Francesca Pascale, 27
 Silvio Berlusconi, que cumplirá mañana 77 años con más pelo que cuando entró en política hace dos décadas, ha decidido por fin sentar la cabeza. La afortunada es Francesca Pascale, una joven de Nápoles solo medio siglo más joven que él, su novia oficial desde que, en 2010, su segunda esposa y madre de tres de sus cinco hijos,Veronica Lario, pidiera el divorcio tras declarar a los cuatro vientos: “Silvio está enfermo. No puedo estar con un hombre que frecuenta a menores de edad”.  No necesariamente.

Putin ataca os homossexuais e lésbicas para defender o corrupto Berlusconi. O Papa Francisco, ao contrário, diz que a Igreja não tem nada que INTERFERIR com a vida de homossexuais e lésbicas

por Helio Fernandes

Berlusconi, por Jan-Erik Ander
Berlusconi, por Jan-Erik Ander

Putin tem dito muita idiotice, não se incluam as que diz para se manter no Poder, mas esta, de ontem, mais contraditória do que todas: Textual: “Berlusconi está sendo perseguido, acusado e condenado por ser hetero. Se fosse gay, seria protegido”.

Inacreditável. Berlusconi está sendo acusado por ser o maior corrupto da Itália e do mundo. A palavra apropriada para ele seria l-a-d-r-ã-o.

E até hoje não foi preso, há anos está recorrendo. Não irá para a cadeia, jamais. Será que Putin não entende nem isso?

###
PS- Já o Papa Francisco surpreende com a afirmação: “A Igreja tem acabar com a obsessão com certos temas, aborto, gays, contracepção”.

PS2 – E reforçando e demonstrando qual deve ser a posição da Igreja, não deixa dúvida: “A Igreja não pode INTERFERIR na vida dos gays”.

PS3 – O Papa fez questão de deixar as coisas bem esclarecidas, para “homossexuais e lésbicas”.

 

Ministro Toffoli: “O julgamento do mensalão levará mais 2 anos”. Até 2015, portanto. Nesse caso, o que será fato ou interpretação? A Tribuna foi o único jornal que saiu com espaços em branco, não colocava “receitas” para agradar

por Helio Fernandes

 

O ministro Dias Toffoli deu entrevista anteontem, que foi manchete da Folha. Assinada pelos jornalistas Fernando Rodrigues e Felipe Seligman, é longa, variada, importante, ganhou dois terços da página 4. Tratou de diversos assuntos, quase todos polêmicos, incluindo o pessoal. Mas nada disso pode ser analisado agora, existe uma prioridade zero, que os próprios autores colocaram na manchete da Primeira.

Foi a afirmação surpreendente de Dias Toffoli; “O mensalão vai levar ainda 2 anos para ser julgado”. Nenhuma dúvida, qualquer restrição ou hipótese a não ser o que está na afirmação TAXATIVA: “2 anos para o fim do julgamento”. Que ele não chama de Ação 470, rotineiramente identifica como mensalão.

Tenho dito aqui, várias vezes, “o julgamento da Ação 470 não terminará em 2013”. Portanto, isso, que para mim é praticamente certo, pode levar 6 ou 7 meses, e ultrapassará 2013. Mas se o ministro estiver correto, vai até maio ou junho de 2015.

Fiquemos então com a certeza do ministro. Abandonemos o que temos escrito, interpretações baseadas em informações ou informes confiáveis, mas não comparáveis às afirmações do ministro. Que está lá dentro, tem contatos, conversas, fala e ouve coisas que muitas vezes não chegam às ruas.

SE TOFFOLI SABE O QUE DIZ,
REVOLUÇÃO NO SUPREMO

Vejamos agora os fatos concretos e indiscutíveis que acontecerão, basta que o prazo DIVULGADO pelo ministro esteja certo. Nem examinarei o imponderável, o imprevisível, o incerto num julgamento que já devia ter acabado há muito tempo. Para facilidade do entendimento, vamos numerar os fatos, se o julgamento for até 2015.

1 – Joaquim Barbosa continuará como relator, não será mais o presidente.

2 – O presidente será Ricardo Lewandowski, com a ministra Cármen Lúcia assumindo a vice. Importantíssimo.

3 – O país já terá passado da eleição de 2014, Dona Dilma reeleita ou um novo presidente da República. Nada de maior importância, a próxima vaga do Supremo será em 2016 e outra em 2017. Bastante tarde, as previsões do ministro Toffoli vão só até 2015.

