Presenteados amigos ocultos dos sorteios secretos da Caixa Econômica

Eu não acredito em nenhum jogo de azar que esconde os nomes dos beneficiados pela sorte. Mesmo que seja bancado pelo bicheiro Cachoeira.

Eis uma lista, que apenas revela nomes de políticos. Sempre sobra para os políticos.

Agência Floripa:

Com a maior evolução patrimonial nos últimos quatro anos entre os vereadores de São Paulo, Wadih Mutran (PP) creditou seu enriquecimento a três bilhetes de loteria premiados.

Reportagem publicada nesta quinta-feira (12) mostra que Mutran (PP) dobrou sua riqueza entre 2008, quando declarou ter R$ 1,9 milhão à Justiça, e 2012, quando informou R$ 3,8 milhões.

No intervalo, afirma, ganhou R$ 600 mil na loteria federal, em 2009. “Era uma trinca. Três bilhetes, cada um com prêmio de R$ 200 mil.”

O vereador não é o primeiro caso de político que diz ter sorte de ganhar prêmios na loteria.

O mais notório foi o deputado João Alves, morto aos 85 anos em 2004 e que ficou conhecido pelo envolvimento no escândalo dos Anões do Orçamento na década de 1990.

Alves renunciou ao cargo de deputado em 1994 para escapar de um processo de cassação e de perda de direitos políticos, mas não voltou a se candidatar.

Para justificar o seu alto padrão de vida, alegava ser um ganhador contumaz de loterias –teriam sido 221 prêmios.

Em 2004, levantamento feito pela Receita Federal e pelo Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) também mostrava dois políticos ganhando nas loterias da CEF (Caixa Econômica Federal) diversas vezes.

O ex-deputado Francisco Garcia Rodrigues, que estava no PP do Amazonas, acertou, junto com o seu filho, 43 vezes em 21 jogos diferentes entre os anos de 1996 e 2000.

Entre 1996 e 1998, eles receberam juntos R$ 811 mil. Na época, em entrevista à Folha, Rodrigues atribui sua sorte ao “envolvimento” que tinha com futebol e ao uso do “computador”.

Outro caso relevado no mesmo período foi o do deputado Fernando Lucio Giacobo (PR -PR ), que acertou 12 vezes em oito jogos em um período de 12 dias. Ao todo, recebeu R$ 134 mil.

“Só tem sorte. E existe Deus, ele deu uma olhadinha lá e uma benzida”, disse Giacobo, em entrevista publicada na época.

Morto em 2010, o deputado José Janene, que foi um dos réus do mensalão, relevou em declarações para a Justiça Eleitoral ter ganhado R$ 36.184 na Mega-Sena em 2001.

Fortuna em dinheiro de jogo ilegal encontrado no esgoto

A Polícia do Rio de Janeiro, no Brasil, encontrou esta terça-feira uma grande quantia em dinheiro e até um cheque de dois milhões de reais na casa de um familiar do presidente da escola de samba Grande Rio e suspeito de envolvimento em jogo ilegal.

foto PABLO JACOB/O GLOBO/AFP
Fortuna em dinheiro de jogo ilegal encontrado no esgoto

A elevada quantia em dinheiro foi encontrada por agentes da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) na casa de um tio de Hélio Ribeiro, conhecido como Helinho, presidente administrativo da escola de samba Grande Rio e um dos suspeitos de envolvimento num esquema de corrupção do jogo do bicho. O dinheiro estava escondido em paredes e no esgoto da casa.

O líder do jogo ilegal está em fuga desde que foi desencadeada a operação “Dedo de Deus”, na passada quinta-feira.

A residência de Helinho, na Barra da Tijuca, foi cercada durante a madrugada desta terça-feira. Após uma busca foi encontrada escondida uma grande quantidade de dólares, euros e reais, além de um cheque no valor dois milhões de reais.

Um dos advogados de Helinho também foi detido por suspeita de destruição de provas.

Desde o início da operação “Dedo de Deus” mais de 40 pessoas já foram presas. Entre os detidos estão o ex-prefeito da cidade de Teresópolis, Mário Trincano, apontado como chefe do jogo ilegal na região serrana do Rio, dois polícias militares da cidade de Duque de Caxias, membros de escolas de samba e um guarda municipal.

 (Jornal de Notícias, Portugal)

Privatização da Petrobras transformou o Rio em um inferno. Um mar de lama podre. A cidade um campo minado

Bombeiros do quartel Central foram chamados para checar um vazamento de gás, na manhã desta terça-feira (22), na esquina das ruas Alcindo Guanabara e Senador Dantas, no Centro do Rio. Segundo testemunhas, há um forte cheiro de gás no local.
De acordo com os bombeiros, o local está isolado.

Os bueiros passaram a ser um campo minado. Quando um explode, a explicação para os imbecis: jogaram um ponta de cigarro. O Ségio Cabral devia proibir fumar nas ruas: nem tabaco, nem maconha – avisaria em filmetes na Globo.

Cesó el derrame de petróleo frente a Río de Janeiro

El gobierno brasileño anunció en la noche del lunes que cesó el derrame de petróleo en un pozo operado por la empresa estadounidense Chevron, iniciado el 8 de noviembre, en un yacimiento ubicado a 370 kilómetros de la costa del estado de Río de Janeiro. Derramado el equivalente a unos 3.000 barriles de petróleo según el gobierno y 2.400 para la empresa, en las aguas del norte del estado brasileño. (Telam)

Eta Rio Janeiro desgovernado e pirateado. Coisa de cidade murada.
Eta Brasil dos corsários. O petróleo dá na canela. Tanto que derrama. É quase todo exportado, a preço de banana podre, que o Brasil não tem refinarias. Desde 1981 que não constrói nenhuma. Isso para continuar importando gasolina a preço de guerra.

Para distrair o povo, o governador escolhe uma favela para invadir. Coisa fácil. O Rio tem mais de mil favelas.
E faz da invasão o maior carnaval.
Invasão anunciada: os bandidos ficam esperando para ser presos pela polícia-milícia.
Sempre matam moradores. Matar no Rio faz parte do jogo de bicho.
Que o povo é bicho.
Ou lixo.