Diferente do Uruguai e México, Brasil possui castelos e ilhas encantadas

AS FILHAS DA DIDATURA

indignados imperialismo burguesia

 

por Talis Andrade

 

(Primeiro ato)

Nada acontece de novo
no reino da Dinamarca
As filhas da ditadura
depois de brincarem
de guerrilha urbana
esposam católica angelicamente
os filhos dos amigos do pai
convidam burguesa orgulhosamente
o marechal presidente
para padrinho de casamento

Vestidas de branco
belas e joviais
as nobres murzelas
sobem o altar
ao som marcial
da música de Wagner

 

(Segundo ato)

Nada acontece de novo
no reino da Dinamarca
Desfilando em carrões negros
guiados por motoristas negros
as filhas da ditadura
cruzam fortuita perigosa
atordoante passeata estudantil
recordando suspirando heróicas trepadas
quando frequentavam a universidade
pichando muros panfletando
utópicos programas partidários

As consciências leves
as jovens esposas
retornam à militância política
patrocinando chás e bingos
de pública caridade
com fotos dominicais
de Sebastião Lucena
nas colunas sociais

 

(Terceiro ato)

Dona-patroa dispõe
desde menina-moça
das regalias de sangue
casa na praia
casa no campo
casa na corte
Em cada casa o conforto
a sujeição dos criados
para os serviços pesados
e secretos brinquedos
Em cada casa
o ritual preciso
para banquetear os amigos
encastelados no governo
Em cada casa
o ambiente propício
para as festas de santo
e feriados cívicos

No jogo do poder
dona-patroa se arma
de inatas inocentes
sedutoras artimanhas
para o esperto marido
colocar no pescoço
do convidado de honra
o macio mesurado
laço de lobista

Sendo preciso
o sacrifício
uma vítima
uma isca
dona-patroa
com muito jeito
máximo proveito
se enfeita
se perfuma
para dormir
com senadores e ministros
liberando o dinheiro
que o marido cobiça

 

(Quarto ato)

Uma ditadura
fatalmente dura
uma geração
não morre
nem antes
nem depois
Morre de podre
morre de velha
pelas passarelas
dos palácios
e quartéis

As balas da guerra interna
ricocheteiam nos marechais
um a um eliminados
torturados pela artrite
sufocados pela angina
o coração explodindo enfartado
o peito coberto de medalhas

 

(Publicado in O Enforcado da Rainha, 2009)

 

O DIREITO DO POVO SABER ONDE E COMO RESIDEM SEUS GOVERNANTES

 

A revista Caras costumava, sem a devida leitura da Receita Federal, publicar as mais belas e luxuosas residências do Brasil. Notadamente dos novos ricos. Mas sempre esqueceu os palácios oficiais e residências particulares dos presidentes da República, da Câmara dos Deputados, do Senado, das assembléias legislativas, dos governadores, dos prefeitos das capitais e grandes e médias cidades. E ainda dos presidentes dos tribunais de justiça, e dos mais ricos políticos da República Monarquista do Brasil, que realizaram este ano campanhas milionárias.

Tem presidente que não tem medo de mostrar sua moradia.

JOSÉ MUJICA, PRESIDENTE DO URUGUAI, EM SUA CASA (FOTO: AGÊNCIA EFE)
JOSÉ MUJICA, PRESIDENTE DO URUGUAI, EM SUA CASA (FOTO: AGÊNCIA EFE)

 

O presidente José Mujica dirige seu Fusca, que vale mil dólares
O presidente José Mujica dirige seu Fusca, que vale mil dólares

 

Um bom exemplo é o presidente do Uruguai. Leia aqui

O Brasil sempre foi comparado ao México, principalmente quando da realização dos jogos da Copa do Mundo. Pela alegria e festividade do povo.

Também somos parecidos na corrupção política, na passividade da justiça, e no controle da mídia pelos barões, tendo cada governador seus soldados estaduais.

São Paulo possui um efetivo de cem mil militares, sendo uma PM considerada como a terceira força armada da Américas do Sul e Central. Coisa de dar inveja ao México. Pobre México!

Mas a mídia do México não chega a ser tão podre quanto a do Brasil. Os mexicanos conhecem como vivem o presidente e a primeira-dama.

