Recife constrói os caminhos do shopping e não faz nada que preste para o povo

A noite começou com festa no Recife Antigo. Em meio às celebrações dos 478 anos do Recife, o prefeito Geraldo Julio e o governador Paulo Câmara realizaram o corte do bolo que, em Olinda,
A noite começou com festa no Recife Antigo. Em meio às celebrações dos 478 anos do Recife, o prefeito Geraldo Julio e o governador Paulo Câmara realizaram o corte do bolo que, em Olinda, pesou 480 quilos

O Diário de Pernambuco publica hoje: “Prefeito Geraldo Julio tem 75% de aprovação. Pesquisa mostra que gestão do socialista no Recife tem deixado satisfeita a maioria da população da capital pernambucana”.

Pesquisa no Brasil é meio de propaganda super, super faturada.

A Prefeitura do Recife não informou quanto pagou por essa pesquisa. Quanto gasta, todo santo mês, com propaganda. E qual agência de publicidade leva 30 por cento de comissão, e muito mais, dessa grana de milhões e milhões.

O governo municipal investe quanto em saúde, em educação, e com propaganda? Duvido que se divulgue um estudo comparativo.

A Prefeitura não faz nada que preste para o povo. É de fritar bolinhos e coxinhas e de construir os caminhos do shopping…

Quantos mercados públicos existem no Recife? Desde quando a Prefeitura não constrói nenhum? É isso aí: não se faz nada para o povo. Nada que preste.

 

 

 

Dengue é peste escondida em São Paulo

Sempre fez parte da campanha de combate a dengue não guardar água em balde.

Com a seca na Região Metropolitana de São Paulo, a recomendação passou a não existir.

A verdade verdadeira é que o governador de São Paulo até hoje nega o racionamento no serviço de abastecimento de água.

 Ali Divandari
Ali Divandari

E quando é verão, e quando falta água, a dengue se transforma em uma epidemia. E mortal epidemia.

De repente a imprensa parou de informar sobre a dengue em São Paulo.

Mas Carlos Tramontina furou a censura. O apresentador do telejornal SPTV – 2ª edição, da TV Globo, informou através de sua página no Facebook que está com dengue e, portanto, ficará longe do trabalho por uma semana.

“Meus amigos, o mosquito me pegou. Estou em casa, muito bem, me recuperando da dengue. Repito, estou bem. Na semana que vem eu volto. A gente se encontra. Abraços.”, escreveu em post na rede social.

Tramontina está devendo uma reportagem sobre a dengue em São Paulo.

Em Recife, para outro exemplo, são inimagináveis as seguintes cenas de combate ao mosquito noutras cidades brasileiras:

combate-dengue

combate-a-dengue

1 COMBATE A DENGUE

Recife da Cultura desprezada. Duvido o prefeito destinar um palacete para os artistas

Palacete dos Artistas faz parte do projeto da Prefeitura de ocupação do Centro de São Paulo (Foto Olivia Florência/ G1)
Palacete dos Artistas faz parte do projeto da Prefeitura de ocupação do Centro de São Paulo (Foto Olivia Florência/ G1)

 

Artistas, escritores, poetas, jornalistas e educadores da rede pública morrem na miséria em Pernambuco, notadamente no Recife.

O poeta Carlos Pena Filho, termina assim seu Guia Prático da Cidade do Recife:

“Recife, cruel cidade,
águia sangrenta, leão.
Ingrata para os da terra,
boa para os que não são.
Amiga dos que a maltratam,
inimiga dos que não
este é o teu retrato feito
com tintas do teu verão
e desmaiadas lembranças
do tempo em que também eras
noiva da revolução”

Um prefeito não faz nada que preste para o povo, principalmente pela Cultura.

Que realiza um prefeito, se o Recife não tem museu, biblioteca, editora, universidade, cinema, tv educativa e passeio público?

As festas tradicionais – Carnaval, São João, Natal e Virada do Ano Novo – são animadas por artistas de fora, contratados a peso de ouro.

Que diabo um prefeito do Recife empreende com os bilhões que arrecada?

Constrói e varre os caminhos dos shoppings.

PALACETE PARA 50 ARTISTAS EM SÃO PAULO

foto 1 fachada

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, inaugurou nesta sexta-feira (12) o edifício Palacete dos Artistas, destinado a moradia popular de artistas com mais de 60 anos e renda familiar de um a três salários mínimos.

