O jeitinho fiscal de roubar a Prefeitura de São Paulo

BRA_OE Kassab

JB
JB

O ex-subsecretário da Receita Municipal da prefeitura de São Paulo Ronilson Bezerra Rodrigues, acusado de comandar um esquema de fraude que pode ter desviado até R$ 500 milhões do Executivo, afirmou, em telefonema gravado com autorização da Justiça, que o ex-prefeito Gilberto Kassab (PSD) “tinha ciência” do esquema de corrupção.

Novas escutas
Outras gravações de uma reunião dos auditores fiscais suspeitos das fraudes foram encontradas no apartamento de um deles, Luís Alexandre Magalhães. Segundo os investigadores, essa é a prova mais importante até agora contra Ronilson, ex-chefe de Luís Alexandre. A conversa ocorreu, conforme o MP, depois de março deste ano, quando o grupo descobriu que a Controladoria da prefeitura de São Paulo estava investigando todos eles por suspeita de enriquecimento ilícito. Luis Alexandre sentiu que poderia sobrar só para ele e começou a gravar encontros do grupo e fazer cópias do material.

Nas gravações, Luis Alexandre diz que não vai ser “bode expiatório” do grupo. “Eu não tava nessa sozinho. Eu tenho todos – todos – os números de certificado. Eu não vou ser bode expiatório”, disse. “Não vai. Porque eu vou estar contigo”, responde Ronilson, que continua: “Você não vai precisar me entregar. Sabe por quê?”. Nervoso, Luís Alexandre rebate: “Eu levo a secretaria inteira. Vai todo mundo comigo. Eu te dei muito dinheiro. Te dei muito dinheiro.” Ronilson, então, responde: “Você sabe por que que você me deu dinheiro? Você sabe por quê? Porque eu te deixei lá”. Luís Alexandre finaliza: “Isso. Então tá todo mundo junto.”

Veja como funcionava o esquema dos fiscais corruptos

Caso de Polícia Federal! Presidente da Assembléia Legislativa do Maranhão ameaça matar o jornalista Luís Pablo

por Luís Pablo

jornalista ameaça censura

O presidente do Poder Legislativo do Maranhão, deputado Arnaldo Melo (PMDB), ameaçou, agora há pouco, na presença de deputados, que vai matar o titular deste blog.

Arnaldo Melo disse que pode perder o mandato de deputado e a presidência da Assembleia, mas vai mostrar que é homem. Nem que para isso seja preso.

A reação irascível do presidente da Assembleia Legislativa foi por conta da matéria que o blog publicou sobre a sua esposa, Valderês Melo – presidente do Gedema, está utilizando carro alugado pelo legislativo maranhense (revejaAQUI e AQUI).

Em momento algum o titular do blog desrespeitou a mulher do deputado, apenas deu a notícia de que ela está usufruindo de um carro pago com o dinheiro da Assembleia. E isso é notícia, principalmente para a grande imprensa.

Agora, é um absurdo que num tempo em que vivemos, um presidente de um poder venha a fazer esse tipo de ameaça contra a imprensa livre. Logo ele, que comanda uma Casa Legislativa que carrega a frase do senador José Sarney: “Não há democracia sem Parlamento livre”.

Leia comentários 

Noutro post, comentou Luís Pablo:

O titular deste blog recebeu muitas ligações de pessoas querendo saber como foi que ocorreu a ameaça por parte do deputado Arnaldo Melo (PMDB), presidente do Poder Legislativo do Maranhão.

Melo, após ser informado da notícia que saiu neste blog sobre sua esposa, Valderês Melo – que está usando carro alugado pela Assembleia Legislativa, ligou na mesma hora para o jornalista e blogueiro Luis Cardoso, pai do titular desta página, para fazer a ameaça.

“Quero lhe falar na presença dos deputados que estão aqui comigo, que se o seu filho voltar a tocar no nome da minha mulher, eu não vou mandar fazer, eu mesmo vou matar ele, nem que para isso eu perca meu mandato de deputado, a presidência da Assembleia ou até mesmo ser preso”, ameaçou o presidente do legislativo, jurando de morte o titular deste blog.

Pergunto aos mais de 10 mil leitores diários deste blog: como é que um político que liga para um pai de família e diz que vai matar seu filho pode representar o povo numa Casa Legislativa? Como é que um político que age dessa forma poderá ser o representante do Governo do Estado? Como é que um médico que jurou salvar vidas pode querer tirar a vida de uma pessoa?

Toda pessoa que resolve entrar na política tem que entender que irá exercer um cargo público e quando acontece uma denúncia, é porque tem algo de errado ou ilegal.

Agora, se a pessoa não gosta de ser criticado é só deixar o cargo e não tentar resolver os problemas na base da agressão ou da bala para calar a imprensa e a liberdade de expressão, assim como aconteceu com o jornalista Décio Sá, que foi brutalmente executado.

