Aniversário de Marta, ex-Suplicy, reuniu golpistas

Toda a imprensa golpista considerou o aniversário de Marta, ex-prefeita petista de São Paulo, e ex-ministra de Lula, o acontecimento político mais importante do ano, por reunir líderes da extrema-direita, e do PMDB, do velho PMDB que apoiou os 21 anos de governos militares. Do PMDB dos velhos que, para continuar “eternamente” no poder, defende o golpe.

A direitista e conservadora Folha de S. Paulo, moleque de recado, transmite o ultimato: “Dilma tem 20 dias…, dizem convidados da festa de Marta“. Este tipo de jornalismo marrom e safado da família Frias vem sendo praticado pelos barões da mídia, que violentam a ética e agridem a verdade. Praticam um jornalismo de baixarias.

Existe um blogue, que também faz a propaganda de uma marcha unida para o próximo dia 12, que tem o nome pornô explícito de “amanhã vai ser maior”.

Um outro blogue, Cabral arrependido, publica fotos que seriam do aniversário de Marta

liderespmdb

“Em festa organizada por Marta Suplicy, a PT mais oposta a Dilma, onde entre seus convidados estavam grandes nomes como: Michel Temer, José Sarney, Gilmar Mendes, Eduardo Braga.

Os convidados foram unanimes em dizer que Dilma deve se acertar até dia 12 de Abril, pois caso a manifestação seja maior que a anterior, eles vão assumir o poder.

Então contagem regressiva pois se depender de todos os manifestantes”, avisa o mensageiro de notícias maléficas.

Dos pm-debistas citados, o mais novo é Miguel Temer, que nasceu em 1940, e foi eleito duas vezes vice-presidente por indicação de Dilma, e com os votos de Dilma Rousseff.

O ministro Gilmar Mendes, em causa própria, é defensor da Pec da bengala, proposta que aumenta de 70 para 75 anos a idade de aposentadoria compulsória para servidores públicos. A proposta enfrenta resistência de entidades jurídicas, contrárias à permanência de ministros por mais cinco anos.  Gilmar Mendes nasceu em 30 de dezembro de 1955. O desengavetamento dessa Pec foi decidida no aniversário de Marta.

 

EXÉRCITO PRONTO PARA O GOLPE?

O blogue da extrema-direita Cabral arrependido publica o seguinte boato de incitamento ao crime:

“Apesar de muitos acharem que o exército não está agindo, pode ser verificado, em diversas partes do país, as tropas se movimentando, e se posicionando”. E publica a seguinte foto como prova (falsa inclusive):

exército se movimenta

 

Passe a seta do mouse na foto que você lerá o título dessa propaganda enganosa. Confira a propaganda de guerra civil aqui.

O R7, com o seguinte título “Sem cúpula do PT, Marta Suplicy completa 70 anos com festa em SP”, publica uma galeria de fotos onde se destacam o ex-presidente Sarney, o atual presidente do TJ-SP (o maior tribunal do mundo) José Renato Nalini, Thereza Collor e o doleiro Naji Nahas.

 

 

 

O pai de Marina tem vida de favelado em um alagado do Rio Branco no Acre. Irmã da evangélica presidenciável: “Ela não está fazendo pelo pai. Vai fazer por alguém?”

Art.230 da Constituição Federal – “A Família, a sociedade e o Estado têm o dever de amparar as pessoas idosas, assegurando sua participação na comunidade, defendendo sua dignidade e bem-estar e garantindo-lhes o direito à vida”.

Quarto Mandamento
Quarto Mandamento
A vida sofrida do pai de Marina Silva, que vive em um miserável casebre, em um alagado do Rio Branco, no Acre.

Marina que tem o apoio dos banqueiros, dos empresários, dos industriais, de empresas internacionais, e que

ganhou R$ 1,6 mi com palestras em três anos,

foi ministra do PT, senadora, dispõe de grana para alugar aviões e jatinhos em duas campanhas presidenciais, que fica hospedada em hotéis de luxo ou palacetes dos amigos bilionários, tem décadas que não dorme na casa do pai. Não existe registro de nenhuma visita.

