Prefeito e ex-prefeita de S. João da Barra denunciados por formação de quadrilha. Justiça pode decretar prisão de Neco e Carla Machado

Carla Machado e Neco pegos pela Operação Machadada, da Polícia Federal, agora foram denunciados pela Procuradoria Geral Eleitoral
Carla Machado e Neco pegos pela Operação Machadada, da Polícia Federal, agora foram denunciados pela Procuradoria Geral Eleitoral

Não me surpreende esta notícia da denúncia da Procuradoria Geral Eleitoral por formação de quadrilha e corrupção eleitoral (compra de votos), que está reproduzida abaixo. Aqui no blog mostrei os absurdos e crimes eleitorais praticado pela ex-prefeita Carla Machado (PMDB) e seu sucessor, Neco.

Aliás, Carla Machado foi presa pela Polícia Federal durante a Operação Machadada, na eleição. No momento está solta porque pagou fiança de R$ 50 mil, mas em breve tem tudo para voltar para trás das grades junto com seu sucessor. É mais um prefeito do PMDB que vai terminar cassado. Vejam vocês que da última eleição, tomaram posse em janeiro deste ano, quatro prefeitos do PMDB já foram cassados pela Justiça Eleitoral. Neco deve ser o próximo, mas tem outros na lista.

A eleição foi tão roubada em S. João da Barra, que pasmem, o município tem hoje mais eleitores que moradores. Isso porque muita gente levou dinheiro para transferir o título eleitoral para lá. E a compra de votos foi escancarada.

O povo de S. João da Barra já está preparado porque em breve Carla Machado, Neco e companhia devem mudar de endereço e passar uma temporada atrás das grades.

(Transcrito do blog de Garotinho)

Primeira morte de jornalista no hemisfério norte em 2013 tinha que ser no Brasil

Um jornalista brasileiro foi morto com quatro tiros, próximo do prédio onde trabalhava, no final da noite de terça-feira, no município de São João da Barra, no norte do estado do Rio de Janeiro, revelou hoje a polícia.

Renato Machado Gonçalves, de 41 anos, era radialista e um dos sócios da Rádio Barra FM e, segundo testemunhas, os tiros foram disparados por dois homens que passaram numa motocicleta.

O jornalista foi atingido com quatro balas no peito e chegou a ser transportado para um hospital próximo, mas não resistiu aos ferimentos.

Os motivos do crime estão ainda a ser investigada pela polícia.

Em nota, a ONG Repórter sem Fronteiras aponta que o caso figura como a primeira morte de jornalista no hemisfério norte em 2013 e ressalta a necessidade de maior proteção aos jornalistas brasileiros.

No texto, a ONG recorda ainda a situação de outros dois profissionais brasileiros que tiveram recentemente que deixar o país ao receber ameaças ligadas ao seu trabalho – André Caramante (que já retornou ao país) e Mauri König, quem teve de deixar sua residência após receber ameaças de mortes por conta de uma série com denúncias sobre corrução na policial no sul do Brasil.

 (Jornal de Notícias, Portugal)
Renato Machado
Renato Machado
Informa Luiz Gustavo Pacete: Colegas de Gonçalves afirmam que ele havia se envolvido em uma confusão na Câmara da cidade durante as eleições municipais de outubro de 2012. Um amigo relata que o jornalista começou uma discussão com um vereador e logo depois foi agredido por pessoas que acompanhavam o político.
Pessoas próximas de Gonçalves contam que o jornalista sempre foi polêmico e com frequência se envolvia em confusões.
Ricardo Gama, polêmico blogueiro do Rio de Janeiro e que sofreu um atentado há dois anos, disse em um vídeo na internet que a morte de jornalistas está sendo banalizada. “Matar um jornalista, com todo respeito às demais profissões, é um atentado à liberdade de expressão. Não existe democracia sem imprensa livre. Jornalista sendo abatido assim do nada é grave”.
O blogueiro também chamou atenção para a impunidade no estado. “Meu caso está mofando na gaveta, não me recordo de nenhum caso de jornalista assassinado que tenha sido esclarecido, ou seja, a impunidade é total”.
No Blog do Garotinho:  Desde que a agora ex-prefeita Carla Machado assumiu a prefeitura de São João da Barra, o município passou a frequentar as páginas policiais. Eu mesmo aqui no blog revelei com exclusividade uma gravação atestada por perícia onde Carla Machado contratava um pistoleiro para dar uma surra e calar uma desafeta.

