Dias Toffoli ministro porque escondeu que era condenado da Justiça

justiça paraná

por Noelia Brito

A verdade é que o neotucano Dias Toffoli foi aprovado pelo Senado para ser Ministro do Supremo, quando já condenado, em primeira instância, por improbidade administrativa, por ser contratado sem licitação pelo governo do PSB, no Amapá.
.
Toffoli é amigo pessoal de Antônio Campos, irmão de Eduardo Campos e também advogado do PSB, tendo sido advogado do PT quando PSB e PT eram aliados.
.
O PSB migrou com imensa facilidade para o lado do Aécio, para o lado do PSDB, alguém se surpreende mesmo com a facilidade com que Toffoli migrou para o lado do tucano Gilmar Mendes, no PSDB?
.
Dentre as tucanices recentes de Toffoli uma das que mais chamaram a atenção foi seu posicionamento a favor da manutenção da campanha de Arruda mesmo depois deste ter sua candidatura cassada.
.
Outra tucanice recente de Toffoli foi sua emissão de prejulgamento sobre o uso da residência oficial pela presidenta Dilma para dar entrevistas, quando candidata à reeleição, tal qual todos os demais presidentes que a antecederam, inclusive FHC, o que valeu inclusive uma ironia da própria Dilma de que a vigorar o entendimento do meotucano Toffoli ela seria uma espécie de presidente sem teto já que o Alvorada era sua residência oficial.
.
“No último dia 8 de setembro, o juiz Mario Cezar Kaskelis, da 2ª Vara Cível e Fazenda Pública de Macapá, condenou o advogado-geral e mais três pessoas a devolverem R$ 420 mil (cerca de R$ 700 mil em valores atualizados) aos cofres públicos, em virtude da contratação irregular do escritório de Toffoli para prestar serviços ao governo do Estado durante a gestão de João Capiberibe (PSB), entre 2000 e 2002.
.
Na sentença, o juiz considerou que a nomeação de Toffoli e de seu sócio na época, o advogado Luis Telesca Mota, como “colaboradores eventuais” do governo em processos judiciais nos Tribunais Superiores feriu os princípios da impessoalidade e da moralidade administrativa.
.
Kaskelis afirmou que o processo licitatório foi “eivado por nulidades” e classificou o pagamento mensal de R$ 35 mil para que o escritório disponibilizasse apenas dois advogados como “exorbitante”.
.
Para o juiz, houve “má-fé” por parte dos réus, que saberiam das irregularidades do contrato e, portanto, teriam contribuído para o “conluio”.
.
Em outro processo sobre contrato semelhante, Toffoli foi obrigado pela Justiça a devolver R$ 19.720, mas a sentença foi anulada por decisão do TJ-AP (Tribunal de Justiça do Amapá). Os desembargadores entenderam que o advogado-geral não teve oportunidade de apresentar sua defesa, porque a notificação do processo ocorreu apenas por meio de nota em um jornal do Amapá.
.
Nessa decisão, o juiz Luiz Carlos Kopes Brandao levanta ainda o fato de que, ao mesmo tempo em que o hoje advogado-geral prestava serviços ao governo do Amapá, também defendia Capiberibe em ações de natureza pessoal no TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Desse modo, os recursos públicos teriam servido para pagar o defesa particular do governador.
.
Por meio de sua defesa, o advogado-geral nega as irregularidades e informa que já recorreu das sentenças. Em ambos os casos, Toffoli argumenta que houve cerceamento de defesa, uma vez que não teria sido permitida a entrega de documentos que comprovariam a prestação de serviços ao Estado do Amapá.”

[O título é do editor do blogue. Se Toffoli escondeu do Senado e da Presidência da República que era um condenado, sua posse como ministro bem que merece ser revista

Currículo:

– Formado pela USP

– Pós-Graduação: nunca fez

– Mestrado: nunca fez

– Doutorado: também não fez

– Concursos: 1994 e 1995

Reprovado em concursos para juiz estadual em São Paulo. Estadual e não Federal, não vá se confundir.

