O apoio vendido da modelo Naomi Campbell e da atriz Lindsay Lohan a Aécio

Tem empresas que vendem acompanhantes para playboy pousar de Don Juan, de Casanova. Tem o tráfico nacional/internacional de luxo de lindas mulheres e garotos sarados. Outras vendem artistas de tv para participar de festas. Agora aparece uma empresa que vende apoio político de celebridades.

Naomi Campbell
Naomi Campbell
Lindsay Lohan
Lindsay Lohan

 

Quem são os sócios da empresa que compra apoios para Aécio Neves?

por Gilmar Crestani

O que a Folha não diz pode estar por traz de outra empresa, fundada por membros do Instituto Millenium, a Geo Eventos… A relação da Geo Eventos com a compra de apoio das celebridades americanas foi revelada pelo site Pragmatismo Político. A prática se constitui em infração eleitoral. Gostaria de saber o que fará a respeito o Ministério Público Eleitoral.

A foto abaixo ilustra a criação da empresa Geo Eventos, na incubadora do Instituto Millenium, e foi revelada pela Agência Dinheiro Vivo.

Nelson Sirotsky, Roberto Irineu Mainho, Jose Roberto Marinho, Eduardo Sirotskymelzer, João Roberto Marinho
Nelson Sirotsky, Roberto Irineu Mainho, Jose Roberto Marinho, Eduardo Sirotskymelzer, João Roberto Marinho

Apoio de atriz a tucano foi ação de marketing

Empresa especializada diz ter agido por conta própria por postagens de celebridades na web

por Ygor Salles e Alexandre Aragão

O apoio de duas celebridades americanas, a modelo Naomi Campbell e a atriz Lindsay Lohan [vídeo], ao presidenciável Aécio Neves (PSDB) foi parte de uma ação de marketing planejada por uma empresa brasileira especializada nesse tipo de abordagem.

A companhia que fez a ponte com Lindsay e Naomi se chama Hollywood TV. Ela tem uma filial brasileira desde o ano passado, fundada por quatro sócios. Seu principal negócio é intermediar a relação entre marcas e celebridades –que, após receberem uma quantia, fazem postagens favoráveis ao cliente em alguma rede social.

Usuários do Twitter apontaram que a empresa estava por trás da ação porque o post de Lindsay Lohan [nua], posteriormente apagado, continha a hashtag #htvbr. A própria empresa não escondeu o fato, já que divulgou a ação em seu site e nas redes sociais.

No entanto, um dos sócios da Hollywood TV nega que tenha recebido dinheiro pela publicidade. “Eu vou votar no Aécio, então usei a minha influência para conseguir os posts”, diz Jairo Silva Soares.

O empresário explica que precisou apenas fazer alguns telefonemas. “A gente tem acesso [a celebridades], pedi a pessoas próximas”, conclui.

A Justiça Eleitoral impede que partidos e candidatos paguem por publicidade na internet. Nas prestações de contas divulgadas pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) não constam pagamentos ou doações em nome da Hollywood TV e de seus sócios.

A mensagem de amor de Linsday Lohan 

mensagem 2

A atriz de Hollywood Linsday Lohan usou suas páginas e perfis nas redes sociais para defender a candidatura do tucano.

“O Brasil precisa de mudança e eu apoio Aécio Neves. Ele merece ganhar a presidência para fazer mudanças positivas e políticas para todos do Brasil, país que eu adoro”, escreveu a atriz em sua página no Facebook.

 

Ele só quer só pensa em namorar

Escreve a prestigiada e excelente jornalista Mônica Bergamo: “O rol de conquistas de Aécio é admirável. Se existe um traço comum entre suas namoradas ou affaires é que a maioria tem cabelos longos e lisos. A idade também as aproxima – quase todas elas têm uns quinze anos a menos. Ele tem 53 [este texto é de 7 de 7 de 2013].

Estrelam o grupo a jornalista Cynthia Howllet, a modelo Michele Pin e  estudante Luciana Milhomens. Leia mais e veja galeria de fotos.

