Denuncio para o CNJ

Eric Jensen

O Conselho Nacional de Justiça – CNJ precisa, urgentemente, investigar o caso Christine Epaud. Ou melhor, o despacho duvidoso do desembargador Aderson Sivino, que deu, de mão beijada e leve, dois hotéis para criminosos noruegueses.

O caso é do mais alto interesse público.
É uma história de terror, de recibos assinados na cadeia, sob coação.
É uma história mambembe, circense, de recibos pré-datados, o famoso conto-de-vigário.
É uma história de suspense, o realismo fantástico, de recibos a menos e, pasmem! de recibos a mais.

Recibos que o desembargador Aderson Sivino autenticou.

É uma história safada que envolve o judiciário do Rio Grande do Norte. Com ameaças de morte. Uma transa de “vultuosa soma”, definiu o desembargador Aderson Sivino em despacho.

Pergunto ao Conselho Nacional de Justiça:
– Como se pode comprar um hotel, que vira dois, com dinheiro de origem desconhecida?

Um dos hotéis, o Chalezinho Francês, na Praia do Meio, em Natal “Paraíso do Crime”, virou sede de empresas (quatro registradas na Receita Federal) de lavagem de dinheiro e outros crimes.

Como validar a compra de um hotel com dinheiro de destino desconhecido?
Dinheiro fantasma, invisível.

Dinheiro que se desconhece o valor. Pelos recibos são mais de um milhão. Pelo despacho do desembargador Aderson Sivino: Cr$ 650.000,00.

Quem venderia dois hotéis por preço tão desvalorizado?

E onde está este dinheiro?

A vítima deste caso é um setuagenário, que está ameaçado de morte (o desembargador Aderson Sivino jura que é um caso sem coação). Está de morte anunciada. Inclusive eu, por denunciar a safadeza. Aderson Sivino sabe dessa jura de morte matada.

A vítima pode morrer antes. De morte morrida. O caso esteve engavetado por oito anos. Isso abalou a saúde da vítima da justiça e da bandidagem.
Está sem dinheiro, cardíaco, depressivo e diabético.

Trata-se de um ancião honrado. Fundou, quando jovem, o MDB em Pernambuco, no governo do ditador Castelo Branco, com Marcos Freire, com o senador Jarbas Vasconcelos, de quem é amigo. Sempre teve como exemplo o tio, o inesquecível deputado Djalma Aranha Marinho.

Tem um homem que conhece os quadrilheiros acoitados em Natal, no Chalezinho Francês, e representados pela falsária Christine Epaud, laranja que usa vários sobrenomes.

Eric Jensen (foto) quebrou parte do paraíso norueguês. Parte. Existe por inteiro o paraíso francês de Epaud. E o espanhol.

Eric Jensen é o homem por trás da parte norueguesa da ação que levou a 25 detenções e apreensão dos bens de 300 milhões.

P.S.: Vou continuar com as reportagens:

Quem são os sócios de Christine Epaud

e Eu acuso

Talis Andrade, jornalista profissional

A justiça que mata a Justiça

Juiz ameaçado de morte diz que não vai deixar o local onde trabalha no Rio

A recente descoberta de um plano para matar o juiz Alexandre Abrahão, titular da 1ª Vara Criminal de Bangu, não intimidou o magistrado.
“Em razão do combate a essas diversas facções criminosas, que exploram máquinas caça-níqueis, tráfico de drogas e milícias, esse conglomerado anda insatisfeito com a minha conduta, assim como foi com minha colega Patrícia Acioli. Mas eu não pretendo mudar de vara”, disse.

Quando a Justiça sofre ameaça sinaliza a existência de uma justiça que teme ou faz aliança ou corpo mole com os bandidos lá de cima, que residem em palacetes, em condomínios fechados; com os que se escondem em favelas, bairros da classe média; ou se hospedam e compram hotéis.

O caso do Chalezinho Francês, na Praia do Meio, em Natal, que envergonha o judiciário do Rio Grande do Norte, encoraja outros bandidos a esperar uma justiça mole, complacente.

A bandidagem internacional, representada por Christine Epaud, comprou um hotel que virou dois em um despacho duvidoso do desembargador Aderson Sivino.

Basta lembrar que ele deu um despacho que Christine Epaud ignorou para o bem de Christine Epaud. Tivesse obedecido ao que ordenou Aderson Sivino ela não teria o despacho que lhe fez compradora, com dinheiro de ignorada origem, ou melhor dito, com dinheiro fantasma, invisível, um hotel em que acoita quatro empresas de ex-presidiários e foragidos da justiça da Noruega & outros bandidos internacionais, que transformaram Natal em “Paraíso do Crime”.

Mas que esperar de um tribunal onde impera o nepotismo? Onde superlotam parentes, aderentes, contraparentes? Nada de contra. Tudo a favor de Mateus. Primeiro os teus, e depois, e depois a quadrilha de Christine Epaud.