Pessoas a mando de Carla Machado e com o apoio de policiais militares passaram a ameaçar e expulsar pequenos produtores rurais para o governo Cabral desapropriar uma área cedida ao empresário Eike Batista.

Às vésperas da eleição de outubro, Carla Machado e o atual vice-prefeito foram presos pela Polícia Federal na Operação Machadada por compra de votos e de políticos. Inclusive o atual prefeito Neco (PMDB) certamente perderá o cargo quando o caso for julgado.

Agora o assassinato do dono da rádio comunitária Barra FM. O secretário Beltrame deveria colocar uma UPP para “pacificar” São João da Barra.

São João da Barra. Quem é o Samuca da prefeita Carla Machado?

Pela conversa de Samuca com a prefeita Carla Machado, de São João da Barra, ficamos na dúvida:

Se Samuca, além de ser assassino de aluguel, é um agenciador de pistoleiros na região Norte Fluminense do Estado do Rio de Janeiro.

Samuca matador,  que se faça a contagem dos crimes dele. Mas tudo indica que é um intermediador de contratos. Assim sendo, muita coisa ele sabe sobre mortes encomendadas: nomes de contratantes (empresários, políticos, governantes) e de pistoleiros.

Samuca precisa ser investigado, pela possibilidade da elucidação de vários assassinatos, inclusive de jornalistas.

Mas Samuca, o bandido que Carla Machado chama de “meu bichinho”, continua uma misteriosa figura do submundo do crime.  Ninguém fala nada. Sobrenome, cidade que mora, patrimônio, amizades. Dele se conhece apenas a voz.

Escreve o deputado Anthony Garotinho:

“PREFEITA QUE CONTRATOU CAPANGA PARA ESPANCAR MULHER ATÉ A MORTE NÃO NEGA GRAVAÇÃO, MAS DIZ QUE VAI ME PROCESSAR
Prefeita de S. João da Barra, Carla Machado
Prefeita de S. João da Barra, Carla Machado

Muitos leitores do blog ficaram assustados com a gravação da prefeita de S. João da Barra, Carla Machado encomendando uma surra até a morte de uma assistente social lotada na APAE daquele município. Não sou irresponsável e nem omisso. Recebi esta gravação e antes de torná-la pública mandei periciar a fita, que comprovou a autenticidade da voz da prefeita e que não havia nenhuma montagem. O que fazer então? Se não tornasse o caso de conhecimento público e comunicasse o fato à delegacia de polícia de S. João da Barra e ao Ministério Público, amanhã caso ocorresse uma tragédia na vida dessa assistente social eu seria responsabilizado.

A prefeita em entrevista numa rádio local disse que o fato é antigo, mas não negou a autenticidade. Foi além, e disse que hoje a assistente social é sua amiga e ocupa um cargo de confiança na prefeitura. O fato é que a gravação é autêntica e a prefeita, seja em que data for, como vocês poderão ouvir na gravação, não só encomenda como detalha local, dia e hora em que a assistente social deveria ser abordada para ser espancada até a morte”.

Lenilce deu entrevista dizendo que nunca deu “bola para o cd, porque está mal feito, e nunca aconteceu nada” com ela. Que ora exerce um cargo de confiança na prefeitura.
Isso prova que continua viva. Bem viva!
Já o Samuca ninguém sabe se  virou, também, amigo de Lenilce ou se morreu de morta morrida, ou matada, ou voluntária.
O governador Sérgio Cabral, várias vezes apresentado como ladrão por Garotinho, podia mandar a polícia dele investigar a vida obscura de Samuca, para ajudar Carla no processo. Idem o secretário José Mariano Beltrame, também denunciado por Garotinho como comandante de uma “negociata” de R$ 363 milhões,  nem precisava receber ordem do chefe.
A pergunta que deve ser feita: – Por que a prefeita Carla Machado sabia que Samuca era capaz de matar e conhecia pessoas prontas para realizar o “serviço” (termo usado na conversa, que Lenilce desconhece o significado).
Leia os ofícios do deputado Anthony Garotinho à promotora Patrícia de Monteiro Alves Baranda de São João da Barra, e ao delegado Carlos Alberto de Andrade Souza.

