Os vândalos (infiltrados e terroristas policiais) dos protestos não amedrontam o povo que quer paz e um Brasil melhor sem colonialismo

BRA^SP_AC justiça prot assassinato

 

Existem balões de ensaio na imprensa. Escreve Leandro Mazzini:

“Embaixadas alertam estrangeiros para saírem do Brasil

Não foi só por compromissos que o presidente da FIFA, Joseph Blatter, viajou para a Europa em meio à Copa das Confederações.

Desde Segunda, as principais Embaixadas em Brasília e escritórios governamentais de dezenas de países emitem alertas sigilosos para seus compatriotas deixarem o Brasil, diante da crescente onda de protestos e violência nas capitais e interior.

Entraram na lista políticos e empresários CEOs de multinacionais. A coluna teve confirmação de dois casos, um dos Estados Unidos e outro de país do Oriente Médio.

Embora haja esforço do governo para manter a ordem e as manifestações indicam arrefecimento dos movimentos, há preocupação das outras nações com as consequências dos protestos sem controle nas ruas, que comparam às mobilizações da Primavera Árabe”.

Este ano tivemos várias greves gerais na Europa e sem alertas nas embaixadas

Vou colocar vários posts (clique neles) para a devida comprovação de vários protestos e greves em Portugal, Espanha, Inglaterra, França, Itália, Grécia e outros países. Não houve nenhuma ameaça de golpe. E  a imprensa de cada país fez o serviço de sempre: nenhuma propaganda para desestabilizar o governo.

Veja manchete de hoje do principal jornal golpista de Porto Alegre:

BRA_ZH jornal de direita diz povo prot

Primeira mentira do Zero Hora: “A democracia não está em cheque”. O jornal não teve coragem de nomear os “grupos radicais”. 

Sobre Joseph Blatter noticia hoje o Portal da Imprensa

 

Jornalista escocês da BBC comemora vaias ao presidente da Fifa

 

O repórter e escritor escocês da BBC, Andrew Jennings, um dos principais adversários da cúpula da Fifa e do seu presidente, Joseph Blatter, publicou, na última terça-feira (18/6), um texto em que aborda os protestos que tomam conta do Brasil e as vaias direcionadas a Blatter e à presidente Dilma Rousseff na abertura da Copa das Confederações.

Crédito:Divulgação
Jornalista comemorou vaias ao presidente da Fifa
De acordo com a Pública, contente pela reação da torcida, Jennings fez um pedido: “Forcem o Blatter e a Fifa a deixarem os estádios. Tirem a Fifa da Copa do Mundo”. Ele ainda escreveu: “Continuem vaiando, camaradas. Continuem vaiando Blatter e os ardilosos da Fifa seja lá onde eles aparecerem durante a Copa das Confederações. Tirem os ladrões das ruas, dos hotéis, das extravagantes celebrações regadas a champanhe e, principalmente, tirem eles dos futuros elefantes brancos que vão se tornar os estádios”.

Jennings é o autor do livro “Foul!”, publicado no Brasil com o nome “Jogo Sujo”, e do especial “Fifa’s Dirty Secrets” (Os Segredos Sujos da Fifa), especial transmitido pela emissora britânica BBC no programa “Panorama”. Seu trabalho relata as práticas fraudulentas realizadas dentro da Fifa, que envolvem alguns dos principais dirigentes que passaram pela entidade que rege o futebol.

“Vaiem e assobiem quando as limousines deles chegarem, vaiem nos camarotes VIPs, vaiem tão alto que impeça o início dos jogos, que o apito do juiz não seja ouvido”, disse o repórter. “E depois disso? Direcionem sua raiva para reclamar seu país de volta e tirar de cena os seus próprios trapaceiros”, completou.

Segundo informações apresentadas pelo escocês, altos dirigentes da Fifa recebiam propinas milionárias da falida agência de marketing ISL para direcionar a venda da transmissão televisiva. Entre os envolvidos revelados pela Suprema Corte da Suíça estavam os brasileiros João Havelange e Ricardo Teixeira, que precisaram pagar uma multa para a justiça do país europeu.

 

Los sindicatos vitorean a los piquetes: “¡Viva la madre que os parió y viva la huelga general!”

Izquierda Anticapitalista advierte de que el 29-M “sólo será el principio”

La formación anticapitalista publica un vídeo llamando a la huelga general frente a quienes “se ríen de nosotr@s”

En el documento, que está colgado en Youtube, la formación incorpora las sonoras carcajadas del presidente del Banco de Santander, Emilio Botín. Esas que se le escaparon mientras hablaba sobre la “culpa” de la situación económica del país.

Los anticapitalistas creen que todos ellos “se ríen” de los trabajadores. Consideran que “basta ya” y que por eso es necesario secundar la huelga de mañana. La formación exige la “retirada total y absoluta” de la reforma laboral, que permita el “impulso del empleo a través del reparto del trabajo”. Los anticapitalistas se manifiestan, además, a favor del “aumento del gasto social” y de la “mejora de los servicios públicos”.

En su opinión se debe impulsar una fiscalidad “justa progresiva” y se debe instaurar un salario mínimo de 1.200 euros. Reclaman, también, la “nacionalización de la banca” y exigen que se prohiban los despidos en las empresas con beneficios. El vídeo finaliza con una advertencia sobre las consecuencias de la huelga: “Esto es sólo el principio“.

Los sindicatos prevén “manifestaciones impresionantes” el 29-M

Afirman que la huelga es parte de un “largo camino”

Las organizaciones sindicales lamentaron los ataques a los parados. “Es inmoral la criminalización de los desempleados”, y señalaron que la reforma es un “ataque sin precedentes al Estado del Bienestar y a los servicios públicos, que puede poner en riesgo el modelo de convivencia y asesta un durísimo golpe a los pilares del Estado social”.

El secretario general de UGT Madrid, José Ricardo Martínez: “Lo que tiene que hacer es impedir que los empresarios facciosos amenacen a los trabajadores. A esos empresarios es a los que tiene que perseguir“.