Acampamento em Roma pelo direito a “casa e salário para todos”

por Alexandre Martins

A manifestação de sábado contou com a participação de entre 50.000 e 70.000 pessoas FILIPPO MONTEFORTE/AFP
A manifestação de sábado contou com a participação de entre 50.000 e 70.000 pessoas FILIPPO MONTEFORTE/AFP

Depois de um dia de protestos que levou dezenas de milhares de manifestantes a Roma, algumas pessoas passaram a noite acampadas no centro da cidade.

Acampamento na Praça Porta Pia
Acampamento na Praça Porta Pia

Convocaram uma assembleia, exigiram “uma casa e um salário para todos” e convidaram os romanos a juntarem-se a eles.

O acampamento não tem hora nem dia para ser levantado, mas a manifestação de sábado em Itália já se traduziu num resultado prático: o ministro das Infra-estruturas e dos Transportes, Maurizio Lupi, aceitou encontrar-se na próxima terça-feira com representantes de um dos movimentos que organizou o protesto.

“Chegou-nos a informação esta manhã de que o ministro Lupi decidiu agendar um encontro com este movimento. Vão estar presentes prefeitos de outras cidades, numa reunião em que vão ser discutidas as nossas condições e que achamos que se mantêm válidas. Não vamos recuar”, disse à agência italiana Ansa um dos organizadores da manifestação, o activista Paolo Di Vetta.

As dezenas de pessoas que passaram a noite acampadas exibiram cartazes com frases como “Tomemos de volta a cidade” e “Chega de expulsões, despejos e execuções de hipotecas”.

Dezenas de pessoas passaram a noite à porta do Ministério das Infra-estruturas e dos Transportes FILIPPO MONTEFORTE/AFP
Dezenas de pessoas passaram a noite à porta do Ministério das Infra-estruturas e dos Transportes FILIPPO MONTEFORTE/AFP

Os líderes do movimento convidaram “toda a cidade de Roma, incluindo os que não estiveram ontem [sábado] na manifestação”, a participarem numa assembleia neste domingo, para discutirem “o relançamento do caminho” iniciado com o protesto de sábado. O acampamento no centro de Roma “não é o fim do caminho, mas sim o início da solução”, dizem os organizadores.

“A quantidade de pessoas e a qualidade da participação na manifestação mostraram que a estratégia de pânico não funcionou. A mensagem de terror não manteve as pessoas fechadas em casa”, disse Paolo di Vetta, referindo-se ao dispositivo policial destacado pelas autoridades italianas e desvalorizando o episódio de violência junto ao Ministério da Economia e Finanças.

Muitos dos jovens que acaparam no centro de Roma queixam-se da forma como os jornais trataram a manifestação de sábado, preferindo salientar a forma pacíficia como a maioria das 50.000 a 70.000 pessoas percorreram as ruas da cidade.

Jacopo, um jovem de Turim, queixou-se ao jornal La Repubblica daquilo que os jornais escreveram: “No geral, eles [os media] tendem a exagerar os confrontos com o bicho-papão do Black bloc e não dão atenção às motivações dos manifestantes, que são o direito a uma habitação; o abandono dos refugiados políticos; e a luta contra a linha de alta velocidade [entre Itália e França].” Público/Portugal

Il Papa visita a sorpresa a Santa Maria Maggiore: preghiera per la Giornata Mondiale della Gioventù

Sem escolta, Bergoglio apareceu na igreja, entrando por uma porta lateral, com um buquê de flores que foi colocado ao pé do altar. Como qualquer fiel. A mesma coisa aconteceu na tarde de ontem, sob o olhar estupefato de grupos de turistas que presenciaram a entrada do Papa, que ficou por meia hora em oração diante do ícone da Virgem Maria.

