O Rio Centro de Eduardo Campos e a luta de Cris Patos

Cris Patos
Cris Patos

Comandante da operação da Polícia Militar de Pernambuco afirmou que a prisão da estudante Crislayne Maria (Cris Patos) não foi truculenta ou irregular. Segundo informações, ela planejava explodir a barreira policial montada para impedir a passagem dos manifestantes, juntamente com as viaturas policiais.

Quer dizer que estava planejado um atentado que iria matar centenas de soldados do governador Eduardo Campos, idem cavalos e cachorros, e explodir carros patrulha, ônibus etc.

Seria o maior ato de terrorismo da história do Brasil, mas que foi impedido como aconteceu com o atentado do Rio Centro.

A eficiência da PM devia ser notícia nacional e internacional, e o governador Eduardo Campo precisa condecorar seus bravos heróis na repressão contra os estudantes.

Cris na passeata

Cris na passeata2

Cris Patos minutos antes de ser presa
Cris Patos minutos antes de ser presa

Como esta menina – assim informou a imprensa pernambucana – podia carregar ao mesmo tempo megafone, pedras e bombas?

A imprensa do Recife sempre usa a polícia como única fonte.

Quando toda fonte é interesseira.

Os explosivos de Cris Patos para detonar a polícia
Os explosivos de Cris Patos para detonar a polícia

Para auxiliar os trabalhos de investigação e espionagem da polícia, os estudantes – que colaboram com o programa de Cardinot – entregaram ao governador as armas de destruição em massa que estavam na bolsa de Cris.

Cris Patos colocou na sua página no Facebook a reportagem de Cardinot, que registra o momento de sua prisão. Veja, antes que Cardinot censure. A reportagem prova quanto a polícia mente. Desde que useira e vezeira em armações.

http://www.cardinot.com.br/a-presidente-do-diretorio-central-dos-estudantes-presa/

Imagem da página de Cris Patos
Imagem da página de Cris Patos

Comentário de Cris: A liberdade tarda… mas não falha!
Estou livre companheiros.

Agradeço os conhecidos, os desconhecidos, os novos conhecidos, os pouco conhecidos… enfim

a todos que me apoiaram!

Valeu mesmo! … e nossa luta continua.

Não vamos deixar que eventos como este nos desmotivem ou desintegrem o nosso movimento.

Pelo contrario, isso só nos mostra o quanto nossa luta esta dando certo e como o estado nos teme, a ponto de usar golpes tão baixos como este para tentar desestabilizar o nosso movimento.

Amanha é outro dia! e a cada dia uma nova luta!
nos vemos nela

“Apesar de você amanhã há de ser outro dia”

Pernambuco. Movimento Liberdade para Cris. OAB diz que a prisão foi arbitrária

Que estudantes e movimentos diversos espalhados pelo País ajudem a denunciar e contribuem para se tirar da cadeia jovens que se encontram no COTEL e no Bom Pastor só porque participaram dos protestos em Recife: Dce UnicapDce Ufsc Luís TravassosDce-ufrpe Odijas Carvalho SouzaDce UfprDce UfuDce Ufrpe Odijas Carvalho De SouzaDce UpeDce UfrpeDce Uea e Dce Ifpb.

Cris Patos, presidente do DCE da FAFIRE e integrante da Frente de Luta pelo Transporte Público, é mais uma presa política do Governo Eduardo Campos.

Foi conduzida para Colônia Penal do Bom Pastor (presídio Feminino), após “não ter sido sequer oportunizada sua defesa pelos advogados na Delegacia nesta madrugada”.

A Campanha #LiberdadePraCrisPatos realizou, esta manhã, um ato ecumênico, na frente da FAFIRE, na Avenida Conde da Boa Vista, no Recife.

Camila Oliveira acaba de se apresentar, de maneira voluntária, na Delegacia de Santo Amaro como testemunha de Crislayne  (Cris Patos). Não foi ouvida e foi detida, acusada de obstrução da justiça.