No julgamento do Mensalão, o Banco Rural juntou aos autos do mensalão um documento que cita Toffoli como delegado do PT. Escreve Marcelo Rocha: “Uma certidão da comissão executiva do PT se destaca entre os documentos apresentados ao Banco Rural para compor o cadastro que o partido fez para obter o empréstimo de R$ 3 milhões, sob análise do Supremo Tribunal Federal. Na ata, constam nomes de dirigentes do partido que se tornaram réus no mensalão: José Dirceu, José Genoino e Delúbio Soares. Aparece também, na condição de delegado do PT, o então advogado da legenda, José Antônio Dias Toffoli. O Rural inseriu a certidão nos autos do mensalão, analisados por Toffoli, agora na condição de juiz do Supremo Tribunal Federal. O ministro não se manifestou. Seus auxiliares dizem que a certidão foi expedida dois anos antes do empréstimo e que o fato de ele ter sido delegado do PT é conhecido”]

NotaPatury

Petrobras requer que Justiça interrogue ex-diretor sobre Mensalão Pernambucano do PSDB e PSB

Esquema de corrupção comandado por PSDB e PSB desviou recursos da obra de Abreu e Lima

 

Hora da verdade.  Petrobras quer que Paulo Roberto Costa conte como PSDB e PSB atuavam na refinaria Abreu e Lima
Hora da verdade. Petrobras quer que Paulo Roberto Costa conte como PSDB e PSB atuavam na refinaria Abreu e Lima

 

 

A pedido da Petrobras, o ex-diretor de Abastecimento Paulo Roberto Costa, preso pela Operação Lava Jato, da Polícia Federal, irá prestar novo depoimento sobre desvios em Pernambuco, onde a estatal constrói a refinaria Abreu e Lima.
A Agência PT de Notícias, em reportagem publicada duas semanas atrás, revelou um esquema de desvio de recursos públicos relatados em investigações conduzidas pela Polícia Federal, a partir de 2007, no empreendimento. Na época, o governador do estado era Eduardo Campos, do PSB, falecido em um acidente de avião, em agosto.
Só na terraplanagem da refinaria e na escavação do leito oceânico a ser utilizado pelo estaleiro Atlântico Sul, foram desviados cerca de R$ 6 milhões, segundo a PF. As obras integram o complexo do porto de Suape, em Pernambuco.
Dessa vez, o depoimento de Costa foi solicitado pela estatal à Justiça Federal, para apurar desvios nas obras de construção da Refinaria Abreu e Lima, próxima a Recife, e do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj). O pedido tornou-se necessário devido à condição de prisioneiro do ex-diretor. A Justiça precisa liberá-lo para o depoimento.

.
Investigação interna – A Petrobras alega, no pedido à Justiça, que esse novo depoimento integra os procedimentos internos de investigação sobre o escândalo conduzidos pela estatal. A empresa conta agora, inclusive, com a ajuda de duas empresas independentes, contratadas para apurar e auditar os procedimentos investigativos.
O objetivo da contratação das empresas, segundo nota divulgada pela Petrobras, é o de “apurar a natureza, extensão e impacto das ações que porventura tenham sido cometidas no contexto das alegações feitas pelo ex-diretor Paulo Roberto Costa, bem como apurar fatos e circunstâncias correlatos que tenham impacto material sobre os negócios da companhia”.
São elas a brasileira Trench, Rossi e Watanabe Advogados, e a americana Gibson, Dunn & Crutcher LLP. O procedimento é uma exigência das regras americanas para casos de corrupção como o relatado por Costa, na delação premiada firmada com a Justiça Federal, em empresas que comercializam papéis nas bolsas de valores dos Estados Unidos.

