Por que dar dinheiro do povo aos banqueiros?

Fernando Henrique inventou o Proer dos bancos. Começou pelo banco das netinhas dele e de Magalhães Pinto.

Apenas para socorrer os bancos estaduais (Proes): R$ 90 bilhões

Revela a Folha: Com os R$ 90 bilhões gastos para cobrir os rombos dos bancos estaduais, o governo poderia:

Aumentar em 4,5 vezes os gastos com saúde pública.

Abrir 300 mil quilômetros de rodovias.

Ainda para a Folha, a ajuda aos bancos privados (Proer)  foi de apenas R$ 20,3 bilhões.

Quem queimou mais dinheiro

A União colocou dinheiro em 32 bancos estaduais. Veja os dez maiores rombos (Valor em bilhões de reais)
Banespa (SP) – R$ 45,5 bilhões
Nossa Caixa Nosso Banco (SP) – R$ 11 bilhões
Banestado (PR) – R$ 5,8 bilhões
Banerj (RJ) – R$ 5,5 bilhões
Bemge (MG) -R$ 2,5 bilhões
Sul Caixa (RS) – R$ 2,3 bilhões
Minas Caixa (MG) – R$ 2,3 bilhões
Besc (SC) – R$ 2,2 bilhões
Bandepe (PE) – R$ 2,2 bilhões
Baneb (BA) -R$ 1,7 bilhões

Com o Proer, o Banco Central cobriu os buracos de bancos privados. Veja as  maiores dívidas (Valor em bilhões de reais)
Nacional– R$ 5.9 bilhões
Econômico -R$ 5,2 bilhões
CEF – R$ 5,0 bilhões
Bamerindus -R$ 2,9 bilhões

Foi muito mais dinheiro. Basta dizer que existem mais bancos socorridos por FHC.

Lula da Silva também teve o Proer dele. Salvou Sílvio Santos, José Ermírio e outros. Por conta da desnacionalização de Fernando Henrique, ajudou bancos e seguradoras estrangeiras. Idem montadoras e latifúndios. Deu carta branca, e o absurdo do perdão antecipado para Meirelles, presidente do Banco Central, realizar as malandragens.

Uma dinheirama que precisa ser auditada. Idem a dívida.

Não esquecer que os rombos bancários viraram processos engavetados pela justiça.

Chávez questiona se EUA provocaram cancro nos líderes sul-americanos

Hugo Chávez
Hugo Chávez
Cristina Kirchner
Cristina Kirchner
Dilma Rousseff com peruca
Dilma Rousseff com peruca
Lula da Silva
Lula da Silva

Hugo Chávez estranhou, esta quarta-feira, o número de casos de cancro entre os líderes da América Latina e perguntou se não terão sido os EUA provocar a doença.

O presidente da Venezuela, num discurso transmitido na televisão, afirmou que “não seria estranho se eles tivessem desenvolvido tecnologia para induzir cancro e ninguém soubesse disso até agora… Não sei. Estou apenas a reflectir”, declarou. “É um pouco difícil explicar isto, perceber isto, mesmo usando a lei das probabilidades”.

As perguntas de Chávez, que sofre de cancro, surgiram depois do anúncio de que a presidente da Argentina tem um cancro na tiróide e que será submetida a uma intervenção cirúrgica a 4 de Janeiro.

Cristina Kirchner, de 58 anos, tem um carcinoma no lóbulo direito da tiróide, mas não apresenta metástases. A doença foi detectada no dia 22 deste mês, durante um exame de rotina. Os médicos que a acompanham dizem que o cancro de que sofre é “perfeitamente curável” e não requer quimioterapia.

Kirchner é a quinta líder política da América do Sul a quem foi detectado cancro desde 2009. A primeira foi Dilma Rousseff, presidente do Brasil. Em Abril de 2009, foi-lhe diagnosticado um tumor linfático que a obrigou a submeter-se a tratamentos de quimioterapia. Dilma, de 64 anos, diz que o problema está ultrapassado.

Também o antigo presidente brasileiro, Lula da Silva, está a travar uma luta contra o cancro na laringe, detectado em Outubro. Lula, que está prestes a terminar mais um ciclo de quimioterapia, irá também fazer radioterapia. (Jornal de Notícias, Portugal)

Dicionário canalha

por Sebastião Nery

Miriam Leitão
Miriam Leitão

SARDENBERG

No “Globo”, o Carlos Alberto Sardenberg, pseudônimo da Miriam Leitão, faz o serviço dos banqueiros : – “No quesito dívida, isso que acontece com a Grécia – não ter dinheiro para pagar seus compromissos externos – já aconteceu com o Brasil, México, Coréia do Sul, Rússia, Argentina. Lembram-se dos pacotes da Era FHC? Eram programas de corte de gastos e aumento de impostos para quê? Fazer caixa para pagar dívida”.