Michele Pin, BBB 13, com Aécio 1

Michele 2

Michele 3

Michele 4

Michele 5

Aécio e a BBB13 Michele Pin, curtindo uma praia em Salvador
Aécio e a BBB13 Michele Pin, curtindo uma praia em Salvador
  Cynthia Howllet
Cynthia Howllet

 

A MISS E O GOVERNADOR AÉCIO

 

capa_ gente

Publica Istoé Gente: Frequentador do Rio, para onde embarca nos finais de semana, o governador ainda tem entre suas conquistas a dentista Michele Bahiense…

Na madrugada carioca, Aécio Neves e Natália Guimarães trocam beijos em restaurante. Fascinado pelos encantos da companhia, o governador nem sequer se preocupou em escolher uma mesa mais reservada. Durante duas horas e meia em que permaneceram no restaurante, não esconderam o quanto estão encantados um pelo outro. A conversa, entrecortada por abraços e beijos, foi regada a vinho tinto Doña Paula Estate, safra 2005.

Aécio e Natália degustaram lagostim de entrada e escolheram peixe como prato principal. A miss Brasil optou por cherne enquanto o governador mineiro escolheu atum. Alheios aos olhares mais curiosos, saborearam o jantar em clima de romance e deixaram o restaurante abraçados. Texto de Rosangela Honor e Thaís Botelho. Leia mais [Aécio abandonava Minas Gerais, e entregava o governo para a irmã Andréa Neves]

Miss Brasil Natália Guimarães
Miss Brasil Natália Guimarães
Governador Aécio Neves e Michele Bahiense
Governador Aécio Neves e Michele Bahiense

 

Twitter, fotos e namoradas do senador

 

Ao contrário da maioria dos políticos, Aécio é um boêmio. Gosta de sair à noite, beber um pouco de uísque (aguardente ele só bebe em sua fazenda) e namorar.

A lista de ex-namoradas dele é ocupada só por belas garotas, como as modelos Ana Luiza Castro e Letícia Weber ( atual esposa do político).

Apresentadora Lívia Lemos
Apresentadora Lívia Lemos
Martha Graeff
Martha Graeff
Ana Luiza Castro
Ana Luiza Castro
Aécio e Letícia Weber
Aécio e Letícia Weber

Mais dez lindas mulheres na lista de conquista de Aécio

Publicado por Maria Regina Jardim em Notas

O candidato a presidente da República Aécio Neves (PSDB), que disputa o segundo turno das eleições com a presidente Dilma Rousseff (PT), possui um perfil que vai muito além do político brasileiro. Além de estar envolvido neste meio há mais de 30 anos – por causa de seu avô, Tancredo Neves -, pode-se dizer que o mineiro é um conquistador nato. Quando o assunto é mulher bonita, o postulante tem história para contar. Confira uma lista de 10 beldades que já namoraram Aécio:

 

1 – A modelo Michele Pin
1 – Modelo Michele Pin
2 – A atriz Ana Paula Arósio
2 – Atriz Ana Paula Arósio
2 – A atriz Ana Paula Arósio
3 – Apresentadora Ana Luiza Castro
4 – A modelo Martha Graeff
4 – Modelo Martha Graeff
5 – A übermodel Gisele Bündchen
5 – Modelo Gisele Bündchen
6 – A modelo Larissa Borges
6 – Modelo Larissa Borges
7 – A Miss Brasil Natália Guimarães
7 – Miss Brasil Natália Guimarães
8 – A modelo Bianca Giacóia
8 – Modelo Bianca Giacóia
9 – A atriz Maitê Proença
9 – Atriz Maitê Proença
10 – A modelo Letícia Weber, com quem é casado e tem dois filhos, atualmente.
10 – A modelo Letícia Weber, com quem é casado e tem dois filhos.