.
Denunciados – O caso do esquema PSB-PSDB virou processo do Ministério Público de Pernambuco contra dezenas de denunciados. Entre eles, vereadores e ex-vereadores, a filha de um prefeito, funcionários da prefeitura de Jaboatão dos Guararapes, servidores do governo estadual e coordenadores das campanhas presidenciais e locais do tucano Aécio Neves e do ex-governador Eduardo Campos.
No processo pernambucano, a Polícia Federal apresentou o resultado de investigações sobre o esquema de corrupção que identificaram 29 núcleos criminosos coordenados por políticos. Eles se utilizavam dos serviços de um empresário e doleiro local para lavagem do dinheiro obtido com a cobrança de 5% a 35% de comissão sobre os contratos intermediados pela quadrilha.
Tais núcleos atuavam em várias áreas de interesse do governo local, inclusive no “negócio do petróleo” – como os investigados nas interceptações telefônicas da PF se referem às obras da refinaria Abreu e Lima. Os grampos das conversas das autoridades locais foram autorizados pela Justiça.
A quadrilha, segundo a PF, era comandada por um dos coordenadores da campanha de Aécio Neves em Pernambuco, Geraldo Cisneiros, e pelo o ex-deputado federal pelo PSDB Bruno Rodrigues, agora no PSB, com ramificações por diversos órgãos estaduais.

.
Depoimento – Um questionário a ser submetido a Costa foi apresentado ao Judiciário pela Petrobras. Nele, a empresa solicita do ex-diretor esclarecimentos sobre o teor das reuniões internas, realizadas entre 2005 e 2006, sobre a Abreu e Lima.
Costa também será indagado pela Petrobras sobre a atuação do ex-diretor Internacional Nestor Cerveró. Ele foi o responsável pela assinatura de um acordo com a estatal de petróleo venezuelana PDVSA relativo às obras da refinaria.
Por Márcio Morais, da Agência PT de Notícias. Leia mais AQUI. Marina Silva sabia do contrato de R$ 120 milhões da empresa de seu coordenador de campanha com a Petrobras para as obras de Abreu e Lima e das doações de areia de Bezerra Coelho pra empreiteiras? Transcrito do Blog de Noelia Brito, excelente jornalista. Não esqueça: esse e outros crimes são escondidos pela imprensa pernambucana: Jornal do Comércio, Folha de Pernambuco e Diário de Pernambuco. A pedra fundamental da refinaria foi lançada pelos presidentes Lula da Silva e Hugo Chávez da Venezuela, um empreendimento internacional, na época avaliado em 2 bilhões de dólares, que foi, misteriosamente, rompido.

Três suspeitos na tentativa de golpe de estado e eleitoral

v delação

Escreve a procuradora Noélia Brito: “De acordo com essa ilustração, a tal delação que está sendo usada pela Veja para dar um golpe de Estado em nossa democracia, só foi presenciada pelo advogado, pelo delegado da polícia federal que preside o inquérito e por um procurador da República. Quem vazou, se é verdade que alguém vazou alguma coisa, já que a Veja já é conhecida por suas mentiras, cometeu crime pelo qual poderá perder o cargo e ser condenado como o foi o Delegado Protógenes, essa semana, pelo Supremo com relação à Operação Satiagraha e ainda beneficiar os criminosos com a anulação das provas. Tudo isso pra fazer Aécio presidente e derrotar a Dilma e o PT? Cheira mal, heim? Aliás, fede! Por isso, nós o povo, queremos saber os nomes do delegado e do procurador da República envolvidos no caso e que eles sejam chamados a dar explicações sobre esse suposto vazamento”.

 

ADVOGADO DE DOLEIRO: VEJA MENTIU SOBRE DILMA

 

cristo futebol 2

247 – A tentativa de golpe da Editora Abril contra a democracia brasileira não durou um dia. Menos depois de 24 horas após circular com uma edição extra, acusando a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula de “saberem de tudo” sobre o esquema denunciado na Petrobras, o “depoimento” do doleiro Alberto Youssef foi desmentido por ninguém menos que seu próprio advogado, o criminalista Antonio Figueiredo Basto.

“Eu nunca ouvi nada que confirmasse isso (que Lula e Dilma sabiam do esquema de corrupção na Petrobras). Não conheço esse depoimento, não conheço o teor dele. Estou surpreso”, afirmou Basto. “Conversei com todos da minha equipe e nenhum fala isso. Estamos perplexos e desconhecemos o que está acontecendo. É preciso ter cuidado porque está havendo muita especulação”, alertou o advogado.

A edição de Veja foi antecipada para esta quinta-feira para tentar interferir na sucessão presidencial, sobrepondo-se à soberania popular. Ontem, pesquisas Ibope e Datafolha confirmaram a liderança da presidente Dilma Roussef nas pesquisas eleitorais (leia aqui).