“Lembram-se do início do governo Lula? Aumentou o superávit primário – fez quase o dobro do “neoliberal” FHC – para pagar juros e, assim reduzir o endividamento público. Isso mesmo, segurou gastos com a educação e saúde, para pagar juros. Só por que o mercado exigia”?

 


ROSSI

O mestre Clovis Rossi, na “Folha”, dá uma lição da crise grega:

– “O fato é que a Grécia, sob intervenção européia, só fez regredir nesse ano e meio, qualquer que seja o indicador para o qual se olhe. Cito um, talvez o mais dramático: o número de suicídios nos cinco primeiros meses do ano aumentou 40% na comparação com os cinco primeiros meses de 2010.

Robert Kuttner (“The American Prospect”) explica: -“Papandreou está cansado de ser o agente da destruição econômica de seu próprio país nas mãos dos banqueiros, Está também cansado da impopularidade política que vem com seu papel de corretor da austeridade”.

Kuttner desconfia, além disso, que o premiê resiste a eventual truque da banca para driblar o corte de 50% na dívida grega, decidida pelos europeus há uma semana…Ele está jogando a única carta que tem: se os banqueiros refugarem no alívio da dívida a que se comprometeram em princípio, a Grécia dará o calote. E Papandreou quer que a decisão seja feita pelo povo grego e não pelos burocratas. Do que se pode acusar Papandreou é de não ter tomado decisão parecida antes”.

“Tudo indica que ele se deixou levar pela infernal gritaria dos mercados de que, se a Grécia não pagasse integralmente sua dívida, estaria condenada aos infernos para todo o sempre – o mesmo cantochão que se gritou no caso da Argentina há dez anos e se revelou falso”.

A diferença é que a Argentina tinha um verdadeiro presidente. E continua com uma presidente verdadeira.

PETROBRAS, história

por Sebastião Nery

Há exatos 58 anos, nascia a Petrobras, ao preço de sangue, suor e lágrimas e, logo de saída, um primeiro cadáver, o de Getulio, seu criador. Depois, milhares de técnicos, geólogos, engenheiros, trabalhadores de todos os níveis, a grande maioria jovens, deram vida e alma para o Brasil construir uma poderosa empresa de petróleo, base da sua independência.

Foi o que dizia o “Repórter Esso”: “Testemunha ocular da história”. Jornalista na Bahia no fim dos anos 50 e começo dos 60, vi a Petrobras nascer (e participei) com a primeira grande refinaria pública do País, a de Mataripe, e o primeiro sindicato de trabalhadores do petróleo, o Sindipetro.

***
JURACY

Juracy Magalhães, primeiro presidente, em 53 e 54, contratou para chefiar seu Departamento de Pesquisa, por cinco anos, o geólogo-chefe aposentado da norte-americana Standard Oil, Walter Link. Era a raposa no galinheiro. Fez um relatório maroto: não tínhamos petróleo quase nenhum.

Foi então que um grupo de jovens geólogos, dirigentes do departamento de Exploração da Petrobras, passou a pesquisar não apenas as possibilidades em terra, mas também na plataforma submarina, com descobertas surpreendentes. Não por acaso, no golpe militar udenista-americano de 64, foram quase todos eles demitidos da empresa.

***
GEISEL E FHC

Todas aquelas lutas resultaram na grandiosa empresa que é hoje a Petrobras. E agora, quando ela descobre a bacia do pré-sal (a maior nova reserva de petróleo do mundo), os mesmos que em 53 tentaram inviabilizá-la querem agora fazer dela uma cabeça descartável, um pescoço de rosca.

A operação-traição começou no governo Geisel, com os “contratos-de-risco”, uma maneira disfarçada de quebrar o monopólio da Petrobras pondo as empresas internacionais de petróleo dentro da exploração. Mas elas jamais quiseram investir em risco nenhum e não descobriram nada.

No governo Fernando Henrique, o “mister Lynk da rua Antonia”, tomaram da Petrobras o “monopólio nacional da exploração e do refino”, vendendo a maioria de suas ações e obrigando-a a fazer “parcerias” com as empresas estrangeiras. Mas as “novas parceiras” não puseram um tostão em novas pesquisas. Associaram-se na extração do já descoberto pela Petrobras.

***
PRÉ-SAL

Agora, de repente, quando a Petrobras e seus técnicos descobriram as megabacias do pré-sal, com reservas de até 50 ou 100 bilhões de barris, os gangsters internacionais de sempre soltaram seus perdigueiros, seus cães de fila, como se dizia antigamente, nos jornais, revistas, televisões, Congresso, tentando tirar da Petrobras o comando da exploração do pré-sal.