Quero dizer ao presidente Arnaldo Melo que nenhum crime é perfeito e que quando matam um repórter, jornalista, radialista ou blogueiro, no dia seguinte tem mais 10 na fila para cobrar, criticar e exigir uma boa administração com a coisa pública.

Jornalistas e blogues censurados. A inquisição judicial

CELSO LUNGARETTI

Celso Lungaretti
Celso Lungaretti

Fui ativista estudantil (1967/68). Militante clandestino (1969/70). Preso político (1970/71). Tenho travado o bom combate, lutando por um Brasil mais justo, defendendo os direitos humanos, combatendo o autoritarismo.

Sou jornalista desde 1972. Crítico de música e de cinema. Cronista. Poeta. Escritor. Blogueiro.

Tentei e não consegui eleger-me vereador em São Paulo. Mas, orgulho-me de ter feito uma campanha fiel aos objetivos nortearam toda a minha vida adulta: a construção de uma sociedade igualitária e livre, tendo como prioridades máximas o bem comum e a felicidade dos seres humanos.

Em que a exploração do homem pelo homem seja substituída pela cooperação solidária do homem com os outros homens. Em que sejam finalmente concretizados os ideais mais generosos e nobres que a humanidade vem acalentando através dos tempos: justiça social e liberdade.

Se nem a web eu puder utilizar para espalhar minhas mensagens, que chance terei neste confronto extremamente desigual com as grandes máquinas políticas e seus igualmente grandes corrupt…, quer dizer, doadores.

Caso se trate de uma determinação do TSE, partiu de alguém que não entende absolutamente nada de internet… nem de democracia!

LUÍS CARDOSO

Luís Cardoso
Luís Cardoso

Por determinação da juíza Luzia Madeiro Nepomuceno, o blog de Luís Cardoso vai ficar fora do ar por 24 horas.

Desde a manhã desta quinta-feira, dia 23, é impossível acessar a página do jornalista na internet.

A decisão foi motivada por pedidos dos advogados da candidatura do petista Washington Oliveira à prefeitura de São Luís, que entenderam algumas postagens do blogueiro como sendo propaganda negativa.

Segundo Luís Cardoso, primeiro foi uma decisão da mesma juíza para a retirada de uma enquete sobre todos os candidatos; depois veio a determinação para retirada de posts que continham críticas ao candidato e em seguida a retirada completa do ar.

Luís Cardoso diz ter recebido as decisões como ações da Justiça contra a liberdade de expressão e por isso vai tomar todas as medidas necessária contra a suposta censura.

– Já estou providenciando denúncia contra essa juíza na Corregedoria da Justiça e no CNJ contra essas decisões que me causou susto pelo fato dela atender todos os pedidos dos advogados da campanha do candidato Washington Oliveira – afirmou Luís Cardoso

PAULO CEZAR ANDRADE PRADO

Paulo Cezar Andrade Paulo
Paulo Cezar Andrade Prado

Faz quase seis meses o “Blog do Paulinho” foi censurado, em decisão judicial típica dos tempos da ditadura.

A juíza, que cuida do caso, emitiu uma ordem proibindo todos os servidores do Brasil de proporcionarem acesso a nosso espaço.

Em clara desobediência às leis nacionais e também a nossa Constituição.

Entrei com recurso, há quatro meses, e estou, até agora, na dependência da boa vontade do judiciário.

Durante este tempo, alguns provedores, mesmo com ordens em contrário, mantiveram o acesso da população brasileira às nossas notícias.

No dia de hoje, até eles, tiveram que impedir nossa comunicação, devido a novo despacho, intimidador, da mesma juíza.

No aguardo da decisão, em segunda instancia, nos mantivemos inertes, aceitando o fluxo de público oriundo dos provedores ainda abertos, e orientando àqueles que não conseguiam nos acessar a fazê-lo pelos serviços de “Proxy”, espalhados pela web.

Hoje, com a clara evidência da perseguição que estamos sofrendo, decidimos agir de maneira diferente.

Nas próximas horas, estaremos fora do ar, alterando nosso servidor, para então, retornarmos, com força total, em todos os provedores.

 YOANI SÁNCHEZ

Sempre citada como exemplo de que não existe democracia em Cuba, Yoani Sánchez   
é demasiadamente festejada pela imprensa brasileira, notadamente pelos jornalões e revistas de papel cuchê que defendem a liberdade de imprensa das empresas, mas nega a livre expressão para os empregados jornalistas e jornalistas independentes.
Blogues e jornalistas censurados não são notícias na nossa imprensa. Esse silêncio cúmplice facilita a santa censura dos Tomás de Torquemada. Veja vídeo