Em Natal, a bandidagem aguarda que a justiça seja sempre a mesma que beneficiou Christine Epaud. Isso põe em risco a Justiça, a verdadeira Justiça.

Eu temo pelos honestos magistrados potiguares. Por todos que amam a Justiça Justiça.

Onde se esconde o Conselho Nacional de Justiça – CNJ?

Onde?

Desembargador com vocação de papa

Santa Christine Epaud do judiciário do Rio Grande do Norte

O desembargador Aderson Sivino deu um despacho de pai de santo para premiar Christine Epaud com um hotel que virou dois.
Depois provarei que os recibos validados pelo desembargador Aderson Sivino são tão duvidosos quanto o processo de canonização de Christine Epaud.

Da santificação de Christine Epaud

Ora o desembargador Aderson Sivino que Christine Epaud, misteriosa personagem do crime, com vários sobrenomes, e indistinta identidade, é uma santa mulher incapaz de coagir. De ameaçar.
Publico trechos de reportagem do mais conceituado jornal da Noruega. O jornalista narra o clima de terror existente em Natal.
Que uma malta de ex-presidiários, assaltantes, sonegadores, criminosos violentos, criou uma legenda de medo que aterroriza potiguares e, inclusive, os estrangeiros.
Vou transcrever a tradução do Google, sem correções:

Paraíso do Crime

Noite em Natal. O carro está esperando na parte de trás do Shopping Praia. A pessoa que está executando nos prometeu uma visita especial em Natal. A pessoa insiste em nos conhecer depois de escurecer e longe dos lugares habituais, onde os noruegueses viagem.

– Eu não quero ser visto com você. Há muitos noruegueses

perigoso aqui,

diz o motorista.

O carro desliza pelas ruas cheias de turistas red hot. Passamos o sushi bar, onde muitos dos residentes norte de homens se reúnem a cada terça-feira. Então, night club barata, onde um número de pessoas de negócios norueguês comprar mulheres e bebida. À beira-mar é embalado. Bombeiros. Mais velhos, com excesso de peso homens europeus com

jovens meninas

locais em seu cotovelo.

– Onde você Ilha do Fantasia, comentou o nosso guia, apontando para uma boate fechada.

Fantasiøya era até recentemente executado por imigrantes italianos. Então bateu a polícia e revelou

a prostituição e a venda forçada de jovens

para a Espanha. O quanto os italianos tinham investido no Brasil, é claro, mas as pistas levaram a um ramo da Unidade de Mafia Sacra Corona em Bari, na Itália.

– E aqui você tem um empreiteiro de idade. Ele foi condenado por lavagem de dinheiro e drogas. Agora ele corre com a propriedade aqui.

O carro se arrasta com cautela para as ruas escuras por trás do Nordestão supermercado.

– Fique a falência Øistein Hansen e sua esposa Bianca, diz o motorista, apontando para um endereço grande para um trustee certas na Noruega NOK gostaria de ter conhecimento.

Um pouco mais longe: Em frente é Hi-Fit, o centro de fitness, onde todos os meninos noruegueses muscular treinador. Entre outros uma parte dos paquistaneses.

Os ventos carro para cima de uma colina.

– E aqui temos um norueguês que não vive na colônia norueguesa no Parque Desportivo. Mas, como você certamente deve olhar.

– Sério?

– Sim, ele é talvez o maior de aranha aqui.

Lotes dos músculos. Back in the Park Sports. No bloco 2 vivê-la mencionou outro norueguês, muitas vezes, apenas chamou-o de rabo de cavalo. Poucos sabem o que Geir Suave Sveen realmente fazendo em Natal, mas que ele tem um apartamento de cobertura grande e que ele sempre recebe visitantes da Noruega. Ele nunca usa cartões de crédito e falando de preferência não um telefone celular quando ele está em Natal. Quem é ele?

Voltar na Noruega é mais fácil dizer o que ele vem fazendo. Para, em contraste com alguns outros noruegueses, o Sveen Suave cada vez mais em casa na Noruega. Em janeiro de 2004, ele foi parado pela polícia em Enebakkveien em Oslo. Na polícia tronco encontradas uma

metralhadora.

Como muitos outros noruegueses em Natal, também Sveen fundo liso na indústria do entretenimento. Além disso, ele corre com a compra e venda de imóveis no leste da Noruega. Ele é dono de 50 por cento da empresa de propriedade Jena, onde ele é presidente. A empresa recebeu aviso de liquidação obrigatória até tão tarde quanto no ano passado.

Embora o Sveen suave tentando esconder suas trilhas no Brasil, não há dúvida sobre o que ele está fazendo lá em baixo: imobiliário. Em fevereiro de 2005 ele fundou a empresa brasileira Geje Construcao Ltda. DN sabe de vários projectos imobiliários Sveen liso é envolvido dentro As pessoas que estão nos mesmos projetos, diz que é suave Sveen montantes de investimento mais visíveis para cerca de sete milhões de coroas. Em 2004, Smooth Sveen um imposto de renda de 24 mil milhões, no ano passado foi zero. Embora ele não vai falar com DN em projetos imobiliários, mas apenas confirma que ele ajuda a amigos com compras de propriedades.

