Papa Francisco: “Na nossa historia pessoal, também se alternam momentos luminosos e escuros, luzes e sombras”

Para Francisco, os marginalizados são os primeiros a compreender a mensagem de Jesus

 

papa com menino Jesus

Quem foram os primeiros a receber a notícia do nascimento de Jesus? Os pastores, porque “estavam entre os últimos, os marginalizados”. São esses, os mais capazes de acolher e compreender a mensagem do Salvador, acredita o Papa Francisco que, na noite de terça-feira, lembrou precisamente os marginalizados.

Francisco celebrou pela primeira vez, enquanto chefe da Igreja Católica, e diante de milhares de fiéis, a chamada Missa do Galo, a celebração que para os católicos marca o Natal, ou seja, o nascimento de Jesus. A eucaristia teve a participação de 30 cardeais, 40 bispos, 250 sacerdotes e 14 diáconos. A celebração decorreu na noite de terça-feira, na Basílica de São Pedro, no Vaticano.

Como tem sido marca do seu pontificado, Francisco lembrou “os últimos e os excluídos” e vincou que foram estes os primeiros que entenderam o alcance para a Humanidade do nascimento de Jesus, considerado o filho de Deus pelos cristãos. “Os pastores foram os primeiros que receberam o anúncio do nascimento de Jesus. Foram os primeiros porque estavam entre os últimos, os marginalizados”, disse o Papa numa homilia que foi breve, citada pela AFP.

Durante a sua comunicação, o Papa instou os católicos a abrirem os seus corações e a combaterem o espírito das trevas. “Se o nosso coração está fechado, se estamos dominados pelo orgulho, pela mentira, narcisismo, então as trevas cairão sobre nós”, afirmou o papa Francisco durante a cerimónia que foi transmitida por televisão, em directo, para 65 países.

As leituras desta celebração evocam as trevas e como Jesus é a passagem para a luz; e Francisco recordou isso mesmo ao reafirmar que: “Jesus veio libertar-nos das trevas e dar-nos a luz”.

O Papa reflectiu sobre “as luzes e trevas” que afectam o mundo. Lembrou que também na vida de cada um se “alternam os momentos luminosos e os obscuros, luzes e sombras”, e que os fiéis não devem temer o mundo marcado por “luzes e sombras”.

“Se amamos Deus e os irmãos, caminhamos na luz, mas se o nosso coração se fecha, se prevalecem o orgulho, a mentira, a busca do interesse próprio, então as trevas rodeiam-nos, por dentro e por fora”, alertou.

Aos milhares de peregrinos e turistas que marcaram presença em São Pedro, o chefe da Igreja Católica pediu para que não temam, porque o “nosso Pai tem paciência connosco, ama-nos, é a luz que dissipa as trevas”.

Após a eucaristia, Francisco colocou a imagem do Menino Jesus no presépio montado dentro da basílica, e um grupo de dez crianças, representando os cinco continentes, depositou flores em homenagem à encarnação de Deus. (Público, Portugal)

Papa beija

Na Missa da Noite de Natal o Papa Francisco proferiu a seguinte homilia:

1. «O povo que andava nas trevas viu uma grande luz» (Is 9, 1).

 

Esta profecia de Isaías não cessa de nos comover, especialmente quando a ouvimos na liturgia da Noite de Natal. E não se trata apenas dum facto emotivo, sentimental; comove-nos, porque exprime a realidade profunda daquilo que somos: somos povo em caminho, e ao nosso redor – mas também dentro de nós – há trevas e luz. E nesta noite, enquanto o espírito das trevas envolve o mundo, renova-se o acontecimento que sempre nos maravilha e surpreende: o povo em caminho vê uma grande luz. Uma luz que nos faz reflectir sobre este mistério: o mistério do andar e do ver. Andar. Este verbo faz-nos pensar no curso da história, naquele longo caminho que é a história da salvação, com início em Abraão, nosso pai na fé, que um dia o Senhor chamou convidando-o a partir, a sair do seu país para a terra que Ele lhe havia de indicar. Desde então, a nossa identidade de crentes é a de pessoas peregrinas para a terra prometida. Esta história é sempre acompanhada pelo Senhor! Ele é sempre fiel ao seu pacto e às suas promessas. «Deus é luz, e n’Ele não há nenhuma espécie de trevas» (1 Jo 1, 5). Diversamente, do lado do povo, alternam-se momentos de luz e de escuridão, fidelidade e infidelidade, obediência e rebelião; momentos de povo peregrino e de povo errante.

