A música preferida dos brasileiros

Por que não cantar em português, que aparece entre o sexto ou sétimo idioma mais falado do mundo?

Em número de pessoas

1. Chinês – 1.213 bilhão
2. Espanhol – 329 milhões
3. Inglês – 328 milhões
4. Árabe – 221 milhões
5. Hindi – 182 milhões
6. Bengali – 181 milhões
7. Português – 178 milhões
8. Russo – 144 milhões
9. Japonês – 122 milhões
10. Alemão – 90,3 milhões

Fonte: ethnologue.com (2012)

No Top 10, o português é o sexto da lista com 249 milhões de nativos + 20 milhões como segunda língua = 269 milhões no total.

Atualmente, o português é língua oficial de oito países (Portugal, Brasil, Angola, Moçambique, Guiné-Bissau, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Timor Leste). Apesar da incorporação de vocábulos nativos e de modificações gramaticais e de pronúncia próprias de cada país, as línguas mantêm uma unidade com o português de Portugal.

O português também é falado em pequenas comunidades, reflexão de povoamentos portugueses datados do século XVI, como é o caso de: Zanzibar (na Tanzânia, costa oriental da África), Macau (ex-possessão portuguesa encravada na China), Goa, Diu, Damão (na Índia) e Málaca (na Malásia).

A língua portuguesa se faz presente em todos os continentes. Observe 

Acontece que se faz propaganda com tudo. Um exemplo, o Brasil apequenado no mapa mundi:

mapamundi1

mapamundi 2

O Brasil possui 198,7 milhões de habitantes (2012); e Portugal, 10,6 milhões.

Os livros sagrados das principais religiões são escritos em que idiomas?

800px-Religion_distribution

As 10 religiões com mais adeptos do mundo:

1º. Cristianismo – 2.106.962.000 de adeptos
2º. Islamismo – 1.283.424.000
3º. Hinduísmo – 851.291.000
4º. Religiões chinesas – 402.065.000
5º. Budismo – 375.440.000
6º. Skihismo – 24.989.000
7º. Judaísmo – 14.990.000
8º. Espiritismo – 12.882.000
9º. Fé Bahá’í – 7.496.000
10º. Confucionismo – 6.447.000

Fonte: wikipedia

Que músicas são mais cantadas: as profanas ou as religiosas?

Fiz várias perguntas para demonstrar que não se deve confiar em nenhuma lista, estatística (veja a confusão política criada pelo último censo realizado na Bolívia, para a contagem genética), que toda propaganda é inimiga da verdade e da realidade.

Nada é imparcial. Minha intenção é saber se existe uma política de degeneração da música popular brasileira.

As 10 músicas mais tocadas nas baladas do Brasil 2013

De acordo com a lista divulgada pelo Escritório Central de Arrecadação (Ecad), estas foram as músicas que mais tocaram nas baladas do Brasil, à partir do segundo semestre de 2012:

1. Titanium – David Guetta

2. Somebody that I used to know – Gotye e Kimbra

3. Gangnam style – Psy

4. We found love – Rihanna

5. Glad you came – The Wanted

6. Louquinha – João Lucas e Marcelo com MC K9

7. Camaro amarelo – Munhoz e Mariano

8. Where have you been – Rihanna

9. Feel so close – Calvin Harris

10. Gatinha assanhada – Gusttavo Lima

Por que as músicas brasileiras dificilmente são internacionais, e as escolhidas não são mais tocadas no Brasil? Confira  

O top por país, e escute as músicas aqui.

Para completar: Les chansons les plus reprises

Três perguntas finais: Nossa população negra e mestiça, que deseja ser chamada de afrodescendente, conhece a música de Angola, de Moçambique? Ainda existe música popular brasileira, que não esteja contaminada pela música estrangeira, notadamente pela estadunidense?

Nos Estados Unidos nasceram estilos como o blues, o jazz, o rock and roll e o rap.

Qual música vem sendo divulgada pelos Ministérios, secretarias estaduais e municipais do Turismo e Cultura deste Brasil colonizado?

Troque a palavra música por literatura ou livro, que você entenderá porque os escritores brasileiros são desconhecidos no Brasil e lá fora, propositadamente nos países que falam português. Que as embaixadas brasileiras apenas cuidam de encantados negócios.

