Falta tudo no Pronto Socorro de Cuiabá

Carta aberta da médica-cirurgiã Eloisa Curvo para a população e autoridades de Cuiabá e a quem mais possa interessar

Médica-cirurgiã Eloisa Curvo
Médica-cirurgiã Eloisa Curvo

Como membro do grupo de cirurgia geral do Pronto Socorro de Cuiabá, MT, quero divulgar uma vez mais o que já é do amplo conhecimento das autoridades e da população dessa Capital.

Faço isso porque não me conformo e não vou me conformar nunca (nunca serei acomodada ou conivente) em trabalhar num ambiente tão hostil no que se refere às condições para o bom desempenho do meu trabalho.

Só para fazer um idéia, segue abaixo lista dos materiais que, no dia 23 de fevereiro (meu plantão), não existiam naquele local.

A falta desses materiais compromete em demasia o atendimento aos pacientes, principalmente quando se trata de urgência e/ou emergência, o que é a maioria dos casos que chega aquele local.

É estarrecedor o descaso e a falta de compromisso que existe em relação às necessidades primordiais do ser humano que, porventura, necessite dos serviços de saúde no Pronto Socorro de Cuiabá.

Falta praticamente tudo, desde uma lâmpada de laringoscópio (para entubar paciente usa-se flash de celular), bolsa de colostomia, lâminas de bisturi, drenos, etc até materiais mais simples como esparadrapo e micropore.

A lista é enorme.

A sala A está desativada por falta de carrinho de anestesia, mesa cirúrgica, monitor, oxímetro e o aparelho de ar condicionado está com vazamento e a sala D está com foco queimado. Falta óculos de proteção para diminuir os riscos de contaminação, uma exigência primordial no atendimento a um paciente portador de HIV, por exemplo.

Como plantonista da cirurgia sinto-me agredida por, muitas vezes, não poder oferecer o tratamento mais adequado ao paciente por falta de condições.

Sinto-me agredida como médica e como pessoa, ter que submeter o paciente a uma conduta de maior risco por falta de material, além do estresse que isso ocasiona em toda a equipe.

É bom que se saiba que todos estão sujeitos a serem encaminhados para o Pronto Socorro caso tenham a desventura de sofrer um acidente na rua e forem atendidos por uma das ambulâncias do SAMU.

Mesmo que tenham plano de saúde e acesso à rede hospitalar privada, o primeiro local de atendimento é o Pronto Socorro Municipal.

Por isso, ricos e pobres, autoridades ou pessoas do povo, todos estão sujeitos a sofrer as agrúrias de um hospital que se encontra em condições materiais lamentáveis, como tem sido há muito tempo a realidade do Pronto Socorro Municipal de Cuiabá.

Portanto, o problema é de todos: dos profissionais da saúde, das autoridades e de toda a população.

Relação de materiais em falta no Pronto Socorro Municipal de Cuiabá (levantamento realizado pela equipe médica e de enfermagem em todos os setores do hospital no dia 23/02/2014)

Esparadrapo
Micropore
Gaze estéril
Bolsa para colostomia
Coletor de urina sistema fechado
Tubo endotraqueal número número 8, 8,5 e 9
Sonda de foley número 16 duas vias
Agulha 25 x 8
Óculos de proteção
Lâmina de bisturi número 23
Lâmina de bisturi número 24
Pilha média
Pilha grande
Dreno penrose números 1,2 e 3
Omeprazol 40 miligramas injetável
Gentamicina 80 miligramas injetáveis
Neocaina isobárica ampola
Descarpack 13 litros
Fios: mononylon 2.0 agulhado, mononylon 0 duplo agulhadO, vicryl 1 e 2 para fechamento aponeurose
Dreno de tórax número: 26, 28, 30, 32, 34, 36 e 38
Tela de prótese (para correção de hérnias)
Água destilada 1000ml
Ranitidina injetável
Lâmpada para laringoscópio

No Centro cirúrgico:
Sala A: sala desativada por falta de: carrinho de anestesia, mesa cirúrgica, monitor e oxigênio. O ar condicionado está com defeito apresentando goteira com água suja proveniente do telhado, quando ligado contamina o local da mesa cirúrgica.
Sala D: foco queimado
Faltam frasco aspira eficiente em todas as salas
As canetas dos bisturi elétricos não encaixam adequadamente nos aparelhos sendo necessário “gambiarras” em todas as cirurgias para o seu funcionamento, expondo tanto a equipe médica, de enfermagem quanto os pacientes a risco de choque elétrico.
RPA – recuperação pós anestésica: oxímetro e monitor

secretário  saúde  Cuiabá

Prefeito de Cuiabá Mauro Mendes envolvido em fraude de 800 milhões

Um dos líderes da campanha presidencial de Eduardo Campos, Mauro Mendes  é investigado por ter se valido de fraude em compra de mineradora