Prefeitos que marcham para Brasília ocupam o tempo enfiados na sacanagem

por Moacir Japiassu

 

O considerado Ubirajara Moreira Jr., nosso “Bira de Brasília”, despacha de seu QG às margens do Lago Paranoá:

“Comendo” com a grana dos meus impostos… sacanagem!, escreve ele ao apresentar esta reportagem do Último Segundo:

Marcha dos Prefeitos alimenta mercado do sexo em Brasília
Garotas de programa chegam a se deslocar de outras cidades para atender à demanda; prefeitos pagam até R$ 1 mil por um programa e R$ 500 por uma garrafa de uísque 8 anos

A 17ª Marcha dos Prefeitos movimentou de forma anormal não apenas os corredores do Congresso Nacional e o trânsito na Esplanada dos Ministérios.

Outro círculo também se preparou para absorver a movimentação dos prefeitos que vieram do Brasil todo para o encontro. Prostitutas que fazem ponto nas boates mais conhecidas da capital federal também se prepararam para o trabalho extra.
Além dos chefes dos executivos municipais, contribuem com a prosperidade do mercado de sexo nos três de dias do evento assessores e vereadores.

Leia a íntegra da sacanagem

 

Aplee's Night Club, casa noturna localizada no setro de indústrias e setor de hotéis em Brasília. Foto Alan Sampaio: IG
Aplee’s Night Club, casa noturna localizada no setro de indústrias e setor de hotéis em Brasília. Foto Alan Sampaio/ IG

 

Garotas de programa chegam a se deslocar de outras cidades para atender à demanda; prefeitos pagam até R$ 1 mil por um programa e R$ 500 por uma garrafa de uísque 8 anos

 

Por Marcel Frota e Wilson Lima – iG Brasília

 

A 17ª Marcha dos Prefeitos movimentou de forma anormal não apenas os corredores do Congresso Nacional e o trânsito na Esplanada dos Ministérios. Outro círculo também se preparou para absorver a movimentação dos prefeitos que vieram do Brasil todo para o encontro. Prostitutas que fazem ponto nas boates mais conhecidas da capital federal também se prepararam para o trabalho extra. Além dos chefes dos executivos municipais, contribuem com a prosperidade do mercado de sexo nos três de dias do evento assessores e vereadores.

Desde o início da semana, muitas garotas de programa se disseram empolgadas com um crescimento do movimento. Uma delas, que trabalha há aproximadamente cinco anos e se identificou como Morgana, contou ao iG que a Marcha dos Prefeitos tem sido um dos principais eventos das profissionais do sexo. “É muita gente e sem dúvida a demanda cresce nesse período. Depois desse encontro de prefeitos, as coisas vão melhorar apenas na Copa do Mundo”, afirma Morgana.

Eduarda, outra profissional do sexo com a qual o iG manteve contato, também revelou animação com o encontro de Prefeitos. “É um período que dá para faturar fácil. Muitos prefeitos aproveitam para fazer em Brasília o que não podem fazer em casa”, admite ela, funcionária de uma casa noturna. “Mas é bom ficar de olho. Muitos deles (clientes) são muito discretos, hoje tem muita mídia em cima”, acrescenta ela. “Tá parecendo pescaria, nem dá tempo de sair do táxi que alguém já fisga. Tá demais essa Brasília”, ilustrou um deputado da base governista sobre a agitação do mercado do sexo durante esta semana.

O preço do programa varia bastante, dependendo do perfil da prostituta e do local da abordagem. Em geral os valores giram entre R$ 200 e R$ 500 em alguns dos pontos visitados pela reportagem, mas o movimento ajuda a puxar os preços. Uma das garotas conta que conseguiu subir o valor para R$ 1 mil.