 
E, na nossa historia pessoal, também se alternam momentos luminosos e escuros, luzes e sombras. Se amamos a Deus e aos irmãos, andamos na luz; mas, se o nosso coração se fecha, se prevalece em nós o orgulho, a mentira, a busca do próprio interesse, então calam as trevas dentro de nós e ao nosso redor. «Aquele que tem ódio ao seu irmão – escreve o apóstolo João – está nas trevas e nas trevas caminha, sem saber para onde vai, porque as trevas lhe cegaram os olhos» (1 Jo 2, 11). 2. Nesta noite, como um facho de luz claríssima, ressoa o anúncio do Apóstolo: «Manifestou-se a graça de Deus, que traz a salvação para todos os homens» (Tt 2, 11).

 
A graça que se manifestou no mundo é Jesus, nascido da Virgem Maria, verdadeiro homem e verdadeiro Deus. Entrou na nossa história, partilhou o nosso caminho. Veio para nos libertar das trevas e nos dar a luz. N’Ele manifestou-se a graça, a misericórdia, a ternura do Pai: Jesus é o Amor feito carne. Não se trata apenas dum mestre de sabedoria, nem dum ideal para o qual tendemos e do qual sabemos estar inexoravelmente distantes, mas é o sentido da vida e da história que pôs a sua tenda no meio de nós. 3. Os pastores foram os primeiros a ver esta «tenda», a receber o anúncio do nascimento de Jesus. Foram os primeiros, porque estavam entre os últimos, os marginalizados. E foram os primeiros porque velavam durante a noite, guardando o seu rebanho. Com eles, detemo-nos diante do Menino, detemo-nos em silêncio. Com eles, agradecemos ao Pai do Céu por nos ter dado Jesus e, com eles, deixamos subir do fundo do coração o nosso louvor pela sua fidelidade: Nós Vos bendizemos, Senhor Deus Altíssimo, que Vos humilhastes por nós. Sois imenso, e fizestes-Vos pequenino; sois rico, e fizestes-Vos pobre; sois omnipotente, e fizestes-Vos frágil.

 
Nesta Noite, partilhamos a alegria do Evangelho: Deus ama-nos; e ama-nos tanto que nos deu o seu Filho como nosso irmão, como luz nas nossas trevas. O Senhor repete-nos: «Não temais» (Lc 2, 10). E vo-lo repito também eu: Não temais! O nosso Pai é paciente, ama-nos, dá-nos Jesus para nos guiar no caminho para a terra prometida. Ele é a luz que ilumina as trevas. Ele é a nossa paz. Amen.

 

Basílica de S. Pedro, 24 de Dezembro de 2013

 

 

Soros competirá con Slim en Brasil

El inversor es el principal respaldo de una nueva firma de telecomunicaciones en el país; On Telecom ingresará al mercado de Internet 4G, donde América Móvil ya participa.