Os 50 artistas beneficiados terão que pagar de 10% a 12% da renda mensal deles pelo apartamento. O contrato será renovado a cada quatro anos.

O imóvel permanecerá como propriedade pública. “Uma locação social a um preço bastante módico para permitir que o prédio seja sempre destinado a artistas que dependam de locação”, explicou Haddad.

SÃO 50 HABITAÇÕES COMO HOMENAGEM E RECONHECIMENTO PELOS SERVIÇOS PRESTADOS ÀS ARTES

foto 4

artistas foto 3

artistas foto 5

A Prefeitura de São Paulo entregou nesta sexta-feira (12) 50 apartamentos do Edifício Palacete dos Artistas, o antigo Hotel Cineasta, localizado na Avenida São João, a poucos metros do seu cruzamento com a Avenida Ipiranga. O edifício foi revitalizado e adaptado para ser o novo endereço de 50 artistas ligados a diversas entidades do meio, entre as quais o Sindicato dos Artistas, a Cooperativa Paulista de Teatro o Balé Stagium e o Movimento de Moradia dos Artistas e Técnicos.

“São 50 habitações, mas este número não expressa a importância do gesto. O nosso programa habitacional é mil vezes maior, mas [este gesto] significa muito mais do que isso. A sua dimensão quantitativa não retrata a dimensão qualitativa do projeto. Vocês certamente vão alegrar o centro, vão enriquecer a vida do centro e suas próprias vidas. Este é o reencontro da cidade com seu centro histórico. Requalificar o centro não é só reformar prédios. É, sobretudo, um gesto em direção às pessoas. E acho que o gesto não poderia ser mais significativo”, afirmou o prefeito Fernando Haddad na cerimônia onde foram entregues aos artistas as chaves de seus apartamentos.

A cantora aposentada Penha Maria, de 74 anos, é uma delas. Nesta sexta-feira (12), ao visitar o que será sua residência, não conteve a emoção. “Não tenho nem palavras. É um sonho. Achei o apartamento lindo”, disse com a voz embargada. O ator e diretor de teatro Kokocht, de 66 anos, elogiou a vista. “É maravilhosa, uma vista para a Avenida São João. Amei o apartamento. Está lindo”, afirmou.

O cantor Valdemar Farias, 85, popularmente conhecido como Roberto Luna, será um dos novos maradores do palacete. Atualmente, ele vive com sua companheira na casa de uma amiga no Horto Florestal, zona norte da capital. Nesta manhã, ele não escondia o seu contentamento pela conquista. “Sou da Paraíba e, quando cheguei em São Paulo, na década de 50, foi para o centro que eu vim. Fui morar no Hotel Excelsior. Hoje posso dizer que estou voltando às origens”, afirmou.

“Esta é a luta de nós artistas. Nós lutamos com a nossa alma, com a palavra, com a emoção e com o coração. E a nossa luta de tantos anos vai cada dia conquistando mais espaço”, afirmou a atriz Vicencia Militello, 71. Após receber a chave do apartamento que habitará, Vic, como é chamada pelos colegas, chamou atenção para a questão dos idosos e afirmou que o projeto contribui para uma melhoria da qualidade de vida dessa população. “Trazer para o Centro os idosos é importante, pois desobrigaremos eles a terem de andar de ônibus e atravessar a cidade frequentemente”, disse, lembrando que nem sempre os mais jovens são generosos de modo a facilitar suas vidas.

 

A INCRÍVEL HISTÓRIA DE PENHA MARIA, A SAPOTI DO NORDESTE

por Germano Barbosa

 

Recife,1968, Jornal do Comércio
Recife,1968, Jornal do Comércio

Ela foi a maior cantora do Norte e Nordeste do Brasil, de todos os tempos. Brilhou no Rio, em shows do rei da noite, Carlos Machado, foi aplaudida e elogiada pela imprensa em mais de 10 países da antiga cortina de ferro, representando a Varig. Trabalhou com Abelardo Figueiredo, no Beco e nas melhores casas noturnas de São Paulo, até que resolveu parar, em 1972, para cuidar da família. Agora, 42 anos depois, eu a encontrei, pobre e doente, mas completamente lúcida, em um lar para idosos, na periferia da capital paulista.

