“Vários juízes fazem isso”

br_extra. juiz

 

O corregedor regional da Justiça Federal da 2ª Região, desembargador federal Guilherme Couto de Castro, classificou como “fato embaraçoso” o uso particular, por parte de um juiz, de bens apreendidos de réus. Ao determinar, nesta quarta-feira (25), a abertura de uma nova sindicância sobre fato de o juiz Flávio Roberto de Souza, da 3ª Vara Criminal Federal, ter dirigido o Porsche Cayenne do empresário Eike Batista, réu no processo que o magistrado conduz naquela vara, o desembargador afirmou que o caso é “apto a gerar confusão e manchar a imagem do Poder Judiciário”.

Na nova sindicância, o juiz Flávio Roberto de Souza é intimado a prestar esclarecimentos sobre declarações dadas por ele à imprensa de que seria “normal” juiz dirigir carros apreendidos.

A corregedoria já havia aberto uma sindicância para apurar o uso do veículo apreendido. O novo procedimento, segundo a corregedoria, foi motivado por uma reportagem publicada pela “Folha de S.Paulo” em que o juiz Flávio Roberto de Souza afirmou ser praxe dos magistrados usarem carros de réus. “A suposta declaração é apta a ofender a magistratura”, destacou o corregedor regional da Justiça Federal da 2ª Região, desembargador federal Guilherme Couto de Castro. [Suposta? Declarou sim. Confira]

Com a nova sindicância, o desembargador espera “que o magistrado esclareça se declarou realmente algo de teor similar”. Em sua ordem, o desembargador afirmou que nenhum carro apreendido pode ser mantido na garagem do juiz.

“Não há qualquer cabimento em depositar bens no edifício particular do próprio magistrado, fato embaraçoso, apto a gerar confusão e manchar a imagem do Poder Judiciário”, registrou o corregedor, ressaltando que “caberá ao magistrado (titular da 3ª Vara Federal Criminal) escolher o melhor caminho e, dentre eles, a nomeação de depositário, que poderá ser entidade idônea ou o próprio proprietário do bem, naturalmente com a pertinente restrição de uso”, destacou o desembargador Guilherme Couto.

carro

 

Quem é o proprietário do bem?

Bem, todo mundo sabe bem quem é o proprietário.

Luma de Oliveira, ex-mulher de Eike Batista, criticou o juiz Flávio Roberto de Souza:

“Passando de todos os limites. O carro apreendido do meu filho Thor também está na garagem do prédio residencial dele. E eu sem , desabafou a ex-modelo e rainha de bateria.

“Isso é um ato de afronta à lei. Um abuso. Os bens têm que estar com a Justiça, não com o juiz. Essa informação chegou até nós e foi verificada e reverificada”, declarou o advogado que defende Eike, Sérgio Bermudes.

Quinho
Quinho

 

EM APENAS UMA ENTREVISTA, MARINA ACERTA AS CONTAS COM AÉCIO, O CAMARADA CAMPOS, DONA DILMA, E COM ELA MESMA. BLOQUEIO DE BENS NÃO PREOCUPA EIKE

por Helio Fernandes

chavismo Marina

Conversando com o jornalista Bernardo Mello Franco (Folha), a ex-senadora e ex-ministra ultrapassada e ignorada, “descobre a pólvora”. Altiva, impávida e altaneira, garante: “O Brasil atravessa momento com baixo crescimento, aumento da inflação e dos juros”. Puxa que poder de análise e de conclusão.

Durante o governo FHC, constatei e divulguei: “Seu governo é um RETROCESSO de 80 anos em 8”. Agora Dona Marina utiliza a identificação para Dona Dilma. E coloca o ex-presidente no auge. Como estava mesmo na contramão e a arma carregada, atirou no amigo quase inimigo, Aécio Neves.

Aécio responde logo às intimidações de Dona Marina

Como a entrevista teve enorme repercussão, (realmente com consequência), se prolongou pelo fim de semana e continuará, continuemos também. O repórter é escravo dos fatos. E como jornalismo é informação, opinião, combate, combateremos, mesmo “que seja à sombra”.

Os objetivos de Dona Marina

 

Nani
Nani

1 – Como Aécio e Campos não podem ficar o tempo todo transitando pela mesma estrada eleitoral, Marina “dinamitou” a ponte antes que o companheiro e camarada Campos o fizesse. Dona Marina ainda não é “vice assumida”, tem esperança no futuro.