Os responsáveis diretos pelo atentado à democracia cometido pela Editora Abril são o diretor de Redação de Veja, Eurípedes Alcântara, o executivo Fábio Barbosa, que conduz a gestão da empresa, além dos acionistas da família Civita. Conduziram o jornalismo brasileiro a seu momento mais irresponsável, mais vil e mais torpe.

 

 

Noélia Brito tem morte anunciada pelos inimigos da claridade

noélia ameaçada

 

ALERTA…ALERTA…ALERTA!

NESSE MOMENTO QUERO CONVIDAR A TODOS OS AMIGOS PARA QUE JUNTOS POSSAMOS A ‪#‎LUTAR‬ COM A NOELIA BRITO QUE TEVE A CORAGEM DE FAZER GRANDES DENÚNCIAS ENVOLVENDO O ‪#‎PSB‬ E ‪#‎PSDB‬. A MESMA AGORA SOFRE COM ATAQUES DOS ACUSADOS! PRECISAMOS NOS MOBILIZAR!

Este alerta circula na internet. O Brasil é um dos raros países que tem jornalista como preso político. Acontece em Minas Gerais com Marco Aurélio Carone. A máfia do PSDB mineiro mandou acorrentar e amordaçar Carone, que denunciou o Mensalão Tucano engavetado pela justiça tarda e falha.

Em Pernambuco, o jornalista Ricardo Antunes foi preso político de Eduardo Campos.

As denúncias de Noélia já foram publicadas pelos sítios dos jornalistas verdadeiros de todo o Brasil. Esta propagação irritou os corruptos denunciados.

Os jornalistas brasileiros e correspondentes internacionais, os blogueiros e jornalistas onlines, que amam a liberdade de imprensa, precisam urgentemente evitar essa trama assassina, essa morte anunciada.

Conheça o sítio de Noélia Brito. http://noeliabritoblog.blogspot.com.br

Página de Noélia no Facebook 

 

 

 

Faruk Soyarat
Faruk Soyarat

 

 

Velório e enterro de Eduardo Campos e a teoria da conspiração

Belo Horizonte
Belo Horizonte

O enterro de Eduardo Campos não pode ser considerado um ato totalmente expontâneo das multidões. Teve diferenciados patrocínios.

Certos gastos com o dinheiro do povo foram verdadeiramente necessários. Dilma Rousseff liberou aviões da Aeronáutica, para o transporte dos restos mortais das vítimas do acidente do jatinho, e de carpideiras. A própria viagem de Dilma e de governadores de Estado corretamente pagas pelo erário. E o Governo de Pernambuco realizou diferentes e justas despesas.

Não estou questionando as verbas do fundo partidário, nem as doações da campanha. Mas que dizer da legalidade dos investimentos de propaganda? E das viagens de cabos eleitorais patrocinadas pelas pobres prefeituras do interior pernambucano, conforme denúncia da Folha de S. Paulo?

Escreveu Noelia Brito: “Com todo respeito, mas o fato da morte trágica do candidato a presidência Eduardo Campos não faz com que a Lei Eleitoral deixe de vigorar no País. O PSB, que desde o primeiro momento desrespeitou o luto por seu candidato e presidente, continua a fazê-lo e ainda de maneira oportunista ao cobrir os postes da cidade com banners com a foto de Eduardo Campos e a sigla da legenda em descumprimento da legislação eleitoral que proíbe esse tipo de prática. Nem nesse momento o PSB demonstra minimamente humildade? Nem na hora da dor o PSB deixa de lado sua já conhecida arrogância e postura de que tudo pode aproveitando-se do compreensível sentimento de perda do povo pernambucano?”

eduardo propaganda

propaganda eduardo 2

propaganda eduardo 3

Até na morte as desigualdades persistem. No Brasil, dos enterros dos indigentes, quanto tempo na televisão, no rádio, quanto espaço na imprensa, na internet, e quantos milhões investidos se o morto tivesse apenas um minuto de propaganda eleitoral como acontece com os candidatos a presidente Eduardo Jorge (PV), Eymael (PSDC), Levy Fidelix (PRTB), Luciana Genro (PSOL), Mauro Leal (PCB), Pastor Everaldo (PSC), Rui Costa Pimenta (PCO) e Zé Maria (PSTU).