Ora, se foi ela quem descobriu, cabe a ela comandar a exploração. E a primeira medida, evidentemente, tem que ser assegurar que a Petrobras tenha o controle da exploração e da produção. Para isso, é absolutamente indispensável que ela retome, e logo, a posse da maioria de suas ações, através da nova legislação regulatória da exploração do petróleo.

***
LULA

Lula tem razão: “O Brasil não é da Petrobras. A Petrobras é que é do Brasil. Enquanto estiver embaixo da terra, o petróleo é da União. 62% do capital da Petrobras são privados e, desses, 50% são de americanos. Ficarão assegurados à Petrobras os megacampos descobertos” (“Globo”). O presidente da Petrobras, o bravo baiano Sergio Gabrielli, garantiu:
“A Petrobras terá condições técnicas de explorá-los sozinha”.


Transcrevi trechos do artigo Pescoço de rosca


O povo contra a corrupção: FICHA LIMPA JÁ É LEI

Para pegar ladrão rico o Brasil não tem quase nenhuma lei.
Podemos contar nos dedos de uma única mão.

O fim do cheque ao portador. No governo Fernando Collor.
Ficha Limpa. Projeto do povo, aprovado na Câmara dos Deputados e no Senado, que o presidente Lula da Silva sancionou. Com um inexplicável e espantoso porém: A absolutista e suprema justiça rejeita.

A presidenta Dilma Rousseff tomou a decisão certa:

acabar com a multiplicação das ONGs. Existem pra lá de 400 mil. Agora precisa caçar outros fantasmas

Quantos sindicatos existem no Brasil?
Quanto mais sindicatos, mais fatura uma central sindical.
As centrais sindicais são duas ou três ou quatro ou cinco ou seis?
Essas centrais, além de parir sindicatos e federações, criam ONGs, fundações, institutos & outros mal-assombros.

Lula e Fernando Henrique dois presidentes nocivos

Fernando Henrique viajou um ano e um mês, pelos países do G-20, como leiloeiro do Brasil. Vendeu mais de 70 por cento das nossas estatais. Foi, verdadeiramente, um caxeiro-viajante.

Lula viajou como garoto-propaganda dessas empresas desnacionalizadas. E das montadoras e oficinas estrangeiras.

Os dois governaram para beneficiar interesses dos países ricos. Basta salientar que desde 1981 a Petrobras não constrói uma refinaria no Brasil. Mas ergueu mais de trinta pelos Estados Unidos, Japão, Irão, Bolívia, Argentina, Equador, Paraguai e países da África.

Resultado: a Petrobras é a quarta maior empresa petrolífera do mundo. Descobrimos o pré-sal. E o Brasil continua a importar gasolina a preço de guerra. E a exportar petróleo a preço de banana.

Acontece o mesmo com a água.

A imprensa esconde.

O governo esconde.

A oposição esconde.

O Brasil do Rio Amazonas, o “Mar Doce”, é o maior importador de água do mundo. De água de beber para gado e para irrigar latifúndios estrangeiros. Como explicar este crime?

Somos também o maior exportador de água mineral.  De água potável.

Entregamos nossos aquíferos. Inclusive como caução da dívida.

Veja quem é verdadeiramente Lula da Silva.

Andrés Soliz Rada, escritor e ex-ministro de hidrocarburos da Bolívia no govêrno de Evo Morales:
“El presidente más habilidoso para hacer daño a los países chicos de América Latina fue Lula, te metía el puñal mientras te sonreía”.
Escreve Martín Cúneo:
Para entender por qué las transnacionales siguen controlando el sector de los hidrocarburos en Bolivia hay que remontarse a los primeros meses del Gobierno de Evo Morales, cuando se decretó la nacionalización. Y a unos meses después, cuando se firmaron los contratos de explotación de las empresas trasnacionales. Para ello, nada mejor que hablar con Andrés Soliz Rada, el ministro de Hidrocarburos que firmó el derecho de nacionalización. Y que renunció tiempo después, cuando certificó que la nacionalización había perdido su sentido original por las presiones de las multinacionales.

“El presidente más habiloso para hacer daño a los países chicos de América Latina fue Lula, porque te metía el puñal mientras sonreía y te decía: ‘¿Sabes? A mí me interesa no tener vecinos pobres’. Y mientras tanto te estaba sacando hasta la última gota de todo”, dice Soilz de Rada. El apoyo que dio Brasil al Gobierno boliviano frente a la amenaza separatista de la zona más rica de Bolivia, el Oriente del país, fue el arma que utilizó Lula en la negociación, según el exministro. “En eso hay que ponerle una palabrita de comprensión al Evo”, dice. Leia mais 

Refinaria da Petrobras no Japão
Refinaria da Petrobras no Japão
Refinaria da Petrobras nos Estados Unidos
Refinaria da Petrobras nos Estados Unidos

Caminhada indígena contra estrada da OAS

A rodovia Villa Tunari-San Ignacio de Moxos pelo Território Indígena do Parque Nacional Isiboro Sécure (TIPNIS), está sendo contruída pela OAS, com dinheiro emprestado pelo BNDES, em uma conturbada negociação defendida no começo pela imprensa golpista, e que agora está dividida: na Bolívia, contra; no Brasil, a favor.

imprensa da direita contra estrada
coisa inusitada: imprensa aprova caminhada indígena

La carretera Villa Tunari – San Ignacio de Moxos que pretende construir el gobierno de Evo Morales atraviesa y divide el Parque Nacional y Territorio Indígena Isiboró – Sécure (TIPNIS), una región boscosa muy frágil y un territorio indígena histórico conquislado con la gran Marcha de 1990.