Concorrência das forasteiras

A demanda incomum que gera disputa entre as garotas de Brasília atrai também profissionais de fora da capital federal. Na Alfa Pub, que fica na região central de Brasília, um dos funcionários revela que a notícia a respeito do Encontro de Prefeitos atrai garotas que trabalham em Goiânia, mas que não hesitam em percorrer os cerca de 200 quilômetros que separam a cidade de Brasília para faturar um extra. A chegada das goianas acirra a concorrência, mas os clientes não reclamam do aumento da oferta. A reportagem presenciou a animação de prefeitos que chegavam ao local. Inicialmente tímidos, eles logo entravam no clima.

Mas o movimento incomum e tudo aquilo que a clientela de fora da cidade traz atrapalha o mercado, na opinião de algumas garotas de programa. É a opinião de Camille, por exemplo, que forneceu cartão para reportagem perto do Alfa. “Muitos políticos vêm de lugares que não têm muitos recursos financeiros. Eles vêm justamente atrás de verbas e não têm muito dinheiro para gastar com garota de programa e isso acaba tumultuando. Talvez a presença deles seja boa para aquelas que cobram mais barato, para mim não”, diz ela.

Funcionários da casa noturna Apple’s, uma das principais de Brasília, admitiram que a movimentação atípica não mexe somente no quadro de garotas disponíveis, mas também cobra uma atenção especial com o bar. Em dias como terça-feira, por exemplo, o movimento foi comparado ao entra e sai dos finais de semana, quando o trânsito de clientes é maior. A boate preparou seu estoque de bebidas com essa previsão.

Taxistas também ficaram animados com a possibilidade de um lucro a mais com o encontro de prefeitos. Eles admitiram ao iG que recebem R$ 50 das boates para cada político que eles conseguem levar para as casas de strip-tease. Um taxista que preferiu não se identificar admitiu que somente na noite da última terça-feira, levou seis prefeitos a uma casa de strip-tease.

Dentro das boates, a movimentação foi intensa na última terça-feira. Na Apple´s Night Club, o iG conseguiu identificar pelo menos 30 prefeitos de cidades do Ceará, Santa Catarina, Acre, Paraíba e Piauí. Por volta das 23h20, por exemplo, chegou na Apple’s, de uma só vez, uma comitiva com cinco prefeitos cearenses em busca de diversão. Havia petistas, pemedebistas e petebistas entre os prefeitos identificados.

A rede hoteleira, superlotada, também viveu dias atípicos. A movimentação das prostitutas chamavam a atenção até mesmo os funcionários, acostumados com o assedio das profissionais do sexo a alguns clientes. Houve até quem relatasse ter sido abordado nos corredores de um hotel de luxo. “O senhor é prefeito?”, perguntou uma prostituta a um dirigente partidário que estava apenas de passagem por Brasília na quarta-feira e se hospedou num hotel de luxo da capital.

A proximidade do setor hoteleiro é uma vantagem da Alfa Pub. A entrada do bar, que não passa de um salão tosco com mesas e um balcão sem um pingo de glamour, fica a menos de 50 metros da entrada de um hotel. Algumas profissionais se revezam entre o bar, no qual pagam R$ 40 de entrada, e as adjacências. Muitas conseguem emplacar um programa atraindo clientes do hotel. As meninas que fazem ponto no bar enfrentam ainda a concorrência de colegas que atuam do lado de fora.

Além das prostitutas que trabalham na rua, muitas fazem ronda, dentro do carro. Distribuem cartões e fazem ofertas aos transeuntes. Algumas roubam clientes do bar esbanjando simpatia e sensualidade e fecham o programa com clientes que estão a caminho do Alfa, mas, seduzidos no caminho, desistem do bar e vão direto ao que interessa.

Movimentação no Alfa Pub, na noite escura dos prefeitos em Brasília. Foto Alan Sampaio/ IG
Movimentação no Alfa Pub, na noite escura dos prefeitos em Brasília. Foto Alan Sampaio/ IG

Concorrência online

Apesar do crescimento notado pelos profissionais que trabalham nas boates, alguns admitem que já houve dias melhores. Funcionário do Star Night, casa que a exemplo do Alfa Pub funciona como ponto de encontro, admite que o assédio da mídia e reportagens que falam sobre a orgia dos políticos na capital provocaram a desconfiança geral. Muitos preferem usar portais especializados em oferecer o serviço de garotas de programa a ter de comparecer a uma boate.

