Copa do Mundo já chegou nos 40 bilhões de reais

Deputado Romário sobre a Copa do Mundo: “Vão erguer uns puxadinhos aqui, fazer umas maquiagens ali. Tudo mais caro do que deveria por causa da pressa. Muita gente se beneficiará disso. Pode escrever.

Vai chover obra emergencial sem licitação e a corrupção vai correr solta”. Março de 2012.

Noutra entrevista: “A Copa do Mundo vai chegar a R$ 100 bilhões. O valor de todas as obras para a Copa do Mundo vai chegar a R$ 100 bilhões. Pode escrever o que eu estou te falando hoje. Aí eu pergunto: um país que vai gastar R$ 100 bilhões em um evento como a Copa não poderia gastar ao menos 20% desse dinheiro, o que seria viável, e colocar nos nossos hospitais públicos, nas nossas escolas, em instituições como Apae e Associação Pestalozzi, que precisam? Não precisava nem ser 20%. Com 10% desses R$ 100 bilhões você resolve, talvez, 80% dos problemas dessas áreas em cada Estado”. Junho de 2011.

Quando Romário falou em 100 bilhões todos governadores e o ministro dos Esportes desmentiram. Para o Senado, já chegou nos R$ 40 bilhões. Estamos longe de 2014, e perto dos R$ 100 bilhões previstos por Ronaldo. Eta país sem pudor. Sem povo nas ruas.

copadomundo despejo

Escreve Vinícius Segalla: “O custo da Copa do Mundo no Brasil será maior do que a soma do total investido nas últimas três edições do evento, no Japão, Coreia, Alemanha e África do Sul. Além disso, se os orçamentos das obras dos estádios e de infraestrutura urbana e de transporte continuarem a ser reajustados para cima no ritmo atual, a Copa do Mundo do Brasil terminará custando mais do que todas as outras juntas.

A conclusão vem de um estudo da Consultoria Legislativa do Senado Federal. A análise compara as cifras investidas pelos países-sedes em todas as intervenções que levaram a rubrica de “obra da Copa” dada pelos comitês organizadores. Segundo o consultor do Senado Alexandre Guimarães, que ancorou seus cálculos em estudos feitos por institutos econômicos internacionais, as copas do mundo de Japão e Coreia (2002), Alemanha (2006) e África do Sul (2010) consumiram, juntas, US$ 30 bilhões (US$ 16 bilhões, US$ 6 bilhões e US$ 8 bilhões, respectivamente), enquanto todas as Copas da história juntas teriam consumido US$ 75 bilhões.  No Brasil, afirma Guimarães, os gastos atuais, segundo as autoridades de governo e empreiteras envolvidas nas obras somam US$ 40 bilhões.

Trata-se de uma previsão conservadora, baseada no que se espera consumir de recursos em obras que, em muitos casos, ainda nem começaram. Tais projetos costumam ser concluídos com gastos finais muito superiores aos previstos no início da empreitada. Nos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro de 2007, por exemplo, o custo final foi dez vezes superior ao calculado no início das obras. Leia mais

O segredo eterno dos Neros

Empresários, cartolas, especuladores da bolsa, banqueiros, corsários, agiotas, atravessadores do mercado negro – nenhum come queto vai investir nos Coliseus de Dilma e de um grupo de governadores metidos a imperadores.

Implodiram estádios velhos (que desperdício!) para erguer novos. Quando o Coliseu, em Roma, construído por Nero, continua de pé, e rendendo dinheiro. Recebe mais turistas do que qualquer Copa do Mundo.

Vão edificar os novos estádios do Brasil maluco beleza com o dinheiro do PBH. Do Povo Bobo e Humilde, que recebe salário de fome, o salário mínimo do mínimo. Quanto menor o salário, maior o lucro de quem paga. É com este ganho, é com este roubo, e com o apurado da coleta de impostos diretos e indiretos, que os novos Neros vão erguer os estádios.

Construtoras e cartolas e o pessoal lá de cima do Ministério dos Esportes estão de olho na verba. Olho grande. Que a gastança vai ser imensa . E com dinheiro na moita.