O discriminativo fator previdenciário e o repouso do velho guerreiro

cérebro país rico povo pobre

A Câmara dos Deputados concluiu nesta quinta-feira (14) a votação da medida provisória 664, que restringe o acesso à pensão por morte. O texto segue agora para análise pelo Senado.

Pela MP, os cônjuges só poderão requerer pensão por morte do companheiro se o tempo de união estável ou casamento for de mais de dois anos e o segurado tiver contribuído para o INSS por, no mínimo, um ano e meio. Antes, não era exigido tempo mínimo de contribuição para que os dependentes tivessem direito ao benefício, mas era necessário que, na data da morte, o segurado estivesse contribuindo para a Previdência Social.

 Joen Yunus
Joen Yunus

O que vale para o trabalhador que recebe o salário mínimo ou salário piso, não vale para quem recebe o salário nas alturas nas cortes dos três poderes da nossa desigual república.

É um Brasil injusto, dividido em castas. Duvido o fator previdenciário, a chamada fórmula 85/95 seja válida para um senador, um deputado, um militar, um togado. São aposentados com proventos integrais e mais penduricalhos.

A previdência devia ser única. Para não prevalecer para a maioria dos trabalhadores um teto de merda, que atualmente é R$ 4.663,75  se a soma da idade e do tempo de contribuição resultar 85 (mulheres) ou 95 (homens). Esse teto não é sequer o salário para iniciantes em vários funções no executivo, no legislativo, no judiciário.

O fator previdenciário discrimina, diferencia, segrega, marginaliza, classifica, separa os aposentados e pensionistas em diferentes castas e classes sociais.

Para professoras, de acordo com a emenda, a soma deve ser 80 e para professores, 90. Se o trabalhador decidir se aposentar antes, a emenda estabelece que a aposentadoria continua sendo reduzida por meio do fator previdenciário.

É isso aí quero ver essa cambada reduzir a aposentadoria de um general, de um almirante, de um brigadeiro, de um senador, de um deputado federal, de um desembargador, de um fiscal de finas rendas, de um procura dor e nunca acha, de um coronel da polícia militar, de um ministro da suprema justiça, ou a pensão de um dependente dessas divinas e diferentes e excelentes criaturas, profundamente dessemelhantes dos mortais comuns que trabalham para ter um pesaroso e humilhante final de vida, e que só conseguem descanso quando estão com o pé na cova. Um descanso esfomeado e doentio e só lembrado quando a Caixa Econômica solicita, do aposentado ou pensionista, uma prova de que, apesar de tudo, do maldito tempo e de uma soma de malefícios, continua vivo, driblando a fome e a morte.

indignados pobreza itália 500 euros

Os carros de luxo do Tribunal de Justiça de São Paulo

Av. 23 de Maio, 12-35, duas conclusões- 1) tá sobrando dinheiro no Judiciário paulista, um Audi desses para servidor público, seja quem for, é um escárnio

“Avenida 23 de Maio, 12h35m de hoje, duas conclusões: 1) tá sobrando dinheiro no Judiciário paulista, um Audi desses para servidor público, seja quem for, é um escárnio; 2) tá faltando educação a quem deve dar exemplo, faixa de ônibus é para ônibus, não para quem se acha acima da lei”, escreveu Flavio Gomes na sua página no Facebook.

Comentou Marcos Simões: “Esses vermes do judiciário querem ser vistos como reis/rainhas, imunes a críticas e cobranças”.

É isso aí. Os burocratas do maior tribunal do mundo andam assim: em carros de luxo. Fico imaginando quantos carros estrangeiros estão cedidos aos desembargadores…

Em São Paulo eles são 360, isto é, os desembargadores…

MPF contra passagens para cônjuges de parlamentares

thiagolucas passagem mulheres deputados

A democracia existe quando os poderes da República podem ser fiscalizados. Esta a verdadeira harmonia entre o executivo, o legislativo e judiciário. Qualquer poder que se torna intocável se torna ditatorial.

Em nome da democracia, o Ministério Público Federal vai abrir procedimento para investigar a existência de malversação de dinheiro público na concessão de passagens aéreas para as esposas e maridos dos deputados federais, restrito a parlamentares e assessores, cuja extensão foi aprovada pela Câmara Federal na última quarta-feira (25); segundo o MPF, o pedido pode até mesmo resultar em um processo por improbidade administrativa contra a Mesa Diretora da Câmara

Pater
Pater

247 – O Ministério Público Federal vai abrir procedimento para investigar a existência de malversação de dinheiro público na concessão de passagens aéreas para as esposas e maridos dos deputados federais, restrito a parlamentares e assessores, cuja extensão foi aprovada pela Câmara Federal na última quarta-feira (25).

De acordo com o procurador da República no Distrito Federal Frederico Paiva, a utilização do benefício por parte dos cônjuges dos congressistas equivale a bancar interesses particulares com verbas públicas. Segundo o Correio Braziliense, o pedido pode até mesmo resultar em um processo por improbidade administrativa contra a Mesa Diretora da Câmara.