 

A VIDA LUXUOSA DO PRESIDENTE DO MÉXICO EM UM PAÍS DOMINADO PELO MONOPÓLIO DA IMPRENSA 

img16

 

9 de noviembre de 2014.- La agencia de noticias de Carmen Aristegui comprobó que la residencia La Palma es “legalmente” propiedad de Higa, una de las empresas a las que el gobierno de Peña Nieto otorgó el contrato para construir un tren de alta velocidad del DF a Querétaro. El dueño es amigo y quien le alquilaba los helicópteros cuando era gobernador del Estado de México. Se sospecha que además, es su socio en varios negocios, la “casita” de las Lomas y el tren a Querétaro, entre ellos.

La construcción del tren de alta velocidad DF-Querétaro ha dado mucho de qué hablar esta semana. La licitación para esa obra, con valor superior a 50 mil millones de pesos, fue anulada el jueves pasado, 6 de noviembre, tres días después de ser emitido el fallo de la SCT, en medio de la crítica de firmas constructoras por el poco tiempo concedido para preparar el proyecto y de cuestionamientos de parte de la oposición sobre la transparencia del proceso.

El nuevo escándalo que involucra a Peña Nieto tiene que ver con la residencia conocida como La Palma, obra del arquitecto Miguel Ángel Aragonés, ubicada en Sierra Gorda número 150, en las Lomas de Chapultepec. Está valuada en siete millones de dólares, unos 94.5 millones de pesos y se encuentra registrada a nombre de Ingeniería Inmobiliaria del Centro, propiedad del Grupo Higa. La compañía que legalmente posee el inmueble controla una de las firmas que había obtenido del gobierno de Peña Nieto el contrato para construir el tren de alta velocidad a Querétaro, de acuerdo con la investigación, de la que un adelanto fue conocido por La Jornada.

La punta de la madeja de la que tiró el equipo de investigación fue una entrevista de la revista de nota rosa ¡Hola! a Angélica Rivera de Peña, esposa del presidente Peña Nieto, realizada en la residencia de La Palma.

En nuestra casa llevamos una vida de lo más normal posible, les he hecho saber que Los Pinos nos será prestado sólo por seis años y que su verdadera casa, su hogar, es ésta donde hemos hecho este reportaje, declaró Rivera de Peña a ¡Hola!, que acompañó la entrevista con varias fotos de la esposa del Presidente posando en la residencia, abunda la investigación.

La casa de La Palma, que no está incluida en la declaración patrimonial pública del presidente Peña Nieto, está interconectada con otra residencia ubicada a espaldas, en la calle de Paseo de las Palmas 125, Lomas de Chapultepec, que pertenece a Angélica Rivera de Peña. De esa propiedad salió la pareja cuando el presidente Peña Nieto tomó posesión del cargo el primero de diciembre de 2012, de acuerdo con los documentos en poder del equipo de investigación de la periodista Carmen Aristegui.

El Estado Mayor Presidencial, el cuerpo militar de élite responsable de la seguridad del Presidente y su familia, confirmó oficialmente al equipo de periodistas que custodia la casa de Sierra Gorda 150.

El propietario

La residencia de La Palma, a la que la esposa del Presidente se refirió comonuestra casa en la entrevista con ¡Hola!, está registrada a nombre de Ingeniería Inmobiliaria del Centro, una empresa propiedad del Grupo Higa (GH).

El Grupo GH, a través de su filial Constructora Teya, fue parte del consorcio de empresas que el lunes 3 de noviembre obtuvo del gobierno federal el contrato –que no llegó a ser firmado– para construir el tren de alta velocidad de la ciudad de México a Querétaro, una obra valuada en 50 mil 820 millones de pesos –alrededor de 3 mil 755 millones de dólares.

El grupo de empresas que obtuvo la licitación –un fallo del que el gobierno federal reculó el jueves 6 de noviembre– estuvo integrado por ocho compañías. Entre ellas, China Railway Construction Corporation, paraestatal del gobierno chino, y las firmas mexicanas Prodemex, GIA+A, propiedad de Hipólito Gerard, cuñado del ex presidente Carlos Salinas, y Constructora Teya, filial del Grupo Higa.

La empresa propietaria de la residencia de La Palma, el Grupo Higa, obtuvo varios contratos del gobierno del estado de México cuando Peña Nieto era gobernador de esa entidad. También rentaba los helicópteros en los que el mexiquense, a la sazón candidato presidencial, se trasladaba durante la campaña electoral de 2012.

