O FGTS do ditador

O Estado de Minas vende uma meia-verdade.

Insinua que o brasileiro possui um rico Fundo de Garantia por Tempo de Serviço.

O FGTS, cria do ditador Castelo Branco, em 1964, foi uma enganosa opção. Para o trabalhador escolher a estabilidade no emprego ou o fundo.

Nem mesmo uma ditadura tinha coragem, na época, de cassar a estabilidade no emprego.

Isso ficou para as empresas, que apenas admitiam empregado renunciante.

E todos os empregos passaram a ser provisórios.

Não existe mais emprego fixo.

Todos os empregos – repito – são temporários.

O FGTS da maioria dos trabalhadores do Brasil uma mixaria, e não compra a casa própria nem na baixa, nem na alta.