Premiê ucraniano acusa Rússia de querer a ‘terceira guerra mundial’, que jamais existirá. Seria a última e o fim da humanidade

Kiev, por Alfredo Martirena
Kiev, por Alfredo Martirena

As bombas nucleares são inúteis para uma guerra. Servem apenas como garantia de que um país do fechado clube de nações atômicas jamais será invadido.

Esta a razão da Guerra Fria, que durou do final da Segunda Guerra Mundial (1945)  à extinção da União Soviética (1991), entre os Estados Unidos e a Rússia nunca ter esquentado.

O Papa João XXIII escreveu, em 1935, na Turquia, fatos que deverão ocorrer até o ano de 2033. Duas de suas profecias transformei em poemas inéditos em livro, que espero publicar este ano.

 

A NOVA ESCRAVIDÃO
(Profecia do Papa João XXIII)

Por Talis Andrade

 

A grande arma explodirá no Oriente

deixando eternas chagas

Esta imprudente covardia

sobre a carne do mundo

jamais será cancelada

A grande arma

inútil para a guerra

possui a única finalidade

de apavorar as nações

.

Falar-se-á de paz

mas as armas estarão sempre ocultas

A águia o urso o tigre

há um longo tempo armazenam ogivas nucleares

nas entranhas de submarinos e aviões

.

 

Nas entranhas da terra

no fundo do mar

nas frias luas que escurecem o céu

mochos metálicos chocam os ovos da morte

 

.

Homens voarão ao céu

e os homens se entusiasmarão

Deveriam chorar

O mal conquista o céu

para golpear a terra

Deveriam chorar

 

As conflitos são localizados, e com armas convencionais, sejam invasões colonialistas ou guerras internas financiadas por países do Primeiro Mundo.

Mali bombas

Mente o primeiro-ministro interino da Ucrânia, Arseni Yatseniuk, quando propaga que a Rússia está disposta a iniciar a Terceira Guerra Mundial. Segundo o premiê, o governo russo tem apoiado as manifestações separatistas no leste do país.

Arseni vê as últimas ações da Russia como uma forma de afrontar a soberania do povo ucraniano. “O europeu ainda não esqueceu a Segunda Guerra e as recentes ações de Putin é querer reviver o horror pelo que o mundo passou”, afirma.

O premier fez um apelo para que a comunidade internacional se posicione contra ao apoio russo aos movimentos separatistas e terroristas pois ao fazer isso, a Rússia comete crimes internacionais.

O ministro da Defesa ucraniano, Mykhailo Koval, afirmou que o exército russo tem realizado inúmeras ações militares na fronteira com o país e em muitos casos, ficam a menos de um quilômetro de distância. Além dos soldados, Koval informou que helicópteros também têm feito das operações russas e, segundo, a Ucrânia está preparada para revidar a qualquer ataque que a Rússia tente fazer.

O clima de instabilidade política na Ucrânia e a tensão com a Rússia, sobretudo após a anexação da Criméia, deram início a movimentos separatistas com idéias afins às russas. Koval assegura que a partir de agora, o país combaterá a qualquer tentativa de independência dentro do país.

Pró-Ocidente, na concepção do governo provisório ucraniano, terrorista é todo o cidadão ucraniano que possui um posicionamento favorável à Rússia.

 

A TERRA ESTÁ MUDANDO
(Profecia do Papa João XXIII)

por Talis Andrade

 

As luzes do céu
azuis vermelhas verdes velozes
naves celestiais
descerão das nuvens

Alguém que vem de longe
deseja contatar os homens da terra
trazendo uma mensagem de paz
a cura para a grande peste

Alguém que vem de longe
tenciona mostrar um sentido para a vida
além do fugaz prazer das drogas
e da beleza dos jovens além
da presumida sabedoria dos velhos

Deixarão os homens de adorar o deus da guerra
para apertar a mão de alguém que vem de longe
De adorar o deus do ouro para ouvir a voz
de um ser que vem de longe

Os homens não vêem a terra está mudando

Zapatos sucios. Papa Francisco: De poco sirve emerger de la pobreza si la sociedad deja atrás a multitud de minusválidos y enfermos, drogadictos y presos, maltratados y prostituidos, parados y desposeídos

por Lluís Bassets

Jorge Bergoglio no cuida de sus zapatos. Son los de un cura andariego, poco atento al atildamiento de un príncipe de la Iglesia. Se vio ya en el primer momento, cuando la foto de sus zapatones de papa recién elegido contrastaba con los esmerados mocasines rojos de Benedicto XVI.

