O preço voraz da privatização da Companhia de Eletricidade de Pernambuco – Celpe, dada de presente para a Espanha

luz dp

BRA^PE_JDC luz

Neste novo aumento que beneficiará os ladrões de Pernambuco e da Espanha, não está incluído o imposto embutido da iluminação pública, que a Celpe cobra em nome da Prefeitura do Recife.

É isso aí: a Celpe é cobradora de impostos da Prefeitura, por uma iluminação de postes com lâmpadas bundas de vagalume, que o Recife é mais uma cidade que, de dia falta água, e de noite, falta luz, principalmente nos bairros mais pobres.

Fernando Henrique privatizou as companhias de fornecimento de energia, com o argumento pífio e comprovador de sua incapacidade administrativa de que havia corrupção nas estatais.

Bem que prefiro ser roubado pelos ladrões daqui, que os piratas estrangeiros levam o dinheiro para bem longe, da escuridão da Brasil, para as iluminadas cidades do Primeiro Mundo.

Poste de luz recifense
Poste de luz recifense

A baixa iluminação constitui um indicativo de pobreza. Compare as regiões Sul e Norte.

Clique no mapa mundi para ampliar
Clique no mapa mundi para ampliar

América do Sul noite

luz nordeste

Mapa político do continente

Privatizada Celpe mata

Resultado da privatização da Companhia de Eletricidade de Pernambuco

CELPE

Doaram a Celpe aos piratas espanhóis, que terceirizam todos os serviços, inclusive o da morte.
Quantos foram eletrocutados, em 2013, por tocar com a mão em um poste de luz ou pisar em um fio caído nas calçadas estreitas e esburacadas do Recife?
A Celpe faz o que faz porque falta governo, falta justiça, falta legislativo. E a morte coisa tão banal, que hoje à noite a Celpe vai faturar mais dinheiro, iluminando Tamandaré, para o show dos cantores de sempre dos super, super faturados embalos das prefeituras.
O Jornal do Comércio faz a propaganda das cantoras Ivete Sangalo, cidadã de Pernambuco, e Claudinha, que pode ser Claudia Leitte, que pediu a cidadania para Eduardo Campos. E ele, que casa e batiza na Assembléia Legislativa, bem que prometeu. Eta duplinha para faturar em Pernambuco!
BRA^PE_JDC tamandaré
No dia 17 de fevereiro de 2000, no começo do milênio, o governador Miguel Arraes entregou a Celpe para a companhia espanhola Iberdrola, que controla 100%, administrativamente, a Celpe.
Escreve Heitor Scalambrini Costa, professor da Universidade Federal de Pernambuco: A Neoenergia também é controladora da Companhia Energética da Bahia (Coelba) e da Companhia Energética do Rio Grande do Norte (Cosern). Possui forte concentração vertical, e atua nos segmentos de geração, transmissão, comercialização e distribuição, praticando contratos de self-dealing (autocontratação). Como é o caso em Pernambuco, onde ¼ da energia comprada pela Celpe vem da TermoPernambuco (termelétrica do grupo Neoenergia), cujo preço é superior ao da hidroelétrica, sendo a diferença repassada para o consumidor.

Ao justificar a venda da Celpe, os gestores do Estado de então e seus opositores (os mesmos de agora, pois nada mudou, somente mudaram de lado: o que era situação virou oposição, e o que era oposição virou situação) prometiam a opinião pública que as tarifas diminuiriam e que os serviços oferecidos à população iriam melhorar através da gestão privada. Ao se completarem 12 anos da venda da Celpe, alguns comentários e observações sobre estas assertivas merecem destaque.

Nesse período [ este texto foi publicado em abril de 2012] o lucro líquido da companhia foi de R$ 2,8 bilhões. Se levarmos em conta somente o lucro de 2008 até 2011, foi de R$ 1,8 bilhão, valor superior àquele pago no leilão de privatização. O lucro é intrínseco ao sistema capitalista, e pode decorrer da eficiência da gestão que resulta na produtividade. Só que não este é o caso da Celpe, pois ele é abusivo e conseguido graças à exploração daqueles que compram e pagam pelos serviços, os consumidores. Só para se ter uma ordem de grandeza dessa exploração descabida, entre 2007 a 2010 o lucro líquido da Celpe cresceu 43%, muito superior ao da inflação no período medido pelo IPCA, que foi de 22,2%, e pelo IGPM que foi de 30%.

Daí se perguntar de onde vem tal lucro extorsivo? O aumento das tarifas está indexado ao Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M). O que é uma aberração, pois tal índice registra a inflação de preços desde matérias-primas agrícolas e industriais até bens fiscais, abrangendo assim toda a população, sem restrição de nível de renda, ficando acima da inflação oficial, que é medida pelo Banco Central através do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Daí, se levarmos em conta os reajustes médios a partir do primeiro ano de privatização até os dias de hoje (não levando em conta a aplicação da recomposição tarifária extraordinária de 2,9% e 7,9% para distintas classes de consumidores que vigorou de 2001 a 2006, com a justificativa de cobrir os impactos financeiros causados pelo racionamento de energia sobre o caixa das distribuidoras e geradoras de energia elétrica, nem o Seguro de Capacidade Emergencial, que elevou as tarifas em 3,3%), verifica-se um aumento médio total das tarifas de 170%. No caso do reajuste de alta tensão (principalmente o setor industrial), o reajuste tarifário ainda foi maior, de 240%, e no de baixa tensão (residencial) foi de 130%. Por sua vez, o índice que mede a inflação para aqueles que ganham de 1 a 40 salários mínimos, o IPCA, variou, no mesmo período, 102%.

