A CRUELDADE DE DONA DILMA É UMA ARTE

Com o golpe de 64, os governos liberais brasileiros começaram uma escalada contra os pobres e frágeis e dissimulados direitos trabalhistas criados pelo peleguismo de Getúlio Vargas.

A boataria, o terrorismo político da imprensa tradicional, o medo do patronato de uma suposta república sindical, que estaria a ser implantada por Jango, herdeiro do getulismo, motivou a explosão da “Redentora”. Com as procissões cívicas: o povo que reza unido, permanece unido. Com os tanques na rua, no dia primeiro de abril de 1964.

Jango tinha as reformas de base como bandeira. As mesmas reformas propostas por Lula da Silva na primeira campanha eleitoral.

Jango foi golpeado pelos militares.
Lula perdeu as eleições para Fernando Collor.

Liberal é o político que tem vergonha de se dizer direitista – classificava o virtuoso deputado Djalma Marinho.

Direitistas foram todos os governos que sucederam Jango.
Desde que tiraram todos os direitos dos trabalhadores. Direitos adquiridos com a Revolução de 30, com o Estado Novo em 37, e o retorno de Getúlio, eleito presidente em 1950.

Os patrocinadores do golpe de 64 e das eleições diretas, que se seguiram pós João Figueiredo/Tancredo Neves, exigiram o rasga da CLT.

O rasga começou com a cassação da estabilidade no emprego, e a criação do FGTS, por atos institucionais de Castelo Branco.

O rasga, eu pensava terminado pelas sanções de Fernando Henrique e Lula da Silva:

* a criação de uma justiça do trabalho paralela
* o fim da semana inglesa
* o fim dos feriados santos e cívicos
* o fim do feriado do domingo (o descanso do domingo diferenciava os cristãos dos judeus e árabes e motivou seculares condenações por heresia: prisão, tortura, exílio, enforcamento, fogueira)
* o fim das pensões especiais de professor e jornalista (hoje as pensões especiais são das pessoas especiais pelos altos salários especiais e sistemas de previdência especiais e cumulativos)
* o fim dos cargos de carreira
* o fim das férias remuneradas
* a troca das horas extras por supostas horas de descanso (quando as horas extras, apesar de pagas em dobro, não eram obrigatórias)
* o fim da aposentadoria por velhice (aos 60 anos, para homens; 55, para mulheres)
* a demissão sem justa causa

A lista de crueldades, de crimes e delitos contra os trabalhadores só faz aumentar.

O assédio sexual e o assédio moral são simples delitos.

Pelo sistema escravocrata, o proprietário tinha obrigações legais, que não existem mais:
a lei do sexagenário era uma delas.

Eu imaginava terminado o rasga da CLT.
Fernando Henrique penalizou o direito da aposentadoria para quando se é ancião. Aos 65 anos.

A presidenta Dilma quer piorar ainda mais a vida sofrida do trabalhador brasileiro. Quando se sabe que, depois dos 35 anos, é quase impossível conseguir emprego em uma empresa estrangeira.

Para Dilma, que espera governar oito anos, emprego para os velhos constitui coisa fácil. Assim pretende impor a aposentadoria por ancianidade. Depois dos 70 anos. Contará com o apoio descarado dos tucanos. E a cumplicidade das centrais sindicais.