“Castração química para os nordestinos que votaram em Dilma”

preconceito_-_nordeste_ dilma

por María Martín/ El País/ Espanha

 

Os nomes e perfis dos usuários que inundaram as redes sociais de ataques preconceituosos contra os nordestinos já estão no Ministério Público Federal. As unidades de todo o Brasil receberam de domingo a quarta-feira 131 denúncias por racismo nas redes sociais, 85 delas atacavam especificamente os nordestinos, mais de 20 por dia, conforme um levantamento feito para o EL PAÍS. A procuradoria analisará cada uma dessas denúncias individualmente.

Os ataques vêm de todos os cantos. Uma auditora de Trabalho de Cuiabá, no Mato Grosso, desabafou:

“Desculpem nordestinos, mas essa região do Brasil merecia uma bomba como em Nagasaki, para nunca mais nascer uma flor sequer em 70 anos. #pqp #votocensitáriojá [sic]”. A piada pode lhe custar o cargo, depois da denúncia feita na ouvidoria do próprio Ministério.

E tem mais. Um coletivo de 100.000 médicos ou estudantes de medicina tem uma página própria no Facebook onde ficam à vontade para pedir a castração química dos nordestinos, pregar por um holocausto na região e fazer campanha pró-Aécio.

“70% de votos para Dilma no Nordeste! Médicos do Nordeste causem um holocausto por aí! Temos que mudar essa realidade!”, diz um dos posts. O curioso é que uma das regras para ser admitido no grupo é a seguinte: “Não admitimos desrespeito entre colegas, xingamentos, piadas desrespeitosas, ofensas, acusações descabidas ou condutas que não sejam dignas da classe”.

Lula

suplicy

“A maneira como as pessoas estão repudiando o PT, a quantidade de ódio e energia destinada, a demonstração de esse repúdio irracional não é só política. Essa queixa contra o voto dos nordestinos é uma forma de expressar o ódio de classe”, afirma Maria Eduarda da Mota Rocha, pesquisadora e professora de Ciências Sociais da Universidade Federal de Pernambuco, que escreveu sobre este episódio rotineiro para o EL PAÍS. “No fim das contas ainda temos uma sociedade com um passado escravocrata muito próximo e que não consolidou a ideia de igualdade. Estamos vivendo um momento no Brasil de perda de privilégios exclusivos, uma ferida muito sensível para as elites”.

Para o pesquisador italiano Alessandro Pinzani, co-autor do livro Vozes do Bolsa Família, o episódio o recrudescimento dos ataque aos nordestinos em campanha eleitoral é um exemplo do “fim da cordialidade brasileira”. “Nos últimos anos se mostrou a verdadeira face da luta de classe no país, justamente porque o Governo petista começou a fazer políticas para população de baixa renda e imersos na pobreza extrema. O brasileiro tradicional da elite se sente inseguro respeito a isso, e transforma a insegurança em uma raiva que encontra como objeto, entre outros, o Governo”, afirma Pinzani.

O pesquisador, professor da Universidade Federal de Santa Catarina e há dez anos no Brasil, se mostra surpreso diante o rechaço ao Governo Dilma. “Morei nos Estados Unidos na época de George Bush filho e na Itália com Silvio Berlusconi e nunca vi este grau violento de rechaço que vemos aqui”, explica. “O que essa elite esquece, que sequer sabe, qual é o valor médio do Bolsa Família, e que é um dos cerca de 60 programas de combate a pobreza. O programa atinge uma parcela da população que não tem escolha. Ali não existe isso de aplicar o ditado de ‘ensinar a pescar ao invés de dar o peixe’. No sertão não tem peixe! Não tem nada!. E nunca vai ter nada. Porque nenhuma empresa vai abrir nada em meio do nada, sem uma infraestrutura, com uma população despreparada. Os beneficiários não querem isso por comodismo, eles não tem alternativa, além de emigrar”.

eleitor pt

sao paulo antipt

 

Até o comentário do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso sobre os eleitores do Partido dos Trabalhadores, colocou lenha na fogueira. “O PT está fincado nos menos informados, que coincide de ser os mais pobres. Não é porque são pobres que apoiam o PT, é porque são menos informados”, disse FHC em uma entrevista.

