Constitución de Eslovaquia prohíbe exportar agua potable o mineral

RIOS DE ESLOVÁQUIA
RIOS DE ESLOVÁQUIA

El Parlamento de Eslovaquia aprobó una enmienda constitucional, que entrará en vigor en diciembre, por la que se prohíbe la exportación de agua potable y mineral, informó la Cámara en su página web. La enmienda fue consensuada con la oposición y obtuvo el voto de 102 legisladores, con lo que se superó el mínimo de tres quintos (90 sobre un total de 150 diputados) exigido para las leyes de rango constitucional.

 
“Está prohibido el tránsito por las fronteras, por medio de transporte o por conductos, de agua obtenida de formaciones acuíferas que se encuentran en el territorio de Eslovaquia”, dice el enunciado de la enmienda. Más adelante se matiza que la prohibición no atañe al agua envasada para consumo personal, para las misiones humanitarias o para situaciones de emergencia. La ley establece los detalles de las excepciones para el agua envasada para consumo personal y para esa misiones específicas.

 

“Si bien tenemos suficientes fuentes acuíferas de calidad, hay factores que pueden poner en peligro este estado, y uno de ellos es la sobreexplotación del agua, es decir, la exportación no autorizada de agua potable o mineral de Eslovaquia”, explicó el primer ministro, Robert Fico/

 

Rio da Eslovaquia

BRATISLAVA (ESLOVAQUIA) EL RIO DANUBIO DESDE EL MIRADOR DEL PUENTE NUEVO
BRATISLAVA (ESLOVAQUIA) EL RIO DANUBIO DESDE EL MIRADOR DEL PUENTE NUEVO

El río principal es el Danubio, y la inmensa mayoría de los ríos de Eslovaquia pertenecen a su cuenca. Sólo algunos del extremo norte pertenecen a la vertiente del mar Báltico. Aparte del Danubio, son importantes el Váh, Hron, Nitra, Hornad, Ipel (que está en la frontera con Hungría), Tisza (en la frontera con Hungría y con Ucrania) y el Ondava, afluente del Tisza.

* Río Danubio (mar Negro)
* Río Váh (afluente del Danubio)
* Río Nitra (afluente del Danubio)
* Río Hron (afluente del Danubio
* Río Slana (Keleti-föcsatorna)

http://pt.123rf.com/footage_28433835_o-rio-transbordou-após-fortes-chuvas.-o-nome-de-rio-slana,-roznava,-eslováquia..html

* Río Hornad (Keleti-föscatorna)
* Río Torysa (afluente del Hornad);
* Río Ondava (Keleti-föscatorna);
* Río Uh (afluente del Ondava);
* Río Topl’a (afluente del Ondava);
* Río Laborec (afluente del Ondava);

El río Laborec en Strážske.
El río Laborec

* Río Poprad (Dunajec)

Galeria de fotos

Alckmin, o mágico: até a água sumiu em São Paulo

Ou falta ou tem água poluída, por Jean Gouders
Ou falta ou tem água poluída, por Jean Gouders

 

Faltar água em estados brasileiros exportadores de água é preciso que o governador seja muito incompetente ou safado. Ou as duas cousas juntas. Quando se sabe que o Brasil possui os dois maiores aquíferos do mundo, inclusive aquíferos para descobrir, e rios e mais rios e lagos e lagoas encantadas, e secretas fontes dágua e cascatas.

Esconder uma cascata é coisa mágica. Só para exemplificar: Quantas cascatas invisíveis têm os estados nordestinos?

Não existe o mapa das águas no Brasil. O mesmo acontece como o mapa das ilhas fluviais, marítimas e oceânicas. Se perguntar para Ana, a prostituta respeitosa, quantas ilhas o Brasil tem, a resposta vem rápida na ponta da língua sensual e promíscua: – “Uma longa costa oceânica e quase nenhuma ilha. Por que esta divisão colonial de ilhas marítimas e oceânicas? Quantas ilhas foram dadas como concessões? O Brasil possui milhares de  ilhas fluviais, inclusive as maiores do mundo.