El arquitecto Miguel Ángel Aragonés hizo público que había estado al frente del proyecto de construir la residencia para el presidente Peña Nieto, según documentó el equipo de investigación. Fue durante una entrevista concedida al periodista Alberto Tavira, en el programaLos despachos del poder, que transmite Televisión Azteca.

En el programa el periodista Tavira preguntó al arquitecto Aragonés:

–Es público que hiciste la casa del ahora presidente de la República, Enrique Peña Nieto. ¿Fue un reto?

–Siempre es un reto trabajar para alguien con esa importancia y esa capacidad, con ese nivel de inteligencia, ¿no? Siempre es difícil tratar de captar lo que alguien específicamente necesita. Sí, se vuelve un reto, sobre todo que yo suelo trabajar para mí, no suelo tener clientes.

–El licenciado Peña Nieto y su esposa, ¿fueron clientes difíciles?

–No, yo creo que han sido de las personas más respetuosas y fáciles de trabajar. Ambos, sobre todo Enrique, se me hizo un personaje de primera, un tipo inteligente, sensible, respetuoso, amable, fue una delicia trabajar con él.

El inmueble

Pintada totalmente de blanco, la casa de La Palma tiene, según descripción del equipo de investigación de Carmen Aristegui, un estacionamiento subterráneo, planta baja, nivel superior con tapancos. Un elevador conecta todos los niveles. El jardín cuenta con sala y comedor techados.

La planta baja está cubierta con pisos de mármol. Mientras, en el primer piso se encuentran las recámaras para los seis hijos de la pareja y la habitación principal con vestidor, baños separados y área de spa. La casa cuenta con un sistema de luces para crear ambientes diversos: puede tornarse rosa, naranja o violeta. La propiedad está asentada en mil 440 metros cuadrados. Las fotos pueden verse en la página electrónica de Aragonés, http://www.aragones.com.mx, con el título Casa La Palma.

El equipo de investigación obtuvo además un certificado del Registro Público de la Propiedad que da cuenta que La Palma es propiedad de Ingeniería Inmobiliara del Centro, Sociedad Anónima.

img9

(La Jornada)

 

O Brasil precisa conhecer as residência de notáveis ladrões. A casa do capo Daniel Dantas já foi visitada pela Polícia Federal, que encontrou uma parede falsa; a de Paulo Maluf, traficante de dólares; dos doleiros; dos mágicos das falências fraudulentas; dos moradores de bilionárias, paradisíacas, encantadas  ilhas, doadas como concessões públicas; a pobre moradia do ministro Joaquim Barbosa em Miami, a do  juiz Lalau; de Sílvio Santos, no Brasil e nos Estados Unidos, por viver pegando dinheiro para um banco falido; dos irmãos Marinhos, dos principais acionistas da Vale, da Petrobras, da mineradora de nióbio em Araxá e outros piratas donos das riquezas do Brasil.

 

 

Quantas ilhas tem o Brasil? Ninguém sabe a resposta. Ninguém.

ilha_vende-se1

As ilhas fluviais, marítimas e oceânicas do Brasil são concessões do governo ou paraísos da especulação imobiliária?

Pela posse dessas misteriosas ilhas, nada mudou desde o ano de 1500. Piratas estrangeiros, laranjas brasileiros de diferentes países ou amigos do rei oferecem bilionários lances.

São ilhas paradisíacas com proibidas praias particulares, e escondidos negócios e propósitos?

A Operação Porto Seguro desvelou o caso da Ilha de Bagres, que pertence ao dono da Ilha das Cabras. Existem várias ilhas das Cabras. Pois é, nomes repetidos, troca de nomes, falta de mapeamento, encobrimento do nome do vice-rei das ilhas do Brasil, nomeado  por alguma Ana e outras sacanagens mil facilitam todos os tipos de corrupção.

Hoje o G1 mostra uma ilha. Tudo legal .

vendese_ilha3

Na internet vários anúncios deste tipo: Vende-se ilha com pousada. Baía de Camamu, Bahia
Ilha 2

Governador de Santa Catarina sofre atentado

BRA^SC_NDOD O pior ataque o que se faz aos cofres do governo

Já pensou nas manchetes internacionais se acontecesse: atentado à Casa Branca, atentado à Casa Rosada, atentado ao Vaticano, atentado ao Palácio do Planalto?