– Eu sou muito lá e conheço quase todos. Mas eu não tenho muito a falar com você sobre, diz o homem com o rabo de cavalo.

Mas os amigos que ele está em nome de?

Levantar até 23 piso do Parque de Esportes está lutando provavelmente consideravelmente quando Sveen músculo liso tem visitantes pesados a partir de Noruega. Em Oslo, ontem seus companheiros sob o nome da liga sueca.

Muitos deles são ex-seguranças

e é referido como o torpedo mais ofensivo do meio ambiente na Noruega. É muitas vezes aqueles que se escondem atrás das formulações conhecidas torpedo ou coletor dinheiro quando jornais grande revisão casos criminais. Entre estes estão Sveen regulares sob o título de CFO, o homem que tem contatos e uma empresa privada no Brasil e no savvy investimentos imobiliários.

Comum à maioria dos meninos na liga sueca é muito interessado no combate arte ilegal e

extremamente violento

marciais livre. Na luta livre é tudo da lei. E a forma de luta, é claro, decorre do Brasil.

Direito sobre o corpo. – Alguém sabe que eu falo com você, eu posso ser morto.

Ele é um norueguês com um registro criminal. Ele está apavorado. É um sábado de janeiro, eo sol está quase no meio do céu. Um telhado de zinco fornece sombra. Estamos em um pequeno jardim não muito longe de Ponta Negra, a praia popular fora de Natal. O jardim é cercado por um muro branco e não têm acesso.

– Custa um pedaço mil para

ser morto por alguém aqui

embaixo. Aqui é fácil colocar as pessoas fora do jogo, disse ele.

Swede conhece a maioria dos seus compatriotas que estão envolvidos no setor imobiliário na área. Ele diz quantos projetos imobiliários começar.

– É impossível pedir emprestado dinheiro para projetos imobiliários no Brasil. E você não pode pedir dinheiro emprestado para investir na Noruega aqui em baixo. Então emprestar o dinheiro e disse que os desenvolvedores paga de volta com um apartamento aqui em baixo.

Trickles suor na testa do homem, apesar de uma ligeira brisa a esgueirar-se usual entre as palmeiras. Swede do outro lado da mesa de plástico descreve como o número de grupos criminosos noruegueses estão investindo pesadamente em imóveis e como muitas dessas comunidades, como as guerras em casa na Noruega, na verdade cooperando em conexão com investimentos imobiliários no Brasil. O contrabando de dinheiro-os da Noruega para Natal.

– Eles usam os holandeses charter viagem Sunrise empresa. Direto de Amsterdã para Natal. Nenhum controle. O dinheiro é colocado diretamente sobre o corpo. Euro não toma muito espaço. Direito até 160.000 € em notas de 500, eu tenho ouvido falar, ele diz.

Ela é calma do lado de fora de estrada. O resort à beira-mar não foi bem recebido até depois da festa sexta-feira.

– O dinheiro que eles trazem para baixo será lavrado no mercado imobiliário.

Há muito dinheiro criminoso da Noruega aqui em Natal.

Tudo, desde

dinheiro da droga com o dinheiro de roubo.

Milhões de discussão. O homem anônimo no quintal de suas palavras intacta. O complexo residencial de Sports Park, há pessoas que mais de uma vez ter estado em contacto com a polícia na Noruega.

Negócios de hoje tem acesso a documentos que mostram como as pessoas relacionadas com as gangues do Paquistão em Oslo, também conhecido como B-equipe, tem um milhão de valores apenas no Parque de Esportes. Ambos moradores no Parque de Esportes e outros investidores noruegueses em Natal diz que as pessoas de os Irmãos Metralha usar a área como um santuário. E os membros da gangue do Paquistão não está satisfeito com o segundo melhor. Os apartamentos têm comprado e são renovados para muitas centenas de milhares de dólares, são dois dos mais comentados apartamentos penthouse no Parque de Esportes. Nenhum dos membros de gangues envolvidos têm bens e rendimentos de qualquer significado na Noruega.

As gangues

mesmo também têm investido na excepcionalmente bela complexo residencial Solar Mares de Ponta Negra, que será concluído ainda este ano. Aqui estão os apartamentos de 280 metros quadrados, cada um com cinco quartos duplos com casa de banho privativa. Existe um ginásio no topo do complexo, instalações esportivas e piscina no chão. Pessoas associadas com a equipe B-também terá comprado dois apartamentos em uma instalação semelhante na cidade de Fortaleza pouco mais ao norte na costa brasileira.

Advogado Vidar Lind Iversen representa os personagens centrais desta comunidade paquistanesa. Ele disse que em nome de seus clientes que eles não querem comentar sobre a propriedade real em torno de nada.

Mas não é só apartamentos B-equipe está interessado em Em casa, na Noruega viver um número de proprietários de casas de férias em Natal que não têm nada de idéia sobre quem eles tiveram de recorrer vizinhos.