No es solo el diablo el que está en los detalles. El papa Francisco lleva su cartera atiborrada de papeles y circula en utilitario, el Ford Focus o el Fiat Idea de las clases medias emergentes, en vez de los Mercedes y BMW de los ejecutivos. Los pastores no tienen remilgos en mezclarse con las ovejas ni en hundir los pies en el barro.

Su mensaje inicial aparece en toda su magnitud en su primer viaje internacional esta pasada semana. Este hombre que escogió como papa el nombre del pobrecillo de Asís quiere una Iglesia pobre y para los pobres. El primer país católico del mundo así lo ha entendido a la primera: no hacen falta muchos teólogos para captar el mensaje.

Brasil es uno de los países emergentes, que va a contar y ya cuenta en el nuevo reparto de poder mundial en el siglo XXI. Su fuerza está en sus clases medias, estas multitudes que están accediendo a costa de sudor y sufrimientos a la educación, la vivienda, la sanidad y el bienestar. Su debilidad, en cambio, en los que quedan en el camino y los que no consiguen subir el peldaño.

A pedir la atención y su cuidado dedica Francisco sus sermones de cura de aldea. De poco sirve emerger de la pobreza si la sociedad deja atrás a multitud de minusválidos y enfermos, drogadictos y presos, maltratados y prostituidos, parados y desposeídos. A ellos ha dedicado sus primeros cien días y sus primeros viajes, el que hizo a la isla de Lampedusa para recabar solidaridad con los inmigrantes tachados de ilegales, y ahora a Latinoamérica, su continente y continente también de los desposeídos.

No los ha dedicado, en cambio, a la moral sexual y reproductiva, donde el conservadurismo católico busca su identidad y su frontera con la sociedad laica, a pesar de que su instalación en el Vaticano ha coincidido con los mayores avances legales del matrimonio entre personas del mismo sexo en Estados Unidos y Francia. ¿Significa eso que Bergoglio está a favor del aborto, del matrimonio gay y de la reproducción asistida? En absoluto: pero sí nos dice con la elección de los temas de su preferencia que considera mucho más importante arrastrar sus zapatos de pastor junto a los parias de la tierra.

Hay euforia en la Iglesia católica con el nuevo Papa. Cosas así no se habían visto desde hace al menos medio siglo, cuando llegó al papado Juan XXIII, el hombre que suscitó la admiración de la filósofa judía y agnóstica Hannah Arendt por el hecho insólito de que un cristiano verdadero alcanzara la sede de San Pedro. ¿Sabían entonces realmente los cardenales a quién habían elegido? ¿Lo sabían ahora?.

Reparem nas 7 diferenças. 1. Mudou o trono dourado por uma cadeira de madeira ... algo mais apropriado para o discípulo de um carpinteiro. 2. Ele não aceitou a estola vermelha bordada a ouro roubada do herdeiro do Império Romano, ou a capa vermelha. 3. Usa mesmos sapatos pretos velhos, não pediu o vermelho clássico. 4. Usa a mesma cruz de metal, nenhuma de rubis e diamantes. 5. Seu anel papal é de prata, não de ouro. 6. Usa sob a batina as mesmas calças pretas, para lembrar-se de que é apenas um sacerdote. Você já descobriu a sétima diferença? 7. Retirou o tapete vermelho, parece que não se interessa tanto pela fama e aplausos.
REPAREM AS SETE DIFERENÇAS:

1. Mudou o trono dourado por uma cadeira de madeira.
2. Ele não aceitou a estola vermelha bordada a ouro, nem a capa vermelha.
3. Usa os mesmos sapatos pretos velhos, não pediu o vermelho clássico.
4. Usa uma cruz de metal, nenhuma de rubis e diamantes.
5. Seu anel papal é de prata, não de ouro.
6. Usa sob a batina as mesmas calças pretas, de quando era apenas um padre.
7. Retirou o tapete vermelho.

Censura da ditadura ou da justiça. Qual a diferença?