Cris Patos
Cris Patos
Cris Patos, sem advogado, e cercada de policiais, esperando a hora de depor.
Cris Patos, sem advogado, e cercada de policiais, esperando a hora de depor.
Manifestantes sao detidos na delegacia de Santo Amaro

Liberdade

Vigília por Cris na porta do presídio

VIGÍLIA E MEDO

 

Publica o Diário de Pernambuco:A mãe da estudante Crislayne Maria da Silva aguarda ansiosa, em frente à Colônia Penal Feminina do Recife, no Engenho do Meio, pela libertação da filha, de 19 anos, presa pela Polícia Militar durante os protestos realizados nesta quarta-feira.

Maria Cristina da Silva acredita que a filha, que estuda ciências biológicas na Faculdade Frassinetti do Recife (Fafire) só foi presa porque representa uma liderança, já que é presidente do DCE da faculdade. “A polícia já estava à procura de um líder”, disse, negando a acusação da polícia de que a jovem estaria com bombas caseiras.”Eles disseram que as bombas estavam dentro da bolsa dela, mas a bolsa desapareceu”, questiona.

Maria Cristina, disse ainda que, ao chegar ao presídio, na madrugada desta quinta-feira, a estudante estava muito nervosa e chegou a vomitar várias vezes. Pela manhã, porém, Cristayne estaria mais calma. A estudante falou à mãe que essa tentativa de reprimir o movimento só vai incentivar mais protestos.

Além da mãe, também faz vigília, em frente à unidade prisional, o presidente do DCE da Unicap, Marcos Vinícios.

1 Folha da Manhã

Fotos da prisão de estudantes por Diego Nigro/ Folha da Manhã
Fotos da prisão de estudantes por Diego Nigro/ Folha da Manhã

PRISÃO ILEGAL

Publica o Jornal do Comércio: O presidente da Ordem dos Advogados de Pernambuco (OAB-PE), Pedro Henrique Reynaldo Alves, também pediu que a estudante fosse liberada logo, alegando que a prisão é ilegal.

Colegas da estudante que também estavam no protesto contaram que Crislayne não estava com nenhuma bomba. “Ela estava apenas com um megafone, nem bolsa carregava. Quando o clima com a Polícia começou a ficar tenso, resolvemos deixar o protesto e nos reunimos na frente do Hospital do Câncer. Foi ali que os policiais nos revistaram e prenderam Cris. Eles alegaram que ela estava com uma bolsa com fogos de artifício, mas essa bolsa nunca apareceu”, contou Camila Áurea, de 26 anos. Segundo Camila,  a prisão foi realizada às 18h e Crislayne chegou à Delegacia de Santo Amaro às 19h, mas só foi ouvida às 4h da manhã. “Depois do depoimento, a Polícia disse que ela teria que pagar R$ 5 mil de fiança até as 7h da manhã para ser liberada. Não tínhamos como arrumar esse dinheiro em apenas três horas”, contou. Camila Áurea está na frente da Colônia Penal Feminina com a mãe e amigos de Crislayne.

Outra comissão de estudantes e representantes de movimentos sindicais foi ao Ministério Público de Pernambuco (MPPE) pedir agilidade no julgamento do habeas corpus e outro grupo está percorrendo os meios de comunicação locais para denunciar a situação da jovem. “Estamos denunciando a atitude truculenta da Polícia, que prendeu uma jovem de forma violenta e sem provas. Queremos uma posição do Governo sobe esse incidente”, disse Alexandre Ferreira, de 29 anos, coordenador da União da Juventude Rebelião. Ele revelou que Crislayne foi agredida pelos policiais antes de ser presa. Ela teria sido jogada no chão e agarrada pelo pescoço, até que desmaiou. O grupo também está organizando um ato ecumênico no prédio da Fafire para a tarde desta quinta-feira.

Crislayne é bolsista do Programa Universidade para Todos (ProUni) do curso de Ciências Biológicas da Fafire. Ela é presidente do Diretório Central dos Estudantes da faculdade e costuma liderar os colegas durante as manifestações que têm tomado as ruas do Recife na última semana.  A jovem e mais dois estudantes foram detidos na noite de quarta-feira, no fim da maninestação pelo passe-livre que reuniu quase mil pessoas. Os jovens passaram a madrugada na Delegacia de Santo Amaro, onde prestaram depoimento e foram notificados. Os outros dois estudantes foram liberados na madrugada desta quinta.