Simpática e muito educada, ela quer dar a volta por cima e voltar a cantar.

Eu a procurei, incansavelmente, durante mais de 10 anos.

Nascida em 22 de dezembro de 1939, em João Pessoa, Paraíba, com o nome de Maria da Penha Soares, desde cedo seus pais, Antônio e Hercília, lhe deram uma educação religiosa, tendo ela começado a cantar na igreja aos 10 anos.

Com 18 anos, depois de ganhar um concurso de calouros, estreou profissionalmente na Radio Tabajara, a melhor da capital paraibana, e aí começou a sua trajetória de sucesso.

Dois anos depois, em 1959, o grande maestro Giuseppe Mastroianni a descobriu e levou-a para a Rádio Jornal do Comércio de Recife. No ano seguinte, ela inaugurou a TV Jornal do Comércio, onde sua voz, maravilhosa, aliada a sua beleza e elegância, deslumbrava os espectadores, participando dos famosos programas da época, Você Faz o Show, de seu grande amigo Fernando Castelão, Noite de Black-Tie e Bossa 2, de Nair Silva.

Durante cinco anos, foi eleita a melhor cantora de Recife, sendo conhecida como “a sapoti do nordeste”.

Penha era convidada para cantar para as grandes personalidades da época que passavam por Recife, como o governador de São Paulo Ademar de Barros e o presidente Juscelino Kubitchek, e cantou ao lado de grandes ídolos, como Cauby Peixoto e Angela Maria. Transcrevi trechos. Leia mais 

 

RECIFE QUEIMA DINHEIRO NO RÉVEILLON

No Palacete dos Artistas de São Paulo foram investidos cerca de R$ 8,2 milhões, sendo R$ 1,3 milhão em restauro; R$ 5,1 milhões em reformas e adequações em geral e R$ 1,8 milhão em reforços da estrutura do prédio e adequação e instalação dos elevadores. Outros R$ 4,2 milhões foram gastos com a desapropriação do edifício.

A fonte de recurso foi do governo federal, por meio do Programa Especial de Habitação Popular (PEHP), que previa o financiamento para esse tipo de empreendimento a fundo perdido por meio da Caixa Econômica Federal.

No Recife gasta-se muito mais com qualquer festança. Como acontece no Réveillon, com a queima de fogos e carnaval à baiana.

Os palacetes e casarões do Recife, reservados para a especulação imobiliária, deveriam ser transformados em museus, biblioteca de bairros, asilos, casas de artistas, de educadores, de jornalistas, ateliês, escolas de arte como a de João Pernambuco na Várzea, cinemateca, sede de bandas de música, galerias de arte etc

Acimentando o verde e o azul do Recife

 

jc

dp

Eta sorriso besta do prefeito Geraldo Júlio. Nem trepa nem sai de cima.

Depois de dois anos de improvisos. Metas, que é bom!

Olha que um prefeito do Recife não tem quase nada para fazer. A Prefeitura não possui universidade, nem hospital, nem biblioteca pública, nem museu, nem editora, não tem um passeio público, nenhum parque.

Não sei que um prefeito faz, além de criar avenidas, ruas e túneis para os shoppings, ou oferecer o espaço urbano para a especulação imobiliária.

O Estado cuida dos transportes, do trânsito, do ensino público, da saúde, da água, do saneamento, da segurança, da política habitacional.

Abandonada Recife. Cheia de obras inacabadas, terrenos baldios, favelas.

Estão cimentando o verde dos manguezais, o que resta da Floresta Atlântica, o azul das lagoas e da Bacia do Pina.

A Cidade das Águas está cada vez mais seca, quente, escura e cinzenta.

 

 

Após 20 meses de gestão, prefeito do Recife ainda não entregou uma nova escola sequer. Priscila Krause questiona atraso das obras

educação contra

De posse de cópias de contratos, ordens de serviços e termos aditivos, Priscila Krause questionou a gestão municipal a respeito do atraso de sete obras de construção de novas sedes de escolas municipais, um investimento na ordem de R$ 14 milhões. “Desde março do ano passado essas novas sedes são anunciadas, mas nenhuma foi inaugurada. Todas as datas prometidas pela Prefeitura já passaram. É preciso que a Secretaria de Educação se posicione, porque se trata de uma ação importante para as crianças e jovens recifenses”, afirmou.