Papa Francesco nella basilica di Santa Maria Maggiore per pregare la Madonna

Alguns não podiam acreditar em seus olhos, e eles, imediatamente, sacaram o celular para fotografar. Francisco sorridente e sereno, acendeu uma vela, que tinha o logotipo simbólico da Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro. Então ele colocou uma coroa de flores e, finalmente, começou a trocar algumas brincadeiras com os presentes, pedindo (para eles) para orar por ele, e por todos os jovens que vão para a JMJ. A visita durou pouco mais de uma hora. “Eu fui para a casa da mãe, em Roma. Viva la Madonna”, disse o Papa.

Il viaggio sarà lungo, complicato, faticoso e non immune da rischi. Francesco lo sa bene, conosce il Brasile, un Paese in fermento, dove sotto la cenere covano le braci di una rivolta che potrebbe scappare di mano. Ma forse non è solo questo timore ad aver portato Papa Bergoglio a Santa Maria Maggiore per pregare – a sorpresa- per la buona riuscita della Giornata Mondiale della Gioventù, il grande evento ecclesiale che inizierà martedì prossimo a Rio de Janeiro.

LA MESSA NELLA FAVELA
Due milioni di persone, la messa in una favela bonificata, l’incontro con i carcerati, gli spostamenti tra la folla senza l’uso della papamobile blindata, una decisione imposta dal Papa per poter avvicinare più persone possibili, che però ha fatto salire la tensione a mille tra la sicurezza del Vaticano e quella del Brasile, il Paese ospitante che si è impegnato a garantire l’ordine e il buon funzionamento della macchina organizzativa. L’anno prossimo ci saranno i mondiali e successivamente le Olimpiadi e la Gmg rappresenta il banco di prova della tenuta di questa grande realtà latinoamericana.
Il gesto devozionale fatto da Bergoglio ieri pomeriggio davanti alla Salus Populi Romani, la Madonna venerata nella Capitale a cui si attribuiscono tantissimi miracoli (compreso l’aver risparmiato dai bombardamenti Roma), ricorda il passaggio del pontefice fatto all’indomani della sua elezione nella basilica. Senza scorta, accompagnato dal cardinale Abril y Castello e da monsignor Baldisseri, Bergoglio si presentò in chiesa, entrando da un ingresso laterale, con un mazzo di fiori che ha subito deposto ai piedi dell’altare. Come un fedele qualunque. La stessa cosa è successa ieri pomeriggio sotto lo sguardo sbigottito di alcuni gruppi di turisti che hanno assistito all’ingresso del Pontefice che ha sostato per mezz’ora in preghiera davanti all’icona mariana.

LE FOTO DEI FEDELI
Alcuni non credevano ai loro occhi e hanno subito estratto il telefonino per fotografarlo. Francesco sorridente e sereno ha acceso un cero che recava anche il logo simbolico della Giornata della Gioventù di Rio de Janeiro. Poi ha deposto un fiore e, infine, si è messo a scambiare alcune battute con i presenti, chiedendo (anche a loro) di pregare per lui e per tutti i giovani che andranno alla Gmg. La visita nel suo insieme è durata poco più di un’ora e alle 18 Bergoglio era già a Santa Marta. «Sono tornato nella casa della mamma di Roma. Viva la Madonna». In Brasile la sfida che Francesco sente di lanciare ai papaboys è di fondare un nuovo umanesimo per superare le contraddizioni del mondo contemporaneo, il secolarismo, l’interruzione della trasmissione della fede da una generazione all’altra, la rottura dei vincoli familiari.

A justiça PPV do Brasil

A justiça suprema e absolutista do Brasil condenou a greve dos professores de Minas Gerais. Greve no Brasil temos apenas três:

* do fisco, que o governo depende da coleta de impostos
* da polícia, que prende e arrebenta, e bate nos sem terra, nos sem teto, nos sem nada
* do judiciário, que lava mais branco para as quadrilhas de Salvatore Cacciola, juiz Lalau, Paulo Maluf, Roriz quatro vezes governador, capo Daniel Dantas e outros e outros

A vaia dos 200 mil no show da banda Capital Inicial deve ter reverberado nos palácios de Brasília. O Brasil precisa imitar outras nações democráticas. Veja