Quando o povo existe para a imprensa que mente

O povo sabe diferenciar o que é e não é notícia, porque ama a verdade.

Os jornais brasileiros mentem, e perdem leitores. Deixaram a informação de lado pra fazer propaganda dos interesses dos seus proprietários.

As manchetes dos jornais de hoje são vergonhosas. Venderam a notícia de que o povo foi pra rua, ontem, para pedir o fora Dilma, e o retorno da ditadura militar.

O Jornal do Comércio do Recife informa que 450 mil protestaram nesta domingo 12 de abril, nas ruas de todas capitais.  E informa que, apenas nas escolas de pernambuco,  "temos 650 mil alunos sem aulas". Teve jornais que noticiaram uma multidão de 100 mil na cidade de São Paulo
O Jornal do Comércio do Recife destaca que 450 mil protestaram neste domingo, 12 de abril, nas ruas de todas capitais. E informa que, apenas nas escolas de Pernambuco, “temos 650 mil alunos sem aulas”. Os jornais noticiaram uma multidão de 100 mil na cidade de São Paulo
A Gazeta de Vitória contou 30 mil pessoas. Qual foto tem mais gente
A Gazeta de Vitória contou 30 mil pessoas. Qual foto tem mais gente?
A Folha de São Paulo ora conta para mais ora para menos...
A Folha de São Paulo ora conta para mais ora para menos…

 

O Zero Hora de Porto Alegre parte para a comparação. E aumenta os 100 mil da Folha de S. Paulo para 250 mil
O Zero Hora de Porto Alegre parte para a comparação. E aumenta os 100 mil da Folha de S. Paulo para 250 mil

manifestação  estatística multidão pm

Multidao mentira

Acontece que o povo não apóia os partidos da extrema-direita e direita, PSDB e PMDB, que votaram a terceirização, o emprego indireto e precário, o trabalho escravo.

Destaca a Veja, que vem perdendo leitores:

Mãe publica foto de biquíni na internet e tem quase 500 mil curtidas; entenda o motivo

mãe

Mãe de três filhos, a americana Rachel Hollis estava de férias com o marido em Cancun quando ela pediu para ele tirar uma foto sua, aproveitando o sol e a areia branca, num biquíni laranja incrível. Feito o clique, a moça percebeu que a imagem mostrava as marcas deixadas pelos nascimentos de seus filhos em sua barriga.

Foi então que ela resolveu compartilhar a imagem em seu Facebook, junto com uma impactante mensagem sobre amor próprio:

“Eu tenho estrias e eu uso um biquíni.
Eu tenho uma barriga que é permanentemente flácida de carregar três bebês gigantes e eu uso um biquíni.
Meu umbigo é caído (e isso é algo que eu nem sabia que era possível) e eu uso um biquíni.
Eu uso um biquíni porque eu tenho orgulho do meu corpo e cada marca nele.
Essas marcas provam que eu fui abençoada por carregar meus filhos e a flacidez comprova que eu batalhei para perder peso.
Eu uso um biquíni porque o único homem cuja opinião importa sabe pelo que eu passei para ser assim.
E este mesmo homem diz que ele nunca viu nada mais sexy que o meu corpo, com marcas e tudo mais.
“Elas não são cicatrizes. São listras amigas, e você as mereceu.
Exiba seu corpo com orgulho“

Rachel-Hollis

Veja vídeo

Acontece com a nudez. Que pode ser indecente, pornográfica, humilhante, mas que pode ser também uma exaltação à beleza, glorificante e divina. Leia aqui O Vermelho e o Cinza

Assim são todas as marcas do corpo. Notadamente as marcas do tempo.

caras e bundas

Marlene Senna divulgou esta foto, no Facebook, das manifestações desde domingo 12 de abril, pelo retorno da ditadura, indagando: “Terceirizaram as roupas das gúrias?…”

 

Senador Aloysio xinga e manda prender blogueiro

Blogueiro acusa Aloysio de envolvimento do cartel dos metrôs em São Paulo, que reage: ‘vai pra PQP’

Blogueiro abordou senador e questionou cartel
Blogueiro abordou senador e questionou cartel
Aloysio assinou requerimento de abertura de CPI para investigar cartel em São Paulo, mas depois retirou o nome
Aloysio assinou requerimento de abertura de CPI para investigar cartel em São Paulo, mas depois retirou o nome

 

por Heitor Mazzoco/ Diário da Região/ Rio Preto

 

O senador rio-pretense Aloysio Nunes Ferreira (PSDB) considera ter sido “vítima” do blogueiro Rodrigo Pilha, ex-assessor de uma deputada do PT, que o teria provocado ao questionar suposto envolvimento no cartel dos metrôs em São Paulo. Após fazer o questionamento ao senador, Pilha foi xingado: “Vai pra puta que o pariu. Vou te meter o cacete”, disparou Aloysio, que depois deu ordem de prisão ao militante.

Em vídeo divulgado na internet, Grassi aborda Aloysio nas galerias do Congresso Federal e pergunta sobre a importância das Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs).

Na sequência, pergunta o que levou o PSDB a arquivar 70 CPIs no governo de São Paulo. Aloysio disse que existem outros meios de investigação e encerra a entrevista. Pilha, então, fala sobre o suposto cartel de metrô e diz que o senador é suspeito. “Vá pra puta que pariu”, gritou o tucano, que ainda o chamou de “vagabundo”. Correndo, Pilha responde questionando o PSDB. “O que é isso? O senhor está querendo me agredir. Essa é a liberdade de imprensa do seu partido? Vai para a internet”, afirma.

O Diário entrou em contato com a assessoria de Aloysio solicitando uma entrevista, mas não obteve retorno. Por meio de nota em seu site oficial, o tucano disse que foi ofendido com grave injúria. “Fui vítima do ex-assessor da deputada do PT Erika Kokay (DF), Rodrigo Grassi. Sob o pretexto de me entrevistar a respeito de Comissões Parlamentares de Inquérito, ofendeu-me com uma grave injúria, uma acusação mentirosa e insuportável. Diante da ofensa, tentei segurá-lo até que a segurança do Senado acudisse”, disse.

Pelo microblog Twitter, Aloysio disse ainda que o vídeo postado por Grassi foi editado para prejudicá-lo. O ex-assessor ficou conhecido por ofender o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, em um restaurante de Brasília.

O Diário procurou o líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), que informou que, até então, nenhuma medida seria tomada, por meio de assessoria. Nesta quarta-feira, 7, Aloysio assinou requerimento de abertura de CPI para investigar cartel em São Paulo, mas depois retirou o nome, dizendo que assinou na esperança de que contratos da Alstom em outros estados, como Distrito Federal e Bahia, também seriam investigados.

 

As palavras do senador pornográfico correm pela internet
As palavras do senador pornofônico correm pela internet
VEJA CARICATURA DO SENADOR
VEJA CARICATURA DO SENADOR