O monitoramento da vereadora registrou que duas unidades (a Professor João Francisco de Souza, na Várzea e a Jardim Monte Verde, no Ibura), deveriam ter sido entregues ainda em novembro de 2013. As ações foram amplamente divulgadas pela imprensa oficial. Na época, a PCR prometeu que os novos equipamentos públicos já seriam utilizados pelos alunos no início do primeiro semestre letivo de 2014.

As outras cinco unidades estavam prometidas para julho deste ano, possibilitando que os estudantes as utilizassem desde agosto (Municipal de Santo Amaro, Manoel Torres, em Boa Viagem, Córrego do Euclides, José Lourenço de Lima, no Ibura e, por fim, Lutadores do Bem, em Santo Amaro), mas também ficaram na promessa. De acordo com informações registradas no Diário Oficial do Município, as datas de conclusão dessas obras foram postergadas para dezembro próximo.

Para Priscila, candidata a deputado estadual, a gestão precisa acelerar o ritmo das ações que efetivamente mudam a realidade da cidade. “Uma gestão que se aproxima de concluir sua primeira metade, sem entregar uma nova sede de escola sequer, precisa se justificar perante a sociedade. Um investimento desse porte não pode ser prejudicado por eventual má gestão ou falta de planejamento”, concluiu Priscila.

Priscila

Contato final com o eleitor pernambucano. "Amanhã o nosso encontro é na urna!", convida Priscila
Contato final com o eleitor pernambucano. “Amanhã o nosso encontro é na urna!”, convida Priscila

Noelia Brito, flor preciosa e ameaçada

flor no deserto

 

 

Eu tenho sido alvo de todo tipo de ataque por parte da turma de Eduardo Campos: inquérito forjado, interpelação criminal, ações judiciais para me censurar, difamações e até calúnias produzidas por fakes em comentários a meus artigos no Blog de Jamildo e chegando ao cúmulo de me ameaçarem e a minha mãe, por meio de email anônimo já encaminhado à Polícia Federal, tudo para me calar, porque neste estado não existe oposição, existe um alto grau de cooptação, por meio de cargos e até chantagens!

Mas a mim esses bandidos não calarão porque não estou a venda e nem me intimidarei por causa das perseguições que essa canalha está orquestrando por todos os lados contra mim, inclusive tentando me prejudicar no meu trabalho, que conquistei por Concurso Público.

Se alguma coisa me acontecer saibam que foi a turma de Eduardo Campos quem tramou e executou!

Noelia Brito

 

Regando flores pequeno príncipe

Nota do redator do blogue: Nesta denúncia que comprova a escuridão pernambucana, provocada pela censura, pelo stalking policial, pelo assédio moral e ameaças de morte, coloquei o título e ilustrações. 

Demonstre seu apoio para os que lutam pelos aflitos e desesperados, siga o blogue de Noelia Bito.

Siga pela Via Real e seja iluminado.  

 

flor iluminada

 
Noelia Brito
Noelia Brito

As escolas municipais do Recife um lixo só

O Blog do Ronildo mostrou quanto abandono, quanto descaso, quanta safadeza. Transcrevo trechos:

No Córrego da Areia, MPPE já tentou fechar escola com apenas três salas de aula
No Córrego da Areia, MPPE já tentou fechar escola com apenas três salas de aula

Blog visitou cinco escolas da Rede Municipal, o suficiente para constatar grandes absurdos. No Recife, cidade cujo prefeito prometeu dar tablets aos alunos, crianças têm aulas a poucos palmos de pontos de tráfico de crack,que ficam literalmente no teto da escola. Infelizmente o ponto também é usado pelos viciados para – diante dos olhos e ovidos dos alunos – se drogarem e fazerem sexo, além de dirigirem ameaças às crianças da escola.

Escola Municipal da Mangabeira convive com tráfico de drogas no telhado

Na Mangabeira, corrente foi colocada para evitar novas invasões de traficantes na escola
Na Mangabeira, corrente foi colocada para evitar novas invasões de traficantes na escola

A situação é absurda. Mas infelizmente esta escola na Mangabeira não é a única que tem sofrido com a ausência do poder público municipal. A Escola Municipal Nossa Senhora do Pilar, a apenas 500 metros da Prefeitura, também passou ignorada pelos últimos gestores. Calçadas destruídas, fachada já sem cor e um quintal amazônico são provas disso. A Emlurb, órgão municipal responsável pela capinação e limpeza do terreno, não faz uma visita há 7 meses. Os vidros quebrados e o ferrugem que devora as grades completam o visual de abandono daquela casa – que já não tem condições de abrigar uma escola.