Mauro

A pedido do TRT (Tribunal Regional do Trabalho), o Ministério Público Federal no Mato Grosso investiga uma fraude que pode chegar a R$ 700 milhões e envolve uma empresa do prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (PSB). Ele e um sócio são investigados, em processo sob sigilo, por terem se beneficiado do que o juiz do Trabalho Paulo Roberto Brescovici chamou de “fraude processual” na compra de uma mineradora.

Brescovici considerou nulo o processo de venda de uma empresa que operava em uma área de extração mineral próxima do Parque Nacional da Chapada dos Guimarães. Na investigação, concluiu-se que o juiz que conduziu a recuperação judicial da mineradora desviou R$ 185 mil do processo — o magistrado foi afastado do cargo pelo TRT do Mato Grosso.

Luis Aparecido Ferreira Torres, o juiz afastado, permitiu em 2011 a transferência das cotas da mineradora, que então se chamava Minérios Salomão, para uma empresa cuja dona era Jéssica Cristina de Souza, filha de Valdinei Mauro de Souza, sócio do prefeito de Cuiabá. Seis meses após se tornar dona da empresa, Jéssica transferiu 98% das cotas para a Maney Mineradora Casa de Pedra, que pertence a seu pai e a Mendes.

O processo foi marcado por uma série de irregularidades e possíveis “ilícitos penais”, de acordo com Brescovici, o juiz que investigou o caso no âmbito do TRT. Um dos problemas apontados foi a transferência das cotas da mineradora a Jéssica pelo valor de R$ 1,8 milhão.

Segundo Brescovici, o juiz Ferreira Torres “desconsiderou o potencial econômico das reservas auríferas e recursos naturais da área de propriedade da empresa que, de acordo com o laudo técnico de f. 610/620, foi fixado em R$ 723,7 milhões”.

O capital social da mineradora seria posteriormente elevado para R$ 703,5 milhões.

Corretor. Brescovici também descobriu uma autorização dada por Ferreira Torres para que a Caixa Econômica Federal liberasse R$ 185 mil a título de corretagem para um corretor de imóveis de nome José Faria de Oliveira, sem que ele tenha atuado em nenhum momento no processo de venda da mineradora ou de seus ativos.

Ferreira Torres apresentaria posteriormente um despacho de nomeação do corretor, mas ele não continha a numeração das folhas dos autos, o que mostrava que o suposto documento nunca pertenceu ao processo.

Oliveira havia intermediado a compra de dois flats, vendidos por uma construtora ao juiz. Em depoimento na investigação do TRT, o corretor disse que foi chamado ao gabinete de Ferreira Torres e que ele propôs transferir para seu nome os dois imóveis, sem explicar o motivo. Oliveira recusou a proposta.

Segundo o corretor, o juiz lhe perguntou se ele havia sido procurado por alguém do TRT e orientou Oliveira a dizer que havia recebido os R$ 185 mil sob suspeita a título de corretagem. Mais uma vez, ele se recusou a atender o pedido de Ferreira Torres e decidiu procurar a corregedoria do tribunal, que a partir daí passou a investigar o caso. (Fonte R7 Notícias)

“Não importa quem saiu, importa quem ficou e chegou ao PSB”, afirma Mendes após debandada

“Esse ano eu terei de me dedicar mais a política. Gastar mais do meu tempo com as conversas, as articulações com outros partidos. A prioridade do PSB é montar um palanque forte para o Eduardo Campos. Temos um candidato a presidente, e um candidato forte, capacitado”, disse o prefeito e presidente regional do PSB Mauro Mendes
“Esse ano eu terei de me dedicar mais a política. Gastar mais do meu tempo com as conversas, as articulações com outros partidos. A prioridade do PSB é montar um palanque forte para o Eduardo Campos. Temos um candidato a presidente, e um candidato forte, capacitado”, disse o prefeito e presidente regional do PSB Mauro Mendes

Prefeito de Cuiabá e presidente estadual do PSB, Mauro Mendes demonstra, pelo menos verbalmente, já ter superado a saída de 11 prefeitos que deixaram a legenda para seguir o deputado federal Valtenir Pereira rumo ao PROS no último mês.