Adversários. Médio na praia de Ponta Negra, o mais central colocada projeto imobiliário em Natal norueguês reais até agora. Blue Marlin tem 26 acionistas norueguês e são pensados e conduzidos através do rei nightlife velha de Trondheim, Trygve Kristiansen. Ele é conhecido de ambos os clubes do Rio e Bajazzo, que correu junto com Arvid Birkeland, em seguida, o homem com os três macacos um pouco mais acima, em Ponta Negra.

– Trygve são alguns rei local por lá, diz milionário telecom Odd Arne Hauge Propriedade Natal.

Várias outras fontes descrevem Trygve Kristiansen como uma aranha.

– Ele tem dedos off totais está acontecendo aqui, diz um deles.

Trygve Kristiansen foi um dos noruegueses primeiro que se estabeleceu em Natal. Ele é um brasileiro casado pela segunda vez e uma condução mais pesado projetos imobiliários com base em empresas Blue Marlin Group e Imobiliário do Brasil. Kristiansen é o homem por trás da Associação Norueguesa de Natal, onde você também encontrará o Bar Hemingway, ainda cheio de noruegueses queimada.

– O problema com o NAT é que existem muitos caçadores feliz aqui. Eles

compram terras baratas

e depois vender o caro, diz Kristiansen.

Há também um número de pessoas que não são particularmente felizes de ter feito negócios com o rei sem coroa de Natal, Trygve Kristiansen.

Ameaças e julgamento.

Alf Jostein Sverkmo de Namdalseid foi um parceiro com Trygve Kristiansen por vários anos e tinha, no máximo, nove por cento de Blue Marlin Grupo. Agora, ele foi à justiça contra Trygve Kristiansen, em parte porque se sentia ameaçado da empresa. Sverkmo narra episódios pouco agradáveis durante a sua estadia no Brasil.

Ele fala de ameaças contra a si mesmo e aos outros.

– No final, fui chamado para o escritório para Kristiansen em Natal em janeiro de 2005. Lá, recebi ordens para assinar um documento onde eu me deu todas as ações da empresa.

– Sério?

– É claro que eu recusei. Quando eu soube que se eu fiz como me disseram, assim era o povo de fora que me levaria em uma viagem que eu nunca iria voltar a partir.

Sverkmo fazer uma pausa antes de continuar:

– Eu tinha acabado de ver que havia uma quadrilha pronta em um carro de fora, e eu tinha ouvido falar de que tipo de pessoas que viviam no Parque de Esportes. Portanto, não havia todas as razões para estar preocupado.

– Então?

– Então eu não ousava fazer nada, mas de sinal.

Trygve Kristiansen zomba quando ele é confrontado sobre as

acusações de ameaças e pressão

e que Sverkmo deveria ter sido forçado a assinar o acordo que ele disse sobre as ações da Blue Marlin Group.

– Fantasias Wild, diz Kristiansen.

– Mas qual é a sua resposta às acusações?

– Será por sua conta. É verdade que

ele foi convidado a deixar a empresa.

Eu não estava interessado em ter uma parceria com Sverkmo. Agora, este tribunal.

Existe realmente alguma ligação entre Trygve Kristiansen e membros de gangues no Parque de Esportes? Sverkmo tinha qualquer razão para ter medo?

O contato entre os paquistaneses e Trygve Kristiansen alongamento de vários anos atrás. Negócios de hoje tem uma cópia dos contratos como membros da gangue B-assinado em agosto e novembro de 2002 para a compra de apartamentos de luxo no Parque de Esportes. Os contratos são normalmente mostram assinada pelo vendedor. Seu nome é Trygve Kristiansen. Mas há ainda mais conexões entre os reis de Natal e os Irmãos Metralha.

Pelé paquistaneses e norueguês. A lenda do futebol Pelé possui a terra de um lado. Por outro lado, Trygve Kristiansen Blue Marlin. E no meio é o que é considerado atualmente como o filete interno na praia de Ponta Negra. Algumas imobiliárias enredo preços para 10 milhões, o segundo é limitado a seis milhões. A propriedade foi longa propriedade de Urso Løvstad, conhecida da vida nocturna de Oslo, com um número de falências restaurante por trás dele. Smuggler licor e Brasil-investidor Terje Falk Salão também tem sido ligado à mesma propriedade. A propriedade atraente tem sido fundamental em um jogo entre um número dos homens mais importantes no norte do Natal. Que acabará por ser capaz de construir hotel, na praia bonita?

Trygve Kristiansen há muito tempo girava em torno do naboeiendom Marlins Azuis. Tão tarde quanto no verão de 2004 ele escreveu um acordo com o desenvolvedor do futuro do site. Kristiansen teria controle. Então ele vendeu ao desenvolvedor acesso a ambas da piscina, recepção e estacionamentos em seus próprios estabelecimentos.

Mas quem era ele realmente gostaria de construir. Que possuía a propriedade vizinha? Um contrabandista de bebidas de idade?

– Não, diz Falk Terje Hall.