Um raro mapa fluvial de São Paulo que anda sem água na torneira da casa dos pobres, e com um crescente comércio de água engarrafada – um rico negócio nas mãos da pirataria internacional, e que cria as maiores fortunas individuais de brasileiros e brasileiras do quarto, copa e cozinha de diferentes governos estaduais e da União dos lá de cima.

sp unidades hidrográficas

Aqüífero_Guarani

 

água são paulo

água sao paulo

Mais um inquérito do MP que vai com com os burros n'água
Mais um inquérito do MP que vai dar com com os burros n’água

atrizes_latadágua água

São Paulo X Rio de Janeiro. A GUERRA DA ÁGUA

BRA^SP_METSP água

A guerra dos desgovernos. Da corrupção. O povo sempre perde. Ganham as multinacionais engarrafadoras de água.

Veja só um exemplo: Aquífero Guarani foi o nome que, em 1996, o geólogo uruguaio Danilo Anton propôs para denominar um imenso aquífero que abrange partes dos territórios do Uruguai, Argentina, Paraguai e principalmente Brasil, ocupando 1 200 000 km². Na ocasião, ele chegou a ser considerado o maior do mundo, capaz de abastecer a população brasileira durante 2500 anos. A maior reserva atualmente conhecida é o Aquífero Alter do Chão, que fica na Amazônia.

A maior parte (70% ou 840 mil km²) da área ocupada pelo aquífero — cerca de 1 200 000 km² –  está no subsolo do centro-sudoeste do Brasil. O restante se distribui entre o nordeste da Argentina (255 mil km²), noroeste do Uruguai (58500 km²) e sudeste do Paraguai (58500 km²), nas bacias do rio Paraná e do Chaco-Paraná. A população atual do domínio de ocorrência do aquífero é estimada em quinze milhões de habitantes.

  • Mato Grosso do Sul (213 700 km²)
  • Rio Grande do Sul (157 600 km²)
  • São Paulo (155 800 km²)
  • Paraná (131 300 km²)
  • Goiás (55 000 km²)
  • Minas Gerais (51 300 km²)
  • Santa Catarina (49 200 km²)
  • Mato Grosso (26 400 km²)

Nomeado em homenagem ao povo Guarani, possui um volume de aproximadamente 55 mil km³ e profundidade máxima por volta de 1 800 metros, com uma capacidade de recarregamento de aproximadamente 166 km³ ao ano por precipitação. É dito que esta vasta reserva subterrânea pode fornecer água potável ao mundo por duzentos anos. Devido a uma possível falta de água potável no planeta, que começaria em vinte anos, este recurso natural está rapidamente sendo politizado, tornando-se o controle do Aquífero Guarani cada vez mais controverso.

Corria o boato, durante o governo Fernando Henrique, que o Brasil teria entregue o Aquífero Guarani aos Estados Unidos como caução da dívida externa.

São Paulo é um estado rico em água. Já tive oportunidade de mostrar sua hidrologia e hidrogeologia. (Clique nas fotos para ampliar).

Quantos aquíferos possui São Paulo?

Aquíferos São Paulo. Quantas outorgas existem para a pirataria estrangeira? Para onde vai a água exportada por São Paulo?
Aquíferos de São Paulo. Quantas outorgas existem para a pirataria estrangeira? Para onde vai a água exportada por São Paulo?

A

Rio Tietê, um dos principais rios paulistas. Na imagem, o rio está na altura de Cabreúva, mas percebe-se que ainda há poluição da metrópole.

B

C

D

E

F

G

I

J

Cachoeira do Pimenta, a maior do Rio Jacuí

L

M

Rio Monjolinho, vista dentro da cidade de São Carlos-SP.

N

Rio Novo- Lat. S 22º56’39” e Log. O 49º03’12”

P

Rio Paranapanema no município deParanapanema

Rio Pardo cruzando o centro da cidade deÁguas de Santa Bárbara

Q

R

S

T

Rio Tietê em Barra Bonita / Igaraçu do Tietê

V

BRA_OG água

BRA^SP_OV água

BRA_DT água s paulo

BRA_FDSP água

Eike Batista vai desmatar São João da Barra e destruir belas praias do Rio de Janeiro

Paulo Magalhães, membro da Quercus, investigador em Sociologia na Universidade Nova de Lisboa e autor do livro “O condomínio da Terra – Das alterações climáticas a uma nova concepção jurídica do Planeta”, alerta:

– Temos de inverter valores. Uma floresta só entra no PIB de um país quando é transformada em madeira, quando está viva vale zero.

É o que acontece em São João da Barra com as matas e bosques e propriedades rurais desapropriadas pelo governador Sérgio Cabral e a prefeita Carla Machado. Trata-se de uma doação para Eike Batista construir uma siderúrgica e um porto, em  Barra do Açu.