Mendes afirma estar reorganizando o PSB no estado e acredita em um desempenho positivo nas eleições de 2014. Segundo ele, não importa quem saiu. Importa quem ficou e, principalmente, quem chegou ao PSB.

“O PSB está bem. Estamos reorganizando o PSB no Estado. Independente daqueles que saíram, estamos trabalhando com aqueles que ficaram e principalmente com os que chegaram ao partido. Porque menos nos últimos dias conseguimos importantes adesões. E é com aqueles filiados que nós vamos organizar um projeto eleitoral para Mato Grosso em 2014”, afirmou em entrevista exclusiva ao Olhar Direto.

Presente ao anúncio, em Brasília, dos municípios selecionados no PAC 2, na última quinta-feira (24.10), o prefeito disse que o momento é de reorganização de todos os diretórios municipais e de estabelecimento de um desenvolvimento estratégico para 2014 tendo um candidato competitivo à presidente da república.

Questionado sobre a formação de um palanque nacional para Eduardo Campos e o apoio ao senador Pedro Taques (PDT) ao governo estadual, juntamente do PSDB, DEM e PPS, Mendes foi taxativo. “O PSB vai, obviamente, estar no palanque de Eduardo Campos. Pedro Taques é um grande candidato. Tenho com ele uma história que não começa agora em 2014. Começou em 2010. Estivemos juntos em 2012. E certamente estaremos juntos em 2014 para consolidar um projeto que nós começamos em 2010”, declarou.

Além dos 11 prefeitos que saíram do PSB, o partido ficou sem 10 vices-prefeitos e mais de 50 vereadores. Dos 12 prefeitos que se elegeram em 2012, apenas Mauro Mendes permanece na sigla. (Fonte Olhar Direto)

Qual estado brasileiro mais mata e mata e mata mais e mais jornalistas?

Dilma vai ou vai federalizar as investigações dos atentados e assassinatos de jornalistas?
Dilma vai ou vai federalizar as investigações dos atentados e assassinatos de jornalistas?

Embora o perfil internacional do Brasil tenha se mantido em ascensão, o governo sistematicamente deixou de expressar liderança em questões relacionadas à liberdade de imprensa. A violência contra jornalistas aumentou, com quatro assassinatos diretamente relacionados ao exercício da profissão; também piorou a posição do Brasil no Índice de Impunidade do CPJ, que destaca os países onde jornalistas são assassinados com regularidade e as autoridades não se mostram capazes de solucionar os crimes. Juntamente com a Índia e o Paquistão – dois outros países mal classificados no Índice de Impunidade – o Brasil levantou objeções à abrangente proposta da UNESCO para ajudar as nações a combater a impunidade e proteger jornalistas. Em face de fortes críticas, a embaixadora do Brasil na ONU, Maria Luiza Ribeiro Viotti mais tarde manifestou amplo apoio à liberdade de imprensa e a elementos do plano da UNESCO. Entretanto, o compromisso do governo com a liberdade de expressão foi posto à prova em outra importante questão internacional. O Brasil apoiou uma iniciativa liderada pelo Equador para enfraquecer a Comissão Interamericana de Direitos Humanos, o órgão de monitoramento de direitos humanos da Organização dos Estados Americanos, e sua relatoria especial para a liberdade de expressão. Em dezembro, Mauri König, repórter investigativo e ganhador do Prêmio Internacional de Liberdade de Imprensa do CPJ, deixou o país após receber ameaças de morte por suas reportagens sobre corrupção policial. O governo da presidente Dilma Rousseff apoiou duas iniciativas que promovem o direito púbico à informação. Rousseff assinou uma lei de acesso à informação e criou uma comissão para investigar os abusos contra os direitos humanos cometidos durante a ditadura militar no país, entre 1964 e 1985.