Atacam a sede do governo de Santa Catarina, e ninguém leva a sério. Nem mesmo o povo de Florianópolis. Que foi pra rua brincar carnaval.

Publica Press Floripa:

Mais de 30 mil pessoas no centro
Mais de 30 mil pessoas no centro

“Sem tradição a terça-feira de carnaval levou mais de 30 mil pessoas ao centro

No início da tarde desta terça-feira, blocos levaram a alegria ao entorno da Praça VX de Novembro. Por volta das 16horas o Bloco Jardim das Palmeiras fez a volta na praça cantando e tocando músicas de carnaval. Mesmo o tempo instável não intimodou as milhares de pessoas que chegaram para assistir ao show da banda carioca Monobloco. No repertório diversos sucessos de marchinhas, forró, pop tudo apresentado com a batida do samba. De acordo com a Polícia Militar mais de 30 mil pessoas participaram do encerramento do carnaval 2013 – A alegria nos aproxima, no centro.

A terça-feira também teve a programação dos Bailes Públicos no Centro – Mercado Público – e Continente – Avenida Beira Mar Continental.

Em diversos bairros como Campeche, Pântano do Sul, Sambaqui, Ponta das Canas, Armação com os tradicionais festejos nas comunidades encerraram o carnaval 2013 também com grande número de participantes das festas”.

A polícia conta que o atentado foi ordenado pelo PCC que, em Santa Catarina, a polícia muda o nome, por ser uma sigla desgastada no Rio de Janeiro e em São Paulo. Estados que sofreram a mesma guerra.

O PCC tem sedes nos presídios das capitais. Daí o nome Primeiro Comando da Capital.

Um comando invisível. Que o Brasil é o país do segredo eterno, da justiça secreta, do sigilo bancário, do segredo de justiça, do jogo com premiados incógnitos, das concessões de ilhas da fantasia, dos serviços fantasmas, das sociedades anônimas, das 500 mil ONGs com endereços desconhecidos e que recebem desconhecidas verbas dos governos federal, estaduais e municipais e estrangeiros.

Nada estranho que tenha um governo paralelo invisível.

A polícia sabe que a ordem para atacar a sede do governo de Santa Catarina partiu de um telefone de propriedade de um preso invisível.

Invisível o preso e invisível o celular.

No Rio de Janeiro, a polícia invade os morros, derrubando portas e atirando. “Passificou” cerca de cinco ou seis favelas, quando apenas na capital Rio de Janeiro existem 1. 100 favelas.

Em São Paulo, a polícia começou com a chacina de Carandirú, matando 111 presos de uma só vez, e passou a atuar nas ruas, enfrentando os suspeitos portadores de celular da resistência seguida de morte.

Em Santa Catarina a ordem é torturar todos os presos visíveis.

Ex-senador Gilberto Miranda, o “vivo” senhor, que reina no porto seguro da Ilha das Cabras

Na His Brasil, o reinado da corrupção

O Brasil tem várias encantadas ilhas, uma delas a das Cabras (aliás existem várias ilhas com este nome para confundir qualquer investigação, ou levantamento do mapa das desconhecidas ilhas oceânicas, marítimas e fluviais do Brasil).

Cada ilha tem um rei, concessão dada pelo governo. Como acontece nas ilhas das Cabras.

Senhor da Ilha das Cabras

Do povo, fato (*), ninguém escuta o balido. Condenado a viver na miséria. Apesar do slogan de Dilma:

país_rico_país_sem_pobreza

Em uma das ilhas das Cabras, ou dos cabras, reina o ex-senador Gilberto Miranda com o poder de indicar diretores de agências reguladoras dos altos preços dos serviços essenciais para o povo, fato, e das concessões das riquezas do Brasil para corsários e piratas.

Ex-senador Gilberto Miranda
Ex-senador Gilberto Miranda

A revista Época conta uma das histórias de enriquecimento rápido e constante de Gilberto Miranda:

Ex-senador Gilberto Miranda, conhecido como uma das pessoas mais influentes na Zona Franca de Manaus. Miranda fez fortuna intermediando negócios para indústrias que se instalaram na Amazônia, onde contam com abatimentos de impostos. Depois de se envolver em vários lances polêmicos nos anos 90, ele andava sumido. Agora, volta em seu melhor estilo com os celulares da Vivo.