– Eu tinha a metade da trama, mas vendeu-me para fora.

O rei antigo restaurante e falência do grupo remorso Bjorn Løvstad?

– Não, diz Løvstad.

– Eu vendi a minha parte do imóvel.

– Para quem?

– Para alguns dos nossos novos cidadãos.

– Você quer dizer que as pessoas do Paquistão?

– Isso é correto.

– Você acha que os paquistaneses ajudaria a construir um hotel na praia de Ponta Negra?

– Que você não deve ignorar. Foi sem dúvida o plano, diz Bjorn Løvstad.

Løvstad também está fortemente envolvida em imóveis em Natal, mas mantém cartões de perto. DN sabe que ele é dono de 06:55 locais no centro de Natal. Løvstad é também um proprietário de vários apartamentos de luxo no novo complexo Solar Mares de Ponta Negra, e vive no Parque de Esportes.

– Escreva o que quiser. Dei todos os meus valores na sua declaração fiscal, diz Løvstad.

B-negociação. Dagens Næringsliv viu desenhos da propriedade B-equipe seriam deixados para trás. 34 apartamentos de 40 metros da praia mais popular na área.

O que uma planta terminar valeria a pena? A preço de venda total dos apartamentos são cerca de 20 milhões.

After Market de hoje começou a mostrar interesse no lote B-gangue hotel em Ponta Negra, tem as últimas semanas têm sido intensa atividade reunião em Natal. Representantes dos Irmãos Metralha e Trygve Kristiansen foi em duras negociações sobre a trama ao lado de Blue Marlin. Kristiansen não queria que a vazar que ele e co-proprietária do Marlin Azul foi os Irmãos Metralha como vizinhos.

– Agora eu ter comprado a trama dos paquistaneses, disse ele.

Após a Næringsliv Dagens entender, foi feito um comércio entre Kristiansen e os Irmãos Metralha. O preço da terra foi fixado em cerca de quatro milhões.

Zero, zero, zero. Para alguns, Natal tornou-se uma mina de ouro. As pessoas por trás NAT Invest referido ganhou mais de 200 milhões em projetos imobiliários em Natal e tem investido em uma série de terra, grandes não utilizados na área. É bastante impressionante, considerando três dos bekgrunn fundadores. Benjamin Murad, Thomas Belseth e Tom Hagbru ter todos os três de uma história criminal. Patins consistem de reincidência e de sentenças. E as receitas semelhantes são, compreensivelmente, muito modesto.

Tom Hagbru ter mencionado zero em renda nos últimos dois anos e zero na capital. Companheiros não estão muito melhor. Thomas Belseth: zero de renda nos últimos três anos e zero na capital. Benjamin Murad: zero de renda e 5,6 bilhões em ativos.

Nós não podemos falar.

Temos sido amordaçada, diz Benjamin Murad quando Dagens Næringsliv visitá-lo no escritório de vendas acoplou em Oslo, juntamente com amigos. A gestão de Natal Invest argumenta que os três amigos não investiram fundos privados. Isto concorda bem com Tom versão Hagbrus em que ele fala de uma série de compras do site feita pelos três camaradas.

– Além disso, não temos comentário, de acordo com a Invest Natal.

Atrás Tom Hagbru & co. esconde que, se possível, é ainda mais silenciosa: Geir Løvseth. Além disso, ele é condenado. Løvseth não são os donos do Natal Invest na Noruega, pelo menos não formalmente. Mas seu parceiro Tom Hagbru diz Dagens Næringsliv Løvseth que possui mais de 20 por cento da empresa.

– Eu trabalho em Natal Invest, algo mais que tenho a dizer, diga Løvseth por telefone do Brasil.

Løvseth que não figuram em qualquer dos documentos oficiais, talvez não seja surpreendente. Ele foi à falência várias vezes. Tão recentemente quanto 2004, quando ele foi transformado falência pessoal com a dívida de 2,5 milhões. No final, o relatório afirma que o administrador não tem tido os recursos para investigar Geir Løvseth negócios no Brasil.

Em dezembro de 2005, emigrou Løvseth e se moviam e seus valores para o Brasil para o bem.

Vai uma brisa fresca durante o ar da tarde. O enredo é deixado após o Yngve matar Richardsen, ainda é pouco desenvolvida em Ponta Negra. A família e os parceiros antigos ainda estão discutindo os seus direitos de propriedade para a propriedade em Natal. Um pouco mais abaixo do Atlântico enviando suas batalhas monótono durante todo o dia. A praia de Natal, oferece a maior parte. A cerveja gelada por um dólar, uma camisa de Ronaldo para 20, uma pizza a 30 É palmesus, surf e beach soccer.

(Continua)

2 – Quem é o sócio de Christine Epaud?

A Noruega não é o Brasil. Lá não tem essa de segredo eterno, sigilo fiscal, justiça secreta com foro especial, segredo de justiça, prêmio oculto da Caixa Econômica. Em um país democrático, onde existe justiça, tudo é transparente.