BELEZA ROUBADA POR EIKE BATISTA

Barra do Açu
Barra do Açu
O límpido mar da Praia do Açu
O límpido mar da Praia do Açu
Praia virgem do Açu
Praia virgem do Açu

Com a cumplicidade do governador corrupto Sérgio Cabral e da prefeita bandida Carla Machado, Eike Batista vai destruir praias, poluir o mar e o Rio Paraíba do Sul, devastar o que resta da Floresta Atlântica. Matas e bosques vão passar pela serra elétrica.

Formado em Direito, Paulo Magalhães integra a equipa da associação ambientalista Quercus que está a ultimar a proposta que vai levar à próxima conferência das Nações Unidas sobre Ambiente, a Rio+20. O nome é tudo: esta conferência (que se realiza em Junho de 2012) acontece 20 anos depois da famosa Cimeira da Terra, também no Rio de Janeiro. Foi nessa altura que se abordou pela primeira vez à escala das Nações Unidas a questão das alterações climáticas.

Uma Cimeira de Copenhaga (2009) falhada depois, a economia verde deixou de ser uma ideia para se ir pensando e tornou-se uma urgência. O que a Quercus sugere é que se tome medidas à escala global para mudar o paradigma econômico, reorientando o Mundo para a economia verde, à luz de um princípio de justiça universal. Um sistema em que se lucra ao contribuir para o bem comum e se paga pelo prejuízo causado – o chamado eco-saldo.

“Tem de haver um suporte jurídico global que seja a base para esta contabilidade”, refere Paulo Magalhães. No final do processo, a Terra seria gerida como um condomínio, isto é, um lugar que é de todos, com a vigilância das regras a caber a uma Organização Mundial do Ambiente. Isto contraria a competitividade histórica da Humanidade, admite. “O grande desafio deste século é organizar a interdependência ecológica”, refere.

Esperamos que Eike Batista e Sérgio sejam denunciados na Rio + 20. Se a política do arrasa da natureza, do aniquilamento do meio-ambiente de Eike bundinha de ouro e do governador Sérgio Cabral não for discutida, para que realizar a Conferência, particularmente no Rio de Janeiro?

Que São João da Barra seja salva! De que vale uma São João da Barra de Ferro, da Barra de Aço e da Barra de Cimento? Uma São João da Barra de Ouro apenas faz Eike Batista mais rico.

Quem defenderá São João da Barra da ganância de Eike Batista?

Em São João da Barra, cidade fundada em 1677, ficam as belas praias do Grussai,  Chapéu de Sol,  Açu e Atafona, e as lagoas de Iquipari e Salgado.

No Pontal de Atafona,  o encontro do Rio Paraíba do Sul com o mar.

Toda uma beleza que será roubada pelo projeto do Porto do Açu  e do Distrito Industrial que o acompanha. Veja vídeo do crime contra o povo. Clique aqui.  Segundo ambientalistas fluminenses,  tais projetos poderão ocasionar a degradação ambiental dos Estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo, trazer impactos à pesca e provocar o êxodo de milhares de agricultores que vão inchar as favelas cariocas. Favelas que já passam de mil na ex-Cidade Maravilhosa.

Agricultores e pescadores que condenam o projeto estão sendo ameaçados de morte, inclusive ambientalistas, assistentes sociais da Apae e líderes sindicais.  Isso em um município cuja prefeita Carla Machado, condenada por corrupção, possui uma forte ligação com a pistolagem.

O site da prefeitura foi desativado. Veja fotos aqui. Veja vídeo do paraíso que será destruído.

O DESASTRE ECOLÓGICO 

Eike Batista está anunciando investimentos de R$ 40 bilhões em São João da Barra.

Trinta empresas nacionais e estrangeiras assinaram protocolo de intenções para investirem R$ 30 bilhões na retroárea do porto do Açu.

Ele anunciou também que o grupo italiano Techint irá investir  R$ 10 bilhões na instalação de uma siderúrgica que produzirá chapas de aço e tubos.

Disse Eike que o Complexo Logístico e Portuário do Açu ocupará uma extensão de 100 quilômetros de praias.

É uma imensidão de terra, cuja origem precisava ser investigada, principalmente a participação da prefeitura.

Casal XX é Barra. Carla Machado condecorou Eike Batista com medalha de ouro pelos benefícios recebidos de São João
Casal XX é Barra. Carla Machado condecorou Eike Batista com medalha de ouro pelos benefícios recebidos de São João