Embora seja chamado de empresário, ninguém sabe dizer exatamente o que Gilberto Miranda faz. Na concorrência dos celulares, é a mesma coisa. Suas pegadas estão por lá, mas, por alguma razão, ninguém explica claramente o motivo.

Gilberto Miranda fez sua fortuna, estimada em centenas de milhões de dólares, como sócio das indústrias que se instalavam em Manaus. Influente, ele ajudava empresas a obter as licenças para abrir suas fábricas e ganhava em troca participação no capital das companhias, algumas de grande porte, como as filiais da IBM e da Xerox. Mais tarde, revendia as ações para as próprias empresas. Isso foi muito comum no auge na Zona Franca, 30 anos atrás. Até hoje o ex-senador é poderoso na Amazônia. “Temos de levar em conta cada centavo de custo na cadeia produtiva, incluindo a viabilidade dos incentivos fiscais na Zona Franca de Manaus”, respondeu Gauch, da Vitelcom, ao ser questionado sobre a razão que levaria Miranda a tornar-se sócio da empresa na fabricação de celulares. O executivo afirma que a fábrica de celulares ainda pode ir para outro Estado. No passado, Miranda teve contrato para fabricar telefones em Manaus para a Vitelcom. “Era outra época”, diz Gauch.

Uma das maiores qualidades de Miranda como empresário é sua capacidade de sedução. Filho de um tintureiro pobre do interior de São Paulo, ele foi professor de natação e estudou Direito, em Brasília. Teve seu primeiro contato com a Zona Franca de Manaus ao defender uma empresa acusada de contrabando de máquinas de calcular. Há 30 anos, possuía um Passat e um patrimônio de US$ 10 mil. Foi quando abriu sua primeira empresa em Manaus. De lá para cá, sua vida mudou muito. Bon vivant, dono da Ilha das Cabras, no litoral de São Paulo, vive cercado de belas mulheres e costuma ser generoso com os amigos. Também ficou conhecido por ajudar os companheiros de política, cedendo jatinhos para as campanhas eleitorais. Transcrevi trechos. Leia mais. Fique conhecendo mais uma história das privatizações do Brasil do estado mínimo da globalização unilateral. Conheça a outra ilha de Gilberto Miranda: a de Bagres

Ilha das Cabras de Gilberto Mirada
Ilha das Cabras de Gilberto Mirada

(*) Coletivo de cabra

Concessão de ilha no Brasil é um bilionário presente do Governo, dado de graça. Veja galeria de fotos.

Vários cabra safados e empresas receberam ilhas doadas, inclusive existe uma lista de ilhas para vender na internet. Quem vai investigar essa safadeza?

Por que esqueceram o homem da ANA de imensos recursos hídricos?

Dois irmãos poderosos. Toda imprensa noticiou o feito. Mas nem governo nem oposição quer conversa com o homem da ANA. É! neste angu tem caroço. Chamaram apenas o irmão que pilota a aviação civil. Puro balão que vai estourar no ar sem atingir nenhum vivente aqui na terra. Constitui um belo jogo pirotécnico, para estes dias pré-natalinos. Apenas isso.

Escreve Carlos Newton: Apesar da blindagem determinada pelo governo para abafar a Operação Porto Seguro, as coisas começam a melhorar no Congresso. Na Comissão de Constituição e Justiça, os governistas tiveram de fazer acordo com a Oposição e foi aprovado convite aos ministros José Eduardo Cardozo (Justiça) e Luís Inácio Adams (Advocacia Geral da União) para prestarem depoimento sobre a instigante investigação da Polícia Federal.

Simultaneamente, numa manobra bem executada pelo senador Álvaro Dias (PSDB-PR), a Oposição conseguiu quebrar o bloqueio do governo e aprovou na Comissão de Infraestrutura do Senado um convite para Rubens Vieira, diretor afastado da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), prestar depoimento sobre a Operação Porto Seguro, da Polícia Federal.