Na imprensa nacional e internacional permanece a teoria da conspiração, sem que sejam indicados que partido político, grupo econômico e candidato a presidente estão beneficiados com o assassinato de Eduardo Campos, que amargava um humilhante terceiro lugar em todas as pesquisas eleitorais. 

“Não vamos desistir do Brasil” torna-se o mantra do velório de Eduardo Campos

Renata

1 bombeiros ferando bezerra jr (EFE)

2 dilma marina

2 dilma aécio

4 caboclinhos

por Afonso Benites
El País/ Espanha

Nem mesmo os mais otimistas marqueteiros políticos poderiam prever que uma frase dita por um candidato como uma protocolar mensagem de despedida no telejornal com maior audiência do Brasil pudesse se tornar um mantra de uma campanha eleitoral. E é exatamente isso que parece ter ocorrido com o discurso de Eduardo Campos em uma de suas últimas entrevistas antes de morrer, no Jornal Nacional da TV Globo, ele disse: Não vamos desistir do Brasil.

Foi a deixa para o seu partido, os militantes, amigos e familiares explorarem a força dessa fala para homenageá-lo e, consecutivamente, marcarem o início da retomada da campanha eleitoral. Disputa que agora terá Marina Silva como candidata à presidência pelo PSB. O primeiro sinal disso foi dado pelos próprios filhos de Campos, que foram até a Base Aérea do Recife com camisetas amarelas com a tal sentença. Carregaram o caixão com o pai e caminharam até o carro dos bombeiros que tinha uma faixa com os mesmos dizeres.

No entorno do Palácio do Campo das Princesas, onde ocorreu o velório dos restos mortais do político, milhares de pessoas usavam camisetas com a frase. Não só a amarela, confeccionada a pedido do PSB pernambucano, mas também outras feitas por conta própria. Havia brancas, pretas, vermelhas, verdes, com e sem fotos de Campos, e outras com charges. “Eu fui convocado a não desistir do Brasil”, estampava uma blusa amarela e verde de militantes de Bonito, cidade pernambucana localizada a 130 quilômetros do Recife. “Não vamos abandonar nosso país. Ele se tornará um mito, não tenho dúvida disso”, afirmou o vendedor Carlos Otávio.

O mantra foi entoado também em faixas escritas por políticos do interior pernambucano e na celebração da missa campal em homenagem às vítimas do acidente aéreo. O arcebispo de Olinda e Recife, dom Fernando Saburido, que conduziu a missa, comparou Campos a Jesus e disse que “está morto um homem que não vendia a sua consciência”. “Ele tinha a fome e a sede dos justos”, sentenciou o religioso, que minutos antes pediu para que a população não desistisse do país. Foi fortemente aplaudido.

Os cabos eleitorais do PSB, que receberam 30 reais para ficarem dez horas seguidas segurando bandeiras com os nomes de Campos e Marina, também usavam as camisetas. Dos 15 entrevistados pelo EL PAÍS, 14 disseram que usariam a camiseta até de graça. Só um funcionário afirmou que estava ali pelo dinheiro, mas que, como suspeitava da morte por acidente do candidato socialista, agora votaria em Marina, apesar de duvidar de sua capacidade de administração. “Só para calar a boca de todo mundo que queria calar o Eduardo”, afirmou João Pereira.

A suspeita do cabo eleitoral ecoou entre outros admiradores de Campos. Logo após vaiarem a emocionada presidenta Dilma Rousseff (PT) durante o velório, alguns gritaram seguidas vezes a palavra justiça. Cartazes espalhados pela praça da República, em frente à sede do governo, clamavam pelo mesmo.