4 – Os quatro deputados que tiveram seus mandatos cassados já terão disputado as eleições de 2014. Se apesar de cassados exercem os mandatos, quem impedirá que disputem a reeleição?

5 – Se perderem, serão cassados pelo eleitor, nenhuma discussão.

6 – Mas se forem reeleitos pelo voto direto,estarão obviamente fortalecidos, o Supremo não poderá cassá-los. Na Câmara, qualquer que seja a forma de decisão, ganharão e continuarão.

7 – Renan Calheiros não será mais presidente do Senado, nem Henrique Eduardo Alves, da Câmara.

8 – Em outubro de 2014 haverá eleição para renovação da Câmara inteira, e para 27 senadores (só existe uma vaga no Senado, por Estado).

9 – Normalmente, 50 por cento não voltam, 50 por cento se reelegem. Isso é importante.

Em suma: examinei apenas os fatos que acontecerão, se o julgamento for mesmo até 2015. Toffoli deve saber o que diz. Quanto a mudanças de comportamento, redução de penas, definição do que é regime semi-aberto, como podem ser cumpridas as penas, já que não existem estabelecimentos que cumpram a lei, prisão doméstica e por aí, isso não é fato, será definido pelo debate ou pelas convicções.

FORA, BERLUSCONI

Há 5 anos, no auge das acusações sobre corrupção e imoralidade moral e sexual, Berlusconi ganhou a eleição nas 11 capitais mais importantes, incluindo Roma. Foi primeiro-ministro, fracassado como sempre, mas “engavetando” os processos contra ele.

Agora, na eleição de domingo, Berlusconi foi derrotado nas mesmas 11 cidades principais. E a derrota mais alarmante e sufocante, para ele, foi em Roma, seu partido ficou em quarto lugar.

PREFEITO DE ROMA, UM MÉDICO
ESPECIALISTA EM  TRANSPLANTE

Seu nome é Ignazio Marino, de menos de 60 anos, realizado na profissão, achou que “devia servir à coletividade”. Reforçou a posição do primeiro-ministro, dito de centro-esquerda. Como o voto não é obrigatório (quando teremos isso no Brasil?), houve  abstenção razoável. Mas a direita está em queda livre.

CORRUPÇÃO NA FRANÇA

Christine Lagarde (agora diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional, o sempre contestado FMI), estava sendo investigada quando foi ministra da Economia da França. Várias vezes foi dos EUA até a França para depor na investigação.

Não se livrou da investigação, mas seu chefe de gabinete de então foi investigado, acusado e com prisão preventiva decretada. Seu nome: Stephane Richard. Ele estava envolvido na venda da Adidas, escândalo que teve enorme repercussão na época. As investigações querem descobrir quem ficou com quase 800 milhões de reais, que desapareceram.

Quando esses exemplos de corrupção oficial e conseqüente prisão preventiva chegarão ao Brasil? E o fim do voto obrigatório?

 

censura jornalista

PS – Você está certo, Limongi, certíssimo, quando diz: “Pronto, já era esperado. Deixem o Neymar em paz. Ele é jovem, centrado, responsável. Faz o que entende nos momentos de folga e lazer. Contanto que não prejudique suas atividades de atleta profissional”.

PS2 – E termina: “Que Deus continue iluminando os passos de Neymar, que prossiga sua trajetória vitoriosa. Sempre apoiado pela família, o que é fundamental. Ficaria surpreso se Neymar não gostasse de se divertir”.

PS3 – Ricardo Sales, rigorosamente verdadeiro. Chamei de “Mobral”, porque eram rigorosamente analfabetos. Até o Augusto, zagueirão do Vasco quando era “Expresso da Vitória”, funcionava como censor. Polícia civil, foi requisitado para trabalhar na Tribuna.

PS4 – Fui dezenas de vezes chamado à Polícia Central, ficava na esquina da Tribuna. O “chefão” reclamava: “O senhor não deixa os censores tomarem café ou comer um sanduíche no restaurante do jornal”.

PS5 – Resposta: “Só dou uma cadeira para eles sentarem, para não atrasar a saída do jornal”. Ele me olhava surpreendido, mandava: “Pode se retirar, o senhor é audacioso”.

PS6 – A Tribuna foi o único jornal que não preenchia os espaços em branco. Muitos se orgulham de terem colocado receita de bolo, de comida, serviam à ditadura. Nós não, saíamos com os espaços em branco.