Lara de Oliveira Buitron, de 22 anos, saiu às 3h depois que o reitor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Anísio Brasileiro, pediu sua liberação. Ela cursa cinema na instituição e foi acusada de questionar a atitude dos policiais e de fazer parte do grupo que quebrou o vidro de uma agência do Santander. Já Igor Alves Calado, 28, foi liberado por volta das 5h, depois de pagar fiança de R$ 5 mil. Os policiais disseram que ele foi preso porque atirou uma bandeira contra uma moto da Rocam, mas colegas dele disseram que a bandeira teria apenas enganchado na moro. Quando Igor tentou tirá-la, o veículo caiu e os policiais acusaram-no de ter quebrado o veículo.

 Página na interner pela liberdade já de Cris Patos

Por que a polícia de Pernambuco prendeu a universitária da FAFIRE?

Por Cris Patos (Crislayne Maria da Silva)
Líderes do Movimento Voz Ativa da FAFIRE
Líderes do Movimento Voz Ativa da FAFIRE
Comentário de Karlos Marx: Estudantes da FAFIRE (Faculdade Frassinetti do Recife) voltam a se organizar para tocar as lutas dos estudantes, e despertam de novo a universidade para o movimento estudantil. Conseguem resgatar após anos de inércia dentro da universidade. Abaixo está a carta de agradecimentos aos estudantes da FAFIRE feita pela presidente do novo DCE (Diretório Central dos Estudantes) de lá, Cris Patos, a menina que resgatou a organização dos estudantes lá, que é claro, não fez isto sozinha, mas sim com os seus companheiros de chapa, que se esforçaram muito, e que puxaram a formação do DCE Voz Ativa.”
Não propositalmente, poucos dias antes de 31 de março ressurge na Faculdade Frassinetti do Recife (FAFIRE) um sentimento a tempos adormecido: A vontade de ir à luta, a sede por mudança, o questionar. Por qual motivo não praticar e seguir aquela frase da pessoa, cujo dá nome a instituição e é fundadora dela: “Ide, e transformai o mundo!” (Irmã Frassinetti).
E foi neste espírito que os estudantes do país inteiro conseguiram transformar sua realidade, e contribuir em lutas decisivas para mudar nosso país. Através de muitas batalhas conseguimos superar os tempos difíceis, e que jamais serão esquecidos, da ditadura militar, em que milhares de estudantes no país inteiro foram perseguidos, e outros tantos presos, torturados e assassinados. Tempos que ficarão em nossas memórias, tempos nos quais nós fizemos historia, como podemos relembrar no protesto de centenas de estudantes no debate sobre a aliança para o progresso com Bob Kennedy que ocorreu no auditório principal de nossa faculdade, em uma fase não apenas marcada pela brutalidade e repressão do Estado, mas também pelo heroísmo de diversos jovens e estudantes, que deram suas vidas para lutar pela liberdade. Vimos nossos estudantes tirarem força de seus medos e percorrerem as ruas na esperança de mudar, de transformar sua realidade e com isso conseguirem muitas vitórias.
O tempo passou. As lutas não cessaram, mas até esta eleição, os nossos feitos na FAFIRE se resumiam as memórias de tudo isto que fora feito no passado.
O movimento Voz Ativa surge na FAFIRE dessa necessidade do estudante de ser ouvido, de estar organizado a fim de resolver os problemas internos da faculdade acumulados – e ignorados –, de impedir que sua história de luta caia no esquecimento. Mais do que reabrir um DCE, nós reacendemos uma faísca por justiça, por democracia, por mudanças que vão além dos portões de nossa instituição. Ganhamos mais que setecentos e dezesseis votos – por sinal, recorde na porcentagem de estudantes que votaram, nas faculdades de todo o Estado –, ganhamos setecentos e dezesseis mentes a saírem do comodismo e lutarem para ter Voz Ativa. Faremos um movimento estudantil de verdade, se preciso ocuparemos reitorias, gritaremos palavras de ordem, faremos com que nos ouçam e com que saibam que os alunos de Frassinetti seguirão ao pé da letra o lema ”Ide, e Transformai o mundo” e continuaremos a mudar a História.
 —
Cris Patos
Cris Patos
Cris Patos está presa na Colônia Bom Pastor em Recife. Pela polícia do governador Eduardo Campos. Ela vinha sendo monitorada pela PM desde que escreveu este artigo.