Bem próximo à Prefeitura, escola sofre com abandono do poder público
Bem próximo à Prefeitura, escola sofre com abandono do poder público

A 500 metros da Prefeitura, escola municipal vive de doações

Uma outra instituição, no Córrego da Areia, tem apenas 3 cubículos onde são ministradas as aulas. Neles, as crianças dão os primeiros passos para a alfabetização, recebem merenda e ainda têm aulas de informática – com notebooks que vão até as salas. Tudo sem descolar da cadeira. Eles sequer têm recreio, porque não há espaço físico para isso. Educação física, artes e música, todos previstos em Lei, passam longe daquele casebre. Por perto mesmo só o forte cheiro dos produtos de cabelo, aplicados num salão de beleza que funciona dentro do terreno da escola..

MPPE já tentou fechar escola com apenas três salas de aula, no Córrego da Areia

Do outro lado da rua funciona uma outra escola municipal, homônima, da qual um dia este casebre foi anexo. Se somadas, ainda não conseguiremos uma instituição de ensino estruturada. Nesta, os alunos sofrem com o calor, têm atividades de informática ministradas por estagiários de ensino médio (entre 16 e 18 anos) e têm aulas de dança dentro do refeitório.

Hoje, a Rede Municipal do Recife conta com 222 escolas, das quais 213 contam com “laboratórios de informática” – mas alguns não são bem isso. Estes laboratórios têm entre 10 e 25 máquinas. As atividades de informática, que deveriam ser ministradas pelo professor da sala de aula com auxílio dos estagiários, muitas vezes são ministradas por estes, que são em sua maioria jovens entre 16 e 19 anos, sem preparo para serem educadores. A universalização das aulas de informática está previsto no Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE), no Plano Nacional da Educação (PNE) para o decênio 2011-2020.

A obrigatoriedade das aulas de Educação Física estão previstas na Lei nº 10.793, de 2003. No entanto, na capital pernambucana, apenas 28 das 222 escolas possuem quadra poliesportiva coberta. Há ainda 21 unidades com quadra descoberta. Mas e professores de educação física?! Em boa parte destas instituições, os equipamentos servem apenas para os alunos baterem bola fora do horário escolar. Há também as escolas que colocam os professores de sala para ministrar as atividades de educação física. Também acontece de o educador dar a bola para os alunos brincarem. Há ainda as escolas com quadra, mas sem aula de educação física, porque a violência no bairro e/ou entre os alunos é tão grande que os dirigentes escolares temem perder o controle da situação.

Aulas de artes e música são ainda menos frequentes. Estas só são ofertadas – às vezes por estagiários – através do programa Mais Educação, onde o interessado em ministrar a aula procura a escola, que faz o intermédio com a Prefeitura para a contratação dos serviços da pessoa, por R$ 240,00. Neste formato, só uma minoria tem acesso às aulas – que também são garantidas pela Lei Federal nº 11.769 -, além de deixar clara a indisposição da PCR em buscar profissionais qualificados para servir à educação municipal.

Também no Córrego da Areia, aulas de dança e música são ministradas no refeitório
Também no Córrego da Areia, aulas de dança e música são ministradas no refeitório

Bibliotecas, direito do estudante, também garantido por Lei Federal, a Lei nº 12.244 de 2010, estão presentes em apenas 124 escolas, das 222. O baixo índice se reflete na escassa leitura, que contribui para o alto número de analfabetos funcionais – equivalente a 20% dos brasileiros. Há ainda 70 escolas que dispõem de sala de leitura e ainda uma que dispõe de caixas de madeira. Limitada pela infraestrutura, uma diretora resolveu fazer bibliotecas “móveis”, de tábua, numa tentativa, pequena, mas preciosa, de dar àquelas crianças novas perspectivas através da leitura.

principal_5No Prado, escola sem biblioteca improvisa usando caixas de madeira de 60 cm.

No Prado, população espera há anos que escola seja transferida

Confira a galeria com os registros das visitas nas Escolas Municipais. Fotos do repórter do Blog, Vinícius Sobreira.