Qual estado lidera o ranking do tráfico de pessoas? Em 2012, era Goiás

por Guilherme Semerene

original_humana

O tráfico de pessoas para prostituição, pedofilia, órgãos e trabalho escravo é a terceira maior fonte de renda ilegal no mundo. O Brasil lidera o ranking dos maiores exportadores de mulheres, com 85 mil vítimas por ano e o estado de Goiás é o campeão nacional no tráfico de pessoas.

A secretária municipal de defesa social Adriana Accorsi explica que em decorrência das vulnerabilidades sociais, econômicas e educacionais, as vítimas se atraem pela possibilidade de uma vida melhor e abrem mão de sua liberdade em nome desse objetivo. “Por vergonha das vítimas, medo das represálias e até mesmo porque muitas famílias concordam e favorecem a ida de homens e mulheres para se prostituirem em busca de uma vida melhor somos notificados em poucas oportunidades.”

Segundo pesquisa realizada, entre 2008 e 2010, pela Secretaria Municipal Especial de Políticas para as Mulheres de Goiânia, o município goiano com o número mais expressivo dentro da rota do tráfico de pessoas é Uruaçu, seguido por Trindade, Silvânia, Rianápolis, Paraúna e Nerópolis.

Bahia, Pernambuco e Mato Grosso do Sul

Informa Conjuntura Online, em outubro de 2012: Mato Grosso do Sul é um dos estados com maiores incidências de casos de tráfico de pessoas. A constatação se deu a partir de dados divulgados ontem, em Brasília, como diagnóstico preliminar sobre o tráfico de pessoas no Brasil. O levantamento é da Secretaria Nacional de Justiça – do Ministério da Justiça – e do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (Unodc).

Os dados apontam, ainda, que em seis anos, cerca de 500 brasileiros foram vítimas do tráfico de pessoas. Desse total, 337 casos, que representam mais de 70% dos registros feitos de 2005 a 2011, referem-se especificamente ao tráfico para exploração sexual.

De acordo com as informações, suspeita-se que esse tipo de crime movimente perto de US$ 7 bilhões por ano. O levantamento da secretaria nacional revela que a maioria dos casos foi registrada nos estados de Pernambuco, Bahia e Mato Grosso do Sul.

[Não acredito nestas estatísticas. Como se explica o gentílico brasileira ser sinônimo de prostituta?]

O namora gringo de Huck. Globo denunciada por crime de exploração sexual

Meme que circula na internet
Meme que circula na internet

 

Huck oferece gringo “sob medida”.  Que medição é essa?

Escreve Miguel do Rosário:

 

Os blogs O cafezinho e Megacidadania registraram denúncia no Ministério Público Federal do Rio de Janeiro, contra a Globo, por crime de exploração sexual.

Clique aqui para você também fazer uma denúncia.

O crime é particularmente grave porque a Globo quis tirar proveito financeiro, de forma espúria, de um evento internacional, em que o Estado brasileiro mobilizou uma imensa estrutura pública para atrair estrangeiros de todo planeta.

Está claro que a Globo cometeu um crime grave.

O governo faz campanhas caríssimas para combater o tráfico internacional de mulheres, uma das maiores barbaridades do nosso século, e a Globo inicia uma campanha obscura, sinistra, para que jovens do Rio mandem um email com fotos de seus corpos para conhecer “gringos”?

Uma coisa assim teria que ser muito transparente. E jamais poderia ser feita por uma empresa que aufere a maior parte de seus lucros de uma concessão pública.

E que tem o direito exclusivo de transmissão dos jogos da Copa do Mundo!

A campanha teria que ser feita para homem, mulher e homossexuais. Se se trata de “amor”, por que só mulheres com “gringos”? Por que não homens com “gringas”?

É muito estranho!