2 – Quando falou já sabia do resultado da pesquisa do Datafolha, que coloca Aécio muito na frente de Campos. Com segundo turno entre Dilma e o candidato do PSDB. Aí não disfarçou as intenções, “Aécio tem jeito de morto no segundo turno”. Escolheu a frase para fazer efeito.

O neto de Tancredo

3 – Não esperava que Aécio respondesse tão rápido e mais agressivo do que ela. Levou um susto na hora, mas se acomodou, disse para o próprio Campos: “Ele não passará daí é o estilo dele”.

O neto de Arraes

4 – Só que Campos não aceitou a entrevista nem as explicações de Dona Marina. Não discutiu nem refutou, mas ficou visivelmente contrariado.

5 – E nos bastidores, com amigos, não fugiu do comentário duplo: “Por que a entrevista agora, e sem que eu soubesse coisa alguma?”. Elementar, o que ela queria era aparecer, precisava disso.

E a chapa Campos-Marina

6 – A “intimidade” eleitoral e naturalmente política entre Marina e Campos, como tenho analisado fartamente, vai depender das pesquisas. Não a de agora, muito longe. Mas como faltam quatro meses, outras virão. Dentro de dois meses já serão praticamente definitivas.

Campos impaciente

Precisa ser contido, é a coisa mais natural. Nunca se viu em toda a história do Brasil, um candidato sem votos ser o primeiro na chapa, suplantando o mais bem colocado nas pesquisas. Campos precisa sair do “clima” de 10 por cento. Esse era um dos alvos de Dona Marina.

(Quando digo que o primeiro nunca foi preterido pelo segundo, tenho que explicar: as possibilidades foram raras. Nos 41 anos da “República Velha”, só existia o Partido Republicano, que indicava o vencedor, candidato único).

(Depois, duas ditaduras, 15 anos a primeira, 21 a segunda. E nos intervalos, golpes silenciosos e sem tortura, com o vice assumindo no lugar do presidente. Somadas as transições, um impeachment, e a indireta, sobrou quase nada. E para o povo, NADA VEZES NADA).

Dona Dilma, a afilhada que pode ser rejeitada

Essa pesquisa que deixou Dona Dilma “pendurada mas não insatisfeita”, misturada com a entrevista, “primária mas protelatória”, dominou o fim de semana.

eikelandia2

Bens pessoais de Eike

Juiz do Rio “determinou” o bloqueio de 122 milhões dos bens pessoais, do ex-empresário e ex-bilionário. Agora é apenas um personagem fora do palco, ficou como coadjuvante.

Acontece que ele passou para os dois filhos todas as propriedades imobiliárias. Mas ainda tem BILHÕES, portanto 122 milhões, para ele ainda é uma brincadeira.

Não é para as milhares de pessoas que compararam suas ações. Está sendo investigado e acusado, precisamente pela CVM, que trata do assunto e de “informações privilegiadas”.

Bloqueio só interno

O importante é que Eike tenha conta em 14 bancos, 7 só no Brasil, devem ser mais. Fora os bancos no exterior, o bloqueio só atinge bancos brasileiros.

E as centenas de milhares que perderam fortunas, serão ressarcidas, que palavra, com o bloqueio? Nem pensar.

Por que 14 bancos?

No Brasil existem 4 ou 5 bancos, digamos do primeiro time. São os que ganham fortunas explorando o cidadão, cobrando taxas “escondidas” de todas as maneiras. E os outros 9 ou 10, por que os “depósitos” do ex-bilionário? Deviam investigar. Estranhíssimo. Transcrevi trechos

 

 

Dinheiro de Eike pegou sumiço

OGeconomico. Eike

Em 2010 informava a Folha de S. Paulo: O empresário Eike Batista saltou da 61ª para a 8ª posição na lista das pessoas mais ricas do mundo, com uma fortuna de US$ 27 bilhões, segundo o ranking de 2010 da revista americana “Forbes”. Ele estreou no ranking em 2008, na 142ª posição.
A revista americana diz “talvez a única coisa maior do que Eike Fuhrken Batista no Brasil seja o morro do Pão de Açúcar”.

No topo da lista da Forbes, o mexicano Carlos Slim, dono da operadora de telecomunicações Telmex, superou Bill Gates, fundador da Microsoft. O primeiro aparece com fortuna de US$ 53,5 bilhões, US$ 500 milhões a mais que Gates.

