Nota dos movimentos em defesa dos rolezinhos, contra o racismo e a discriminação social

Latuff
Latuff
Neste final de semana, ao menos 5 estados vão presenciar a realização de vários Rolezinhos em diversos shoppings das suas capitais. Esses Rolezinhos assumiram um caráter de protesto pelo o que ocorreu no último final de semana no Rolezinho parte 3, no Shopping Metrô Itaquera, na capital paulista.

Os rolezinhos surgiram no final do ano passado, em que jovens da periferia paulistana combinaram através das redes sociais um encontro no shopping para se divertirem, encontrarem colegas, amigos, conhecerem pessoalmente as pessoas com quem conversam na internet. Sim, os objetivos eram simples, nada muito diferente do que jovens de 14, 15, 16 anos tem interesse de fazer nessa fase da vida. Ocorre que essa forma de integração social e a posterior repressão sofrida no último final de semana pela ação truculenta da PM expressam muito além disso.

Em primeiro lugar, a busca dos jovens pela integração social dentro dos shoppings demonstra que há poucas alternativas de cultura, lazer e integração para os jovens da periferia. A maioria está de férias, os cinemas são caros, as iniciativas de envolvimento dos jovens em atividades culturais, por parte dos governos, são precárias e a recente restrição da meia entrada fechou mais ainda as possibilidades de um programa bacana para a juventude.

É claro que para justificar a ação da polícia, construiu-se um rol de justificativas infundadas de que os jovens promoveram algo parecido com arrastão, furtos e roubos, etc. Isso não é verdade. Houve sim uma correria pelo shopping, isso é parte do rolezinho, mas não com o objetivo de roubar ou fazer arrastão. Os jovens se animaram com o programa “daora” que organizaram e para quem já frequentou alguma sala de aula de jovens dessa faixa etária sabe que a energia da idade promove euforia, risada por qualquer coisa, bagunça, etc. Mas essa iniciativa de correr também tem um fundo político, não necessariamente consciente da parte dos jovens: eles são moradores da periferia, a maioria negros. Isso assusta em ambiente de rico e os shoppings são isso: ambiente de quem tem dinheiro pra gastar e não ambiente de quem não tem dinheiro para se divertir e improvisa diversões, como os jovens fizeram.

A reação dos donos dos shoppings expressa a defesa exata desse propósito desses ambientes de consumo. E o rolezinho atrapalha esse propósito. A ação da PM expressa o compromisso do governo com os donos dos shoppings e, portanto com essa concepção restrita, elitista e excludente de cultura, lazer e diversão. A ação da PM reproduziu no shopping o que ocorre todos os dias nas periferias brasileiras. Os jovens são reprimidos de graça, os negros já são identificados como bandidos. O recente acontecimento no bairro do Ouro Verde na periferia de Campinas não deixa dúvida: ser pobre, negro e morar na periferia é um atraente para a violência policial.

Os rolezinhos ganharam um caráter de protesto mesmo. Ganharam o apoio e a força dos movimentos sociais sim. E com certeza, a reação dos donos dos shoppings, da PM e do governo faz com que esses jovens que só queriam se divertir reflitam os problemas políticos e sociais que o rolezinho e suas consequências destamparam.

O Movimento Mulheres em Luta, o Movimento Nacional Quilombo Raça e Classe, a CSP Conlutas e a ANEL vão pro rolê. Vamos expressar nossa indignação contra o racismo, contra o preconceito, a discriminação social e a repressão. Queremos dizer que a juventude deve ter direito à cultura, lazer e diversão, e que isso é responsabilidade dos governos. Vamos demonstrar que somos contra a restrição da meia entrada, e se quiserem comparar com os protestos de Junho, nós vamos dizer: sim, tem tudo a ver.

Mais uma vez, expressamos nossa indignação com o descaso dos governos sobre a população. A diversão e “boa recepção” dos turistas que vem para Copa é alvo de grande preocupação dos governos, mas a juventude, os trabalhadores e o povo pobre do país sofrem com o caos no transporte, saúde, educação e nem direito ao lazer tem. Partiu role, partiu protesto. 2014 começou.

Central Sindical e Popular Conlutas
Movimento Nacional Quilombo Raça e Classe
Movimento Mulheres em Luta
Assembleia Nacional dos Estudantes – Livre!
Blog de Júnior Lima
Blog de Júnior Lima

Seleta de charges sobre rolezinhos (rolê quer dizer encontro)

BARBOSA TEM FÉRIAS NA EUROPA CUSTEADAS PELO SOFRIDO POVO BRASILEIRO, QUE PARA SE DIVERTIR TEM QUE ARRISCAR UM ROLEZINHO

images|cms-image

 

O presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, antecipou suas férias, deixando em aberto mandados de prisão de dois condenados na AP 470, o deputado João Paulo Cunha (PT) e o delator do esquema do chamado “mensalão”, Roberto Jefferson (PTB).