Rio+20. O desenvolvimento sustentável do Rio de Janeiro e Espírito Santo ameaçado pela Eikelândia em São da Barra

Praia de Atafona
Praia de Atafona

Superporto do Açu, em São Joao da Barra, uma ameaça para os Estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo
Superporto do Açu, em São Joao da Barra, uma ameaça para os Estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo

A beleza roubada de lagoas,

Porto de Açu. Veja que agressão
Porto de Açu. Veja que agressão

praias, bosques e matas

O projeto do porto. Os nomes que dão medo...
O projeto do porto. Os nomes que dão medo…

A organização da Rio+20 vai propor ao governo do Rio que entre os dias 20 e 22 de junho seja feriado. Que delegações visitem São João da Barra.  Que os 50 mil participantes deste evento internacional, em defesa do Planeta, analisem o projeto megalomaníaco da Eikelândia, que começou com a desapropriação de 400 fazendas.

A Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, será realizada de 13 a 22 de junho de 2012, na cidade do Rio de Janeiro. A Rio+20 é assim conhecida porque marca os vinte anos de realização da Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (Rio-92) e deverá contribuir para definir a agenda do desenvolvimento sustentável para as próximas décadas.

A Conferência terá dois temas principais:

  • A economia verde no contexto do desenvolvimento sustentável e da erradicação da pobreza; e
  • A estrutura institucional para o desenvolvimento sustentável.ECONOMIA VERDEEconomia verde inclusiva, produção rural sustentável e preservação da água são prioridades ambientais dos oito países que integram a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) que serão apresentadas durante a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20), de 13 a 22 de junho, no Rio de Janeiro. O documento com a proposta dos países lusófonos é resultado da 5ª Reunião dos Países da CPLP, na Ilha do Sal, em Cabo Verde. O chefe da Assessoria Internacional do Ministério do Meio Ambiente (MMA), Fernando Coimbra, liderou a delegação brasileira na reunião, que contou com a participação de representantes dos ministérios do Meio Ambiente de Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe, Timor-Leste e Brasil.

    “O encontro foi preparatório para a Rio+20, com discussões abertas em busca do fortalecimento ambiental e social da comunidade dos países de língua portuguesa”, destaca o gestor do Departamento de Combate à Desertificação da Secretaria de Extrativismo de Desenvolvimento Rural Sustentável do MMA, Ricardo Padilha, um dos representantes do Brasil na reunião. Entre os temas que serão levados à Rio+20 estão o uso, o abastecimento e a melhoria da oferta de água nas grandes metrópoles mundiais. Também será abordada a necessidade de equilíbrio do ecossistema e mitigação dos gases de efeito estufa.

    ECONOMIA AZUL

    Como parte das discussões sobre água, a comunidade lusófona defendeu atenção especial à economia azul, setor representado hoje pela preservação da água, oceano, rios, e nascentes, além dos recifes. A proposta inclui a manutenção da biodiversidade nas costas como meio de garantir o equilíbrio do ecossistema marinho. “A posição do Brasil e demais representantes da CPLP é de preocupação tanto com a qualidade ambiental do continente quanto dos mares, além do combate à acidez nos oceanos, reflexo do aumento das emissões de CO2″, explica Padilha. Ele destacou também a economia verde inclusiva na pauta de deliberações.

    A segurança alimentar, por meio do fomento à produção sustentável da agricultura familiar, foi consenso nas discussões, com a inclusão do tema no documento que será levado à Rio+20. Segundo Padilha, o Brasil e os outros sete países da comunidade de língua portuguesa querem reforçar o desenvolvimento sustentável da agricultura familiar em todo o mundo, como garantia para uma vida saudável. Todos os representantes da CPLP defendem a segurança alimentar como ação prioritária para o crescimento sustentável de qualquer nação.