PS7 – Eles podiam ter fechado o jornal, tinham medo da repercussão internacional. Estrangulado o jornal financeira e publicitariamente, resistimos mais 43 anos, só fomos fechar em 2008, depois que joguei tudo que tinha, não dava mais.

PS8 – Tivemos 1005 (mil e cinco) primeiras páginas com espaços em branco. E  páginas internas, mais de SEIS MIL, da mesma forma, e centenas delas estavam INTEIRAMENTE EM BRANCO. Não cedi de maneira alguma, perdi tudo, mas resisti até o fim. E não me arrependo de maneira alguma. Fiz o que precisava fazer. Na próxima ditadura, não estarei mais aqui, mas será inevitável. Resistam.

PS9 – O dólar subiu acima de 2,156, apesar do BC entrar vendendo duas vezes. Mas Mantega deixou entrever que no seu arsenal de combate à inflação, o câmbio não será uma das armas utilizadas.

PS10 – A Bolsa continuou caindo e Eike Batista continuou vendendo. O que levou o Santander a dizer, “em 2014, Eike estará sem caixa”. Já está sem caixa. Devia estar comprando, as ações podem cair mais um pouco, mas voltarão a se recuperar. Bolsa não sobe sempre, Bolsa não desce sempre.

 

 

Brasil: “O país dos 30 Berlusconi”

Na página de Gilmar Crestani:

Será que vamos encontrar esta informação na RBS, Folha, Estadão, Veja, Globo?!

Será que o pessoal do Instituto Millenium não vai denunciar esta máfia?!

ONG sobre mídia no Brasil: “O país dos 30 Berlusconi”

:

Repórteres sem Fronteiras publicam relatório intitulado “Brasil, o país dos 30 Berlusconi”, em referência ao ex-primeiro-ministro italiano, dono de um império de comunicação na Itália. Segundo o documento, a “topografia midiática” brasileira pouco mudou desde o fim da ditadura. “O Brasil apresenta um nível de concentração de mídia que contrasta totalmente com o potencial de seu território e a extrema diversidade de sua sociedade civil”, diz a ONG francesa

25 de Janeiro de 2013 às 06:11

247 – Um relatório da ONG Repórteres sem Fronteiras divulgado nesta quinta-feira defeniu o Brasil como “o país dos 30 Berlusconis”, numa crítica à concentração dos veículos de comunicação do país em poucas mãos. “O Brasil apresenta um nível de concentração de mídia que contrasta totalmente com o potencial de seu território e a extrema diversidade de sua sociedade civil”, analisa a ONG de defesa da liberdade de imprensa. “O colosso parece ter permanecido impávido no que diz respeito ao pluralismo, um quarto de século depois da volta da democracia”, destaca a RSF (o relatório pode ser lido na íntegra aqui).

O relatório foi composto após visitas de membros da ONG a Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro. Segundo o RSF, “a topografia midiática do país que vai receber a Copa do Mundo de 2014 e a Olimpíada de 2016 pouco mudou nas três décadas que sucederam a ditadura militar de 1964-1985”. O documento destaca que as 10 maiores companhias de mídia do país estão baseadas em São Paulo ou Rio de Janeiro, o que “enfraquece a mídia regional”.

“A independência editorial da mídia impressa e transmitida e minada pela pesada dependência de propaganda do governo e suas agências”, analisa o relatório, que destaca que, em 2012, houve 11 jornalistas mortos no país. Segundo a ONG, um dos problemas endêmicos do setor da informação no Brasil é a figura do magnata da imprensa, que “está na origem da grande dependência da mídia em relação aos centros de poder”. “Dez principais grupos econômicos, de origem familiar, continuam repartindo o mercado da comunicação de massas”, lamenta a RSF.

Soluções

Segundo a ONG, outro problema no Brasil é a censura na internet, com denúncias que levaram ao fechamento de blogs durante as eleições municipais de 2012. O documento cita o caso do diretor do Google Brasil, Fábio José Silva Coelho, que ficou preso brevemente por não retirar do YouTube um vídeo que teoricamente atacava um candidato a prefeito. Coelho foi preso pela Polícia Federal em setembro passado a pedido do candidato a prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal.

Para reequilibrar o cenário da mídia brasileira, a Repórteres Sem Fronteiras recomenda reformar a legislação sobre a propriedade de grandes grupos e seu financiamento com publicidade oficial. Além disso, a ONG sugere a melhoria da atribuição de frequências audiovisuais, para favorecer os meios de comunicação, e um novo sistema de sanções que não inclua o fechamento de mídias ou páginas, entre outras medidas.

