Prefeito de Cuiabá Mauro Mendes envolvido em fraude de 800 milhões

Um dos líderes da campanha presidencial de Eduardo Campos, Mauro Mendes  é investigado por ter se valido de fraude em compra de mineradora

Mauro

A pedido do TRT (Tribunal Regional do Trabalho), o Ministério Público Federal no Mato Grosso investiga uma fraude que pode chegar a R$ 700 milhões e envolve uma empresa do prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (PSB). Ele e um sócio são investigados, em processo sob sigilo, por terem se beneficiado do que o juiz do Trabalho Paulo Roberto Brescovici chamou de “fraude processual” na compra de uma mineradora.

Brescovici considerou nulo o processo de venda de uma empresa que operava em uma área de extração mineral próxima do Parque Nacional da Chapada dos Guimarães. Na investigação, concluiu-se que o juiz que conduziu a recuperação judicial da mineradora desviou R$ 185 mil do processo — o magistrado foi afastado do cargo pelo TRT do Mato Grosso.

Luis Aparecido Ferreira Torres, o juiz afastado, permitiu em 2011 a transferência das cotas da mineradora, que então se chamava Minérios Salomão, para uma empresa cuja dona era Jéssica Cristina de Souza, filha de Valdinei Mauro de Souza, sócio do prefeito de Cuiabá. Seis meses após se tornar dona da empresa, Jéssica transferiu 98% das cotas para a Maney Mineradora Casa de Pedra, que pertence a seu pai e a Mendes.

O processo foi marcado por uma série de irregularidades e possíveis “ilícitos penais”, de acordo com Brescovici, o juiz que investigou o caso no âmbito do TRT. Um dos problemas apontados foi a transferência das cotas da mineradora a Jéssica pelo valor de R$ 1,8 milhão.

Segundo Brescovici, o juiz Ferreira Torres “desconsiderou o potencial econômico das reservas auríferas e recursos naturais da área de propriedade da empresa que, de acordo com o laudo técnico de f. 610/620, foi fixado em R$ 723,7 milhões”.

O capital social da mineradora seria posteriormente elevado para R$ 703,5 milhões.

Corretor. Brescovici também descobriu uma autorização dada por Ferreira Torres para que a Caixa Econômica Federal liberasse R$ 185 mil a título de corretagem para um corretor de imóveis de nome José Faria de Oliveira, sem que ele tenha atuado em nenhum momento no processo de venda da mineradora ou de seus ativos.

Ferreira Torres apresentaria posteriormente um despacho de nomeação do corretor, mas ele não continha a numeração das folhas dos autos, o que mostrava que o suposto documento nunca pertenceu ao processo.

Oliveira havia intermediado a compra de dois flats, vendidos por uma construtora ao juiz. Em depoimento na investigação do TRT, o corretor disse que foi chamado ao gabinete de Ferreira Torres e que ele propôs transferir para seu nome os dois imóveis, sem explicar o motivo. Oliveira recusou a proposta.

Segundo o corretor, o juiz lhe perguntou se ele havia sido procurado por alguém do TRT e orientou Oliveira a dizer que havia recebido os R$ 185 mil sob suspeita a título de corretagem. Mais uma vez, ele se recusou a atender o pedido de Ferreira Torres e decidiu procurar a corregedoria do tribunal, que a partir daí passou a investigar o caso. (Fonte R7 Notícias)

“Não importa quem saiu, importa quem ficou e chegou ao PSB”, afirma Mendes após debandada

“Esse ano eu terei de me dedicar mais a política. Gastar mais do meu tempo com as conversas, as articulações com outros partidos. A prioridade do PSB é montar um palanque forte para o Eduardo Campos. Temos um candidato a presidente, e um candidato forte, capacitado”, disse o prefeito e presidente regional do PSB Mauro Mendes
“Esse ano eu terei de me dedicar mais a política. Gastar mais do meu tempo com as conversas, as articulações com outros partidos. A prioridade do PSB é montar um palanque forte para o Eduardo Campos. Temos um candidato a presidente, e um candidato forte, capacitado”, disse o prefeito e presidente regional do PSB Mauro Mendes

Prefeito de Cuiabá e presidente estadual do PSB, Mauro Mendes demonstra, pelo menos verbalmente, já ter superado a saída de 11 prefeitos que deixaram a legenda para seguir o deputado federal Valtenir Pereira rumo ao PROS no último mês.