Texto da nossa denúncia:

Descrição:
Devassidão de Huck [TvGlobo] vulgariza o Brasil. Diante de campanha divulgada por Luciano Huck da Rede Globo em redes sociais (facebook e twitter), e no site da própria empresa e que tinha nítido caráter de incentivar, estimular, tirar proveito, induzir, atrair, facilitar, a lascívia da mulher, é momento de mostrar ao mundo que o Brasil recrimina o turismo sexual. Demais argumentos bem como comprovação da divulgação (cópia da mensagem nas redes sociais e site) é só acessar http://www.megacidadania.com.br/devassidao-de-huck-tvglobo-vulgariza-o-brasil-e-o-mp/

Solicitação:
QUE A LEI SEJA APLICADA O Ministério Público tem a obrigação constitucional de abrir imediatamente procedimento contra a Rede Globo. TIPIFICAÇÃO: Do Lenocínio e do Tráfico de Pessoa para Fim de Prostituição ou Outra Forma de Exploração Sexual

Abaixo, a foto do cadastro de nossa denúncia no Ministério Público.

cafezinho 1

 

A ministra Maria do Rosário, da Secretaria de Direitos Humanos, manifestou sua indignação no Twitter.

 

Ministra-condena-exploração-sexual-Huck

Eis as provas do crime

Luciano-Huck-campanha-escandalosa-TT-Face-e-Site

O racismo do Brasil cordial: Fora os negros cubanos. Fora os doutores macacos

O Brasil exporta jogadores de futebol. Lá na Europa são chamados de macacos.

Para uns pode doer, para outros o reconhecimento da beleza da mulher brasileira, considerada a melhor puta do mundo. Cada país exporta o que tem.

Essas duas afirmativas escondem uma verdade: o Brasil é um exportador de cérebros. Principalmente de cientistas. Inclusive médicos pesquisadores. Que trabalham na indústria farmacêutica. Na indústria de equipamentos de vanguarda de exames médicos. E na medicina genética.

Esses médicos residem fora do Brasil. Sua medicina do futuro tem pouca valia para os pobres brasileiros que residem onde o diabo perdeu as botas.

A maior queixa da mãe brasileira, favelada e pobre, é que os médicos parecem que têm nojo: evitam tocar nas criancinhas negras nos postos de saúde.

 

MÉDICOS BRASILEIROS ENVERGONHAM O PAÍS

Negros cubanos

247: A foto acima diz tudo; um médico cubano negro, que chegou ao Brasil para trabalhar em um dos 701 municípios que não atraíram o interesse de nenhum profissional brasileiro, foi hostilizado e vaiado por jovens médicas brasileiras; com quem a população fica: com quem se sacrifica e vai aos rincões para salvar vidas ou com uma classe que lhe nega apoio?

Em nenhum país do mundo, os médicos cubanos estão sendo tratados como no Brasil. Aqui, são chamados de “escravos” por colunistas da imprensa brasileira (leia mais aqui) e hostilizados por médicos tupiniquins, como se estivessem roubando seus empregos e suas oportunidades. Foi o que aconteceu ontem em Fortaleza, quando o médico cubano negro foi cercado e vaiado por jovens profissionais brasileiras.

Detalhe: os cubanos, assim como os demais profissionais estrangeiros, irão atuar nos 701 municípios que não atraíram o interesse de nenhum médico brasileiro, a despeito da bolsa de R$ 10 mil oferecida pelo governo brasileiro. Ou seja: não estão tirando oportunidades de ninguém. Mas, ainda assim, são hostilizadas por uma classe que, com suas atitudes, destrói a própria imagem. Preocupado com a tensão e com as ameaças dos médicos, o ministro Alexandre Padilha avisou ontem que o “Brasil não vai tolerar a xenofobia” (leia mais aqui).

Ontem, o governo também publicou um decreto limitando a atuação dos profissionais estrangeiros ao âmbito do programa Mais Médicos – mais um sinal de que nenhum médico brasileiro terá seu emprego “roubado” por cubanos, espanhóis, argentinos ou portugueses. Ainda assim, cabe a pergunta. Com quem fica a população: com o negro cubano que vai aos rincões salvar vidas ou com os médicas que decidiram vaiá-lo?

VIVA A IMPORTAÇÃO DE MÉDICOS

Jose Adalberto Ribeiro: O Brasil não pode continuar refém de uma categoria movida pelo corporativismo, elitismo, mercantilismo, insensível às carências da sociedade, desumana e mais interessada em manter privilégios via a reserva de mercado.