Habitan este territorio desde mucho antes de la colonización española pueblos y pequeños asentamientos indígenas Moxeños, Trinatarios, Yuracarés y Chimanes, y posiblemente pueblos indígenas aislados Yuracarés y Yuquis. Es así que en idioma yuracaré se lo denomina “nowsa came jocre” que significa “esta es nuestra comunidad”, refiriéndose a todos los habitantes y seres vivos del bosque.

Paralela à marcha indígena existe uma articulada e cara campanha dos partidos oposicionistas e de governos adversários de Evo Morales, que entrou nessa fria da OAS atendendo pedido de Lula.

O financiamento de US$ 332 milhões aprovado pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) representa cerca de 80% do custo total da obra. Caso o traçado seja alterado em decorrência do referendo popular o projeto deverá ser reapresentado ao banco. O BNDES afirma que é cedo para comentar o episódio, mas esse é o procedimento normal em caso de alterações em obras de infraestrutura. Segundo Uzêda, o financiamento foi dividido de acordo com os trechos. Mesmo que a discussão sobre a passagem pela reserva continue, isso não impede o financiamento a exportações para os outros trechos.

Para Emílio Telleria, diretor da Câmara de Comércio Brasil-Bolívia, a principal importância do projeto, que faz parte do chamado Corredor Bioceânico, planejado para ligar o porto de Santos, no oceano Atlântico ao de Iquique (Chile), no Pacífico, é a integração da economia boliviana:
– O caminho abre oportunidades para as pessoas se estabelecerem ali, isso aumentaria a integração social.
Os fatores que preocupam os índios são justamente a perspectiva de maior povoamento e a expansão da fronteira agrícola.

Lula pretendia vender todos os bancos brasileiros

A grande ameaça de Lula da Silva era desnacionalizar os bancos oficiais que restam.
Um entreguismo que começou com a privatização dos bancos estaduais por Fernando Henrique.

Até onde foi a queima dos bancos nacionais ninguém sabe. Isto é, a venda de ações. Constitui um conchavo, um conciliábulo que só o diabo sabe. Acontece na Petrobras.

Todo o poder para o Banco Central
era o lema de Lula. Ou melhor dito, todo o poder para Henrique Meirelles, um dupla nacionalidade, um empregado de banqueiros estadunidenses, e residente nos Estados Unidos.
Ainda hoje, Henrique Meireles tem uma

vida pública e privada obscura
Lula deu para ele status de ministro, imunidade de ministro, foro especial, independência de um presidente de agência reguladora, infalibilidade papal, e um incrível perdão antecipado por qualquer crime.
Isso para evitar outro Proer do banco à Fernando Henrique, e a repetição de assaltos tipo Salvatore Cacciola.
Pura empulhação. Farsa. Que Lula realizou o Proer dele, em 2008, na rasteira da crise bancária nos Estados Unidos.

Quanto foi doado por Henrique Meirelles para salvar os bancos? Quantos bilhões? Isso tem a proteção dos tucanos.
Também tem o apoio da grande imprensa a

privatização do Banco Central
como acontece nos Estados Unidos.
Lá o Banco Central é propriedade de banqueiros estadunidenses.

A ameaça persiste
Como defesa, para uma campanha preventiva, imagine que banqueiros assumiriam a posse do Banco Central. Eis o modelo

O luto oficial de Sérgio Cabral

O luto do governador

Sérgio Cabral decretou luto oficial no Estado do Rio de Janeiro, pela morte trágica da amante.
Isso é banalizar uma homenagem que se faz a mortos ilustres, que prestaram relevantes serviços ao país e ao povo.
O serviço amoroso é coisa particular, íntima.

A lamentável tragédia da queda de um helicóptero nas paradisíacas ilhas da Bahia, escancara a vida nababesca de Sérgio Cabral.

Uma tragédia que não foi investigada.
Revela Aurea Catharina Rivera/ Facebook:
Fernanda Kfuri passou uma hora e meia esperando socorro na beira da praia.

Outra estória que agita as redações: Dilma teria um caso com Lula. O que foi noticiado tem cheiro de fofoca. Leia