    AMEAÇAS DA EIKELÂNDIA
    O projeto da Eikelândia ameaça as economias azul e verde. Começou pelas desapropriações não investigadas em São João da Barra. Ameaça a economia azul não só do Estado do Rio de Janeiro, mas do Estado do Espírito Santo.
    Para encobrir a beleza roubada de São da Barra, as páginas na internet, da Prefeitura e da Câmara Municipal foram desativadas.
    Para criar um clima do que agora é tarde, o mal está feito, Eike Batista simulou o laçamento de pedras fundamentais de usinas de aço e cimento, e o governador corrupto do Rio Janeiro, Sérgio Cabral, mandou a Polícia Militar que comanda, destruir casas e plantações em dezenas de fazendas.
    A prefeita Carla Machado fez solenidade para condecorar Eike Batista pelos benefícios recebidos da Prefeitura de São João da Barra.
    Procure ficar informado sobre este assalto, crime que ainda pode ser contido. Não importa se no todo ou em parte.
    Será que o dinheiro do homem mais rico do Brasil compra tudo? Comprou o governo do Rio associado da Delta Construções. Também comprou a justiça?
    Algum deputado da oposição a Sérgio Cabral vai se pronunciar? E as ONGs e fundações ambientalistas?
PRINCIPAIS PRAIAS DE SÃO JOÃO DA BARRA
A beleza ameaçada pela X ganância da Eikelândia, um projeto que visa construir um porto e usinas que transformarão São João da Barra, em barras de aço, em barras cimento, em barras de ferro, em barras de ouro para Eike Batista.A beleza da natureza não tem preço. A beleza de São João da Barra não pode ser vendida por trinta moedas.

Praia de Atafona

O nome Atafona é de origem indígena e significa moinho de vento. Atafona possui o segundo maior delta do país e o terceiro clima medicinal do mundo. É em Atafona também, que ocorre o processo de transgressão do mar, que consiste na invasão do mar sobre o continente. O mar exibe sua força e impressiona  moradores e turistas.

 

Praia de Grussaí

O nome Grussaí vem do pequeno caranguejo chamado grauçá, também conhecido como espera maré. É nesta praia que costuma acontecer diversos shows no período de verão, atraindo diversas pessoas.


 Praia do Chapéu do Sol

Nome colocado por moradores de Atafona e veranistas no início do século XX, pois neste local várias pessoas colocavam chapéu de praia para evitar o sol, daí então o nome de Chapéu de Sol. Este local também é conhecido como hospital espiritual, estimulando fenômenos de cura e aparição de UFOs.


Praia de Iquipari

Com o nome característico indígena, Iquipari possui mar e lagoa, com mata preservada e fauna nativa. É ainda ideal para a pesca de anzol e contato maior com a natureza.


 Praia do Açu

Nome originado de moradores nativos da região, possui mar ideal para pesca de anzol e de rede.

 

São João da Barra possui 32 km de belas praias! Que não podem ser destruídas pela ganância do trio Eike Batista, Sérgio Cabral e Carla Machado

Eike Batista vai desmatar São João da Barra e destruir belas praias do Rio de Janeiro

Paulo Magalhães, membro da Quercus, investigador em Sociologia na Universidade Nova de Lisboa e autor do livro “O condomínio da Terra – Das alterações climáticas a uma nova concepção jurídica do Planeta”, alerta:

– Temos de inverter valores. Uma floresta só entra no PIB de um país quando é transformada em madeira, quando está viva vale zero.

É o que acontece em São João da Barra com as matas e bosques e propriedades rurais desapropriadas pelo governador Sérgio Cabral e a prefeita Carla Machado. Trata-se de uma doação para Eike Batista construir uma siderúrgica e um porto, em  Barra do Açu.

BELEZA ROUBADA POR EIKE BATISTA

Barra do Açu
Barra do Açu
O límpido mar da Praia do Açu
O límpido mar da Praia do Açu
Praia virgem do Açu
Praia virgem do Açu

Com a cumplicidade do governador corrupto Sérgio Cabral e da prefeita bandida Carla Machado, Eike Batista vai destruir praias, poluir o mar e o Rio Paraíba do Sul, devastar o que resta da Floresta Atlântica. Matas e bosques vão passar pela serra elétrica.

Formado em Direito, Paulo Magalhães integra a equipa da associação ambientalista Quercus que está a ultimar a proposta que vai levar à próxima conferência das Nações Unidas sobre Ambiente, a Rio+20. O nome é tudo: esta conferência (que se realiza em Junho de 2012) acontece 20 anos depois da famosa Cimeira da Terra, também no Rio de Janeiro. Foi nessa altura que se abordou pela primeira vez à escala das Nações Unidas a questão das alterações climáticas.

Uma Cimeira de Copenhaga (2009) falhada depois, a economia verde deixou de ser uma ideia para se ir pensando e tornou-se uma urgência. O que a Quercus sugere é que se tome medidas à escala global para mudar o paradigma econômico, reorientando o Mundo para a economia verde, à luz de um princípio de justiça universal. Um sistema em que se lucra ao contribuir para o bem comum e se paga pelo prejuízo causado – o chamado eco-saldo.