Mendes afirma estar reorganizando o PSB no estado e acredita em um desempenho positivo nas eleições de 2014. Segundo ele, não importa quem saiu. Importa quem ficou e, principalmente, quem chegou ao PSB.

“O PSB está bem. Estamos reorganizando o PSB no Estado. Independente daqueles que saíram, estamos trabalhando com aqueles que ficaram e principalmente com os que chegaram ao partido. Porque menos nos últimos dias conseguimos importantes adesões. E é com aqueles filiados que nós vamos organizar um projeto eleitoral para Mato Grosso em 2014”, afirmou em entrevista exclusiva ao Olhar Direto.

Presente ao anúncio, em Brasília, dos municípios selecionados no PAC 2, na última quinta-feira (24.10), o prefeito disse que o momento é de reorganização de todos os diretórios municipais e de estabelecimento de um desenvolvimento estratégico para 2014 tendo um candidato competitivo à presidente da república.

Questionado sobre a formação de um palanque nacional para Eduardo Campos e o apoio ao senador Pedro Taques (PDT) ao governo estadual, juntamente do PSDB, DEM e PPS, Mendes foi taxativo. “O PSB vai, obviamente, estar no palanque de Eduardo Campos. Pedro Taques é um grande candidato. Tenho com ele uma história que não começa agora em 2014. Começou em 2010. Estivemos juntos em 2012. E certamente estaremos juntos em 2014 para consolidar um projeto que nós começamos em 2010”, declarou.

Além dos 11 prefeitos que saíram do PSB, o partido ficou sem 10 vices-prefeitos e mais de 50 vereadores. Dos 12 prefeitos que se elegeram em 2012, apenas Mauro Mendes permanece na sigla. (Fonte Olhar Direto)

Bando de prefeitos ladrões

Em uma cidade pequena o eleitor conhece todos os candidatos. Vota em ladrão porque é ladrão. Rouba de si mesmo. Rouba a escola dos filhos, inclusive a merenda escolar. Rouba o posto de saúde da família, inclusive os medicamentos. Milhares de cidades nem médico tem. O eleitor não pode reclamar da cidade merda em que reside.

BRA^SC_NDF prefeito cassado
BRA^SP_CDF prefeitos cassados
BRA^SP_FDR prefeito
BRA^SP_TI prefeitos ladrões
BRA_DN prefeito
BRA^SP_OV menos um prefeito

Motorista, possivelmente bêbado, mata jovem bioquímica

Ex-prefeito, colecionador de crimes e kanecas, continua solto

Motorista do Bioquímica

O ex-prefeito de Nossa Senhora dos Remédios, Ronaldo César Lages Castelo Branco, matou a bioquímica Joysa Barros, 30 anos, no último sábado, no cruzamento da avenida Jóquei Clube com rua Angélica, na zona Leste de Teresina.

Segundo a Polícia, Ronaldo já foi condenado duas vezes pela Justiça comum. O ex-prefeito também é réu em nove ações na Justiça Federal, e já foi alvo de medidas elencadas na Lei Maria da Penha.

Ele foi condenado em 2011 pela Justiça da Comarca de Nossa Senhora dos Remédios a um ano e três meses de detenção por dano qualificado e, em 2012, a três anos e quatro meses de reclusão por lesão corporal. A segunda condenação foi reformada pelo Tribunal de Justiça que reduziu a sanção para dois anos de reclusão.

Na Justiça Federal, o ex-prefeito é réu em três ações penais por crime de responsabilidade e a seis ações por improbidade administrativa.

O ex-prefeito Ronaldo Lages participou por telefone no Programa Agora, da TV Meio Norte, e deu sua versão do acidente que resultou na morte da jovem Joysa Ribeiro, de 29 anos.

Ele confirmou que dirigia a Amarok, mas que pouco se lembra do momento da colisão. Ronaldo afirma que estava no Kanecas Cachaçaria minutos antes do acidente.