Como se sabe, Rubens Vieira é um dos “Irmãos Metralha” do esquema criminoso. Ao lado do irmão Paulo Vieira, diretor da Agência Nacional de Águas (ANA), ele está indiciado por envolvimento no esquema de corrupção por ter pedido a empresários “favores” sugeridos por Rosemary Novoa Noronha, ex-chefe do gabinete da Presidência da República em São Paulo. Ela teria exigido vantagens financeiras em troca de ajudar o esquema dentro do governo. [Propositamente não chamaram Paulo Vieira. Que empresários? Ou melhor declarado: que empresas? São poderosas multinacionais]

recursos hidricos no brasil

 Informa o G1 (Globo): (…) No Congresso, não tem perdão: vacilou, um lado sempre aproveita o cochilo. Na quarta-feira (28), foi o governo. Os senadores demoraram a chegar na comissão de infraestrutura e a oposição conseguiu aprovar o requerimento que chama para depor, como convidado, o ex-diretor da Anac, Rubens Rodrigues Vieira. Paulo Vieira, apontado como o chefe do esquema, tem um patrimônio milionário, segundo o Ministério Público. Ele é dono da faculdade FACIC, em Cruzeiro, no estado de São Paulo, comprou quatro apartamentos na capital paulista e um carro de R$ 300 mil – tudo em nome de terceiros – e tem mais de R$ 1 milhão aplicados em contas bancárias.A oposição insiste: quer que Paulo Vieira vá dar explicações no Congresso. Já fez vários pedidos, todos barrados pela base aliada do governo, que vem usando a estratégia para derrubar pedidos de convites e convocações de outros envolvidos no caso.Mas, em um momento de descuido – porque os governistas demoraram a chegar na sessão – acabou sendo aprovada a vinda do irmão de Paulo, Rubens Vieira, também investigado. [No Congresso tem perdão, sim! Por que não aproveitaram o descuido para chamar os dois irmãos? Por que esqueceram o homem da ANA, o citado Paulo, o verdadeiro chefe da sacanagem de entrega dos recursos hídricos do Brasil? Tem perdão, sim, da Oposição, da imprensa, da politicagem. Tem perdão, sim, exclusivo para o blindado irmão Paulo].
***
“Ele (o Rubens)  é peça da quadrilha. Ele integra a quadrilha e, certamente, terá que dizer qual foi sua participação nesse esquema de corrupção”, afirmou o senador Álvaro Dias. [E o irmão Paulo, rejeitado senhor da águas, das águas doces e salgadas, do azul dos rios, das cachoeiras, dos lagos, das fontes d’água, dos aquíferos, dos verdes mares com suas ilhas encantadas?
Do irmão Paulo, o destino de ser recebido, cívica e festivamente, com o Hino Nacional: Ouviram do Ipiranga/ As margens plácidas/ E em todos os rios/ De um povo roubado,/ O brado retumbante,/ E o sol da Liberdade, em raios fúlgidos,/ Brilhou no céu de Paulo nesse instante].
recusos hidricos no brasil 2
Estado de Minas: A oposição desmoronou a blindagem da base aliada no Senado e aprovou um convite para que Rubens Vieira compareça à Comissão de Infraestrutura, na semana que vem, para prestar esclarecimentos sobre a Operação Porto Seguro. Vieira está preso desde sexta-feira, quando a Polícia Federal deflagrou a ação. Os senadores também convocaram o diretor da Anac Marcelo Guaranys. E só não conseguiram emplacar a convocação da ex-chefe de gabinete da Presidência em São Paulo Rosemary Noronha porque o requerimento não foi colocado em votação.
***

A tática de guerrilha adotada pelos oposicionistas – de espalhar diversos requerimentos em várias comissões da Câmara e do Senado – deu certo pela primeira vez desde que o início da crise política. No dia anterior, os aliados aceitaram a convocação do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e do advogado-geral da União, Luís Inácio Adams. “Quem deve vir ao Senado prestar esclarecimentos são ministros ou diretores de agências. Os demais que respondam o que tem de responder à polícia”, respondeu o líder do PT no Senado, Walter Pinheiro, irritado com a convocação de Rubens Vieira.

***

Pinheiro disse que a base concorda com a presença de Marcelo Guaranys. “Sobre Rubens, deixa para o Alvaro (Alvaro Dias, senador tucano responsável pelo requerimento) o trabalho para tirá-lo da cadeia e trazer para cá”, prosseguiu o petista. Tanto ele quanto o líder do governo no Congresso, senador José Pimentel (PT-CE), não estavam na Comissão de Infraestrutura quando o requerimento foi aprovado. “Aproveitamos que não tinha ninguém e aprovamos a vinda de Rubens em votação simbólica”, comemorou Álvaro Dias. [Festejou a vinda de Rubens. Talvez chorasse se fosse o Paulo]

Operação Porto Seguro. Autocensura da imprensa

A Operação Porto Seguro vai ser tratada superficialmente pela Grande Imprensa, que todos os envolvidos são protegidos das multinacionais favorecidas pela Ana (Agência Nacional de Águas) e pela Angu (Agência Nacional de Aviação Civil).