“Tem de haver um suporte jurídico global que seja a base para esta contabilidade”, refere Paulo Magalhães. No final do processo, a Terra seria gerida como um condomínio, isto é, um lugar que é de todos, com a vigilância das regras a caber a uma Organização Mundial do Ambiente. Isto contraria a competitividade histórica da Humanidade, admite. “O grande desafio deste século é organizar a interdependência ecológica”, refere.

Esperamos que Eike Batista e Sérgio sejam denunciados na Rio + 20. Se a política do arrasa da natureza, do aniquilamento do meio-ambiente de Eike bundinha de ouro e do governador Sérgio Cabral não for discutida, para que realizar a Conferência, particularmente no Rio de Janeiro?

Que São João da Barra seja salva! De que vale uma São João da Barra de Ferro, da Barra de Aço e da Barra de Cimento? Uma São João da Barra de Ouro apenas faz Eike Batista mais rico.

Corrupção e pistolagem em São João da Barra. A primeira vez ninguém esquece

Prefeita Carla Machado
Prefeita Carla Machado

A prefeita Carla Machado, de São João da Barra, deve muitas explicações sobre o contrato, que selou, para matar uma assistente social da Apae.

Fica claro, bem explícito, que conhecia o covil de malfeitores, e tinha uma antiga e íntima relação com um bandido.

Tanto que chegou no bar ou boteco e, na primeira fala para o Samuca, diz:

“Que que (sic) está havendo, meu bichinho, que você tá diferente comigo”.

Chama de “meu bichinho”, nada mais amoroso.

Samuca dá uma desculpa besta para a impassibilidade.

Quem fala é uma prefeita (uma autoridade) para um criminoso (um indivíduo qualquer), que está vendendo cerveja para um bando de alcoólatras. Gente do submundo. Num local barra pesada. Não se sabe se Samuca é o dono ou mero garçom do botequim reles. Tudo indica que as duas coisas.

Samuca larga uma desculpa besta para o desprezo.  E responde com a mesma intimidade. Fica constatado que conhece a prefeita até demais:

“Não tá havendo nada não, Carla. Eu só tava com dor de cabeça na hora que você chegou”.

A prefeita esperava ser recebida com o sorriso de Eike Batista. Encontrou um Samuca de cara fechada.

CARLA CONHECE A PROFISSÃO SECRETA DE SAMUCA

A prefeita abre o jogo. Isso imediatamente. Sem rodeios.

Carla: “Eu vim aqui conversar com você (sic) se você pode dar uma surra numa pessoa”.

Samuca: “Uma surra? Em quem?”

Carla: “Mas tem que ser até a morte (risos)”.

É muita frieza, uma proposta de assassinato ser feita com sorrisos de prazer, de contentamento, de gozo antecipado.

POR QUE MATAR UMA ASSISTENTE SOCIAL?

Samuca: “Quem é a pessoa?”

Carla: “Ela trabalha lá na Apae. É assistente social”

Samuca: “Entendi”.

Qual o interesse da prefeita em eliminar uma assistente social? Fala-se que se trata de uma profissional que trabalha com moradores das terras que a prefeitura está desapropriando para Eike Batista. Vários moradores estão sendo assistidos e aconselhados pela Apae. Um trabalho que incomoda os planos milionários da prefeita, e bilionários de Eike Batista.

MAIS PESSOAS ENVOLVIDAS NA EMPREITADA

Carla Machado explica com detalhes como o crime está planejado, e fornece informações que obteve via pessoas que usou para espionar a vítima, o marido e o filho da vítima. Idem  locais de trabalho, residência, toda a vida de uma família que, covarde e cruelmente, programou destruir.

Samuca aprova a trama assassina.

Carla: “Isso, por isso gosto de conversar com você Samuca, você entende da situação”.

Este prazer da prefeita “por isso gosto de conversar com você”, sinaliza conversas outras entre os dois criminosos; e  “você entende da situação”, pode ser mais que um elogio, e sim uma referência a outras empreitadas realizadas”.

O INSTINTO ASSASSINO E PERVERSIDADE

Carla: “Você espanca ela, mas deixa ela bem caída”.

Samuca: “Mas Carla, não é até a morte, né?”

Carla: “Não, mas se caso acontecer, eu vou fazer o quê? Se caso acontecer, aconteceu”.

Samuca: “Tá certo”.

