Governo da Paraíba constrói o primeiro condomínio residencial exclusivo para idosos do Brasil

casa

 

O Governo entrega o primeiro condomínio residencial exclusivo para idosos do Brasil, e torna a Paraíba referência nacional na criação e fortalecimento de políticas públicas para a terceira idade.

O condomínio Cidade Madura, localizado no Cidade Verde, em João Pessoa, dispõe de 40 unidades habitacionais, posto médico, pista de caminhada, redário, praça e centro de vivência, tudo projetado para atender às necessidades e garantir qualidade de vida para os idosos que mais precisam.

São quase R$ 4 milhões investidos em algo que não tem preço: A dignidade e o respeito a quem precisa e merece! Campina Grande, Cajazeiras e Sousa também serão contempladas com o projeto que é pioneiro no país.

Realmente, um projeto exemplar. Com um salário mínimo de aposentadoria – compare com o vale refeição de um juiz -, ninguém consegue comer as três refeições da cada dia.

Nem pagar o aluguel de um casebre. Tem que morar de favor na casa alheia. Que é uma profunda humilhação. Que será sempre uma moradia provisória, incerta e inquietante. É uma situação terrível, extrema, nem um ser humano merece esse castigo, principalmente quem está com o pé na cova.

Bendito seja o governo que se lembra das crianças e dos velhos, neste Brasil cada vez mais cruel. De empresas escravocratas como a Contax.

 

Acampamento em Roma pelo direito a “casa e salário para todos”

por Alexandre Martins

A manifestação de sábado contou com a participação de entre 50.000 e 70.000 pessoas FILIPPO MONTEFORTE/AFP
A manifestação de sábado contou com a participação de entre 50.000 e 70.000 pessoas FILIPPO MONTEFORTE/AFP

Depois de um dia de protestos que levou dezenas de milhares de manifestantes a Roma, algumas pessoas passaram a noite acampadas no centro da cidade.

Acampamento na Praça Porta Pia
Acampamento na Praça Porta Pia

Convocaram uma assembleia, exigiram “uma casa e um salário para todos” e convidaram os romanos a juntarem-se a eles.

O acampamento não tem hora nem dia para ser levantado, mas a manifestação de sábado em Itália já se traduziu num resultado prático: o ministro das Infra-estruturas e dos Transportes, Maurizio Lupi, aceitou encontrar-se na próxima terça-feira com representantes de um dos movimentos que organizou o protesto.

“Chegou-nos a informação esta manhã de que o ministro Lupi decidiu agendar um encontro com este movimento. Vão estar presentes prefeitos de outras cidades, numa reunião em que vão ser discutidas as nossas condições e que achamos que se mantêm válidas. Não vamos recuar”, disse à agência italiana Ansa um dos organizadores da manifestação, o activista Paolo Di Vetta.

As dezenas de pessoas que passaram a noite acampadas exibiram cartazes com frases como “Tomemos de volta a cidade” e “Chega de expulsões, despejos e execuções de hipotecas”.

Dezenas de pessoas passaram a noite à porta do Ministério das Infra-estruturas e dos Transportes FILIPPO MONTEFORTE/AFP
Dezenas de pessoas passaram a noite à porta do Ministério das Infra-estruturas e dos Transportes FILIPPO MONTEFORTE/AFP

Os líderes do movimento convidaram “toda a cidade de Roma, incluindo os que não estiveram ontem [sábado] na manifestação”, a participarem numa assembleia neste domingo, para discutirem “o relançamento do caminho” iniciado com o protesto de sábado. O acampamento no centro de Roma “não é o fim do caminho, mas sim o início da solução”, dizem os organizadores.

“A quantidade de pessoas e a qualidade da participação na manifestação mostraram que a estratégia de pânico não funcionou. A mensagem de terror não manteve as pessoas fechadas em casa”, disse Paolo di Vetta, referindo-se ao dispositivo policial destacado pelas autoridades italianas e desvalorizando o episódio de violência junto ao Ministério da Economia e Finanças.

Muitos dos jovens que acaparam no centro de Roma queixam-se da forma como os jornais trataram a manifestação de sábado, preferindo salientar a forma pacíficia como a maioria das 50.000 a 70.000 pessoas percorreram as ruas da cidade.

