Leminski amanhã no Recife Antigo

Um Catatau de Performances começa neste sábado 17, às 17 horas, na Torre Malakoff, no Recife Antigo, a partir da exposição Múltiplo Leminski, e de sua obra poética e musical, com a participação de Pedro Silveira, Leminar, Patrícia Casavelha, Ronaldo Pereira e El Maria.

Leminski
Leminski

In Wikipédia: Paulo Leminski é dono de uma extensa e relevante obra. Desde muito cedo, Leminski inventou um jeito próprio de escrever poesia, preferindo poemas breves, muitas vezes fazendo haicais, trocadilhos, ou brincando com ditados franceses.

Na década de 1970, teve poemas e textos publicados em diversas revistas. Em 1975, lançou o seu ousado Catatau, que denominou “prosa experimental”, em edição particular. Além de poeta e prosista, Leminski era também tradutor (traduziu para o castelhano e o inglês alguns trechos de sua obra Catatau, a qual foi traduzida na íntegra para o castelhano).

Na poesia de Paulo Leminski, por exemplo, a influência da MPB é tão clara que o poeta paranaense só poderia mesmo tê-la reconhecido escrevendo belas letras de música, como Verdura.

 

Músico e letrista, Leminski fez parcerias com Caetano Veloso, o grupo A Cor do Som e o a banda de punk rock Beijo AA Força4 entre 1970 e 1989. Teve influência da poesia de Augusto de Campos, Décio Pignatari, Haroldo de Campos, convivência com Régis Bonvicino, Gilberto Gil, Caetano Veloso, Moraes Moreira, Itamar Assumpção, José Miguel Wisnik, Arnaldo Antunes, Wally Salomão, Antônio Cícero, Antonio Risério, Julio Plaza, Reinaldo Jardim, Regina Silveira, Helena Kolody, Turiba, Ivo Rodrigues2 .

A música estava ligada às obras de Paulo Leminski, uma de suas paixões, proporcionando uma discografia rica e variada.

Entre 1984 e 1986, em Curitiba, foi tradutor de Petrônio, Alfred Jarry, James Joyce, John Fante, John Lennon, Samuel Beckett e Yukio Mishima, pois falava 6 línguas estrangeiras (inglês, francês, latim, grego, japonês, espanhol). Publicou o livro infanto-juvenil ‘’Guerra dentro da gente’’, em 1986 em São Paulo.

Entre 1987 e 1989 foi colunista do Jornal de Vanguarda que era apresentado por Doris Giesse na Rede Bandeirantes;

Paulo Leminski foi um estudioso da língua e cultura japonesas e publicou em 1983 uma biografia de Bashô. Sua obra literária tem exercido marcante influência em todos os movimentos poéticos dos últimos 20 anos.

 

Programa grátis 

17 de maio – 17:00
“Bicho Alfabeto” – Pedro Silveira e Lenimar
“Lê-me: Leminski” – Patrícia Casavelha
“Meiaspalavrasinteiras” – Ronaldo Pereira e El Maria, convidado especial José Everson

 

 

24 de maio – 17:00

“Curto-circuito” – Afonso Oliveira
“Onde Vou?” – Simone Santos
“Cesta Cheia de Sexta” – Laysa Fernanda
“Que Tudo Passe e Passe Muito Bem” – Mitafá e El Maria

El Maria
El Maria

 

QUE TUDO PASSE

passe a noite
passe a peste
passe o verão
passe o inverno
passe a guerra
e passe a paz

passe o que nasce
passe o que nem
passe o que faz
passe o que faz-se

que tudo passe
e passe muito bem

(Paulo Leminski)

Performances do Laboratório de Aprofundamento Cênico da EMAJP e do Coletivo Loucura Roubada

Coordenação de Fred Nascimento

 

Anúncios