“Eu tinha acabado de sair do Kanecas, não tinha ainda dado pra atingir uma velocidade muito alta. Vinha a uns 40 ou 50 quilômetros. Ali, poucas ruas são preferenciais, além da Jockey Clube, mas a sinalização é muito pouca, uma pessoa que vem de fora não saberia”, disse o ex-prefeito, até mesmo causando animosidade do apresentador do Agora. “Ah, Ronaldo, não venha dizer que você estava a essa velocidade, as imagens mostram. Mas se é sua versão”, disse Silas Freire.

Ronaldo Lages classificou o acidente como uma fatalidade. “Não estou aqui justificando nada, foi uma pessoa que morreu (…), mas eu não sou bandido, se fosse não estaria aqui me defendendo nem teria me apresentado. E estou falando aqui só para não ficar as coisas no ar, para tentar esclarecer”.

O ex-prefeito, que também é policial civil, confirma que estava com arma dentro do carro, mas que não estava de serviço. “Estava de licença-prêmio”, disse o ex-prefeito que atualmente está lotado no 11º Distrito Policial.

Quando a justiça vai realizar um mutirão contra a corrupção?

Ceará. Roubam tudo. Dentro das repartições públicas, servidores matam na briga pelas botijas. E matam o povo. Não se faz nada que preste para o povo. Falta dinheiro. Dinheiro que foi desviado
Ceará. Roubam tudo. Dentro das repartições públicas, servidores matam na briga pelas botijas. E matam o povo. Não se faz nada que preste para o povo. Falta dinheiro. Dinheiro que foi desviado

BRA^SP_AC buraco ribeirão corrupçãoBRA_AG fiscais corrupção propinacorreio_braziliense. dinheiro para a corrupçãodiario_cuiaba. corrupção

Votar nulo é votar no pior

Não ajude a eleger os candidatos indicados pelas pesquisas compradas. Não vote nos candidatos apoiados pelos currais das milícias, dos traficantes, dos coronéis do asfalto, do lóbi da imprensa das elites, do dinheiro das empresas estrangeiras.

Vote limpo. Vote livre. Vote por uma cidade iluminada.

Vote pelo verde das praças, dos hortos, dos sítios históricos, das ruas e avenidas arborizadas.

Vote pelo azul dos ares, dos mares, dos rios, dos lagos. Vote contra os terrenos baldios da especulação imobiliária, contra os despejos, os deslocamentos involuntários dos pobres, o imposto de marinha, os altos preços dos serviços essenciais e dos aluguéis de moradia dos sem teto da classe média.

Um prefeito governa o espaço urbano. E a rua é uma extensão de sua casa. E todos têm direito a uma moradia, para uma vida sadia, feliz e digna.

Para o prefeito que pretende a reeleição, o voto é um julgamento. Veja se ele fez alguma coisa que preste para o povo. Escolas primárias e postos de saúde com padrões de qualidade. Transporte público não é trem de carga.

Não vote em elefante branco, em obras inacabadas ou superfaturadas. Não vote em serviços fantasmas.

Ruas sujas, alagadas, lixo nas ruas, ruas terraplenadas, sem luz, sem saneamento e sem água indicam a presença de um prefeito ladrão. Idem a peste, a fome, os deslizamentos dos morros, os lixões. Os municípios mais pobres recebem verbas dos governos estadual e federal.

Não vote em prefeito que mudou de residência durante o cargo, e cujo endereço você desconhece.

Procure conhecer o passado do seu candidato e o presente. Vote no futuro da sua cidade, pelo seu bem e a felicidade de todos os munícipes.

Não venda seu voto, não venda sua alma ao diabo.

Todo prefeito ladrão comanda uma quadrilha de vereadores

Verbas federais somem ao chegar a prefeituras, diz MPF

Somem. Neologismo para roubalheira, ladroagem, corrupção, enriquecimento ilícito, tráfico de moedas e safadezas mil.

Somem. Porque falta justiça.
Somem. Porque os governos estaduais e federal não fiscalizam.
Somem. Porque ninguém prende ladrão de colarinho (de) branco.

Somem as verbas. Os ladrões continuam com as chaves dos cofres e as senhas das contas bancárias das prefeituras.

Somem. Porque existe a cumplicidade das câmaras municipais.

Cidade com prefeito ladrão. Cidade com uma maioria de vereadores safados, vendidos, quadrilheiros, porcalhões, sebosos, parasitas, bandidos, traidores do povo e cabos eleitorais do crime pra lá de organizado nos palácios das capitais.