Até a abertura política, pela própria ditadura, em cada redação, um coronel. Nos primeiros dias do golpe (1964) eles estavam presentes fisicamente. Depois passaram a mandar ordens escritas não assinadas.

Acontecia no jornalismo, no teatro, no cinema, na biblioteca, na livraria, na tv etc.

Os coronéis desapareceram. Foram substituídos por juízes. Ou desembargadores. A justiça determina, sem nenhum constrangimento, o que se pode ler, ouvir ou ver.

Um poder religioso. Acontece ainda em diversos países. Os sacerdotes censuram em nome de Deus ou deuses.

Importante lembrar que a Bíblia foi para os católicos, por muito tempo, um livro proibido. E apenas reconhecida sua versão em latim. Uma língua morta com a queda do Império Romano.

A dificuldade de ler em hebraico, grego ou latim, fez surgir os Apócrifos.

É difícil impedir a liberdade de expressão. Apesar dos sermões nas missas na Língua das Catacumbas, muito do que se sabia da vida terrena de Cristo, mesmo depois da Reforma Luterana, tinha e tem os Apócrifos como fonte.

E nunca esquecer que os papas criaram o Index, a lista dos livros proibidos, abolida em 1962 pelo papa João XXIII, no Concílio Vaticano Segundo.

E para quem acredita em profecias:

“E novas palavras conquistarão a Terra.
Repetidas do Cristo. Repetidas por seus novos
filhos. Será momento de despertar e de grandes
cantos.
Os rolos serão encontrados nos Açores e falarão
das antigas civilizações que ensinarão aos
homens antigas coisas deles desconhecidas.
A morte será afastada e pouco será o
sofrimento. As coisas da Terra, por meio dos
rolos, falarão aos homens das coisas do céu (Papa João XIII)”.

 

AçoresAçores 2Açores3Açores4

Açores

Selos do Apocalipse

por Talis Andrade

natureza20das20estrelas2

A TERRA ESTÁ MUDANDO

(Profecia do Papa João XXIII)

.

As luzes do céu

azuis vermelhas verdes velozes

naves celestiais

descerão das nuvens

.

Alguém que vem de longe

deseja contatar os homens da terra

trazendo uma mensagem de paz

a cura para a grande peste

.

Alguém que vem de longe

tenciona mostrar um sentido para a vida

além do fugaz prazer das drogas

e da beleza dos jovens além

da presumida sabedoria dos velhos

.

Deixarão os homens de adorar o deus da guerra

para apertar a mão de alguém que vem de longe

De adorar o deus do ouro para ouvir a voz

de um ser que vem de longe

.

Os homens não vêem a terra está mudando

In Selos do Apocalipse, livro inédito

Selos do Apocalipse

por Talis Andrade

João XXIII
João XXIII

 

A NOVA ESCRAVIDÃO

(Profecia do Papa João XXIII)

 

A grande arma explodirá no Oriente

deixando eternas chagas

Esta imprudente covardia

sobre a carne do mundo

jamais será cancelada

A grande arma

inútil para a guerra

possui a única finalidade

de apavorar as nações

 

Falar-se-á de paz

mas as armas estarão sempre ocultas

A águia o urso o tigre

há um longo tempo armazenam ogivas nucleares

nas entranhas de submarinos e aviões

 

Nas entranhas da terra

no fundo do mar

nas frias luas que escurecem o céu

mochos metálicos chocam os ovos da morte

 

Homens voarão ao céu

e os homens se entusiasmarão

Deveriam chorar

O mal conquista o céu

para golpear a terra

Deveriam chorar

In livro inédito Selos do Apocalipse

 

 

São Malaquias: Pedro II, o último papa. O temor da profecia e a canditadura do arcebispo de São Paulo

São Malaquias
São Malaquias

Nas discussões informais em Roma, quem encabeça a lista dos papáveis atualmente é o cardeal italiano Angelo Scola, da arquidiocese de Milão, uma das mais importantes da Itália. A lista dos nomes considerados traz ainda outros representantes da Europa, Canadá, Estados Unidos e também da América Latina – entre eles, o brasileiro Odilo Pedro Scherer, arcebispo de São Paulo.

Dom Odilo Pedro Scherer
Dom Odilo Pedro Scherer

Pela profecia de São Malaquias, o papa que substituirá Bento (Benedito) XVI será Pedro II. São Pedro foi o primeiro papa.

