Enriquecimento (i)lícito dos políticos e banqueiros

A desonestidade dos políticos vem sendo denunciada nas marchas dos indignados. A novidade é apresentar os banqueiros como patrões ou sócios dos governantes.

A corrupção no Brasil permanece escondida, apesar das denúncias de  casos isolados. Os grandes assaltos – leilões das estatais, proer dos bancos, tráfico de moedas etc – são encobertos pela imprensa. E pelos tribunais que facilitam a eleição de fichas sujas.

A corrupção tupiniquim constitui uma herança portuguesa com certeza. Veja gráfico. Gráfico identifico precisa ser realizado no Brasil.

Os políticos apresentam aos tribunais eleitorais suas declarações de bens. Não sei para que utilidade.

Ninguém rouba sozinho. Todo dinheiro tem origem e destino. Diferentes quadrilhas cuidam do saque, do transporte e da guarda do butim.

Fotos do povo nas ruas em Portugal.

Povo nas ruas, no Brasil, apenas quando convocado pela Globo, pelos pastores e padres eletrônicos, OAB, para enterros de políticos, passeatas pela paz em bairros de ricos, defesa dos salários além do teto de advogados, blindagem de advogados de porta de palácio, parada gay, carnaval fora de época, e shows e festivais superfaturados por prefeitos e governadores, e empresas que descontam todos os nababescos gastos nas declarações esquentadas, com notas frias, do imposto de renda.