A Noruega não tem o sol de Natal, paraíso do crime internacional, mas lá reina a claridade. No Brasil reina a escuridão.

As declaracões de imposto de renda estão na internet.

Snorre Fossland
Ganha de 6% acima da média para Londres (£ 265,852)
Impostos 4% acima da média para Londres (£ 97,269)
Tem uma fortuna de 100% menos do que a média para Londres (£ 596,988)
Ganhe £ 32,17 / hora durante todo o ano

Snorre Fossland parece certinho. Parece. Mas tudo indica que esconde a fortuna dele no Brasil, como proprietário de imóveis e empresário. Em Natal tem vida de luxo. Mora em um milionário apartamento.

Ele o sócio da laranja Christine Epaud nos hotéis Beira-Mar e Chalezinho Francês? Isso o desembargador Aderson Firmino desconhece.

Sei que  é sócio de Christine Epaud numa empresa “pequenina”, que registrou na Receita Federal do Brasil. Taí outra dinheirama de origem desconhecida.

Denunciei:

E Faros Processamento de Computação

Registrada como micro empresa de comércio varejista especializado de equipamentos e suprimentos de informática.
Sócio responsável e administrador Christine Epaud. Com 40 % do capital. E Snorre Fossland, com 60% do capital, é apenas um mero sócio. Um empresário sem faro para comandar a micro empresa.

Os negócios dessa empresa são desconhecidos. É uma das quatro ou cinco lavanderias sediadas no Chalezinho Francês. Inlusive duas são de construção de prédios de luxo. E todas micro empresas.

Christine usa o sobrenome Fossland na sociedade de Natal, e Spaud na justiça. Explicando melhor: ora é a esposa de Fossland, ora de Spaud (Gilles, um francês bandido todo, cuja história misteriosa vou contar.). Christine tem duas filhas com o sobrenome Jeytoo. É isso aí. Ninguém sabe qual o verdadeiro nome, nem o sobrenome dessa falsária. Assim considerada pelo então juiz Airton Pinheiro, que engavetou o processo da venda de um (1) hotel, que virou dois (2), por oito (8) anos. Um engavetamento suspeito, escandaloso, vergonhoso.

Todo engavetamento considero um julgamento parcial, encoberto, mascarado. Todo engavetamento beneficia alguém. Sempre. No caso, Dona Flor e seus dois maridos.

(Continua)

 

P.S.: Venho sendo ameaçado. O desembargador Aderson Sivino e o juiz Airton Pinheiro sabem que toda Natal treme de medo dessa bandidagem que cerca Christine Epaud. Em um despacho: garante o desembargador Aderson Sivino que Christine Epaud não ameaça. Quem é fiador de Christine Epaud passa a ser fiador da minha vida. Que não vou parar com as minhas denúncias. Falta Justiça em Natal. As polícias estadual e federal não estão nem aí. O Rio Grande do Norte é um Estado sem lei, sem governo. Os jornais da Noruega chamam Natal de ˜Paraíso do Crime”. Por quê?

Por que a Receita Federal e a Polícia Federal não investigam as cinco empresas sediadas em um mesmo endereço: um quartinho escuro do Chalezinho Francês. Por que permitem tal escândalo?  Empresas cadastradas na Receita Federal. Isso é crime.

Jornalismo se faz com coragem e sonho. Sonho por uma Justiça Justiça. Acredito que o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) agirá. Morrerei por este sonho.

Vi nascer a Faculdade de Direito de Natal. O governador Dinarte Mariz me disse:  – Eu não tenho o curso primário, arrimo de família, tive que trabalhar desde menino, mas fundarei a Universidade do Rio Grande do Norte.

Vi a luta de Djalma Aranha Marinho para ver este sonho realizado.

Também fui amigo pessoal das duas primeiras turmas de bacharelandos da Faculdade de Direito de Natal. E de todos os professores.

Eu conheci um Rio Grande do Norte com o povo sem medo, confiante na Justiça.

Natal, a minha amada Natal, foi entregue à bandidagen internacional.

 

 

1 – Quem é o sócio de Christine Epaud?

Thomas Kristiansen de Skien

O genro Thomas Kristiansen de Skien é sócio da sogra Christine Epaud em uma empresa de construção de edifícios de luxo em Natal, registrada como micro empresa.
Pergunto para as autoridades do Brasil (Ministro da Fazenda, Receita Federal, governadora do Rio Grande do Norte, secretário das Finanças do Rio Grande do Norte, Junta Comercial):
– Uma pequena empresa, micro, conforme registro na Receita Federal, pode vender e construir edifícios e condomínios de luxo e comprar valiosos terrenos e outros imóveis?

E mais, como Thomas Kristiansen arranjou dinheiro, que chegou ao Brasil falido, como ex-presidiário, duas vezes preso na Noruega, por sonegação e desfalque?