Jacopo, um jovem de Turim, queixou-se ao jornal La Repubblica daquilo que os jornais escreveram: “No geral, eles [os media] tendem a exagerar os confrontos com o bicho-papão do Black bloc e não dão atenção às motivações dos manifestantes, que são o direito a uma habitação; o abandono dos refugiados políticos; e a luta contra a linha de alta velocidade [entre Itália e França].” Público/Portugal

A freira que pode conquistar o mundo sacode a Espanha

por Matt Wells
teresa

O mosteiro de St. Benet está entre os mais belos e tranquilos lugares. Para chegar lá, você precisa rumar pelas paisagens lindas da montanha sagrada de Montserrat.

A irmã Teresa Forcades, estrela improvável de programas de entrevistas, do Twitter e do Facebook, tem tido dificuldade em parar de pregar. Tão grande é a demanda por seu tempo e sua bênção que o email de seu secretário aqui no mosteiro sempre retorna uma resposta automática de que a caixa de entrada está cheia.

Irmã Teresa parece sempre estar em pelo menos dois lugares ao mesmo tempo. Ela tem os olhos brilhantes, é confiante, quase alegre. Sua inglês perfeito – aprimorado nos anos que estudou na Universidade de Harvard – parece de alguma forma fora de lugar nos claustros humildes deste local sereno.

Não há nenhum político parecido com ela. Ela nunca está sem o hábito de freira e diz que tudo que faz vem de uma profunda fé cristã e devoção. No entanto, tem sido crítica da Igreja e dos homens que a dirigem.

Os seguidores de seu movimento, Proces Constituint, com aproximadamente 50 mil catalães, são principalmente esquerdistas não-crentes. Ela não quer um cargo e diz que não vai criar um partido político, mas é inegavelmente uma figura política em uma missão – derrubar o capitalismo internacional e alterar o mapa de Espanha.

Seu programa de 10 pontos, elaborado com o economista Arcadi Oliveres, pede:

• A estatização de todos os bancos e medidas para coibir a especulação financeira

• O fim de cortes de empregos, salários mais justos e pensões, menos horas de trabalho e pagamentos para os pais que ficam em casa

• Uma “democracia participativa” genuína e medidas para coibir a corrupção política

• Habitação decente para todos e um fim a todas as execuções de hipotecas

• A reversão de cortes de gastos públicos e renacionalização de todos os serviços públicos

• Direito de um indivíduo ser dono de seu próprio corpo, incluindo o direito da mulher de decidir sobre o aborto

• Políticas econômicas “verdes” e a nacionalização das empresas de energia

• O fim da xenofobia e a revogação das leis de imigração

• Meios de comunicação públicos sob controle democrático, incluindo a internet

• “Solidariedade” internacional, sair da Otan e a abolição das forças armadas em uma futura Catalunha livre

Com um talento natural para falar em público, e mente afiada de uma militante, ela não teria superado a vida monástica? Suas irmãs não estariam cansadas das visitas constantes, eu me pergunto?

Ela interrompe a nossa primeira entrevista para cumprimentar uma delegação de ativistas pela independência da Catalunha, que vieram prestar homenagem ao mosteiro. Enquanto espero, as irmãs que param para conversar não têm dúvida de que o seu talento e sua fama são “dons de Deus” e que ela está abrindo caminho para um futuro mais jovem e mais feminista para a Igreja Católica.

Elas são apenas três dezenas de mulheres que vivem uma vida tranqüila de oração, mas esta é a base do poder político da Irmã Teresa. Ela é a embaixatriz delas para o mundo secular, e muitas vezes turbulento, para além da montanha. Diferentemente da maioria dos partidos políticos, movidos pela rivalidade, o círculo íntimo de Irmã Teresa a ama incondicionalmente.

Quando eu viajo para vê-la buscando apoio para o novo movimento em uma praça da cidade, o lugar está lotado. Ela agarra a multidão com idéias radicais que assustam muitos políticos tradicionais na Espanha. Ela admira Gandhi e algumas das políticas do falecido Hugo Chávez, na Venezuela, e de Evo Morales, da Bolívia.

Mas é o modelo econômico secular das monjas beneditinas, criando bens úteis para vender, que ela cita mais apaixonadamente.