A disseminação de celulares com câmera também contribuiu para aumentar o receio dos prefeitos. “Hoje em dia, qualquer um saca o celular e faz uma foto. Eles ficam com medo”, diz um funcionário da Star Night. Segundo o mesmo funcionário, esse tipo de coisa relativizou o crescimento do movimento em algumas casas, sobretudo as menores e aquelas que, ao contrário da Apple’s, não oferecem nenhum diferencial, como shows de strip-tease. Além disso, a expectativa em torno da Copa do Mundo deixou todo o mercado relativamente preparado. E a Copa das Confederações funcionou como laboratório para os proprietários.

A internet só não consegue suprir o desejo dos grupos que, além de sexo, procuram um ambiente para farrear ao lado de garotas de programa em confraternizações regadas a muito álcool. Um garçom do Alfa Pub conta que os grupos esvaziam garrafas de uísque com uma velocidade que chama atenção até dos consumidores mais assíduos. “Em meia hora eles acabam com uma garrafa de uísque”, diz o garçom. A garrafa do scotch mais barato, envelhecido 8 anos, sai por R$ 500, mas se escolher bebericar em doses a mesma quantia custa R$ 720. O mesmo uísque é vendido em mercados da cidade por R$ 80. Na Apple’s, uma lata de cerveja chega a custar R$ 25, a mesma cerveja é vendia a R$ 2 em mercados de Brasília. A caipirinha feita com vodka é vendida por R$ 45.

Veja mais: Prefeitos tentam manter discrição durante passeio em Brasília

 

 

 

A mulher de César

por Mauro Santayana

 

 

transparência
Depois de pedir licença de seu mandato, o deputado André Vargas renunciou à primeira vice-presidência da Câmara dos Deputados, após instauração de processo no Conselho de Ética da Casa, para apurar denúncias contra ele, a propósito de suas relações com o doleiro Alberto Youssef, detido pela Polícia Federal em uma operação que investiga lavagem de dinheiro.

O envolvimento de André Vargas com o doleiro teria vindo à tona a partir do pedido de “empréstimo”, feito pelo deputado, de um jatinho, para viajar de férias a Youssef.

Já houve caso de quem viajasse em avião público por questões estéticas; de quem pegasse carona em aeronaves destinadas a atendimento médico; de quem tivesse a própria aeronave apreendida com substâncias proibidas.

Há grandes e pequenos escândalos, e episódios que são vistos, por alguns, como “pecadilhos”, que atingem, infelizmente, de forma indiscriminada, partidos das mais variadas legendas, tendências e orientação política.

Embora quase todo mundo tenha um lado, e nem sempre os fatos sejam abordados com o rigor, a honestidade e a isonomia que merecem — há assuntos que são rapidamente julgados enquanto outros passam anos sem ser sequer investigados — a verdade é que leis como a da Ficha Limpa e a do voto aberto para o julgamento e a cassação de parlamentares já deveriam ter sido vistas, por todos, como sinal de alerta e mudança nos riscos e cuidados da vida pública.

Leis da Ficha Limpa e do voto aberto para julgamento e cassação de parlamentares já deveriam ter sido vistas
Para gregos e troianos da odisseia política brasileira, talvez nunca seja demais lembrar a frase atribuída por Plutarco a certo prócer romano, ao repudiar sua mulher, filha de Quintus Pompeius Rufus: “À mulher de César, não basta ser honesta, é preciso parecer honesta”.

Embora a expressão, para alguns, coloque as aparências na frente da verdade, ela reflete a necessidade do rito; da manutenção de regras básicas de convívio e de respeito entre pares e por seus eleitores; e até por si mesmos, no exercício da atividade pública, no sentido de que todos deveriam se dedicar ao objetivo de mantê-la, sempre que possível fosse, ao abrigo de qualquer suspeita.