Enquanto isso nordestinos como Bruno, nascido em Pernambuco, mas residente em São Paulo tem que acelerar o scroll da sua timelime para evitar algumas das barbaridades que vimos nesses dias. Ele conta como na noite da eleição encontrou sua mulher Karina chorando em frente à tela do computador.

– O que foi?

– Nada.

“Em seguida, reparei no que estava acontecendo”, lembra Bruno.

– Você ficou lendo coisas de nordestinos no Facebook, é isso né? Por favor, não ligue eu já estou acostumado com isso.

 

Transcrevi trechos. Ilustrações: Memes do arquivo Google e do blog anticomunista Homem Culto (todo nordestino é matuto, bronco, burro, pobre, analfabeto e não sabe votar)

 

 

Baixarias de FHC. Começou segundo turno

bessinha FHC aposentadoria idoso

 

O jornalista Gilmar Crestani provocou: “O paradoxo que, na verdade, é um esclarecimento, é como alguém pode ser tão incensado pela velha mídia e, ao mesmo tempo, escondido dos que defendem as mesmas bandeiras. Se FHC foi tudo o que seus defensores dizem, porque não o expõem no programa eleitoral. Por que não trazem entrevistas, no horário eleitoral, com FHC explicando por que se deve apoiar Aécio. FHC é o tipo de governante latino que une dois pólos: o norte, dos EUA, com o latido dos nossos vira-latas”.

FHC

Eis que a imprensa decidiu tirar FHC do retiro imposto pelo PSDB. Registra 247 hoje: Com a passagem do senador Aécio Neves para o segundo turno, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso desandou a falar e, se continuar na mesma toada, poderá causar danos à candidatura tucana.

Ao colunista Josias de Souza, do portal Uol, afirmou que o eleitor petista é “menos informado”. “O PT está fincado nos menos informados, que coincide de ser os mais pobres, afirmou.

Ivan Honczar
Ivan Honczar

Depois de Marina Silva (PSB) se comparar a um carapanã (mosquito de constituição frágil e pequena), enquanto a presidente Dilma Rousseff seria um mangangá (zangão gordo e de ferroada potente), agora é a vez de o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso dizer que a petista é “gordinha”.

Questionado sobre como o PSDB estaria se preparando para o discurso do PT no segundo turno, FHC respondeu: “Em primeiro lugar, olha a Dilma: ela é pobre? Ela não foi educada no Colégio Sion? Ela não está gordinha, bem de vida? E isso é contra ela? Não é. O importante é saber qual a posição da pessoa frente à pobreza”. As declarações foram dadas ontem na casa do vereador Andrea Matarazzo. FHC estava acompanhado da mulher, Patrícia Kundrát.

Questionado se haveria espaço para a “nova política”, pregada por Marina, o tucano declarou que ela “não ficou caracterizada”.

“Eu vi a Marina falando: ‘São modos corretos de se fazer política’. Eu concordo, mas não é sem partido que se faz isso. Dava a impressão de que essa nova política implicava em não haver partidos. Isso não pode, na democracia tem de haver partidos, opinou FHC.

A fala de Fernando Henrique vem desencadeando uma onda nefasta de baixarias.

Nordestinos são discriminados após vitória de Dilma no Norte e Nordeste

Josetxo Ezcurra
Josetxo Ezcurra

Jornal A Tarde, da Bahia, publica: O racismo e o preconceito contra os nordestinos tomaram conta das redes sociais, assim que se divulgou os resultados da votação por regiões no País.

Dilma Rousseff conquistou 41,23% dos votos válidos na disputa pela eleição presidencial e, para isso, ficou claro que contou com a ajuda das regiões Norte e Nordeste.

“Essa Dilma é uma maldita, e o pior que aquele povo do nordeste vai votar nela e infelizmente ela vai ganha (sic)”, escreveu uma internalta, em sua página no Twitter.