Depois de um intervalo de duas semanas, eu subo a estrada sinuosa para o mosteiro para uma última visita. Irmã Teresa foi a uma conferência religiosa no Peru, onde é inverno, e voltou para casa com um resfriado. Bispos fiéis ao Vaticano têm criticado suas posições radicais sobre tudo, do aborto aos bancos.

Tornou-se uma batalha por onde passa. Pelo menos por enquanto, seu bispo em casa não a proibiu de continuar.

Na capela, ela cumprimenta minha esposa e os dois filhos pequenos calorosamente. Ela me disse que, quando era adolescente, abraçou o celibato.

É outra contradição que percebo: ela está perdendo uma vida em que pode amar livremente e tudo o mais que isso implica?

Ela me diz que se apaixonou três vezes desde que se tornou freira, mas sua devoção a Deus e ao mosteiro continua forte como sempre.

“Enquanto a minha vida religiosa for cheia de amor, eu vou estar aqui”, ela diz. “Mas no momento em que esta vida se transformar num sacrifícios… Então é será meu dever abandoná-la.”

Por ora, ao que parece, o caso de amor da Catalunha com talvez a figura política mais improvável do mundo vai muito bem.

Publicado originalmente na BBC.

O jovem brasileiro. O futuro roubado e violentado

BRA^GO_DDM jovemBRA^GO_HOJE jovemBRA^SC_NDF jovemBRA_FDL jovemBRA_NOTA jovem

Escreve Dom Walmor Oliveira de Azevedo:

Caminhar com a juventude é compromisso que deve ser assumido por todos, como inestimável bem para a sociedade e a Igreja.

Essa manifestação com os jovens, grandes protagonistas desta nova etapa que exige um novo tempo para a sociedade brasileira, será a oportunidade de qualificar o atual, complexo e exigente processo de transformação social com os valores do Evangelho de Jesus Cristo. O tratamento político indispensável ao contexto requer esse aprimoramento para superar superficialidades partidárias e galgar níveis de comprovado sentido de bem comum. Muitas referências e instâncias, outrora com força de colaborar com incidências em processos dessa natureza, estão enfraquecidas. As razões de seu enfraquecimento incluem desde a falta de maior sensibilidade social até práticas perigosas de favorecimentos ou de dominação cartorial, especialmente daquilo que deveria funcionar em benefício de todos.

Nessa busca por mudanças estão inscritos os desafios da educação, saúde, trabalho, moradia e o inegociável anseio, direito e exigência de todos os cidadãos, pela reforma política, particularmente com modos novos de fazer e de ser político.

Transcrevi trechos

Dengue mata

BRA^GO_HOJE dengueBRA^MG_EDM dengueBRA^SP_AC dengueBRA^SP_DDR dengueBRA_DT dengue

Bauru passa a totalizar em 2013, 1.966 casos da doença.Após o contato com o vírus, a doença poderá se manifestar em média, dentro de seis (6) dias e alguns dos sintomas são: inicio súbito de febre alta, dor de cabeça, dores fortes nos olhos, na musculatura, nas juntas, podendo surgir manchas avermelhadas na pele. Ao aparecer os sintomas, a pessoa deverá procurar imediatamente a Unidade Básica de Saúde mais próxima ou o médico de sua confiança e evitar a automedicação.

Havendo confirmação de casos na família, os demais moradores da residência que apresentarem qualquer sintoma característico acima citado, também deverá procurar atendimento médico imediatamente para os devidos exames e tratamento.

A Secretaria alerta à população que a proliferação do mosquito Aedes Aegypti, só é possível desde que haja condições da sobrevivência das suas larvas, que é a água parada, e por esse motivo é que a colaboração da população é indispensável para o controle da doença.

De acordo com a Divisão de Vigilância Ambiental do município, todos os moradores, proprietários de imóveis com edificações habitadas e desocupadas ou de imóveis sem construções devem providenciar não só a capinação dos mesmos quando necessário, mas também a retirada de todo o lixo ou entulhos, já que as larvas do mosquito transmissor da dengue se proliferam em qualquer tipo de recipiente onde possa armazenar o mínimo de água possível, desde tampinhas de garrafas até garrafas pets, latas, baldes, etc. A Divisão informa também, que é proibido atear fogo para queima de mato ou entulhos.