Carla: “Aí você pega, faz isso,  espanca ela, dá nela…”

 SAMUCA É UM MATADOR OU UM AGENCIADOR?

Carla: “Não é você que vai fazer o serviço. Você quer falar para mim, Samuca? Você vai mandar uma pessoa fazer”.

Samuca: “É, mas como eu falei com você, isso é comigo, né?

Carla: “Quando você me cobraria para fazer esse serviço?

Samuca: “É dois mil. Dois mil. Não é até a morte, né?”

Carla: “Não. Mas se acontecer… fazer o quê, né?”

TUDO TEM A PRIMEIRA VEZ

Este foi o primeiro contrato da prefeita Carla Machado?

Esta foi a primeira empreita do Samuca?

As respostas ficam para a polícia do governador Sérgio Cabral, para o judiciário do Estado do Rio de Janeiro, para os políticos e empresários que dependem do apoio e favores da prefeita, e para o povo de São João da Barra.

Veja gravação da conversa de Carla com Samuca

Veja quanto a prefeita gasta para limpar as sujeiras

A prefeita responde a vários processos de corrupção. Roubou até o dinheiro da festa do santo padroeiro da cidade:

“Num levantamento recente, com base em convênios firmados pelo Ministério do Turismo, o governo identificou irregularidade em dezenas de contratos com municípios e entidades diversas, inclusive para a realização das tradicionais festas de São João. Já são mais de R$ 13 milhões sendo cobrados de prefeituras. Entre os municípios reprovados, São João da Barra, no Rio de Janeiro, recebeu mais R$ 500 mil para organizar o 6o Circuito Junino. Os responsáveis, segundo a CGU, não apresentaram documentos para comprovar o correto uso de todo o dinheiro” (revista Época).

Produtores rurais são retirados à força de terras em São João da Barra. Veja vídeo. É muita violência. Bandidagem legal. Uma nova Pinheirinho de São José dos Campos. Um imenso Pinheirinho. Compreendendo matas nativas, bosques, pequenas e médias fazendas, lagos e praias.  Este o Brasil que vivemos para que Eike Batista fique cada vez mais rico. Malditos sejam. São terras desapropriadas pelo governador Sérgio Cabral e pela prefeita Carla Machado. Para aproveitadores nacionais e internacionais. E como ninguém faz nada de graça… vai ser um desmatamento com muito toco. Disse Eike, que ele e mais trinta empresários nacionais e estrangeiros vão investir 40 bilhões. E quanto vale cem quilômetros de praias?

Eike Batista envolvido em uma trama assassina. Prefeita Carla Machado, de bebança em um bar, contrata pistoleiro que chama de “meu bichinho”

Prefeita Carla Machado
Prefeita Carla Machado

Eike Batista, o homem mais rico do Brasil, aparece em um negócio de terras. Quem denuncia é o deputado federal Anthony Garotinho, ex-governador do Rio. Ele não explica a história, mas prova como a prefeita Carla Machado, de bebança com um pistoleiro, contrata o assassinato de uma assistente social da Apae. De nome Lenilse

É uma conversa safada, melosa, íntima demais, carinhosa, cheia de “meu bichinho” pra cá, “meu bichinho” pra lá. Só essa amizade bandida, de prefeita bêbada em um bar com um seboso, constitui uma baita falta de decoro. Basta isso para ser cassada. Desde que existam vereadores com moral para tanto.

Revelada, a trama assassina passa a ser um caso de polícia. E da justiça. Trata-se de uma morte que precisa ser evitada.

A MORTE ANUNCIADA DE UMA FUNCIONÁRIA DA APAE

Tramar a morte de uma pessoa, contratar um assassino, pode não ser crime no Estado do Rio de Janeiro.

Pelo papo de mesa de bar não sei quem é mais bandido: se a prefeita se o parceiro. Um pelo outro não quero troca.

Esse Samuca precisa ter o passado investigado. Um passado que a prefeita conhece. Ninguém contrata qualquer um para bater, torturar e matar uma pessoa. O Samuca é um profissional.

Eis a conversa e risadinhas dos dois criminosos:

Escute. Clique aqui. Trata-se do planejamento de um crime de morte violenta. Cruel. Matar de pancadas. E para espanto nosso, a triste realidade de saber como se tornou fácil contratar um pistoleiro no Estado do Rio de Janeiro, terra sem governo e lei, das chacinas e das milícias.