“A votação da Dilma no Nordeste mostra o quanto é importante para o PT a bolsa come e dorme e faz filho dada aos nordestinos!”, disse outro, criticando a atuação da presidente com seus programas sociais.

Outro internauta continuou criticando a iniciativa: “Nordestinos burros, se vendem por Bolsa Família!”.

Confira alguns twittes criticando os nordestinos

 

PROPOSTA DE SEPARATISMO

O nordestino, por Reynivaldo Brito
O nordestino, por Reynivaldo Brito

O jornalista Paulinho Navarro, colunista social do jornal O Tempo, publicou um post, em sua página no Facebook, defendendo a divisão do Brasil; segundo ele, a presidente Dilma Rousseff deveria ficar com o Norte e o Nordeste, com “patrocínio da Friboi e seus preguiçosos eleitores bolsistas”; na outra parte, o Sul e o Sudeste, ficariam Aécio e os “trabalhadores esclarecidos”.

Geraldo Alckmin, por Julio
Geraldo Alckmin, por Julio

voto sampa

DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA. A mais bonita capa de jornal

Leda Letra

O Brasil comemora nesta terça-feira o Dia da Consciência Negra e o escritório da Unesco no país participa das celebrações com a campanha “Ter Consciência Negra é Abrir os Olhos para a Diversidade”.

Um painel digital traz fotos de pessoas com os olhos fechados e também sorrindo. Para montar o painel, a agência da ONU no Brasil convidou pessoas a enviar os dois tipos de foto para sua página no Facebook.

Zumbi

A Unesco no Brasil está divulgando as fotos selecionadas nesta terça-feira, nas redes sociais. Segundo a agência, o idealizador do Dia Nacional da Consciência Negra foi o poeta e pesquisador gaúcho Oliveira Silveira.

A data, criada nos anos 1970, busca celebrar o valor e a contribuição da comunidade negra para o Brasil.

O dia foi escolhido para homenagear Zumbi dos Palmares, líder do Quilombo dos Palmares, em Pernambuco, e símbolo da resistência negra na época do regime escravocata. Zumbi dos Palmares foi assassinado em 20 de novembro de 1695.

Prefiro o nome Zambi:

(NZAMBI) – O Deus supremo na Umbanda. O Criador nos candomblés de Nação Angola, equivalente à Olorun do Candomblé Ketu. Zambi é o princípio e o fim de tudo.
 A palavra Zumbi, ou “Zambi” vem do termo zumbe, do idioma africano quimbundo, e significa, fantasmaespectro, alma de pessoa falecida.

Os negros escravos não acreditavam na morte de Zambi. Assim como os portugueses cultuavam o Sebastianismo, um movimento místico-secular que ocorreu em Portugal na segunda metade do século XVI como consequência da morte do rei D. Sebastião na Batalha de Alcácer-Quibir, em 1578. Por falta de herdeiros, o trono português terminou nas mãos do rei Filipe II d’Espanha. Basicamente é um messianismo adaptado às condições lusas e à cultura nordestina do Brasil. Traduz uma inconformidade com a situação política vigente e uma expectativa de salvação, ainda que miraculosa, através da ressurreição de um morto ilustre. O povo nunca aceitou a morte do rei, divulgando a lenda de que ele ainda se encontrava vivo, apenas esperando o momento certo para voltar ao trono e afastar o domínio estrangeiro. Vários países possuem lendas idênticas. Leia o poema Zambi

Negro de alma branca não ofende. Tem um sentido dubitativo

Negro de alma branca é uma expressão popular criada pelos escravos. Depois explico.

Escreve Fábio Pannunzio:

O blogueiro Paulo Henrique Amorim vai ter que se retratar novamente em face do jornalista Heraldo Pereira. A decisão acaba de ser tomada pelo juiz Alex Costa de Oliveira, do Distrito Federal, que acolheu os argumentos do repórter e apresentador da Rede Globo de que o acordo celebrado entre ambos em 15 de fevereiro passado não foi cumprido.