Ao colocar seu comportamento em dúvida, estendendo o opróbrio e a desconfiança da população sobre a atividade política e a instituição de que toma parte, o homem público não macula apenas a si mesmo.

Ele agride e arrasta na lama a imagem da Democracia que, como à mulher de César, não deveria bastar que fosse — majoritariamente — honesta, mas também que assim transparecesse aos olhos da nação.

Há lugares, como o Uruguai, em que o presidente anda de Fusca.

No Brasil, escancarar o convívio, até em festas e redes sociais, com bicheiros, lobistas e doleiros, está ficando mais comum, nos últimos anos, do que o prosaico gesto de passar pelo check-in e embarcar em um avião de carreira.

 

Eray Özbek
Eray Özbek

“Não vai ter desemprego”

por Gilmar Crestani

 

Se existir uma adversativa no meio de uma notícia  boa, então a manchete é da Folha de São Paulo. É inacreditável, mas o país que Lula e Dilma quebraram está com a taxa de desemprego em 4,3%. Para comparar, a Espanha onde se refugiaram Antonio Britto em busca de desintoxicação e onde a Rede Globo escondeu sua funcionária e a amante do então Presidente FHCMiriam Dutra, que era a Meca dos que não têm rumo, está com taxa 26% de desemprego.

O emprego está em alta a renda cresce, embora não mais de maneira acelerada, o que deixa os celerados da Folha babarem de ódio e raiva. Então, se temos alta de emprego com renda subindo, mesmo que devagar, porque usar o catastrofismo do “mas”? Porque isto é o que resta aos fracassomaníacos que torcem contra o Brasil.

folha_thumb2

 

Só o ódio a Lula e Dilma explica o desespero dos incompetentes e invejosos. Todo frustrado por sua limitações improdutivas tem ódio visceral a quem desmontou a máquina de vender patrimônio público por ordem do neoliberalismo e, mesmo com a Crise de 2008, que devastou emprego e rende e muitos benefícios sociais por toda Europa, continua distribuindo emprego e renda. Não fosse o espírito vagabundo de manada, que segue bovinamente os professores do Complexo de Vira-latas, e talvez estivéssemos em situação ainda melhor. Para se ter uma pitada do que são capazes os gerentes do fracasso como norte, veja-se o crescimento do último reduto dos que se alimentam de ódio e inveja a Lula: São Paulo teve a menor criação de empregos e de renda. Depois de mais de 20 anos destruindo São Paulo em benefício dos grupos mafiomidiáticos, o PSDB ainda continua morando nos corações dos que só pensam em dólar e no que é bom para os EUA e ruim para os brasileiros. Não há outra atitude mais representativa dos que torcem contra o Brasil do que, por inveja de Lula ter conseguido trazer Copa e Olimpíadas, criarem o movimento de facebook, inspirado em colunistavira-bostas,  “não vai ter copa”. O verdadeiro problema da copa é que, se criar mais empregos, vamos ter de importar desempregados da metrópole dos vira-latas, EUA, onde o desemprego continuam em alta…

Aos energúmenos deste movimento em prol do fracasso falta conhecimento histórico. Desde os tempos gregos, guerras eram interrompidas para que os povos pudessem se reunir em competições esportivas. De Olímpia, na Grécia, passando pela Paris do Barão de Cubertin, a prática de esportes existe para o congraçamento entre os povos, como moeda de troca de cultura. Mas como cultura é algo que passa batido pela cabeça dos anencefálicos, o ódio encontra o crânio vazio, se apropria do lugar e comanda as “reações”. É por isso também que são reacionários, cuja espírito animal retrocede aos tempos pré-civilizatórios.

“Mas” (para usar um termo caro aos jornalismo do ódio de classe) enquanto os cães ladram, emprego e renda crescem!