Como resultado desta constatação, conclui-se que o indexador utilizado nos reajustes tarifários anuais (IGP-M) exerce forte influência na elevação do valor das tarifas. Normalmente, a correção de salários, aposentadorias, benefícios e pensões e de outros rendimentos que possuem algum tipo de indexação tendem a acompanhar a variação observada no IPCA. Na prática, as tarifas elétricas estão subindo pelo elevador, enquanto os salários dos consumidores sobem pela escada. Aí está o nó da questão. Logo, se não houver uma revisão no contrato de concessão, sempre teremos essa enorme diferença entre a inflação oficial e o aumento da tarifa. Quanto aos serviços oferecidos, o Índice Aneel de Satisfação do Consumidor (Iasc) da Celpe deixa muito a desejar, ao compararmos com outras empresas do País. Todavia são os consumidores que melhor podem melhor avaliar a qualidade desses serviços, que têm se deteriorado muito nos últimos anos, a julgar pelas reclamações e denúncias.

Bem, somente esta breve análise com os números retirados dos balanços contábeis da empresa são suficientes para se concluir que a privatização colaborou sensivelmente para o aumento das tarifas (bem acima da inflação que corrige o salário do trabalhador) e que a qualidade dos serviços caiu drasticamente conforme constatado no dia a dia da população pernambucana. Privatização para quê? Para quem?

Reino Unido multa con 8,5 millones de libras a Iberdrola por engañar a los clientes

IBERTROLA

La filial Scottish Power ha aceptado asumir un castigo de 8,5 millones de libras (más de 10 millones de euros) por prácticas irregulares en sus procesos de captación de abonados en Reino Unido. La filial de Iberdrola destaca que se trata de un acuerdo amistoso con el regulador, que llevaba dos años investigando las tácticas comerciales de la compañía.

Por un lado, Scottish Power deberá rebajar en 7,5 millones de libras la factura de la luz de unos 140.000 consumidores, lo que supondrá un descuento de unas 50 libras por familia. Además, la compañía creará un fondo de 1 millón de libras para afrontar reclamaciones de otros posibles afectados. Según el supervisor independiente del sector energético en Reino Unido (Ofgem), “Scottish Power no tenía procedimientos de gestión apropiados para formar y guiar adecuadamente a sus agentes de ventas. Esto resultó en la entrega de información engañosa a los clientes”.

En la mayor parte de los casos, esta vulneración de las normas del mercado energético se produjo cuando los empleados de Scottish Power trataban de convencer a los consumidores para que dejaran a otro suministrador eléctrico para pasarse a la firma escocesa. Ofgem indica que la sanción hubiera sido más alta en caso de que la filial de Iberdrola no hubiera rectificado sus prácticas en 2012, y si no hubiera colaborado en la investigación.

Además, el regulador indica que la actuación irregular de la empresa “no fue deliberada”. Neil Clitheroe, directivo de Scottish Power, asegura que la empresa ha resuelto el problema y contactará con los clientes que se merecen la compensación. “Aceptamos las conclusiones de Ofgem y pedimos perdón sin reservas a los consumidores afectados. El problema surgió por una nueva regulación aprobada en 2009. Siento decir que no la implementamos de forma apropiada en su momento”. (YTM)

Privatização da Celpe uma tragédia sem fim

O Recife está cada vez mais escuro. Os postes de luz são com lâmpadas bundas de vagalume.
A conta da luz cada vez mais cara.
Eta privatização safada. Uma puta doação.
Uma safadeza que nunca termina.

O Recife não tem céu. Coberta por fios e mais fios que afeiam a cidade.
E conduzem a morte.

Apagões parciais acontecem todos os dias. Principalmente nos bairros mais pobres.

Para se livrar dos impostos trabalhistas, a Celpe, que tinha uma equipe técnica do mais alto nível, terceirizou todos os serviços. Aperfeiçoou apenas o setor de cobrança. Tornou-se uma fábrica de fazer dinheiro, dinheiro fácil, para enviar para o exterior.

BRA^PE_JDC Celpe privatizada

Para evitar novas mortes, eis a solução encontrada na Rua Dr. José Maria, esquina com Rosa e Silva! Estado e cidade que recebem turistas para Copa são os mesmos onde população precisa amarrar fios com sacos plásticos, enquanto Celpe, prefeito e candidato a presidente definem suas prioridades. Detalhe: fiação está assim faz tempo, não foi por conta das chuvas. Foto da página da jornalista Aldira Alves. No Facebook
Para evitar novas mortes, eis a solução encontrada na Rua Dr. José Maria, esquina com Rosa e Silva! Estado e cidade que recebem turistas para Copa são os mesmos onde população precisa amarrar fios com sacos plásticos, enquanto Celpe, prefeito e candidato a presidente definem suas prioridades. Detalhe: fiação está assim faz tempo, não foi por conta das chuvas. Foto da página da jornalista Aldira Alves. No Facebook

fios

Aldira Alves Porto: Internautas e leitores, estamos reunindo fotos que mostrem postes danificados e fios elétricos ou de telefonia que ofereçam risco à população. Pode ser um poste que está ameaçando cair, um fio na altura inadequada ou um fio desencapado.