Vou repetir a denúncia aqui, o criminoso Thomas Kristiansen é sócio da

Sol Brazils Com. & Construção

Registrada como micro empresa. Apesar de ser uma construtora de edifícios. Sócia responsável Christine Epaud, com 2% do capital. Sócio Administrador Thomas Kristiansen, com 49%. Acontece que nos registros do Ministério da Fazenda não aparece o nome do detentor dos restantes 49%. Não sabia que se podia registrar empresa com proprietário de nome ignorado. Mesmo que seja laranja. É, realmente, uma empresa com sócio fantasma. A Sol Brazils possui vários terrenos praieiros. Onde cantam os grilos anônimos.

Este Thomas Kristiansen já foi preso pela Polícia Federal do Brasil, e solto, e negou que fosse sócio de qualquer empresa.

Veja que ele aparece nesta notícia com sócio de outros bandidos:

“Thomas Kristiansen, que ainda é o dono de 47,5 por cento das ações da empresa Solbrasil AS. Os outros dois acionistas são Frode Olafsen com 47,5 por cento, e Ole Bjørn Valen de Skien, com cinco por cento. Valentine é dono das ações através de sua construtora Brevik, empresa que também foi declarada falida“.

Chistine Epaud, ex-empregada doméstica na França, apareceu sem nenhum dinheiro para comprar dois hotéis, e montar cinco empresas em Natal. De onde veio este dinheiro? Na duvidosa e suspeita compra de dois hotéis na Praia do Meio, o Chalezinho Francês e o Beira-Mar, apresentou duvidosos recibos para despacho do desembargador Aderson Sivino. Que validou os recibos. Uma vergonha.

Quero saber de onde veio o dinheiro para quitar esses dois hotéis, com preços para lá de desvalorizados?

O desembargador Aderson Sivino não sabe a origem nem o destino. Mas considerou a existência desse dinheiro. Isto é, eta justiça camarada, considerou como “legítimo”, real, palpável, dedável e contado, esse

* dinheiro não depositado em nenhuma agência bancária
* dinheiro não declarado `a Receita Federal
* dinheiro que entrou ilegalmente no Brasil
* dinheiro de origem duvidosa

E dinheiro em espécie. Dinheiro papel moeda. ˜Vultuosa soma” – reconheceu o desembargador Aderson Sivino em despacho. Seiscentos cinquenta mil reais. Cr$ 650,000,00. Mais de meio milhão. Para transportar esta grana toda, contrataram quantas jamantas de mudança?

E, finalmente, dinheiro com paradeiro ignorado. O desembargador Aderson Sivino também desconhece o destino desse dinheiro fantasma, laranja e invisível.

(Continua)

Natal porteira de entrada dos criminosos internacionais

De navio, de avião…

É fácil viajar na ilegalidade para Natal

Registra o DN.no:

Kriminelt eiendomsparadis
(Paraíso de propriedade dos criminosos)

Natal i Brasil er det heteste stedet for nordmenn på jakt etter feriebolig. Blant sol, strand og knallblått atlanterhav har også flere norske kriminelle slått seg opp som eiendomsinvestorer.
(Natal, no Brasil, é o lugar mais quente para os noruegueses à procura de propriedade. De sol, mar e azul do Atlântico. Também dos criminosos noruegueses. Vários aparecem como investidores imobiliários). DN.no (clique)

Foi assim que Natal se transformou em Paraíso do Crime Internacional.
O Chalezinho Francês, presente do judiciário do Rio Grande do Norte, sedia quatro empresas, todas na legalidade à brasileira.
O Chalezinho Francês é coito de falsários, ex-presidiários, traficantes de moeda, foragidos da justiça, negociantes da noite e praticantes de todos crimes.
O Chalezinho Francês de Christine Epaud faz parte de uma transa, que o desembargador Aderson Sivino assinou em baixo. Bem em baixo. Numa transa com recibos falsos, coação,
lavagem de dinheiro, dinheiro fantasma, dinheiro de desconhecida origem, tráfico de dinheiro, lavagem de dinheiro, dinheiro de destino ignorado, estranha ausência de procurador, engavetamento por oito anos do processo & outras baixezas e baixarias.

O desembargador Aderson Sivino reza num despacho de pai-de-santo na esquina que a bandidagem de Christine Epaud é incapaz de coagir. De ameaçar.

Desembargador Aderson Sivino, não quero ser a juíza Patrícia Lourival Acioli do judiciário do Rio Grande do Norte. Estou ameaçado de morte. Mas a quadrilha de Christine Epaud não é capaz de coagir.

 

OS NOMES DOS BANDIDOS

Desembargador Aderson Sivino, conheça os ex-presidiários sócios de Christine Epaud, e com empresas no Chalezinho Francês:  um deles, Thomas Kristiansen, é genro da protegida do judiciário, e o outro, Frode Olafsen, está envolvido no maior assalto da história da Noruega, que inclusive virou filme, e cujo dinheiro anda mais desaparecido que o dinheiro invisível da compra do Chalezinho Francês. Segue o texto em norueguês e português (tradução do Google que não vou corrigir):

Thomas Kristiansen (35) é gerente geral da e é dono de metade da empresa Solbrasil como. Ele estava de férias em Natal e gostei do lugar. No verão passado, ele estabeleceu uma empresa especializada em comunicação apartamentos e casas na área de Natal para os noruegueses. Kristiansen tem um fundo na indústria do entretenimento em Porsgrunn. Mas pubs e discotecas dele tinha o péssimo hábito de ir à falência. Ainda em abril do ano passado foi tesoureiro benefício 775,000 milhões de Kristiansen. O tribunal distrital decidiu em Skien, em 2000, Kristiansen à prisão por um ano e dois meses. O veredicto que se refere a ele como um cavaleiro falência típico.

