Conheça o salário que João Paes Mendonça paga aos jornalistas

re3

Greve dos Jornalistas em Pernambuco

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Pernambuco vem realizando campanha contra a intransigência patronal, cobrando das empresas de comunicação de Pernambuco uma efetiva negociação e a instituição de um piso salarial para jornalistas com valor de R$ 1.650,00.

Presidenta do Sinjope, jornalista Claudia Eloi faz panfletagem pelo salário piso
Presidenta do Sinjope, jornalista Claudia Eloi faz panfletagem pelo salário piso

Estão na luta, jornalistas, gráficos, radialistas e publicitários dos Associados Pernambuco (Diario de Pernambbuco, AquiPE, portal Pernambuco.com, rádios Clube AM e FM e TV Clube/Record) e do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação do Grupo João Carlos Paes Mendonça – SJCC/JCPM (Jornal do Comércio, portal NE10, rádios Jornal e JC/CBN).

No passado, participei com Joezil Barros, um dos principais líderes sindicais de Pernambuco, das batalhas sempre perdidas por um salário digno para os jornalistas. Inclusive disputei com Joesil a presidência do Sinjope. Deu empate. Saudosos tempos.

Jornalista Joezil Barros
Jornalista Joezil Barros
Os jornalistas realizaram ato de protesto no prédio do Jornal do Comércio (foto a baixo). Não faltou a presença da polícia do governador Eduardo Campos.
Duas viaturas e uma motocicleta da Polícia Militar de Pernambbuco compareceram ao local. O prédio que foi “isolado” com fita zebrada, o que provocou indignação. “Não somos bandidos, somos profissionais que reivindicam respeito”, resaltava-se do carro-de-som. “Este é um protesto pacífico!”, reiterava Cláudia Eloi.
Parada SJCC

De costa para o povo

Os prefeitos petistas do Recife acabaram com as feiras livres.
E, praticamente, fecharam os mercados públicos.

É o Recife dos supermercados e dos shoppings. Dos monopólios. Dos preços lá em cima. Que não há concorrência.
Nada de construir mercado público. O dinheiro é para mais um shopping de João Paes Mendonça. Na Bacia do Pina. Tão abrindo os cofres da Prefeitura e novas ruas e avenidas. Todos os novos caminhos vão dar no novo shopping. Que vai fechar pequenas bodegas, vendas, papelarias, lanchonetes, bares, lojas de miudezas, todos os pequenos negócios no bairro.

É isso aí. A Prefeitura do Recife, desde João Paulo, permanece de costa para o povo. Coisa dos Joãos. Que os ricos faturem a pobreza.

A sesmaria da fábrica Bacardi vira shopping no Recife

Torres de luxo cercarão o shopping
Pertinho do mar, para o deleite dos ricos
Vista panorâmica dos moradores das torres

Escrevi hoje no faceboox:

Todo o dinheiro da prefeitura visa criar uma estrutura para o Coliseu da Copa do Mundo e para mais um shopping de João Paes Mendonça na Bacia do Pina.

Um shopping com várias torres de apartamentos de luxo, do mais alto luxo. Próximas já existem duas. Com histórias bem suspeitas.

Um shopping em um terreno doado pelo governo para a Bacardi. A doação foi justificada na época: Uma destilaria de rum salvaria a lavoura da cana de açúcar. Como a Bacardi correu de Cuba, com a vitória da luta armada de Fidel Castro, fez parte de uma propaganda que preparava o golpe de 64.

A Bacardi fechou. De quem é esse terreno, que passou a valer bilhões com as obras de infraestrutura construídas e que estão sendo realizadas também pelos governos do Estado de Pernambuco e da União?

Qual o interesse público nesse shopping, ou futuro condomínio fechado, com cais, heliporto, jardins e mais jardins e parque?

Que seja uma agressão aos cofres públicos tudo bem. Faz parte dos costumes brasileiros. E o que dizer do meio, ou melhor de todo ambiente?