Desemprego cai para menor nível em 2013; alta da renda desacelera

Inflação e juros mais altos contribuíram para o menor crescimento do rendimento desde 2005

Maior mercado de trabalho do país, SP freou a queda da taxa de desocupação; pesquisa vai mudar

PEDRO SOARESDO RIO

Apesar do fraco crescimento da economia em 2013, a taxa de desemprego das seis maiores regiões metropolitanas do país caiu para 5,4% na média no ano, a menor da Pesquisa Mensal de Emprego do IBGE, iniciada em 2002.

Em 2012, a taxa foi de 5,5%.

Em dezembro, o desemprego ficou em 4,3%, menor patamar do indicador mensal.

A renda, no entanto, não cresce mais com o vigor de antes. O rendimento médio em 2013 ficou em R$ 1.929,03, alta de apenas 1,8% sobre 2012, a menor desde 2005. No ano anterior, o avanço sobre 2011 alcançara 4,1%. De novembro para dezembro, houve queda de 0,7% na remuneração dos trabalhadores.

A desaceleração resulta da freada do crédito para o consumo, do menor reajuste do salário mínimo, da confiança reduzida de empresários, além de inflação (que corrói a renda) e juros mais altos.

Segundo Adriana Araújo, técnica do IBGE, a inflação mais elevada teve “impacto” na evolução do rendimento em 2013. Para a LCA, porém, a “perda de fôlego” da inflação acumulada em 12 meses a partir de julho “contribuiu para estancar o movimento de perda real” dos salários.

Diante disso, a criação de novas vagas perdeu força e avançou somente 0,7% em 2013, chegando a um contingente de 23,3 milhões de ocupados nas seis regiões.

Trata-se do menor crescimento desde 2009, ano mais agudo da crise global, quando o ritmo de expansão igualou o do ano anterior. Os números do IBGE indicam que a pequena redução da taxa de desemprego se deu pela menor procura de trabalho, pois não foram criadas vagas em quantidade expressiva.

“O arrefecimento do mercado de trabalho já vinha ocorrendo e se intensificou no final do ano. É um movimento natural numa economia que cresce pouco há três anos”, diz Gabriel Ulyssea, economista do Ipea.

SÃO PAULO FREIA

Principal mercado de trabalho do país, São Paulo teve taxa de desemprego média em 5,9% em 2013, praticamente estável em relação aos 6% de 2012. Mas, por concentrar 42% de todos os ocupados nas seis regiões pesquisadas pelo IBGE, São Paulo puxou para cima a taxa média do desemprego.

O emprego cresceu pouco na maior metrópole do país –0,8% em 2013, ante 1,7% em 2012. Tal fenômeno impediu uma redução mais firme do desemprego, segundo o IBGE.

NOVA PESQUISA

O ano de 2014 será o último da Pesquisa Mensal de Emprego do IBGE. Paralelamente, ocorre a coleta dos dados da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio). Contínua, cuja abrangência chega a 3.500 cidades. As pesquisas não são comparáveis devido à mudança metodológica e de abrangência.

Camarotes de luxo da Fifa e dos governadores, prefeitos, lobistas e bilionários. Uma orgia que precisa ser investigada

Venho denunciando as bebedeiras e bacanais dos camarotes de governadores e prefeitos em festas santas e profanas. Veja tags.

E transcrevo reportagem de Andrew Jennings – Eles vão tomar champanhe no Maracanã:

cama 2

1 cama

cama 3

Fotos revelam o estilo de vida efervescente que a Fifa oferece ao público endinheirado que vem ao Brasil para a Copa do Mundo. Essa semana, o secretário geral da FIFA, Jerôme Valcke, anunciou que a Maison Taittinger terá exclusividade para abastecer de champanhe os compradores dos pacotes VIP Hospitality.

Essas suítes, em estádios como o Maracanã, custam mais de 2,3 milhões de dólares para todo o campeonato. Esse folheto de propaganda de circulação limitada foi disponibilizado pela FIFA apenas para os 250 indivíduos e empresas mais ricos do mundo, com condições de usufruir a vida nas su’ites milionárias que aparecem nas ilustrações.