Kristiansen motorista Solbrasil não como sozinho.

Ele possui-la com algo Frode. Frode vive uma vida reclusa e fazer a assuntos internos da empresa, diz advogado Aslak Rannestad na Procuradoria Barfod e Propriedade em Langesund, que coopera com Solbrasil e comércio de garantia segura.

– Eu nunca o conheci, continuou o advogado.

Talvez não tão estranho. Frode Olafsen (30) está ocupado em outras fontes, quando ele não estava de férias ou vender apartamentos no Brasil. Através da empresa ProTech, também conhecida como a loja do espião, vende Olafsen equipamentos de pesos, equipamento de gravação oculta, binóculos e coletes à prova de balas noite. 14 dias após o roubo NOKAS foi a ação da polícia contra a loja do espião loja. Vários dos coletes à prova de balas que estavam em uso durante o assalto em Stavanger, foi adquirido na Loja Spy. O caso contra Olafsen foi descartado. Olafsen sido anteriormente condenado por receptação e agravado tyveri.Uansett vai NOK vendas Solbrasils obter uma torção em um futuro próximo. O gerente-geral e gerente de vendas Thomas Kristiansen em breve servir sua segunda condenação por apropriação indébita de fundos bruta. Este tempo de espera na prisão por um ano.

Desembargador Aderson Sivino assista o filme Nokas (clique). É de graça. O filme retrata o roubo mais espetacular da Noruega, onde 11 homens conseguiram roubar €10 milhões de uma distribuidora de dinheiro em apenas 20 minutos.

Thomas Kristiansen (35) er daglig leder i og eier halvparten av selskapet Solbrasil as. Han var på ferie i Natal og likte stedet. Ifjor sommer etablerte han et selskap som har spesialisert seg på å videreformidle leiligheter og boliger i Natal-området til nordmenn. Kristiansen har bakgrunn fra utelivsbransjen i Porsgrunn. Men pubene og diskotekene hans hadde en lei tendens til å gå konkurs. Så sent som i april ifjor hadde kemneren 775.000 kroner til gode hos Kristiansen. Tingretten i Skien dømte i 2000 Kristiansen til fengsel i ett år og to måneder. I dommen omtales han som en typisk konkursrytter .

Kristiansen driver ikke Solbrasil as alene.

Han eier det sammen med Frode et eller annet. Frode lever et tilbaketrukket liv og driver med indre forhold i selskapet, forteller advokat Aslak Rannestad hos Barfod Advokat og Eiendom i Langesund, som samarbeider med Solbrasil og garanterer trygg handel.

– Jeg har aldri møtt ham, fortsetter advokaten.

Kanskje ikke så rart. Frode Olafsen (30) er opptatt på annet hold når han ikke ferierer eller selger leiligheter i Brasil. Gjennom selskapet ProTech, også kjent som Spy Shop, selger Olafsen vekterutstyr, skjult opptaksutstyr, nattkikkerter og skuddsikre vester. 14 dager etter Nokas-ranet gikk politiet til aksjon mot butikken Spy Shop. Flere av de skuddsikre vestene som var i bruk under ranet i Stavanger, var kjøpt hos Spy Shop. Saken mot Olafsen ble henlagt. Olafsen er tidligere dømt for både heleri og grovt tyveri.Uansett vil nok Solbrasils salg få seg en knekk den nærmeste tiden. Daglig leder og salgsansvarlig Thomas Kristiansen skal snart sone sin andre dom for grov økonomisk utroskap. Denne gangen venter fengsel i ett år.

 

A justiça do Rio Grande do Norte é uma piada

Eis o título de hoje da coluna de Eliana Lima na Tribuna do Norte de Natal:
˜Ministério Público para alguns, outros não”.

É isso aí. Eu acrescento:
O judiciário do Rio Grande do Norte para alguns, outros não.
Dou como exemplo o nojento caso de Christine Epaud. Comprou um (1) hotel, que virou dois (2), e com dinheiro invisível. Ou dinheiro fantasma. Que  nunca existiu.

Todo dinheiro numa transa, principalmente quando é uma ˜vultuosa soma˜, na adjetivação do desembargador Aderson Sivino, precisa ter comprovada sua existência,  idem sua origem e destino.  Não pode ser dinheiro de mentira ou sumido. Tem que estar em algum lugar. No dia que descobrirem, a verdade aparecerá. A justiça justiça será feita. Assim espero.