É a primeira vez desde 1994 que o número um da relação não é um bilionário norte-americano. Em terceiro está o megainvestidor norte-americano Warren Buffett, proprietário da Berkshire Hathaway, com US$ 47 bilhões de dólares.

Histórico

A fortuna de Eike começou a ser construída no início da década dos anos 1980, com atividades de comércio de ouro e diamantes extraídos na região Amazônica.

Depois de uma diversificação dos negócios e de um processo de internacionalização na década seguinte, Eike redirecionou integralmente seus esforços para o Brasil, na crença de que o país “é um dos melhores lugares do mundo para se fazer negócio”, nas palavras do próprio empresário.

Nos últimos anos, o grupo de Eike comprou direitos sobre blocos exploratórios de petróleo e gás e formou a OGX, ainda em fase pré-operacional como várias das empresas do grupo.

Outras empresas da EBX são a MMX (mineração), LLX (logística), MPX (energia) e OSX (estaleiros). Com exceção da holding e da OSX, a última em processo de abertura de capital, as demais já possuem ações negociadas na Bovespa.

Todas as companhias de propriedade de Eike têm a letra ‘X’ no nome em referência ao sinal matemático da multiplicação.

ar

[Como é que essas botijas de ouro e prata desapareceram? Ficaram encantadas?

O x dessa história é saber se Eike perdeu dinheiro apenas no Brasil?

Não acredito na teoria de que “tudo que é sólido desaparece no ar”…

Tem algo de podre no reino da Dinamarca, ou melhor dito, no reino da Alemanha, que Eike, apelidado pela mãe de “bundinha de ouro”, tem dupla nacionalidade.

 

LOS SUICIDAS OCULTOS

por Arturo González

Hace ya muchos años, el maestro Manuel Vicent escribió una columna en la que todas las esquinas de la ciudad estaban ocupadas por mendigos. Un día, inopinadamente y sin que se supiera por qué, todos los mendigos se convirtieron en bombas humanas que comenzaron a explotar a la vez sembrando el pánico en la ciudad.

Imagine usted que una mañana llegan a su casa unos hombres acompañados de dos guardia civiles y le conminan y obligan a usted y a sus hijos a abandonar la vivienda en el acto, sin más tiempo que recoger unas ropas, y entre lágrimas se ven usted y sus hijos en la calle con los bultos. No sabe qué hacer, a dónde acudir, tal vez una hermana pueda recogerles en una habitación de su casa en un barrio lejano. Esto no es ciencia ficción ni una película, esto ocurre en España 350 veces todos los días, como si fueran esquinas de mendigos.

Había un eminentísimo magistrado del Tribunal Supremo en las postrimerías del franquismo y un día hubo de discutir con seis compañeros una sentencia de muerte por un delito común.

El magistrado eminente se negó a poner su firma que llevase al condenado al garrote, y ante la insistencia de los otros seis para convencerle de modo que se reuniese la unanimidad, los retó diciendo ‘yo la firmo si a continuación vais vosotros a presenciar la ejecución.

A los dueños de los bancos y cajas y a sus respectivos, numerosos y magníficamente retribuidos consejeros se les debería obligar a que presenciaran físicamente el desalojo de las viviendas cuyos desahucios ellos instaron, y vieran en primera línea tan reconfortante espectáculo. No es lo mismo ordenarlo en abstracto que

presenciar la realidad.

Es terrible que el suicidio se convierta en la única defensa que muchos ciudadanos tienen ante la adversidad, ya sea por la vivienda o ya por cualquier otra circunstancia económica que les atenaza e inhabilita, y de las que en ningún caso el poder político es inocente. Ningún Gobierno, ninguna sociedad podrá justificar nunca los trastornos de conducta que provoca la extrema penuria económica.

PF prende prefeita de São João da Barra, feudo de Eike Batista

São João da Barra
São João da Barra

Em São João da Barra, no Rio de Jabeiro, Eike Batista recebeu como doação da prefeita Carla Machado e do governador Sérgio Cabral, terras e mais terras, que vão ser cimentadas, para construir sua Eikelândia.

Em São João da Barra tudo é cinzento. As desapropriações de fazendas, a destruição do verde que resta da Mata Atlântica, e do azul de rios, lagos e praias e, futuramente, o ar.