De modo chocante revelam que são poucos os consumidores ricos que realmente querem ver o futebol. Enquanto os jogos rolam, eles irão bebericar champanhe em copos flute, falar de negócios e se entreter, todo o tempo de costas para o campo!

As suítes privativas, as mais caras, tem assentos para oito visitantes. O folheto mostra dois deles assistindo ao jogo e os outros seis comendo, conversando e fazendo pedidos ao garçom sem demonstrar o menor interesse pelo espetáculo no gramado.

Os clientes se sentarão em poltronas confortáveis e terão a seu dispor “bar e serviço de alimentação luxuosos, um brinde comemorativo, um kit vip de hospitalidade e serão recebidos por hostesses”.

No Studio Bossa Nova a situação é ainda pior. Ali são 14 visitantes, bebendo, comendo e conversando – mas apenas dois entretidos com o futebol.

Os clientes ainda podem optar por ‘poltronas especialmente acolchoadas’, as Business Seats, com bar de primeira linha e alimentação de alta qualidade.

O contrato para vender esse estilo, digamos, borbulhante de torcer é de exclusividade da companhia MATCH que tem laços há muito estabelecidos com o presidente da FIFA, Sepp Blatter, e seu sobrinho Philippe Blatter.

Os irmãos Jaime e Enrique Byrom, mexicanos que vivem em Londres, tem 85% da MATCH Hospitality e a Infront, companhia de Philippe Blatter sediada em Zurique, tem 5%. O grupo japonês Dentsu também tem 5%. O Dentsu era sócio da ISL, a companhia de marketing hoje falida que pagou propinas de mais de 100 milhões de dólares aos diretores da FIFA, incluindo Havelange e Teixeira.

Os irmãos Byrom foram premiados com os melhores ingressos do MATCH Hospitality. Os preços são altos mesmo para milionários porque a companhia Byrom perdeu cerca de 50 milhões de dólares na Copa da África do Sul em 2010 e estão determinados a recuperar esse dinheiro no Brasil – e realizar grandes lucros também. Há um ano os Byrom se gabavam de que o programa Hospitality já tinha atingido o recorde de 262 milhões de dólares vendidos.

Vamos ver agora se os estrangeiros ricos não terão receio de ocupar suas suítes Hospitality. O cheiro do gás lacrimogêneo não combina com champanhe e salada de lagosta.

Os Byrom tem 12 mil ingressos Hospitality para o Jogo de Abertura, mais 12 mil ingressos para dois jogos do grupo do Brasil e outros 110.500 para jogos de outras equipes favoritas. Se o Brasil for para a próxima rodada – de 16 times – vai jogar duas partidas para as quais os Byrom tem 20 mil ingressos. A FIFA também os brindou com 33 mil ingressos para outras partidas dessa rodada.

Se o Brasil passar para as quartas de final, os Byrom terão mais 20 mil ingressos para essas duas partidas – e mais 16 mil para outros jogos dessa rodada. Ele também tem 24 mil ingressos para as duas semifinais. Para a final no Rio, eles têm pelo menos 12 mil ingressos.

Aparentemente, os Byrom se apropriaram da maior parte da Copa 2014. Eles vão operar a venda de ingressos da FIFA e distribuir cerca de 3,3 milhões ingressos.

A FIFA também garantiu aos Byrom o privilégio de operar a agência oficial de hospedagem para 2014.

Em seu site, os Byrom se anunciam como operadores da “hospedagem, ingressos, hospitality, soluções de TI, tours para visitantes, e oferta de alimentação para as seleções, delegações, patrocinadores, membros da mídia e torcedores”.

Preste atenção: eles colocaram os torcedores por último. Clique para ver folhetos da Fifa

Comentou o jornalista Ricardo Antunes: Na Copa do Absurdo eles bebem e comem bem nos nos camarotes oficiais. Nós pagamos a conta…