RN: ONDE O CRIME COMPENSA. E A GLOBO ENCOBRE

Conversa Afiada do jornalista Paulo Henrique Amorim reproduz e-mail do blogueiro sujo Daniel Dantas. Vale a leitura, inclusive para entender como a corrupção domina o Rio Grande do Norte. Tanto que Christine Epaud, residindo em Paris, consegue receber salário de funcionária Maria Candelária da Secretaria de Administração. Na estranha condição de barnabé e proprietária e diretora de uma dezena de empresas. Talvez umas vinte empresas. E mais escandalosa a sua relação promíscua com o judiciário potiguar, onde não perde uma e, mais absurdo que pareça, tem atestado de pobreza passado pelo Tribunal de Contas. Onde corre um precatório seu de retorno como alta funcionária. Isso morando em Paris, desde que lá foi residir com um marido francês, Gilles Epaud. E do governo francês recebe uma gorda pensão. Desde que prove sua permanência em Paris. Santos poderes de Christine. Que diz ser bispa na Tanzânia, sua terra natal. Fica entendido que tem três cidadanias com direito a três passaportes. Ou quatro? Passaportes adquiridos nos quartos.

No RN os poderosos não são investigados, prova Paulo Henrique Amorim. Nem Christine.

1 – Quem é o sócio de Christine Epaud?

Thomas Kristiansen de Skien

O genro Thomas Kristiansen de Skien é sócio da sogra Christine Epaud em uma empresa de construção de edifícios de luxo em Natal, registrada como micro empresa.
Pergunto para as autoridades do Brasil (Ministro da Fazenda, Receita Federal, governadora do Rio Grande do Norte, secretário das Finanças do Rio Grande do Norte, Junta Comercial):
– Uma pequena empresa, micro, conforme registro na Receita Federal, pode vender e construir edifícios e condomínios de luxo e comprar valiosos terrenos e outros imóveis?

E mais, como Thomas Kristiansen arranjou dinheiro, que chegou ao Brasil falido, como ex-presidiário, duas vezes preso na Noruega, por sonegação e desfalque?

Vou repetir a denúncia aqui, o criminoso Thomas Kristiansen é sócio da

Sol Brazils Com. & Construção

Registrada como micro empresa. Apesar de ser uma construtora de edifícios. Sócia responsável Christine Epaud, com 2% do capital. Sócio Administrador Thomas Kristiansen, com 49%. Acontece que nos registros do Ministério da Fazenda não aparece o nome do detentor dos restantes 49%. Não sabia que se podia registrar empresa com proprietário de nome ignorado. Mesmo que seja laranja. É, realmente, uma empresa com sócio fantasma. A Sol Brazils possui vários terrenos praieiros. Onde cantam os grilos anônimos.

Este Thomas Kristiansen já foi preso pela Polícia Federal do Brasil, e solto, e negou que fosse sócio de qualquer empresa.

Veja que ele aparece nesta notícia com sócio de outros bandidos:

“Thomas Kristiansen, que ainda é o dono de 47,5 por cento das ações da empresa Solbrasil AS. Os outros dois acionistas são Frode Olafsen com 47,5 por cento, e Ole Bjørn Valen de Skien, com cinco por cento. Valentine é dono das ações através de sua construtora Brevik, empresa que também foi declarada falida“.

Chistine Epaud, ex-empregada doméstica na França, apareceu sem nenhum dinheiro para comprar dois hotéis, e montar cinco empresas em Natal. De onde veio este dinheiro? Na duvidosa e suspeita compra de dois hotéis na Praia do Meio, o Chalezinho Francês e o Beira-Mar, apresentou duvidosos recibos para despacho do desembargador Aderson Sivino. Que validou os recibos. Uma vergonha.

Quero saber de onde veio o dinheiro para quitar esses dois hotéis, com preços para lá de desvalorizados?

O desembargador Aderson Sivino não sabe a origem nem o destino. Mas considerou a existência desse dinheiro. Isto é, eta justiça camarada, considerou como “legítimo”, real, palpável, dedável e contado, esse

* dinheiro não depositado em nenhuma agência bancária
* dinheiro não declarado `a Receita Federal
* dinheiro que entrou ilegalmente no Brasil
* dinheiro de origem duvidosa

E dinheiro em espécie. Dinheiro papel moeda. ˜Vultuosa soma” – reconheceu o desembargador Aderson Sivino em despacho. Seiscentos cinquenta mil reais. Cr$ 650,000,00. Mais de meio milhão. Para transportar esta grana toda, contrataram quantas jamantas de mudança?

E, finalmente, dinheiro com paradeiro ignorado. O desembargador Aderson Sivino também desconhece o destino desse dinheiro fantasma, laranja e invisível.

(Continua)

Natal “Paraíso do Crime”

As relações perigosas do caso Christine Epaud

Gilles Epaud, casado com Christine Epaud, é também um bandido internacional. O nome de guerra dele: Gilles Auguste Eugene Epaud. Ninguém sabe se os dois usam os verdadeiros nomes. Os dois transformaram Natal no “Paraíso do Crime” internacional. Clique para conhecer outros Cacciolas.

A Polícia Federal precisa investigar a autenticidade da documentação dos dois. Acredito que usam nomes falsos. Passaporte, carteira de identidade, CPF etc.

Considero criminosa qualquer informação anônima.
Venho sendo ameaçado de morte.
Que tem medo não é jornalista.
Jornalismo se faz com coragem e sonho.

Tenho nojo desses quadrilheiros que tomaram conta do Rio Grande do Norte. Que o Brasil é terra sem lei. Coito de traficantes de moedas, exploradores da prostituição, grileiros de terras, foragidos da justiça de vários países. Assassinos, traficantes de drogas, de sexo, promotores do turismo sexual, sonegadores & outros crimes.

Que o Ministério da Fazenda investigue o dinheiro dessas almas sebosas. Idem a Secretaria da Fazenda do Rio Grande do Norte.

Que a Polícia Federal investigue essa gente. Notadamente as cinco empresas instaladas em um único endereço: Avenida Presidente Café Filho, 886, Praia do Meio, Natal, Rio Grande do Norte.

Que o Ministério da Justiça investigue ainda o passaporte & negócios de Thomas Kristiansen, ex-prisioneiro da Noruega, genro do “casal” Epaud.

Que o Conselho de Justiça investigue o caso Christine Epaud: as perigosas relações de Christine Epaud com o Poder Judiciário do Rio Grande do Norte.

Que a Polícia Federal investigue quem é o verdadeiro autor desse blogue imundo, que desafia as autoridades brasileiras, que tudo indica não foi escrito por esse susposto Gilles Epaud.

Cliquem aqui. Conheça um crápula.

Assina Talis Andrade, brasileiro, jornalista profissional, ex diretor responsável dos jornais A República de Natal, Jornal do Commércio, Diário da Noite, Jornal da Semana do Recife, repórter, colunista político, editor do Diário de Pernambuco, chefe de redação da Sucursal Recife do Correio da Manhã do Rio de Janeiro, representante, por dois mandatos, do Sindicato dos Jornalistas de Pernambuco na Federação Nacional de Jornalistas – Fenaj, e nove anos professor dos Cursos de Jornalismo e Relações Públicas da Universidade Católica de Pernambuco, diretor do Diário Oficial dos Governos de Pernambuco, do Rio Grande do Norte e Prefeitura do Recife.