Nenhuma luz no fim do túnel

Antes do golpe militar de 64, os trotes acadêmicos eram politizados. Com a ditadura e o lixo de suas leis que ainda perduram, os trotes tornaram-se uma festa orgiástica. Exageram em tudo: álcool, droga, sexo. Em abril último, na Universidade Federal de Juiz de Fora, uma caloura de 16 anos, virgem, foi estuprada. O tarado ainda hoje está solto no campus.

A cocaína foi introduzida nas universidades propositadamente. Com a música Banho de cheiro, e slogan hippie de botique: “faça o amor, não faça a guerra”. Tudo como parte do Projeto Camelot da CIA, que introduziu o vestibular de cruzinha, da decoreba, do não pensar.

Um povo colonizado, escravo, sempre vítima da tirania, tem uma alma submissa. A independência dada de mão beijada por um português. Nenhuma luta pela abolição da escravatura, que custou a perda do trono para a princesa Isabel. E uma república repleta de ditadores e presidentes corruptos.

Um povo que não reclama tem como catarse o carnaval, o futebol, as drogas e as novelas da Globo.

Um desembargador ganha muito mais. Sempre mais… que um juiz

Por que esconder o ganho honesto? Metade da população brasileira recebe, no máximo, o menos. Menos de 270 reais. A maioria dos trabalhadores brasileiros tem o salário mínimo do mínimo revelado por decreto. 61o reais.

Em Belô, o prefeito Márcio Lacerda prepara o futuro remoto dele. Desde que já cuidou das coisas do presente. Ele e o prefeito de Iguatama. Mas no Brasil todo jornalista recebe o salário de fome e medo.

Minas Gerais

Pisos e categorias Salário Normativo 2011/2013
– Rádio R$ 1.480,00 – data base: Abr
– TVs e produtoras R$ 1.600,00 – data base: Abr
OBS.: O piso é para jornada diária de cinco horas.

Veja no resto do Brasil. No resto

Escreve Cristiano Alvarenga: A prefeitura de Iguatama, no centro-oeste mineiro, publicou edital de concurso público oferecendo uma vaga para o cargo de Assessor de Comunicação. O salário: módicos R$ 622,73 para carga horária semanal de 40 horas. O candidato deve ter formação superior em Jornalismo. No mesmo certame, há oportunidades para coveiro com exigência de escolaridade inferior – ensino fundamental – e salário melhor, R$ 806,90. Para “alento” dos profissionais de comunicação, os aprovados para o cargo de lixeiro receberão a mesma remuneração do jornalista.

“Que mundo é este que, para ser escravo, é preciso estudar”

Os estudantes foram declarar o apoio aos professores grevistas, tendo em vista o sucateamento da educação, que os docentes buscam melhorá-la.

Bom ver a estudantada sair do comodismo, do velho costume de dar uma dos três macaquinhos.

No campus da Universidade Federal de Juiz de Fora estupraram uma caloura, menor de 17 anos, virgem, e todo mundo calado.

Bancar o cego é gostar de viver na escuridão magnífica da ditadura da reitoria.

Bancar o mudo é viver como um morto. Curtir o silêncio do túmulo.

Quem não reivindica como estudante será amanhã um empregado acomodado, que não faz greve, que aceita, sem reclamar, o salário de fome .

Bancar o surdo é virar as costas para o clamor do povo. Perder o sentimento de fraternidade, de solidariedade, de união.

Ensina a canção: Quem sabe faz a hora, não espera acontecer.

Tem o filhinho do papai, bichinho de estimação, que prefere a condição de estudante adestrado, encabrestado, fura-greve. Este tipo de bunda mole a canção dos indignados portugueses chama de parvo.

O bunda mole nasceu para dançar na boquinha da garrafa.

Nacionalizar la juventud

por Jesús Moreno Abad

La juventud es una generación sistémica. Demasiado grande para dejarla caer. Es como esos bancos que valen más que un país entero, y que nos dicen que sería peor dejar que quebrasen que el coste de rescatarlos. O sea, que los jóvenes son Bankia, pese a que no tienen 31.800 millones de euros en activos tóxicos del ladrillo (de hecho, no tienen ni casa) ni el Estado va a apoyarlos con 83.000 millones de euros –como se ha hecho con la entidad-, ni los va a nacionalizar como un sector estratégico en peligro. La juventud es por tanto un banco de futuros que se está dejando caer con idiotez sistémica.

