Goiânia. Prefeito Paulo Garcia botou guardas municipais na rua pra quebrar professores no pau. Os covardes usaram até spray de pimenta

Professora Goiânia

A Guarda Civil Metropolitana (GCM) de Goiânia baixou o cacete nos servidores da Educação do município, que estão em greve desde o último dia 14.

Na manifestação de ontem, pela manhã, no Paço Municipal, 60 pessoas foram atingidas por spray de pimenta e quatro foram hospitalizadas. Durante a tarde, os grevistas se aglomeraram em frente ao Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) para prestar solidariedade aos companheiros feridos. As imagens, em fotos e vídeos, dos professores sangrando, repercutiram negativamente e revoltaram estudantes e pais.

De acordo com os servidores, a intenção era caminhar pelos corredores do Paço Municipal. O ato político havia sido decidido em Assembleia, que ocorria em frente ao local desde as 8 horas da manhã. “A Assembleia terminou por volta das 11 horas da manhã e ficou decidido que faríamos o ato político de caminhar pelos corredores do Paço”, comenta a professora Mirna Marinho Anaquiri, que é professora da Escola Municipal Bernardo Élis desde 2013.

Para a servidora pública, o sentimento era de indignação perante a truculência com a qual os grevistas foram recebidos e tratados, perante ato que se iniciou pacificamente. “Mas a nossa luta continua e não seremos parados pela violência”, afirma Mirna, que se queixava de estar com a pele de ardência e vermelhidão pelo corpo devido ao uso de spray de pimenta pela guarda.