Barbosa viaja a título pessoal pela Europa. Mesmo assim, terá parte das férias financiadas pela Corte. Segundo o Estado de S. Paulo, ele receberá 11 diárias, no valor total de R$ 14.142,60, por duas palestras – em Paris (França) e Londres (Inglaterra), no período de 20 a 30 de janeiro.

De acordo com o cronograma do Supremo, a primeira palestra, de 30 minutos, segundo o site da Agence Nationale de la Recherche, está marcada para o dia 24 em Paris. A segunda ocorre cinco dias depois, em Londres.

O presidente do STF programou sua volta para a abertura do ano judiciário, no dia 3 de fevereiro. Até lá, a ministra substituta Carmén Lúcia optou por não dar continuidade às execuções da AP 470. Série de incoerências de Barbosa no caso tem constrangido os magistrados. Fonte: Livraria 247

 

América do Sul sem crise

Paraguay
Paraguay

El jueves pasado fue el santoára 65 del senador Alfredo Luis Jaeggli, tuvo un festejo familiar, íntimo, pero la fiesta guasu fue el sábado en su quinta de Caacupé. Allí el parlanchín tiró la casa por la ventana y el regalo principal que le hicieron ni qué decir: le “obsequiaron” la presencia de 10 hermosas modelos, que con poca ropa y mucha onda, alegraron a los presentes.

CAACUPE (enviados especiales). La festichola comenzó alrededor de las 21, con la llegada de los primeros invitados. Una “corte” de chicas.
Otro contingente de bellas muchachas, subidas al escenario, y al son de alegres músicas, bailaban de lo más divertidas, alegrando la vista de los presentes, principalmente de los arrieros.

La comilona consistió en suculentos cortes de asado, opaichagua tipo de carnes, ensaladas de las más variadas y tragos a discresión (corrió cerveza, whisky, vino, naumbre, de todo). Ya cuando loperro comenzaban a darle duro al chupi, de repente en el altavoz se escuchó que se venía el regalo principal para Jaeggli: le “cayeron” diez chicas “pipi cucú”, con remeritas con inscripciones en el pecho que decían: “Feliz cumpleaños senador Alfredo Jaeggli”

Chile
Chile
Argentina
Argentina

Dilma terceira mulher mais poderosa do planeta, segundo a “Forbes”

Completa este domingo um ano no poder. O seu estilo venceu e já ninguém tem dúvidas de quem manda no Brasil: Dilma.

 

 

por Pedro Henrique Fonseca,

Jornal de Notícias, Portugal

 

 

Dona de um estilo conservador, mais voltado para gestão do que para temas políticos, Dilma Rousseff operou uma verdadeira “faxina” no seu ministério. Seis ministros foram afastados por irregularidades em apenas 12 meses de Governo e nem mesmo o apelo de Lula da Silva foi suficiente para garantir a permanência de antigos aliados à frente de pastas importantes, como a do Desporto.O foco no combate à corrupção conquistou a classe média tradicional e impulsionou a sua popularidade no país. Primeira mulher a tornar-se presidente do Brasil, a dama-de-ferro terminou o ano de 2011 como a chefe de Estado mais bem avaliada num primeiro ano de mandato. Para o analista do “BrazilPolitcs”, João Augusto de Castro, Dilma terá de enfrentar desafios mais difíceis em 2012, especialmente por tratar-se de um ano com eleições nos cinco mil municípios do país.”

A meta do Governo é tirar 16 milhões de brasileiros da miséria, dando continuidade aos avanços sociais de Lula, que alcançou os 30 milhões.Eleita a terceira mulher mais poderosa do Mundo pela revista norte-americana “Forbes”, Dilma também rompeu barreiras no estrangeiro. A presidente brasileira foi a primeira mulher a abrir uma Assembleia Geral das Nações Unidas.

Dilma Rousseff está de férias na Base Naval de Aratu, na Baía, Brasil, desde a passada segunda-feira. Para receber a chefe de Estado e os seus parentes, a Marinha Brasileira gastou 270 mil euros na restauração do local e na compra de móveis. O valor foi divulgado pela organização não-governamental “Contas Abertas“.