Os papas foram anunciados por frases que identificavam o local de nascimento, ou família, ou brasão, ou apelido, ou pontificado etc.

Por exemplo: De Medietate Lunae – Ou, Da Meia-Lua. O papa João Paulo I morreu um mês após se tornar papa (ou seja, reinou pelo período de um mês lunar). Correm rumores sobre a morte deste pontífice. Que teria sido assassinado ao tentar “sanear” o banco do Vaticano e anular a influência da máfia italiana.
Malaquias inclui uma frase sobre esse papa: Salve amore, pater nostro, mediatore sactissimo, presunta victima (Salve, amado pai, santo mediador, futura vítima).

Bento VI – Gloria Olivae –  Ou Mensageiro da Paz. Seu pontificado não será longo e, no final, ele abandonará o papado. Mas para Roma retornará a fim de concluir a tarefa que lhe foi predestinada. Parece que parte da profecia aconteceu com sua renúncia.

O último papa do fim dos tempos seria Pedro Segundo. Sobre este papa prefetizou Malaquias:  Tu, in desolacione suprema sede. Ecce Petrus Romanus, ultimus Dei veri Pontifex!  (Na suprema desolação do mundo, reinará Pedro, o Romano, o último papa do Deus verdadeiro!). E acrescenta: Roma nefans destruitor et judex tremendus judicabit triumphans omnes populos. (Roma, a criminosa, será destruída, e o Tremendo Juiz julgará triunfante todas as nações).

O papado de Pedro II terminaria ainda este ano. “Será crucificado como o príncipe dos apóstolos”.

Falta saber a influência dessa profecia para o papável Odilo Pedro Scherer.

No livro “Estranho Mundo dos Profetas”, indaga Gérard de Sède:

“À profecia atribuída a Malaquias sobre os papas vieram se acrescentar as profecias atribuídas aos próprios papas. Realmente, qual é a autoridade de maior prestígio e qual é a boca mais abalizada para falar de uma profecia do que a autoridade e a boca do próprio chefe supremo da Igreja Católica?

Consta que, quando o Papa Pio X (canonizado mais tarde) morreu, suas últimas palavras foram:

‘Vi um de meus sucessores, com o mesmo nome que eu, fugir por cima dos corpos dos seus irmãos. Ele se refugiará incógnito em algum lugar, e depois de um breve intervalo, terá uma morte cruel’.

Da mesma forma, afirmaram que Pio XI (falecido em 1939) profetizou o próximo fim do cristianismo, e o nascimento de uma nova religião, cujos adeptos iriam perseguir os cristãos.

Pio XII declarou publicamente em 1947: ‘Os homens devem se preparar para resistir a provações tais, como o mundo ainda não conheceu”.

João Paulo XX tinha o dom profético. Sobre os últimos tempos da Igreja esscreveu:

“É o tempo dos dois imperadores. E a Mãe não
tem pai, porque são muitos os que querem ser
seu pai. Elevam-se os gritos e as barreiras
da contenda, mas já das águas sai a Besta
(…) Na Mãe estará a guerra, e os rebanhos se
dispersarão. Então alguém gritará sangue e
será ouvido. Ai de quem tiver gritado , pois
será o seu o primeiro a correr.
Meia-lua, estrela e cruz se encontrarão.
Alguém manterá alta a cruz negra. Do vale do
Príncipe virão os cavaleiros cegos. Atrás
deles, os corvos da fome, da carestia, da
peste. Para onde acreditarás fugir, agora que
destruístes as igrejas e assassinastes o
último Pai?

Acontece que toda profecia promete o fim de um tempo, para o surgimento de outro.

Ainda João XIII:
“Os rolos serão encontrados nos Açores e falarão
de antigas civilizações que ensinarão aos
homens antigas coisas deles desconhecidas.
A morte será afastada e pouco será o
sofrimento. As coisas da Terra, por meio dos
rolos, falarão aos homens das coisas do céu.
(…) O tempo não é aquele que conhecemos.
Temos irmãos vivos, irmãos mortos. Nós somos
nós mesmos, o tempo nos confunde.
Bem-vindo, Artur, rapazinho do passado. Tu
serás a prova. E encontrarás o Pai da Mãe”.

livro-as-profecias-de-so-malaquias-de-peter-bander_MPT-F-2923833235_072012