Faça sua denúncia. Se quem deveria fiscalizar não o faz, a gente fica de olho e cobra!

Mandem suas fotos via Facebook no nosso mural.

BRA^PE_JDC fiação

Explicações mentirosas para o aumento do preço de energia

Os constantes apagões sempre têm uma explicação religiosa: “Satanás, como um raio, caiu do céu”. E nada se faz para exorcizar  o demônio. O Rio de Janeiro é uma cidade minada. Virou um inferno.
Depois que os serviços essenciais foram privatizados, as Anas cuidaram de regular os preços para o alto. Acima de qualquer orçamento da nova e velha classe média baixa.
Os piratas não investem.
BRA_OE luz privatização

Light

Dilma precisa deixar de ser a “dama de ferro” à Margareth Thatcher, que a Light é dos ingleses. Tem que dar uma de índio.

Evo Morales nacionaliza cuatro filiales de la empresa energética española Iberdrola
El presidente boliviano, Evo Morales, decretó este sábado la expropiación de las acciones de la española Iberdrola en dos distribuidoras de energía eléctrica en las regiones de La Paz y Oruro, una empresa de servicios y una gestora de inversiones.
“Nos hemos visto obligados a tomar esta medida para que las tarifas de servicio eléctrico sean equitativas en el departamento de La Paz y Oruro y la calidad de servicio eléctrico sea uniforme en el área rural y urbana”, afirmó Morales.Las firmas expropiadas son dos de las principales distribuidoras de electricidad en La Paz, Electropaz, y en Oruro, Elfeo, además de la empresa de servicios Edeser y la gestora de inversiones Compañía Administradora de Empresas.El mandatario ya expropió en mayo pasado las acciones de Red Eléctrica Española (REE) en la Transportadora de Electricidad (TDE).Iberdrola, a través de su filial Iberbolivia, posee el 89,5% de las acciones en la Empresa de Electricidad de La Paz (Electropaz) y el 92,8% en la Empresa de Luz y Fuerza de Oruro (Elfeo).Según el decreto leído por Morales este sábado en una comparecencia no anunciada, la estatal Empresa Nacional de Electricidad (ENDE) asumirá el control de las cuatro empresas nacionalizadas en representación del Estado boliviano.

La compensación a Iberdrola

Al igual que en anteriores expropiaciones, se dispuso también que la compensación a Iberdrola provendrá de una tasación realizada por una empresa independiente en el plazo de 180 días hábiles.

“En resguardo del interés público, el gerente general de ENDE contará con el apoyo de la fuerza pública para garantizar la continuidad de la distribución eléctrica” en La Paz y Oruro, agrega el decreto.

Morales justificó que hay una brecha grande entre las tarifas urbanas y rurales en estos departamentos, por lo que se decidió la “nacionalización” de las distribuidoras eléctricas.

“Esta medida garantizará el derecho igualitario de los ciudadanos que viven en el área rural, precautelando su economía con tarifas equitativas y un servicio de calidad uniforme. Lamentablemente nos han dejado unas diferencias enormes entre el área urbana y rural”, aseveró el mandatario.

Citó el caso de La Paz, donde la tarifa eléctrica urbana en promedio es de 0,63 bolivianos (0,09 dólares) por kilovatios/hora, mientras que en el área rural es de 1,59 bolivianos (0,23 dólares).

Otras expropiaciones

Morales ya expropió en 2010 las acciones de cuatro empresas generadoras de electricidad, incluidas dos filiales de la francesa GDF Suez y la británica Rurelec.

Además de las eléctricas, el mandatario ha nacionalizado una quincena de empresas de hidrocarburos, cementos y minas, entre otras, desde que llegó a la presidencia en 2006.

Con la expropiación de estas cuatro filiales se pone fin a la presencia de Iberdrola en Bolivia.

Desculpa para enganar os bestas
Desculpa para enganar os bestas

Foi no que deu a privatização da Celpe: Queda de energia vira rotina no Recife

Do JC Online

Aneel registrou 319 reclamações sobre a Celpe no mês passado / Foto: Alexandre Severo/Arquivo/JC Imagem

Aneel registrou 319 reclamações mês passado

Nas últimas semanas, quedas de energia têm ocorrido com frequência em alguns bairros do Recife. De acordo com a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe), as razões são diversas, dependendo do local do ocorrido. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) registrou, através de sua Ouvidoria, 319 reclamações sobre a Celpe no mês passado. No mês anterior, o número foi 367.

Acrescente-se: Recife é a mais escura capital brasileira, com as ruas parcialmente iluminadas com lâmpadas bundas de vagalume.