Praia de Atafona
Praia de Atafona
Praia de Grussaí
Praia de Grussaí

Publica o Estadão:

A Polícia Federal prendeu nesta quarta-feira (3) a prefeita de São João da Barra, e o vereador do município Alexandre Rosa. Segundo a Polícia Federal, os dois foram presos por suspeita de compra de votos para a eleição municipal deste ano, no próximo domingo.

Carla Machado não concorre à reeleição, mas apoia o vereador Alexandre Rosa, que é candidato a vice-prefeito pelo PMDB. Segundo a advogada dele, Pryscila Marins, os dois já pagaram fiança e estão soltos.

Praia do Açu antes da Eikelândia
Praia do Açu antes da Eikelândia
Barra do Açu, antes do porto da Eikelândia
Barra do Açu, antes do porto da Eikelândia
Praia do Açu, quando o mar era do povo
Praia do Açu, quando o mar era do povo
Porto de Açu
Porto de Açu
Porto de Açu destrói o verde e o azul
Porto de Açu destrói o verde e o azul
Eikelândia
Eikelândia

Rio + 20. Farsa do Brasil e das Nações Unidas

A Rio + 20 vai ser transformada em uma farsa, quando a propriedade agrária e os direitos comunitários à terra e o trabalho escravo – quilombolas, despejos da justiça, desapropriações de fazendas, como o caso da Eikelândia no próprio Rio de Janeiro – não estão contemplados nos debates da próxima Conferência das Nações Unidas sobre Desemvolvimento Sustentável de 20 a 22 de junho na Cidade do Rio de Janeiro.

O próprio Eike Batista, o homem mais rico do Brasil, comprou (comprou de quem?) o Rock in Rio como um meio de campanha de relações públicas para encobrir os crimes da destruição de matas, de bosques, de lagoas, de praias, com desaproprietações, que constituem um verdadeiro roubo, de 70 quilômetros de plantações, com suas vilas rurais e demais benfeitorias.

Escreve Stephen Leahy, in IPS:Los gobiernos parecen ignorar que se están revirtiendo décadas de reformas sobre la concentración de la tierra a manos de especuladores, bancos de inversión, fondos de pensión y otros poderosos intereses financieros, que en los últimos años han tomado el control de por lo menos unas 200 millones de hectáreas pertenecientes a agricultores pobres de África, América Latina y Asia.

Los especuladores saben que la tierra es clave para cubrir tres necesidades vitales: alimento, agua y energía.

Sin embargo, esta temática no aparece en la agenda de la conferencia también conocida como Río+20.

“Los campesinos pierden el control de la tierra y del agua por la concentración mundial de la propiedad”, se lamentó el hondureño Rafael Alegría, dirigente del movimiento internacional La Vía Campesina.

Entre 80 millones y 227 millones de hectáreas, a menudo de tierras cultivables, terminaron en manos privadas y corporativas en los últimos años, según un estudio divulgado en abril por Amigos de la Tierra Internacional.

Muchos pequeños agricultores son desplazados en América Central y alrededor de 40 por ciento de los hondureños viven en extrema pobreza, según la Organización de las Naciones Unidas para la Alimentación y la Agricultura, dijo Alegría a IPS.

“Los derechos de las poblaciones locales se ignoran repetidas veces y de forma trágica en lo que se ha convertido en una expedición de compras a África”, dijo Hatcher en un comunicado de prensa.

RRI y otras organizaciones tienen documentados cientos de acuerdos por medio de los cuales el gobierno entrega a inversores tierras que, en realidad, pertenecen a las comunidades locales. De hecho, más de 1.400 millones de hectáreas, incluidas selvas de África, son comunitarias, pero reclamadas por las autoridades de forma arbitraria.

Rara vez se incluye a las comunidades locales en las negociaciones de compra o arrendamiento, aun en países donde sus tierras son consideradas por ley como propiedad privada, señalaron investigadores de RRI. De hecho, muchas veces ellas ignoran la venta hasta que llegan las máquinas excavadoras.

John Muyiisha, un agricultor de Kalangala, Uganda, se levantó una mañana y vio cómo las excavadoras destruían sus cultivos. Casi 10.000 de las 40.000 hectáreas forestadas en las islas del lago Victoria frente a esa localidad, fueron plantadas con palma aceitera, según un estudio divulgado en abril por el capítulo local de Amigos de la Tierra.

El Banco Mundial aportó millones de dólares y ayuda técnica para lanzar el proyecto.