A Ana fez de Paulo Rodrigues Vieira o governador geral das ilhas do Brasil, e rei das águas tão cobiçadas pelas fábricas de bebidas fria e quente. São poderosas multinacionais donas dos nossos aquíferos – a maior e mais valorizada riqueza do Brasil, explorada pelos corsários estrangeiros. Inclusive existe uma velha notícia escondida de que o Brasil deu o Aquífero Guarani aos Estados Unidos como garantia de uma dívida jamais auditada.

Nenhum geógrafo conhece o mapa das ilhas do Brasil. Foi retirado da internet e dos livros didáticos e enciclopédias. Favorecidamente Paulo Rodrigues Vieira sabe o caminho das ilhas.

A Operação Porto Segurou apenas desencantou uma única ilha – a das Cabras. O assunto ilha é tabu. Eu tinha um blogue Ilhas do Brasil. Sofreu apagão.

Garanto que Paulo Rodrigues Vieira é figura intocável. “Imexivel” , diria o ministro Magri.

Hoje a Folha deu uma prova de como vai se comportar a imprensa. Publica uma entrevista de Rosemary Nóvoa de Noronha, ex-chefe de gabinete da Presidência da República em São Paulo, que negou nesta quinta-feira ter cometido tráfico de influência ou qualquer ato de corrupção.

A imprensa e a oposição queriam apenas fazer marolas golpistas com a Operação Porto Seguro. Dilma Rousseff agiu certo e rápido: demitiu toda a gangue. Não sobrou nenhuma cabeça.

Que a imprensa faça o chamado jornalismo investigativo. Lanço o desafio:

O tráfico de influência da gangue não ficou apenas nessa de nomear parentes. Favoreceu poderosas empresas. Quais?

Por que o Brasil é o maior importador de água do mundo? Água para o gado dos latifúndios. Água para os latifúndios de soja, de milho, de cana – a chamada lavoura de exportação. Trata-se de água imprestável para o consumo humano.

Falta água no mundo! A doce água doce de beber. A água de beber, camará, que sai do Brasil engarrafada para vários países.

Folha de São Paulo

Acuífero Guaraní la reserva más grande del mundo. Y mitad de Paraguay sin agua potable

Paraguay es un país de contradicciones. Situado sobre el acuífero guaraní – la reserva de agua más grande del mundo -, las cifras de acceso al agua potable lo sitúan en números preocupantes: 3.200.000 habitantes no tienen acceso al vital elemento.

La cifra, que representa casi la mitad de la población del país (unos siete millones de habitantes), fue aceptada por el Ingeniero Mariano Fleitas, director del Servicio Nacional de Saneamiento Ambiental (Senasa), en una conferencia de prensa que celebró los 40 años de la institución estatal.

“Es un país pobre con escasos recursos económicos que no permiten el aprovechamiento de sus recursos naturales. Es por eso que muchos pueblos se nutren de agua mediante recursos rudimentarios”, acepta el Senasa en un documental de su tarea, que es precisamente proveer de agua potable a poblaciones rurales e indígenas de hasta 10.000 habitantes.

El propio Fleitas reconoció que la cifra es alarmante, en diálogo con la radio local Monumental 1080 AM. En otro ámbito similar, el Ente Regulador de Servicios Sanitarios (Erssan) admite que a la fecha sólo se ha llegado al 5% de la población paraguaya, mientras las proyecciones del gobierno es acceder al 12%.

El Ministro de Salud de Paraguay, Dr. Antonio Arbo, también reconoce las cifras. “Se estima que en el país, el 60% de la población tiene acceso a agua saludable. Disminuir esa brecha de acceso representa todo un desafío”, mientras asegura que se está trabajando junto al Senasa en llegar con agua potable a la mayor parte de la población, y el saneamiento básico.

Como forma de contrarrestar esta situación, el Senasa trabaja junto al Banco Mundial y al BID en acelerar los procesos de licitaciones y créditos. De hecho los trámites que antes demoraban 27 días, hoy se apuran en cinco jornadas. “Nuestra obligación es llegar a la mayor cantidad de gente con el suministro de agua, y lo estamos haciendo en el marco de un trabajo minucioso en diversas comunidades”, señaló Fleitas en rueda de prensa.In El Mundo, España.