O irmão do ex-governador, o advogado Antônio Campos, disse que um advogado da família e do partido acompanhará as investigações do acidente. São várias frentes de investigação. A Aeronáutica, a Polícia Civil de São Paulo, a Polícia Federal, técnicos de duas agências dos Estados Unidos (país onde foi fabricada a aeronave) e de uma empresa canadense (que produziu o motor do avião) participam dos trabalhos. A aeronave onde estava Campos e outras seis pessoas caiu em um bairro residencial de Santos, no litoral paulista, no último dia 13, quando ele estava a caminho de um compromisso de campanha.

Comoção e autoridades

As homenagens a Campos começaram na madrugada de domingo e contaram com a presença de grupos culturais, como os blocos de maracatu, de admiradores e de corais religiosos. Seu corpo, juntamente com os de dois assessores, foi levado em um carro aberto que passou por 11 bairros do Recife, onde foi aplaudido mesmo de madrugada. O governo pernambucano estima que 100.000 pessoas passariam pela sede do Executivo estadual até o horário do sepultamento, previsto para as 17h de domingo, no cemitério Santo Amaro. Filas foram formadas por cinco ruas que circundam o Palácio do Campo das Princesas. Grande parte dos que passaram pelo velório paravam e faziam selfies com a imagem do caixão de Campos ao fundo.

Vendedores ambulantes também aproveitaram para ganhar dinheiro com o velório. Apesar de copos de água mineral estarem sendo entregues gratuitamente, havia dezenas de vendedores de água ao lado de comerciantes de amendoim e castanhas. O músico e poeta Felisberto Beto, que também imita Lula, se apresentava ao lado de uma bandeira de Pernambuco e tentava vender seus CDs de fabricação caseira, dois por 10 reais. “Preciso me tornar conhecido. Tenho de aproveitar essa movimentação para que as pessoas me conheçam”, afirmou.

duke avião conspiração Eduardo morte

União já repassou R$ 200 milhões para Barragem de Serro Azul, em Pernambuco, mas Eduardo Campos não explica atraso das obras. Povo teme desastre

por Noelia Brito

azul

A população de Palmares e demais municípios da Mata Sul está temerosa de que a tragédia ocorrida em 2010, quando as cheias castigaram a região, venha a se repetir e ainda com mais força, mesmo após a União Federal já ter liberado um total de R$ 200 milhões para a construção de uma barragem na Região.

A Barragem de Serro Azul é considerada a maior de todas as barragens do Sistema de Contenção de Enchentes da Mata Sul e está sendo construída na bacia do Rio Una, em Palmares. Mesmo prevista para ser concluída em dezembro de 2014, a Barragem de Serro Azul, cuja gestão da obra foi transferida pelo então Ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, ao comando do governador Eduardo Campos, não está nem perto de ser finalizada.

Para realizar o controle de tecnológico e o monitoramento do Plano de Controle Ambiental (PCA) do empreendimento, a Secretaria de Recursos Hídricos e Energéticos do Goberno de Pernambuco assinou um contrato de Gestão com uma Organização Social, o Instituto de Tecnologia de Pernambuco (ITEP), que também foi responsável pela elaboração do projeto Básico de Engenharia da obra. Entretanto, no final de março deste ano, vários representantes da sociedade civil protocolaram, segundo o JORNAL “O Olho”, uma denúncia ao Ministério Público, representado pelo promotor de Justiça da Cidadania e Meio Ambiente d Comarca de Palmares, Dr. Eduardo Leal dos Santos, solicitando uma vistoria do MP às obras, tendo em vista a constatação de que em vez da construção de “um quilômetro de paredão de concreto por 68 (sessenta e oito) metros de altura”, os denunciantes estariam presenciando uma “construção de 300 (trezentos metros) de paredão de concreto e o restante 700 (setecentos) metros estão sendo construídos em barro.

A denúncia foi assinada por representantes do Sindicato do Comércio Varejista do Estado de Pernambuco (SINCOMATA); Associação Comercial e Empresarial dos Palmares (ACP); Rotary Clube dos Palmares, Lions Clube dos Palmares, Loja Maçônica Fraternidade Palmarense, Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Palmares, da Igreja Católica e da Igreja Evangélica.

azul 2

Consulta ao site do Portal da Transparência da Controladoria Geral da União comproca que desde o dia 28 de março de 2013, o Governo Federal já havia pago toda sua parte no convênio, ou seja, nada menos que R$ 200 milhões em recursos federais já haviam sido transferidos para a conta da Secretaria de de Infra-Estrutura Hídrica de Pernambuco. As denúncias são gravíssimas e são corroboradas pelo vídeo ao final postado e tamanho aporte de recursos federais já enviados para essa obra exigem que a CGU, o Ministério Público Federal e a Polícia Federal também entrem no caso, para garantir não apenas a boa aplicação desses recursos, mas, principalmente, a vida das pessoas.