El inversionista George Soros invertirá 150 mdd en On Telecom, lo que le dará una participación mayoritaria en la empresa. (Foto: Reuters)
El inversionista George Soros invertirá 150 mdd en On Telecom, lo que le dará una participación mayoritaria en la empresa. (Foto: Reuters)

CIUDAD DE MÉXICO (CNNExpansión) — Una nueva empresa de telecomunicaciones brasileña respaldada por el multimillonario George Soros planea invertir al menos 500 millones de reales (218 millones de dólares) en los próximos tres años, anunciaron este martes ejecutivos de la compañía, lo que elevará la competencia entre los proveedores de Internet. Soros invertiría al menos 150 millones de dólares, lo que le daría una participación mayoritaria en On Telecom, que ofrece conexiones para hogares y oficinas a través de las redes celulares de cuarta generación, dijo a periodistas su presidente ejecutivo, Fares Nassar. La tecnología, pensada para regiones con escasa cobertura de banda ancha por cable, será lanzada en partes de Sao Paulo, el estado más poblado del quinto país más grande del mundo. La nueva empresa apunta a un nicho del mercado brasileño donde participa el mexicano Carlos Slim a través de América Móvil. “Estamos en el proceso del despliegue de la red 4G-LTE en América. Hemos lanzado estos nuevos servicios en México (11 ciudades), Brasil (18 ciudades), Chile y Puerto Rico”, dijo la firma de Slim en su reporte del segundo trimestre de 2013. El mexicano también participa en el país sudamericano ofreciendo servicios de telefonía fija, celular, TV por cable, satelital e Internet de banda ancha a través de las empresas Claro, Embratel y Net. Al cierre de junio, América Móvil contaba con 66.5 millones de suscriptores móviles, y 30.8 Unidades Generadoras de Ingresos (UGIs) en la nación sudamericana. Otra firma que ha explotado recientemente el mercado 4G es el operador GVT SA, filial de Vivendi, que ofrece servicios de banda ancha en lugares y a negocios que no están bien cubiertos por los grandes operadores. Fares Nassar dijo que On Telecom podría expandirse a otras regiones en la medida en que Brasil ofrezca nuevas licencias de telefonía 4G, para lo que se necesitaría más recursos de Soros, otros inversores o una oferta pública inicial. Soros Fund Management había recibido el año pasado la aprobación del regulador para tomar el control de la brasileña Sunrise Telecomunicaçoes, la matriz de On Telecom. En septiembre, Sunrise había adquirido los derechos para frecuencias de 4G en 133 municipios alrededor del Estado de Sao Paulo. Con información de Reuters

Só acontece no Brasil: Bandido preso acredita no sigilo de um telefone celular. Que a polícia não faz escuta e as operadoras colaboram com o crime

Julian Assange aconselha: “O primeiro que se tem de fazer para se proteger é dizer: Bom, falarei sobre esse assunto pessoalmente“.

Diabo do povo bobo, cativo da Globo, acredita que  um preso, incomunicável, em uma prisão de segurança máxima, consiga ser um desconhecido chefe do PCB – Primeiro Comando do Brasil, e que mande suas ordens de guerra, por telefone celular, para todos os PCCs – Primeiro Comando da Capital, em  26 estados.

Pois é, o brasileiro tem que aceitar esse fantástico conto do vigário capelão das polícias militares.

BRA_ZH celular virou arma mortífera do PCB

Por esta manchete do Zero Hora, o projeto-chave para acabar com a violência é fácil na prática e custa pouco dinheiro: instalar bloqueadores de celular nos presídios.

Assim sendo, as operadoras são co-responsáveis pela onda de violência.

operadoras de celular

E a Anatel é conivente pois até lei existe.

BRA_JSC Claro. Complô golpista da Oi, da Tim e outras operadoras

REFLEXÕES MARGINAIS SOBRE ESCUTA TELEFÔNICA
tele
Os criminosos de colarinho (de) branco negociam pelo telefone, pela certeza da impunidade.
Para os presos pés-rapado, que receberam a pena máxima de 30 anos, não existe mais contagem de tempo…
No mais, telefonar não é crime. Leia sobre o direito dos presos ao contato com o mundo exterior por meio do telefone.
E para a polícia arbitrária isso é até bom, como meio de vigilância. Se não existisse a espionagem da escuta nem era preciso uma lei de sigilo telefônico.
escuta