Algunos dirán que la comparación es demagógica, pero, oigan, qué culpa tiene uno de que la realidad sea demagógica. Mientras a Bankia se le inyecta en vena medicamento sin copago (de los que ya no quedan para el pueblo), el Gobierno recorta las becas a los jóvenes y sube las tasas universitarias hasta en un 66%. Y si a Bankia le va a dar un penúltimo empujón de 10.000 millones de euros, a los jóvenes les recorta 7.200 millones en educación.

Todo ello con 320.000 alumnos más y con una tasa de abandono escolar del 26% (la media europea es del 14,4%). Parece que se empuja a los jóvenes al mercado laboral, donde ya se los aguarda con impaciencia con una tasa de paro que roza el 50%.

La realidad, como digo, se ha vuelto tan demagógica que tiene la desvergüenza de mostrarnos a Rodrigo Rato, aquel ministro de Economía que hinchó los mofletes al límite para inflar la burbuja inmobiliaria, ser devorado ahora por la misma en forma de tornado. Aunque por una indemnización de 1,2 millones y un salario anual de otros 2,34 millones, cualquiera se tiraría a la olla para ser masticado hasta el orgasmo. Es otra de la absurdeces sistémicas de este tiempo.

Así las cosas, a la juventud le quedan pocas opciones de respuesta. Una es coger la patera Ryanair y pedir al último que apague la luz en la frontera, y otra es empezar a pisar los adoquines. Bien es cierto que los jóvenes están siendo víctimas de una crisis que ellos no provocaron, pero también es verdad que ellos han heredado (hemos heredado) todos los derechos de las luchas de otras generaciones.

Antes que una generación perdida han sido una generación desmovilizada y apática. Ya es hora de que defiendan en la calle lo que es suyo: el futuro. Es el momento de que la juventud proteste y se haga políticamente adulta. Parece que ha comenzado a hacerlo. Y es que ya está bien de dejarse tomar el pelo.


(Transcrito do El Telégrafo, Quito)

O estudante brasileiro apático e medroso

Praça do Sol
Praça do Sol

 

Noticia O Globo: “A polícia prendeu na madrugada deste domingo (13) na Puerta del Sol, em Madri, pelo menos 18 manifestantes que protestavam contra a maneira como o governo enfrenta a crise econômica no país. Os preso foram pegos quando sonhavam

 

Apesar das prisões, os protestos continuavam neste domingo, exigindo a soltura dos detidos.

Os ‘indignados’ celebram um ano de protestos contra a economia. Eles planejam repetir o que fizeram no ano passado e ficar um mês acampados na praça.

As prisões ocorreram porque os manifestante se recusaram a deixar o local.

Os indignados espanhóis chamaram a atenção em maio passado e acabaram inspirando movimentos semelhantes em outros países, inclusive no Brasil”.

Que coisa mais sem sentido! manifestações aconteceram por todas as cidades da Espanha pelo direito de acampar um mês na Porta do Sol. Por pedirem coisa besta a polícia agiu exemplarmente. E a do Brasil deve fazer o mesmo.

Se a polícia de um rei, bate. A polícia de um governador do Brasil, sem sangue azul, mais que seguir o exemplo, deve manifestar seu instinto animal de origem plebeia.

Bom fazer o reparo. No Brasil não existe movimento dos indignados. Tanto que ninguém foi para rua nem ontem nem hoje. Se teve alguma manifestação a imprensa censurou.

No Brasil os estudantes realizam trotes para receber os calouros. Sem cartazes de protesto. Preferem beber, e os veteranos abusam dos novatos. No campus da Universidade Federal de Juiz de Fora teve o estupro de uma menor de 17 anos. Estupro ou curra.

Veja a diferença. No trote da UF-JF este ano

Em Madri ontem

ESCUTA DUAS CANÇÕES

No Brasil, compositores e cantores, para não sair da lista dos contratados para os shows dos prefeitos nos finais de semana, esqueceram as músicas de protesto.

Esta música portuguesa profetiza o futuro dos estudantes de nossas universidades: veja vídeo.

O conservador jornal El Mundo, de Madri, divulga hoje:

Rafa Sánchez afirma que no puede vivir sin componer “sobre las cosas que me mueven el corazón” y, en esta ocasión, las reivindicaciones del 15M no le han dejado indiferente.

‘Madre Mundo’, interpretado a dúo con Carolina Muñoz, es un canto a la fuerza de la unidad y el vídeo promocional está salpicado de imágenes de las protestas de los indignados.