Salve, salve a importação de médicos estrangeiros! Quem venham médicos de Cuba, de Portugal, do Senegal, da Espanha, da África, do Saara, do Japão, das Arábias, da China, da Conchichina! Quanto mais médicos, melhor! Sim, para se contrapor ao elitismo desses caras que imaginam ter um reizinho na região abdominal.

Em Minas Gerais o dirigente de entidade de classe disse que iria orientar seus colegas a não socorrerem pacientes em caso de erros cometidos por médicos estrangeiros. Esse elemento pernicioso deveria ser preso por insuflar a omissão/negligência no atendimento médico a pacientes, crime previsto em lei. Não foi contestado nem desautorizado por nenhuma entidade da categoria, nem pelo figurões, nem por figurinhas da categoria, sinal de conivência ou cumplicidade.

Tenho até dúvidas se o governo brasileiro, de índole demagógica e populista, vai manter uma posição de firmeza para enfrentar os lobos e às lobas elitistas e corporativistas.

A QUESTÃO DE REMUNERAÇÃO DOS MÉDICOS CUBANOS, concebida de modo a financiar a ditabranda comunista de fidel e raul castro, essa é outra historia.

Ex-prostituta brasileira diz que “escapou do inferno” e ajuda outras na Espanha

Brasileiras estão entre as mais presentes no mercado da prostituição espanhol
Brasileiras estão entre as mais presentes no mercado da prostituição espanhol

“Vida fácil? É ruim!” O desabafo é da goiana V.R.B., que viajou a Madri para se prostituir, sem saber que teria que fugir para se livrar de uma rede de traficantes de mulheres. Agora ela usa sua experiência para salvar outras brasileiras.

Aos 36 anos, V.R.B. é uma mediadora, uma espécie de assistente social de uma das quatros ONGs espanholas que ajudam mulheres prostituídas a escaparem das quadrilhas de exploração sexual e reintegrar-se na sociedade.

Tudo nela é sigiloso. Nome, endereço, aspecto e até mesmo o nome da ONG para a qual trabalha. Ela está protegida pela polícia por denunciar seus exploradores.

A história dela começa em 2006, quando foi aliciada em Goiás por conhecidos que a ofereceram um trabalho como prostituta na Espanha com salários de R$ 9 mil ao mês.

“Sonhei, sim. Ganhar um dinheirão, acertar a vida da minha mãe, dar um futuro para meus (dois) filhos e voltar para montar um negócio no Brasil. Eu aceitei. Mas não me disseram que eu não podia sair quando quisesse”, contou à BBC Brasil.

Fuga

Tráfico de brasileiras. Morte no exterior

Em 2010, brasileiras libertadas com a prisão de uma rede de proxenetas
Em 2010, brasileiras libertadas com a prisão de uma rede de proxenetas

Brésil: l’un des pays les plus touchés par la prostitution enfantine (l’aéroport de Fortaleza voit l’augmentation constante de ses visiteurs étrangers). Pas de chiffres pour la prostitution, mais 100 000 enfants des rues sont « exposés » à l’exploitation sexuelle. Certaines ONG donnent y des estimations beaucoup plus lourdes.

Affaires résolues

Le 7 juin 2011, une dizaine de prostituées brésiliennes sont interpellées. La Brigade de répression du proxénétisme (BRP) vient de mettre à jour un réseau de prostitution brésilienne, animé par trois ressortissantes brésiliennes, âgées de 34 à 48 ans, dans 4 appartements du 13e et du 14e arrondissement de Paris : l’une s’occupait du recrutement au Brésil, la deuxième se chargeait des appels téléphoniques et des transferts d’argent et la troisième des logements, accueillant les rendez-vous. Les perquisitions permettent de saisir des récépissés de mandats de transfert d’argent vers le Brésil pour plusieurs milliers d’euros ainsi que du matériel utilisé pour placer des annonces sur Internet. Elles sont laissée libres. Les prostituées expliquent avoir été recrutées dans leur pays et travailler à Paris depuis environ un an. Le montant des passes s’élève de 120 à 150 euros. Chacune doit reverser chaque mois 1.000 euros pour exercer dans les appartements.