O escândalo Scajola na Itália e o futuro da área de defesa no Brasil

Mauro Santayana

O La Stampa, italiano, compara a uma “Caixa de Pandora” a investigação em curso naquele país, iniciada semana passada, sobre o “canal direto” que existiria entre o ex-ministro do Desenvolvimento do governo Berlusconi, Claudio Scajola – acusado de propósito de corrupção em uma malograda venda de fragatas italianas ao Brasil – e o então ministro da Defesa do governo Lula em 2010, Nelson Jobim.

ÚLTIMO TANGO

Em caso de conflito futuro do Brasil com algum país da OTAN ou com os Estados Unidos, bastará usar a tática do “último tango no front”, aplicada exemplarmente à Argentina em seu conflito com a Inglaterra nas ilhas Malvinas. Suspende-se a fabricação de armamento e a reposição de peças e munição para as armas e para os aviões e navios vendidos anteriormente, já que a lealdade dessas empresas sempre estará com seus donos, os governos de seus respectivos países.

Devemos seguir o exemplo europeu, que ancorou sua estratégia de defesa em empresas estatais como a DNCS francesa (que nos vendeu os submarinos Scorpéne), a BAE britânica (que nos vendeu três fragatas recentemente) e a franco-alemã-espanhola EADS (que controla a Helibrás, e que nos prometeu passar a tecnologia de construção de helicópteros a partir de 2020). O Brasil precisa – quem sabe usando a AMAZUL como base – constituir estrutura pública própria para a pesquisa, o desenho e a construção de material bélico.

DESNACIONALIZAÇÃO

Com essa empresa, nacional e estatal, teríamos escala para aproveitar a tecnologia desenvolvida pelas nossas próprias indústrias de armamento, que estão sendo adquiridas a ritmo avassalador por multinacionais estrangeiras. E poderíamos estabelecer, finalmente, parceria estratégica com os BRICS para o desenvolvimento de toda uma nova geração de armamentos.

O governo russo estaria disposto a reabrir seu mercado para as carnes brasileiras em troca da exportação ou da produção conjunta de armamentos. Para voltar a participar do Programa FX, de aquisição de caças para a Força Aérea, os russos aceitariam compartilhar a tecnologia dos aviões Sukhoi 35, venderiam a Brasília seus mísseis anti-aéreos Tor, e renovariam o convite para que o Brasil participe do acordo do PAK-FA T-50, como sócio pleno do caça-bombardeio de quinta geração que estão desenvolvendo junto com a Índia, para entrar em operação por volta de 2018. Leia mais

A decadência de Berlusconi: império econômico, orgias e carreira política


Os primeiros escândalos contra Silvio Berlusconi sugiram em 2009, quando a garota de programa Patrizia D’Addario (galeria fotos) disse ter recebido 2 mil euros para participar de orgias com o premiê. Leia

Patrizia D'Addario
Patrizia D'Addario

Sua vida dissipada e a atração por mulheres jovens levaram a um pedido público de divórcio por parte de sua segunda esposa.
Julgado pelos tribunais de Milão (norte) por prostituição de menor e abuso, como no caso da jovem marroquina chamada Ruby (mais fotos), uma das protagonistas de suas célebres festas privadas ao ritmo do “bunga-bunga” (clique vídeo), Berlusconi deve responder à justiça também por suborno e fraude fiscal.  Tem ainda a lindeza de Nadia Macri. Conheça o caso 

Nadia Macri
Nadia Macri
Ruby
Ruby

Sempre bronzeado e com vários “liftings” e implantes capilares, Berlusconi (vídeo censurado) foi casado duas vezes, é pai de cinco filhos e avô várias vezes.

Todos caminhos levam à Roma contra Berlusconi

Contra os chefões
Contra os chefões

No cartaz verde Sílvio, estás a f**** a Itália
No cartaz verde Sílvio, estás a f**** a Itália

Feministas da Femen contra Berlusconi
Feministas da Femen contra Berlusconi

Activistas ucranianas do grupo “Femen”, pintadas com as cores da bandeira de Itália, juntam-se aos protestos contra o primeiro-ministro italiano. “Sílvio, estás a f*** a Itália” e “Sílvio, que raio estás a fazer” lê-se nos cartazes das mulheres que dão nas vistas na manifestação promovida, este sábado, em Roma.

Galeria de fotos