No acordo proposto por PHA e aceito por Heraldo, o dublê de porta-voz da ala mensaleira do PT e da Igreja Uniuversal se comprometeu a publicar em sua própria página eletrônica , na Folha de São Paulo e no Correio Braziliense um texto pedindo desculpas a Heraldo. O texto chegou a ser publicado, mas o blogueiro introduziu uma série de comentários que zombavam dos termos do acordo e adulteravam o propósito da retratação. Entre esse comentários, PHA escreveu que retratação não é reconhcimento de culpa, e ameaçou processar todos os jornalistas que afirmassem que ele se utilizou do jargão racial para atingir HP.

De acordo com o juiz Alex Costa de Oliveira, a publicação da retratação pela Folha aconteceu somente depois de vencido o prazo estabelecido na sentença que homologou o acordo.

ambém não foi cumprido o pagamento de R$ 30 mil de indenização, destinados por Heraldo Pereira ao Mosteiro de São Bentos de Brasília. PHA depositou apenas as duas primeiras parcelas e suspendeu os pagamentos. “Como se nota, eram seis parcelas de R$ 5.000,00 e o réu depositou apenas duas, nos dias 13.03.2012 e 13.04.2012. Houve o descumprimento [também] dessa cláusula” asseverou o magistrado.

Agora, PHA terá 20 dias para republicar o mesmo texto, sem comentário, em seu blog e nos dois jornais. Se não o fizer, estará sujeito à aplicação de uma multa de R$ 10 mil por dia.

Paulo Roque Khouri,  advogado que representa HP no processo, comemrou a decisão. Segundo ele, “O problema do Sr. Amorim era com a Justiça brasileira e foi ela própria quem deu resposta de modo firme: decisão judicial é para ser cumprida e ponto final. Como não cumpriu o acordo agora vai sentir no bolso o deboche à Justiça Brasileira.”

(Transcrevi trechos)

 

 

Racismo na internet

Lá no Arizona, aparece um sítio racista para captar dinheiro e caçar mexicanos principalmente.
Escreve Gustavo Veiga:
El proyecto pretende recaudar 50 millones de dólares para una faena de la que se ocuparán reclusos de prisiones estatales. Alrededor del 41 por ciento son de origen hispano como los mexicanos y centroamericanos que se pretende filtrar.

El estado de Arizona tiene una extensión geográfica comparable a la de Italia (es apenas más pequeño), pero su política es tributaria de la Sudáfrica del Apartheid y las peores tradiciones xenófobas. Su gobernadora Jan Brewer acaba de lanzar un sitio en Internet (www.buildtheborderfence.com) para recibir donaciones que permitan levantar un muro antiinmigrantes. El proyecto, una iniciativa de su aliado, el senador republicano Steve Smith, pretende recaudar 50 millones de dólares para una faena de la que se ocuparán reclusos de prisiones estatales. Alrededor del 41 por ciento son de origen hispano, como los mexicanos y centroamericanos que se pretende filtrar. A cada preso se le pagaría 50 centavos de dólar la hora. Esta mano de obra barata deberá construir un paredón de hormigón coronado con alambre de púas a lo largo de 131 kilómetros. El propósito de tapiar la frontera encierra también una paradoja de la historia. De los 2.263.866 kilómetros cuadrados que Estados Unidos le arrebató a México en el siglo XIX mediante sucesivas invasiones, Arizona constituye algo más del 10 por ciento. En esa época, la corriente, migratoria era al revés: del norte al sur. También la forma de atravesar los territorios. Los colonos de antaño tomaron a tiros lo que hoy son Texas, California, Nuevo México, Nevada, Utah y Colorado. Los migrantes de hoy apenas viajan con lo puesto hacia lo que creen es la tierra prometida.

La página de la gobernación de Arizona interroga al visitante: ¿Acaso esto es una frontera segura? La fotografía de fondo sobre la que se escribió la pregunta muestra una fila de pilotes sobre un terreno arenoso. Parece un páramo. No hay nadie a la vista. Ni integrantes de la Guardia Nacional estadounidense, ni los disueltos Minuteman (grupos civiles antiinmigrantes), ni los cuerpos macilentos de quienes se lanzan a cruzar esa especie de Línea Maginot desde Sonora. La imagen intenta meter miedo.