Correio Brasiliense denunciou:

Prostituição, escravidão e morte marcam brasileiras vítimas do tráfico

Cerca de 30% dos assassinatos de brasileiros fora do país estão relacionados ao tráfico de pessoas, orquestrado basicamente por organizações vinculadas à prostituição. Em vários casos, há a simulação de suicídio

Vinte brasileiras estão desaparecidas em países europeus. A principal suspeita é de que tenham sido assassinadas pelos grupos organizados. O paradeiro delas é totalmente desconhecido há pelo menos quatro anos. Diversas tentativas de localização, inclusive das polícias brasileiras e internacionais, foram feitas sem sucesso. Isso em abril de 2011. Hoje, quantas são?

Isso a polícia não sabe. Nem o juizado de menores. É um grande segredo

Em qualquer capital brasileira, pergunta para um motorista de táxi, quantas meninas, aparentando 18, 20 anos, eles já levaram, nos finais de semana, para os hotéis de luxo da cidade?

 

 

 

 

Tráfico de escravas brasileiras para a prostituição já soma 70 mil

Dados do Ministério Público e da Polícia Federal revelam que o número de brasileiros levados para o Exterior por traficantes já soma 70 mil. ISTOÉ mostra como funciona e quais são as principais rotas do esquema

Por Izabelle Torres e Flávio Costa

Em Brasília, um bar que é ponto de prostituição serve de hotel para meninas à espera de passaportes e documentos para embarcar para o Exterior.

O local é conhecido como “Toca das Gatas”. Duas viaturas policiais circulam fazendo a ronda, mas nenhum policial desce do carro. A única abordagem feita na noite em que a reportagem de ISTOÉ visitou o local teve como alvo justamente a equipe de reportagem, considerada intrusa pelos cafetões. Uma das garotas apresentou-se como “Cintia” e confirmou que estava aguardando a chegada de documentos a fim de embarcar para a Europa. Seu destino é Portugal. Mas, para pagar a viagem – documentos, passagens e hospedagens – , ela e outras meninas devem trabalhar pelo menos seis meses como prostitutas e repassar aos “chefes” 60% do que receberem. O esquema que aliciou “Cintia” no interior de Goiás se dissemina por diversos pontos do País e é mais amplo. De acordo com o Ministério Público, conta até com a participação de policiais e servidores. “Isso ocorre por dinheiro ou pela troca de favores com os bandidos. Muitas vezes, o pagamento pela facilitação vem em forma de favores sexuais”, diz a PhD em pesquisa de criminologia, a promotora do MP do Distrito Federal, Andrea Sacco.

Não é novidade que, atraídos pelo discurso do dinheiro fácil, pessoas sejam tiradas das periferias do Brasil e levadas para a Europa e os EUA e lá sejam submetidas à prostituição, trabalho escravo ou até mesmo transformadas em fornecedoras de órgãos para transplantes.


Hoje, sabe-se que as ações dos criminosos estão concentradas em pelo menos 520 municípios brasileiros. Nessas cidades, pessoas são aliciadas e ficam em hotéis, pequenos abrigos ou pontos de prostituição, como ilustra o caso de Brasília, até receber seus passaportes, não raro, falsos, e ser mandadas para sete Estados que servem de escala para o Exterior. São eles os seguintes Estados: Amazonas, Bahia, Goiás, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Roraima e São Paulo. Segundo o MP, além de Portugal, os destinos mais frequentes são Espanha, Itália e Venezuela. No total, o número de pessoas levadas para o Exterior por traficantes já soma 70 mil. De acordo com a PF, as quadrilhas que comandam o tráfico de pessoas só perdem em lucratividade para as de tráfico de drogas e de armas. A ONU estima que a máfia de pessoas movimenta por ano mais de US$ 30 bilhões. Cerca de 10% desse dinheiro passa pelo Brasil. Transcrevi trechos. Leia mais. Este é um dos efeitos da corrupção.