O návio tumbeiro da escravocrata Contax já está navegando no espaço cibernético, apesar de R$ 1,5 bilhão em débitos salariais

Empresa obtém liminar contra interdição do MTE e volta a funcionar. É uma vergonha 

 

banco agiotagem escravo usurário rasha mahdi

Diario de Pernambuco – A empresa Contax, que na última terça-feira (20) tinha tido suas atividades suspensas pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), conseguiu, na manhã desta quinta-feira (22), uma liminar na Justiça do Trabalho para voltar a operar. Com a decisão, a empresa já concovou os funcionários do turno de meio-dia a voltarem ao expediente normal. A unidade de telemarketing de Santo Amaro, no Recife, que é a maior da empresa no Brasil, havia sido interditada por “problemas de ordem trabalhista”. [Esses “problemas de ordem trabalhista” escondem vários crimes de uma empresa escravocrata:

* stalking

* bullying (eleição Miss Xixi)

* assédio moral

* trabalho escravo

* salários indignos

* punições físicas

* violência contra a mulher

* tortura psicológica

* publicidade enganosa para recrutar escravos

* normas de trabalho que lembram um campo de concentração nazista

* violação de todas leis trabalhistas

* violação de todos os direitos humanos

A liminar foi obtida pela assessoria jurídica da empresa na 14ª Vara do Trabalho e, no despacho, a Justiça destacou que a Contax é a maior empregadora do Recife e que a possível perda de contratos de prestação de serviço, por conta da suspensão imposta pelo MTE, poderia acarretar em uma demissão em massa de mais de dez mil funcionários [a decisão é tão imoral, que esconde o nome do juiz responsável pela 14a. vara no lombo dos trabalhadores]

Segundo nota da Contax, o texto da liminar destaca a importância da empresa para o desenvolvimento local: “(a Contax) é a maior empregadora do município e a paralisação das suas atividades, com possibilidade de perda dos contratos de prestação dos serviços, acarretará em demissão em massa de mais de 10 mil funcionários, afetando a vida particular de cada um, gerando sofrimento e angústia destes e de seus familiares, bem como a economia da localidade, sem contar com a infinidade de impostos recolhidos” [0s escravocratas apresentavam justificativa idêntica como defesa da escravatura, e contra a Lei Áurea]

Não importam as condições de trabalho. E sim, como na escravatura legal e oficial, que os empregos sejam mantidos
Não importam as condições de trabalho. E sim, como na escravatura legal e oficial, que os empregos sejam mantidos

Ainda de acordo com a empresa, “vale ressaltar que o Grupo Contax cumpre toda a legislação trabalhista e as normas específicas para o setor de call center e se mantém aberto ao diálogo com o Ministério do Trabalho e Emprego.”[ Isso é uma informação mentirosa. O Grupo Contax não cumpre nenhuma lei trabalhista, nenhuma norma específica para o setor de call center. É uma empresa de terceirização de mão-de-obra escrava, “aberta ao diálogo”… você, leitor, sabe porquê ]

Esta decisão deve beneficiar outras senzalas da Contax. O fechamento da Contax no Recife fez parte de uma megaoperação do Ministério do Trabalho e Emprego, que durou dois anos, e atuou em sete estados, e que responsabilizou Oi, Vivo, Santander, Itaú, NET, Citibank e Bradesco por abusos trabalhistas contra mais de 185 mil pessoas que prestam serviço de teleatendimento. Ao todo, foram 932 autos de infração lavrados, R$ 318,6 milhões em multas, R$ 119,7 milhões de dívidas com o FGTS e quase R$ 1,5 bilhão em débitos salariais.

 

Leia mais. Conheça as safadezas da Contax

 

Bancários em greve e nas ruas contra autonomia do Banco Central

 

 

“A paralisação é forte em todo o país, mas é necessário que cada bancário faça sua parte para ampliá-la cada vez mais. É fundamental aumentar a pressão para que os bancos se mexam e apresentem o quanto antes proposta que atenda às reivindicações da categoria”, afirmou a presidenta do Sindicato dos Bancários em São Paulo, Juvandia Moreira.

Segundo a secretária-geral do Sindicato, Ivone Maria da Silva, os empregados estão dando resposta às instituições financeiras de que não suportam mais tanta pressão no ambiente de trabalho. “Tanto os funcionários das unidades quanto das concentrações cobram o fim das metas abusivas, querem melhores condições de trabalho e exigem ser valorizados. Também cobram mais segurança nas agências. Ou seja, é uma série de fatores que vão além das reivindicações econômicas e que precisam ser revolvidas pelos bancos”.

A CUT, sindicatos e movimentos sociais estão concentrados desde às 15h de hoje, na Avenida Paulista, contra a independência do Banco Central. “Somos contra a independência do BC porque isso significaria entregar ao mercado, aos bancos, decisões tão importantes para o país como a inflação, a moeda, taxa de juros. Questões que têm grande impacto no emprego e na vida da população e não podem estar nas mãos de apenas um setor da sociedade”, afirma Juvandia Moreira.

ato_BC_materia

 

Direito de greve – O direito de greve está previsto na Constituição Federal e prevê algumas exigências, como a publicação de aviso de greve em jornal de grande circulação. O Comando Nacional dos Bancários também encaminhou às instituições financeiras o calendário até a deflagração da greve (por lei, a greve deve ser aprovada em assembleia dos trabalhadores e, após isso, comunicada ao empregador com antecedência de 72 horas). Essas determinações da lei foram rigorosamente seguidas pelo Sindicato. Para o empregador, a Lei de Greve proíbe a dispensa de trabalhadores ou a contratação de funcionários substitutos durante o período de paralisação.

 

 

O jogo da bolsa e do bolso dos banqueiros. Para uma centena de agências que baixam, outras cem sobem.

Fazer como a Argentina, criou uma agência nacional para fazer o serviço capitalista. O sobe e desce da nota é punheta. Para o povo vai valer sempre a teoria do “nóis sofre, mas nóis goza”

A aposta do quanto pior para o Brasil, melhor para eles: os agiotas bancários e piratas de todas as bandeiras que roubam nossas riquezas.
A aposta do quanto pior para o Brasil, melhor para eles: os agiotas bancários e piratas de todas as bandeiras que roubam nossas riquezas.

 

Enriquecimento (i)lícito dos políticos e banqueiros

A desonestidade dos políticos vem sendo denunciada nas marchas dos indignados. A novidade é apresentar os banqueiros como patrões ou sócios dos governantes.

A corrupção no Brasil permanece escondida, apesar das denúncias de  casos isolados. Os grandes assaltos – leilões das estatais, proer dos bancos, tráfico de moedas etc – são encobertos pela imprensa. E pelos tribunais que facilitam a eleição de fichas sujas.

A corrupção tupiniquim constitui uma herança portuguesa com certeza. Veja gráfico. Gráfico identifico precisa ser realizado no Brasil.

Os políticos apresentam aos tribunais eleitorais suas declarações de bens. Não sei para que utilidade.

Ninguém rouba sozinho. Todo dinheiro tem origem e destino. Diferentes quadrilhas cuidam do saque, do transporte e da guarda do butim.

Fotos do povo nas ruas em Portugal.

Povo nas ruas, no Brasil, apenas quando convocado pela Globo, pelos pastores e padres eletrônicos, OAB, para enterros de políticos, passeatas pela paz em bairros de ricos, defesa dos salários além do teto de advogados, blindagem de advogados de porta de palácio, parada gay, carnaval fora de época, e shows e festivais superfaturados por prefeitos e governadores, e empresas que descontam todos os nababescos gastos nas declarações esquentadas, com notas frias, do imposto de renda.