Após a reação negativa em torno da medida, o presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), teria dito que pode rever a decisão. “Não vejo nada demais (na regalia), mas, se a Mesa Diretora quiser rever, é um direito dela. Na próxima reunião, ela que trate (do tema). Não tem problema nenhum da minha parte”, disse.

Brum
Brum

 

Por que a impresa brasileira faz oposição ao governo grego?

A imprensa brasileira é de uma valentia arretada. Sempre está contra todos os governos que Tio Sam detesta.

Taí uma medida que conseguiu a harmonia entre os quatro poderes do Brasil (imprensa, judiciário, legislativo e executivo):

 

Poupanças do Syriza começam nos carros de luxo do Governo

 
O governo grego continua a marcar a diferença em relação aos anteriores: para além das viagens aéreas em classe económica, os ministros vão continuar a deslocar-se em transportes públicos ou nos seus próprios veículos.

Este BMW topo de gama blindado e com todos os extras é um dos carros que o Governo grego quer vender.
Este BMW topo de gama blindado e com todos os extras é um dos carros que o Governo grego quer vender.

 

O combate à despesa pública começa no Governo – terá sido a ordem dada por Alexis Tsipras mal tomou posse, referindo-se às viaturas de luxo que herdou do anterior executivo da Nova Democracia e Pasok. Segundo confirmou uma fonte do governo grego ao jornal alemão Spiegel, entre os veículos oficiais dos ministros está um BMW topo de gama com comunicação por satélite e todos os extras incluídos, cujo preço comercial ascende a 750 mil euros. O automóvel foi adquirido pelo executivo de Papandreou e continuou ao serviço de outro líder do PASOK, o ex-vice primeiro ministro Evangelos Venizelos.

Apesar de não resolver o problema financeiro, esta medida simbólica tem bastante impacto na Grécia, onde a classe política é associada à corrupção e ao nepotismo. Outra decisão do novo governo de Atenas foi a de viajar em classe turística nas deslocações aéreas, poupando mais dinheiro aos cofres públicos. Alexis Tsipras e os restantes membros do executivo grego optam por usar os automóveis particulares para as deslocações oficiais.

“Os ministros não precisam de veículos oficiais de Estado”, afirmou o vice-ministro da Reforma Administrativa Georgios Katrougalos, que é o responsável pela venda do parque automóvel do Governo. Ele próprio passará a usar o seu automóvel particular para as deslocações oficiais, disse ao jornal grego “To Vima”. À pergunta sobre a sua segurança pessoal, responde: “Para que é que eu preciso de proteção policial? Quando me apercebo que alguém me quer atirar um iogurte, afasto-me imediatamente”. Por outro lado, segundo Katrougalos, isso seria um sinal de que as pessoas já não o pretendiam como ministro, o que faria abandonar o cargo.

 

 

VARREDURA

por Talis Andrade

 

 

morte chacina Kike Estrada

 

O rico visita

o outro rico

cada um em seu palácio

cercado de grades

cercado de guardas

 

A raia miúda

entra na casa

do rico

a serviço

 

Uma legião de lacaios

varre o lixo

 

Os vigilantes

e os homens da lei

varrem o lixo

 

Varrem o caminho

retirando os intrusos

os pedintes

 

Todos varrem

os cadáveres do caminho

para os ricos passarem

sem sujar os sapatos

no sangue das chacinas

e massacres

 

Todos varrem o lixo

estendem os tapetes

vermelhos

AMORES PALACIANOS

por Talis Andrade

 

Saudades dos tempos

do Brasil romântico

Do desmaio epilético

de Pedro I

ao ver Amélia

Dos sonetos de amor purus

de Pedro II

Do desmaio apoplético

de marechal Hermes

ao ver Teffé

na luminosidade

de uma tarde

ensolarada

.

Saudades dos tempos

do Brasil romântico

João Pessoa morto

porque veio ao Recife

ao encontro venéreo

de uma cantora

de opera

.

Saudades dos amores

invertidos do ditador de 37

Dos amores secretos

do presidente que transou

o belo travesti dando

de presente a operação

de mudança de sexo

.

Saudades dos amores

do Brasil romântico

as vedetes suspirando

pelo topete de Itamar

.

Mudado moderno tempo

Os políticos disputam

no paredão do Grande Irmão

as garotas de Jeany a cafetina

de belas meninas que aliviam

o mortório semanal

de passar três dias no vazio

na solidão noturna

dos palácios de Brasília

cidade dormitório capital

do gigante adormecido

em um berço esplêndido

Amélia de Leuchtenberg
Amélia de Leuchtenberg
Nair de Teffé
Nair de Teffé

O legislativo é caro. Mas ninguém pergunta o preço da justiça

O Brasil está cheio de polícia e justiça. Tem até tribunais que não existem nas principais democracias: o Eleitoral e o de Contas.

Tem o maior tribunal do mundo: o Tribunal de Justiça de São Paulo. Com 360 (trezentos e sessenta) desembargadores.

É o país dos palácios da justiça, dos governadores, dos prefeitos, das câmaras de vereadores, das assembléias legislativas etc. E todos, e todos com suas cortes.

BRA^SC_NDF Florianópolis preço legislativo