Jornal esqueceu o Tribunal de Justiça de Minas Gerais

O Estado de Minas Gerais abriu um puta manchetão hoje para o Superior Tribunal de Justiça, e esqueceu, contrariando a lei da proximidade do jornalismo – as notícias de onde o leitor reside são as mais importantes – o desembargador Afrânio Vilela, que mandou a polícia continuar com a demolição das casas de mais de mil moradores de Belo Horizonte.

Um despejo divino, solicitado por Márcio Lacerda, exaltado numa canção como prefeito de M. Veja vídeo

Desembargador Afrânio Vilela ordena que a polícia continue a derrubada de mais de 300 residências em Belo Horizonte. Cerca de mil moradores ficam sem teto

Prontamente negado, pelo desembargador Afrânio Vilela, o pedido de liminar que poderia garantir o direito de moradia da Ocupação Eliana Silva, no terreno localizado na Vila Santa Rita, no Barreiro, em Belo Horizonte.

A solicitação foi feita pela Defensoria Pública, depois que a Polícia Militar já havia derrubado dezenas de barracos.

Para o desembargador Afrânio Vilela, embora o direito à moradia seja devido a todos, outros direitos fundamentais não podem ser violados.

Considerou Videla, entre outros fatores, o fato de que o terreno está localizado em uma área de preservação ambiental, em área íngreme, imprópria à habitação e que, com isso, a ocupação desordenada representa risco não só ao meio ambiente, como à segurança das próprias famílias.

Este não foi o entendimento da justiça que mandou entregar, em São João da Barra, no Rio Janeiro, matas, bosques, 4oo fazendas, praias e lagos para Eike Batista construir um porto e  usinas de cimento, ferro e aço. Se o complexo industrial não sair do papel – no seu todo ou parte =, pouco importa. Terra dada para rico é terra dada para toda a eternidade.

Em seu parecer, Videla determinou que os oficiais de Justiça, que acompanham a desocupação da área, zelem pela segurança dos envolvidos, sobretudo das mulheres e crianças.

Aconteceu que a ocupacão militar foi realizada com violência (leia)

Polícia contra o povo. 400 soldados, fortemente armadas, invadem Elina Silva
Polícia contra o povo. Quatrocentos soldados, fortemente armados, invadem Eliana Silva

Eis o destino dos moradores. Agora todos os direitos fundamentais estão garantidos.

Mulher paralítica sendo levado para a terra garantida pelo desembargador Afrânio
Mulher paralítica sendo levado para a Terra Prometida

Os munícipes do prefeito Márcio Lacerda, do PSB, que moravam na Eliana Silva, possuem um novo lugar, uma nova vida.

O novo local, que logo terá água, luz e outros serviços essenciais, como merecida homenagem,  merece o nome do prefeito de Belo Horizonte: Ocupação de M.