Clique para ampliar
Clique para ampliar

 

 

 

Chilique da imprensa exagerada

correio_braziliense. roubo tv plasma

Um povo com fome que saqueia alimentos faz o certo. Pelas fotos, todos os participantes são negros ou mulatos. Assim sendo deixo como alerta um provérbio africano: A união do rebanho obriga o leão a deitar-se com fome.

Comenta Noelia Brito:
Vídeo da apreensão dos produtos saqueados em Abreu e Lima eu não tô interessada em assistir não. Eu queria que algum veículo de comunicação divulgasse algum vídeo da prisão e dos depoimentos dos doleiros que lavam dinheiro do tráfico de drogas e da corrupção para campanhas eleitorais e da apreensão dos R$ 22 milhões ocorridas aqui em Pernambuco já uns 15 dias atrás na Operação “Grande Golpe”, da Polícia Federal. Quando divulgarem me avisem que eu quero assistir. Pobre sendo preso e humilhado na frente de câmera de TV já se vê todos os dias.

Comenta Roberto W Nogueira:
Na sequência dos graves acontecimentos desta semana aqui no Recife e noutras cidades pernambucanas, observam-se críticas acerbas às populações revoltosas, as quais se revelaram dispostas, pelas circunstâncias, a cometer desatino coletivo, a exemplo da prática de saques contra estabelecimentos comerciais desguarnecidos.

Ora, cada qual sabe exatamente onde o calo aperta. Para compreender o fenômeno, sem embargo do reconhecimento das ilicitudes objetivas que lhe são intrínsecas, é preciso sobretudo um pouco mais de alteridade, colocar-se no lugar do outro, implicar-se com ele sem com ele confundir-se, pois as ópticas sobre os objetos e o sentimento do mundo se distinguem em muito entre membros de uma mesma sociedade.

Ainda somos, enquanto sociedade, enormemente estratificados, e isso gera dissenções multifacetadas, ideologicamente obscurecidas, mas com causas e motivações perfeitamente identificáveis.

Por outro lado, corruptos e corruptores que conspiram perturbadoramente contra o Erário não costumam ser tão execrados quanto a plebe, quando entregue ao vandalismo… Em ambas as condutas, no entanto, há primitivismo, atavismo social do mesmo modo e perfeitamente censuráveis.

Sucede que, na medida em que o povaréu enxerga que quase nada em termos de penalidade resta efetivada a esses “condestáveis” da corte tupiniquim e diante de alguma oportunidade, mesmo ocasional, desanca a delinquir patrimonialmente como se os envolvidos fossem também se manter impunes, ou quase inteiramente sem conhecer consequências legais.

O ciclo é vicioso e, aliado a uma plataforma tíbia de escolarização e de precário bem-estar social, resta montada a fogueira que vai arder mais cedo ou mais tarde, mais ou menos severamente no ‘socius’!

A crítica que serve aos excluídos há de servir também aos bem aquinhoados, quando igualmente infracionem penalmente, quaisquer que sejam as circunstâncias. Condenar miserável sem ocupar-se a crítica dos crimes de gente de alto coturno, é como chutar cachorro morto: não altera o cenário.

É preciso, antes de mais nada, densificar o sentimento constitucional inclusivo (no sentido de Pablo Lucas Verdú) para que, justificada a sociedade e restringido todo egoísmo, possa cada um dos seus membros aspirar melhores dias para todos e gozar, em igualdade de oportunidades, das primícias da Nação. Uma sociedade contemporânea, antes de causar perplexidade, exige inclusão!

Com o favor de Deus e a proteção da Santa Mãe do Senhor, chegaremos lá!