La importancia geopolítica del Acuífero Guaraní. Soberanía en peligro

por Federico Hanashiro

Debajo del territorio de Argentina, Paraguay, Brasil y Uruguay se encuentra el Acuífero Guaraní. Se trata de la reserva mundial más grande de agua dulce, o sea, en condiciones de tomar. Mide aproximadamente 1,9 millones de kilómetros cuadrados y según el Instiuto Nacional del Agua (INA) podría suministrar el recurso a 6 mil millones de seres humanos durante 200 años a razón de un consumo diario de 100 litros per cápita.

Un informe de la ONU que dice que para 2025 las dos terceras partes de la población mundial se verán afectados por problemas vinculados al acceso de agua potable.
Desde la década del 90 existen documentos secretos del Pentágono que hablan de la necesidad de los Estados Unidos de apoderarse de las zonas con grandes reservas de agua dulce.
Luego de los atentados a las Torres Gemelas de 2001 los servicios secretos norteamericanos decían que en la Triple Frontera había numerosas células terroristas de Al Qaeda, casualmente en la región que se encuentra sobre el acuífero y en donde hay un fácil acceso a tres países al mismo tiempo (Paraguay, Argentina y Brasil).
El Cemida (Centro de Militares por la Democracia Argentina en 2003 publicó un informe en donde alertaban sobre la presencia militar norteamericana en la zona, que había permitido el gobierno paraguayo de entonces, y denunció publicamente al Banco Mundial en 2006 por querer financiar los estudios sobre el acuífero”.
Se refiere al informe que el BM costeó por un monto de casi 27 millones de dólares y que se repartió entre los cuatro países y cuyo contrato contemplaba la devolución del dinero pagando la contraparte en especies, o sea, agua.
Lo más raro de todo era que las universidades nacionales pretendían ellos llevar adelante los estudios y exigían un presupuesto de tan sólo seis millones. Sin embargo, fueron rechazados.
En ese mismo año (2006) se hizo de público conocimiento la visita de la hija del entonces presidente norteamericano George Bush a Paraguay.
Allí se confirmó la sospecha que hace tiempo tenía la Fundación Servicio Paz y Justicia (Serpaj), creada por el Premio Nobel de la Paz, Adolfo Pérez Esquivel, de que el ahora ex presidente había adquirido 42.000 hectáreas en el departamento del Alto Paraguay, justamente una de las zonas más ricas, en el Chaco paraguayo.
Desde la fundación lo confirmaron: “Esa visita de Jenna Bush le puso el sello a todas nuestras sospechas, ahí ya no tuvimos má dudas. Hasta hablamos con el entonces gobernador del Alto Paraguay, Erasmo Rodríguez Acosta, y lo alertamos al respecto. Es más, él fue el que anunció los rumores de esa venta, pero llamativamente dos meses después de eso se desentendió totalmente del asunto, diciendo que él no tenía por qué saber quien adquiere tierras en su gobernación”.
La legislación sobre el acuífero es contradictoria. Brasil, al notar la importancia de esta región, prohibió la entrega de tierra fronteriza a extranjeros, en Paraguay también esta vedada la venta a 50 kilómetros de la frontera y en Argentina lo era hasta la década del 90, pero durante el gobierno de Menem se derogaron estas leyes y hoy en día el 90 por ciento de las zonas limítrofes con recursos naturales están en manos de particulares y empresas argentinas.
Desde el INA advirtieron: “Es indispensable y urgente que los gobiernos de Argentina, Uruguay, Paraguay y Brasil comiencen a trabajar conjuntamente sobre esta problemática antes de que sea demasiado tarde y ya no tengamos ningún poder en cuanto a soberanía. En Argentina, tenemos el caso del empresario y banquero norteamericano Douglas Tompkins que posee 230 mil hectáreas en los Esteros del Iberá y pretende que la región sea considerada zona de reserva mundial, con lo cual las tierras pierden toda soberanía nacional”.
O CAPO
 E TODA A RIQUEZA DO AQUÍFERO GUARANI NAS MÃOS DE UM LADRÃO: PAULO RODRIGUES VIEIRA DIRETOR DA ANA – AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUAS E GOVERNADOR GERAL DAS ILHAS DO BRASIL