chacina3

26 Journalists Killed in Brazil/Motive Confirmed

Rodrigo Neto, Radio Vanguardia and Vale do Aço

March 8, 2013, in Ipatinga, Brazil

Mafaldo Bezerra Goes, FM Rio Jaguaribe

February 22, 2013, in Jaguaribe, Brazil

Eduardo Carvalho, Última Hora News

November 21, 2012, in Campo Grande, Brazil

Valério Luiz de Oliveira, Radio Jornal

July 5, 2012, in Goiânia, Brazil

Décio Sá, O Estado do Maranhão and Blog do Décio

April 23, 2012, in São Luis, Brazil

Mario Randolfo Marques Lopes, Vassouras na Net

February 9, 2012, in Barra do Piraí, Brazil

Gelson Domingos da Silva, Bandeirantes TV

November 6, 2011, in Rio de Janeiro, Brazil

Edinaldo Filgueira, Jornal o Serrano

June 15, 2011, in Serra do Mel, Brazil

Luciano Leitão Pedrosa, TV Vitória and Radio Metropolitana FM

April 9, 2011, in Vitória de Santo Antão, Brazil

Francisco Gomes de Medeiros, Radio Caicó

October 18, 2010, in Caicó, Brazil

Luiz Carlos Barbon Filho, Jornal do PortoJC Regional, and Rádio Porto FM

May 5, 2007, in Porto Ferreira, Brazil

José Carlos Araújo, Rádio Timbaúba FM

April 24, 2004, in Timbaúba, Brazil

Samuel Romã, Radio Conquista FM

April 20, 2004, in Coronel Sapucaia, Brazil

Luiz Antônio da Costa, Época

July 23, 2003, in São Bernardo do Campo, Brazil

Nicanor Linhares Batista, Rádio Vale do Jaguaribe

June 30, 2003, in Limoeiro do Norte, Brazil

Domingos Sávio Brandão Lima Júnior, Folha do Estado

September 30, 2002, in Cuiabá, Brazil

Tim Lopes, TV Globo

June 3, 2002, in Rio de Janeiro, Brazil

Zezinho Cazuza, Rádio Xingó FM

March 13, 2000, in Canindé de Sáo Francisco, Brazil

José Carlos Mesquita, TV Ouro Verde

March 10, 1998, in Ouro Preto do Oeste, Brazil

Manoel Leal de Oliveira, A Regiao

January 14, 1998, in Itabuna, Brazil

Edgar Lopes de Faria, FM Capital

October 29, 1997, in Campo Grande, Brazil

Reinaldo Coutinho da Silva, Cachoeiras Jornal

August 29, 1995, in São Gonçalo, Brazil

Aristeu Guida da Silva, A Gazeta de São Fidélis

May 12, 1995, in São Fidélis, Brazil

Marcos Borges Ribeiro, Independente

May 1, 1995, in Rio Verde, Brazil

Zaqueu de Oliveira, Gazeta de Barroso

March 21 1995, in Minas Gerais, Brazil

Joao Alberto Ferreira Souto, Jornal do Estado

February 19, 1994, in Vitória da Conquista, Brazil

chacina 5

8 Journalists Killed in Brazil/Motive Unconfirmed

Paulo Roberto Cardoso Rodrigues, Jornal Da Praça and Mercosul News

February 12, 2012, in Ponta Porá, Brazil

Valderlei Canuto Leandro, Radio Frontera

September 1, 2011, in Tabatinga, Brazil

Auro Ida, Olhar DiretoMidianews

July 21, 2011, in Cuiabá, Brazil

Valério Nascimento, Panorama Geral

May 3, 2011, in Rio Claro, Brazil

José Givonaldo Vieira, Bezerros FM and Folha do Agreste

December 14, 2009, in Bezerros, Brazil

Jorge Lourenço dos Santos, Criativa FM

July 11, 2004, in Santana do Ipanema, Brazil

Mário Coelho de Almeida Filho, A Verdade

August 16, 2001, in Magé, Brazil

Natan Pereira Gatinho, Ouro Verde

January 11, 1997, in Paragominas, Brazil

chacina última

CLIQUE NOS NOMES DOS MÁRTIRES DA IMPRENSA PARA SABER MAIS SOBRE A VIDA E MORTE DE JORNALISTAS NO BRASIL SEM GOVERNO E LEI

Diferente da Venezuela, o Brasil censura a campanha eleitoral

Google é condenado por juíza de VG

Magistrada ordenou que gigante da internet retire um vídeo postado no Youtube que mostra o recebimento de dinheiro pelo candidato peemedebista.

Que vídeo? Existem vários.

1 – Deputado wallace guimaraes dinheiro propina

2 – Esposa de Walace é acusada de receber sem trabalhar em VG

Existiam outros que o You Tube retirou do ar, censurado pela justiça, que deveria garantir a liberdade de expressão, para que o eleitor conheça a vida pública e privada de cada candidato.

Um dos referidos vídeos mostra Wallace Guimarães, então DEM, recebendo toco de empresários. Nele, o parlamentar aparece com um envelope nas mãos enquanto dois homens colocam em seu interior o que seriam maços de dinheiro.