A Prefeitura esqueceu de avisar que ela mesma é a principal responsável. Pelas ruas e calçadas esburacadas, pelo lixo não recolhido, pela sujeira das praças, jardins, cemitérios, pelas galerias pluviais a céu aberto, pelas ruas e calçadas esburacadas, pelo abandono dos bairros pobres, pelo abastecimento de água que prioriza quem paga, por não fiscalizar os terrenos baldios da especulação imobiliária, por não capinar ruas e becos terraplenados etc.

E ainda: falta saneamento, faltam moradias dignas, e não se faz nada que preste para o povo.

Rezar é a única alternativa quando asteroides estiverem próximos a Terra. Rezar é a única alternativa para os pobres quando chove no Brasil

MAIS DE 50 MORTES
MAIS DE 50 MORTES

Tem autoridade bunda suja que costuma dizer que pobre gosta de morar em área de risco, e rico em área sem nenhum risco, e super super valorizada, super super protegida.

Mais de 50 pessoas morreram soterradas ou afogadas em Petrópolis. Uma gente pobre de marré deci. Veja a paisagem. Veja a cara de pobreza dos moradores:

petro1

petro 2

Bombeiros resgatando um cadáver
Bombeiros resgatando um cadáver
Outro cartão postal da pobreza. Prova que não se faz nada que preste para o povo
Outro cartão postal da pobreza. Prova que não se faz nada que preste para o povo

Rico não tem medo de enchente nem de chuva. Se faz frio acende a lareira e curte um bom vinho. Que é bom fazer amor em noite de chuva.

Rico no Brasil não corre nenhum risco. Nem quando rouba e mata. Não tem medo de satanás. Nem de asteroides.

O Brasil enriquece os industriais da chuva e os industriais da seca. A desgraça do pobre sempre foi transformada em bonança para os corruptos. Principalmente prefeitos e governadores comedores de verbas, que vivem no luxo e na luxúria.

Escreve Rafaela Possebon: Nos últimos anos e principalmente meses, um assunto vem assustando a população mundial: os objetos que circulam no espaço. De acordo com o diretor da Agência Espacial Americana (Nasa), Charles Bolden, quando um asteroide estiver a caminho da Terra só há uma alternativa: rezar.

Bolden disse aos legisladores na Câmara dos Representantes dos Estados Unidos que rezar é o que podemos fazer quando asteroides ou meteoros desconhecidos estiverem em rota de colisão com o nosso planeta.Tal explanação veio junto a um pedido da Nasa para que o governo americano financie programas para detectar e desviar objetos que estejam próximos da Terra.

Apesar de já muito discutido anteriormente, as ameaças do espaço só se tornaram mais agravantes após a queda de um meteorito na Rússia no dia 15 de fevereiro, ao qual deixou muitas pessoas feridas além de estragos materiais.

Os políticos, preocupados com os fenômenos, convidaram o diretor da Nasa para falar sobre o programa espacial e também sobre métodos de prevenção contra objetos vindo do céu.

Os legisladores acabaram não gostando muito do que foi ouviram, porém, deputados governistas e da oposição se mostraram bastante receptivos a ideia de injetar mais recursos para tentar evitar tragédias.

Vale lembrar que a Nasa, atualmente, consegue detectar cerca de 95% dos grandes asteroides que passam perto do nosso planeta, isto é, somente aqueles que possuem diâmetro igual ou superior a 1 Km. Diferentemente dos asteroides pequenos, aqueles que apresentam apenas 50 metros de diâmetro, ao qual somente 10% foram detectados.

Os asteroides que possuem potencial para destruir a Terra, em média, atingem a Terra a cada 1000 nos. “Pelas informações de que dispomos, não sabemos quando um asteroide ameaça a população dos EUA”, afirmou John Holdren. “Mas se acontecer nas próximas semanas, rezem”, aconselhou.

petro 10

petro 11

[Jamais a imprensa e as autoridades apresentarão a lista dos mortos ou divulgarão os retratos, os bonecos na gíria jornalística. Serão sempre pobres desconhecidos, miseráveis anônimos]

BRA_DSM kiss a melhor homenagem e condenar todos os culpados pela tragédia. Todos