Vandalismo. Os ladrões quebraram os cofres da Prefeitura de São Paulo

Contados, contadinhos: quinhentos milhões roubados. É muito mais. Devem ser bilhões. Eis a roubalheira dos passivos fiscais da Prefeitura de São Paulo. Falta a relação dos corruptores ativos que comiam. Dos empresários que sonegavam impostos, pagando milionárias propinas.

“CHAMA O SECRETÁRIO E OS PREFEITOS QUE EU TRABALHEI. ELES TINHAM CIÊNCIA”

fiscais passivos

Publica 247: Frase foi dita pelo suposto chefe da máfia dos fiscais de São Paulo, Ronilson Bezerra Rodrigues; sim, suposto, porque a fala indica que talvez houvesse gente graúda acima dele; o fiscal trabalhou com o secretário Mauro Ricardo, indicado por José Serra para comandar as finanças da capital paulista; em outra gravação, Ronilson foi ameaçado pelo fiscal Luis Alexandre Cardoso Magalhães; “eu não vou sozinho nessa porra… eu te dei muito dinheiro… não vou ser bode expiatório”; grampos indicam que o escândalo ainda irá muito mais longe

Segundo os promotores, foi depois de março deste ano, quando o grupo descobriu que a Controladoria da Prefeitura de São Paulo estava investigando todos eles por suspeita de enriquecimento ilícito. Luis Alexandre sentiu que poderia sobrar só para ele e começou a gravar reuniões do grupo e fazer cópias do material para se proteger. O Ministério Público confirmou que as vozes são de Luiz Alexandre Magalhães e Ronilson Bezerra Rodrigues.

Abaixo trecho completo da conversa:

Luis Alexandre – Eu não tava nessa sozinho. Eu tenho todos – todos – os números de certificado. Eu não vou ser bode expiatório.
Ronilson – Isso aí pra mim é uma ameaça.
Luis Alexandre – Não, é um aviso. Eu não vou sozinho nessa porra.
Ronilson – Não vai. Porque eu vou estar contigo.
Luis Alexandre – Eu, o Lallo e o Barcellos não vamos pagar o pato nessa porra toda.
Di Lallo – Não vai, não vai.
Ronilson – Você não vai precisar me entregar. Sabe por quê?
Luis Alexandre – Eu levo a secretaria inteira. Vai todo mundo comigo. Eu te dei muito dinheiro. Te dei muito dinheiro.
Ronilson – Você sabe por que que você me deu dinheiro? Você sabe por quê? Porque eu te deixei lá.
Luis Alexandre – Isso. Então tá todo mundo junto.

Ligados à Secretária de Finanças na gestão do prefeito Gilberto Kassab e do secretário Mauro Ricardo, oriundo da equipe do prefeito anterior José Serra, os fiscais são acusados de fazer parte de uma quadrilha que pode ter desviado mais de R$ 500 milhões dos cofres municipais por meio do abatimento irregular de dívidas de ISS – Imposto Sobre Serviço, o principal tributo do município.

Segundo investigação com origem em março na Controladoria Geral do Município, criada pelo atual prefeito Fernando Haddad, o grupo concedia “habite-se” para grandes construtoras de imóveis por meio de recebimentos pessoais por fora dos meios normais. Num dos casos apurados, uma construtora com dívida de R$ 480 mil de ISS conseguiu liberar a construção e entrega de um prédio recolhendo apenas R$ 12 mil aos cofres públicos. No dia anterior à concessão do documento liberatório, um dos presos hoje recebeu depósito de R$ 407 mil em sua própria conta corrente.