Em sua decisão, a magistrada lembrou que a liberdade de expressão é direito protegido em Constituição, mas ponderou que tal liberdade “não invalida a inviolabilidade à honra e à imagem das pessoas, igualmente prevista na Lei Maior”. Ressaltou ainda que a veiculação de qualquer notícia deve ser feita com ética e responsabilidade, permitindo que as partes envolvidas deem a sua versão sobre o fato divulgado.

“Assistindo à mídia trazida aos autos e na análise que me é possível neste momento, parece-me que efetivamente as imagens ali contidas são ofensivas à honra e moral do representante, o bastante para desestabilizar a candidatura de Wallace”.

Dando continuidade à fundamentação, a magistrada afirma que a veiculação de vídeo “constitui-se em clara propaganda eleitoral negativa” e fere a igualdade entre os participantes do pleito.

“Não há dúvidas de que a internet é um espaço livre e democrático, o que não significa que seja imune à responsabilização, pois sua utilização indevida deve ser coibida pelo Estado sempre que extrapolar o limite da crítica e vier a causar danos e ofensas às pessoas”.

Prisão – Há uma semana, o diretor-geral do Google no Brasil, Fábio Coelho, foi detido pela Polícia Federal por descumprir uma determinação da Justiça do Mato Grosso do Sul, que também exigia a retirada de um vídeo publicado no Youtube que criticava um candidato a prefeito de Campo Grande. Fonte: Diário de Cuiabá

 

Cuiabá. Um candidato contra a privatização da saúde

Procurador da Fazenda Mauro César Lara de Barros

 

CMT: Caso eleito, o senhor já disse que tem a saúde como uma das prioridades. Quais as ações precisam ser feitas nessa área?
ML: 
Acreditamos que o principal hoje para Cuiabá é a construção de um novo Hospital, com 500 leitos, sendo 100 vagas de UTI. Isso ficará a um custo aproximado de R$ 250 milhões. Durante nossa carreira política, nós somos sempre confrontados por um discurso no sentido de “ah de onde vai vir esse recurso?”. O recurso existe. O orçamento de Cuiabá hoje é de R$ 1,4 bilhões, quer dizer, recurso existe, depende da maneira como você vai priorizar as coisas. Se existe vontade de fazer, você consegue alocar os recursos para realizar uma obra desse porte. Outra questão importante é a criação de uma carreira de médicos e enfermeiros de dedicação exclusiva. Hoje existe um conflito de médico, que ao mesmo tempo, trabalha no SUS e na iniciativa privada e que acaba priorizando seu atendimento na rede privada, que é mais lucrativo e o trabalho realizado no SUS é deixado para trás. Dentro da saúde pública o caminho é fazer um grande concurso público, para colocar nessas vagas que hoje são ocupadas por prestadores de serviço, pessoas que de fato sejam efetivadas e que façam parte de uma burocracia municipal e que não fiquem sujeitas a manobras.

CMT: Voltando na questão da saúde, a posição do senhor é contrária à entrega das unidades as OSS? Qual a solução defendida pelo senhor?
ML: 
Entregar para iniciativa privada é uma posição neoliberal, uma posição que o PSOL é nacionalmente contra. O serviço público do lixo e do transporte coletivo aqui na Capital é privatizado há décadas e nem por isso é um serviço de qualidade. Então, a privatização não é o caminho. O correto é fazer um trabalho com seriedade e honestidade para colocar esse serviço público a favor do povo.

Cuiabá. A farra dos alunos-fantasmas e professores vivos, pra lá de vivos

A Secretaria de Estado de Educação afastou o diretor Enio Vaz, as coordenadoras pedagógicas Ana Lúcia Capucho, Maria Salette Marquioreto Mazeto e Wilma Regina de Amorim, todos lotados no CEJA Antonio Cesário de Figueiredo Neto, popularmente conhecida apenas como “Cesário Neto”.

Todos são alvos de uma sindicância pela ocorrência de diversas irregularidades na matrícula de alunos e composição de turmas desde 2010.

Wilma Regina Amorim, hoje coordenadora pedagógica, era diretora da Escola Cesário Neto no biênio de 2010/2011. Por ações nesse período ela é investigada pelo Ministério Público por nepotismo, além de também ser alvo de outro processo administrativo na Seduc por denúncias de abuso de poder, atos de coação e assédio moral.

A fraude consistia na criação de “alunos fantasmas”. Com um número maior de alunos, a escola receberia verbas adicionais do Governo Federal, seja do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), do Plano de Desenvolvimento da Escola (PDE), ou outros. Essa hipotética verba adicional seria “embolsada” pelos envolvidos no esquema fraudulento.

Pode procurar que tem mais gente envolvida.