Pedro, pai de Marina, na rede, estendida na varanda de sua casa de taipa, em um alagado do Rio Branco, no Acre. Clique na foto para ampliar
Pedro, pai de Marina, na rede, estendida na varanda de sua casa de taipa, em um alagado do Rio Branco, no Acre. Clique na foto para ampliar

Diz a irmã de Marina, Maria Elizete da Silva, de 52 anos: “Se a Marina ganhar para presidente, não vai deixar papai mais aqui neste bairro. Vai achar que também é demais, né?
O que é que o povo não vai dizer: ‘ela ganhou, o pai dela continua ali, no alagado, e ela não está fazendo pelo pai. Vai fazer por alguém”, questiona Maria.

Maria Elizete da Silva, irmã de Marina Silva, quer que a candidata à Presidência pelo PSB tire seu pai de bairro pobre em Rio Branco (AC).
Maria Elizete da Silva, irmã de Marina Silva, quer que a candidata à Presidência pelo PSB tire seu pai de bairro pobre em Rio Branco (AC).

A reportagem é de Fábio Fabrini, e publicado no insuspeito jornal o Estado de S. Paulo. Observe que a pobre vida do pobre pai de Marina foi bem suavizada. Confira. Leia aqui. E imagine a vida do ancião, que tem o nome de Pedro, o apóstolo, e primeiro papa para os católicos.

Pedro Augusto da Silva tem 87 anos. Há 34 anos reside no mesmo alagado. Para sobreviver vendia tabaco na antiga rodoviária do Rio Branco. Uma profissão que a filha evangélica condena.

Problemas de saúde fez ele desistir de ser camelô.  Tem um salário mínimo de aposentadoria por idade. Que acha muito pouco. E é. Um salário mínimo do mínimo que a equipe econômica de Marina considera alto.

Não sei a irmã Maria recebe o bolsa-família, que Marina pretende extinguir.

IDOSO (1)

Art.4º – Nenhum idoso será objeto de qualquer tipo de negligência, discriminação, violência, crueldade ou opressão, e todo atentado aos seus direitos, por ação ou omissão, será punido na forma da lei.

Art.10º – É obrigação do Estado e da sociedade, assegurar à pessoa idosa a liberdade, o respeito e a dignidade, como pessoa humana e sujeito de direitos civis, político, individuais e sociais, dos espaços e dos objetos pessoais.
§2º – O direito ao respeito consiste na inviolabilidade da integridade física, psíquica e moral, abrangendo a preservação da imagem, da identidade, da autonomia, de valores, ideias e crenças, dos espaços e dos objetos pessoais.

§3º – É dever de todos zelar pela dignidade do idoso, colocando-o a salvo de qualquer tratamento desumano, violento, aterrorizante, vexatório ou constrangedor.

Art.15º – É assegurada a atenção integral à saúde do idoso, por intermédio dos Sistema Único de Saúde – SUS, garantindo-lhe o acesso universal e igualitário, em conjunto articulado e contínuo das ações e serviços, para a prevenção, promoção, proteção e recuperação da saúde, incluindo a atenção especial às doenças que afetam preferencialmente os idosos.
§2º – Incumbe ao Poder Público fornecer aos idosos, gratuitamente, medicamentos, especialmente os de uso continuado, assim como próteses, órteses e outros recursos relativos ao tratamento, habilitação ou reabilitação.

Art.19º – Os casos de suspeita ou confirmação de maus-tratos contra idoso serão obrigatoriamente comunicados pelos profissionais de saúde a quaisquer dos seguintes órgãos:
I – Autoridade Policial;
II – Ministério Público;
III – Conselho Municipal do Idoso;
IV – Conselho Estadual do Idoso;
V – Conselho Nacional do Idoso;

Art.74º – Compete ao Ministério Público:
I – instaurar o inquérito civil e a ação civil pública para a proteção dos direitos e interesses difusos, individuais indisponíveis e individuais homogêneos do idoso (…)

Campanha da Fetape e do MPPE
Campanha da Fetape e do MPPE

Papa: idosos não sofrem com a doença, mas com o abandono e a exclusão

Os idosos são as primeiras vítimas de uma lógica econômica que exclui e, às vezes, mata: é o que escreve o Papa Francisco na mensagem à Pontifícia Academia para a Vida, por ocasião dos seus 20 anos de atividade.

 

A mensagem, endereçada ao Presidente da Academia, Mons. Carrasco de Paula, recorda seu idealizador, o Beato João Paulo II, que instituiu o organismo com o Motu proprio “Vitae mysterium”. Como especificado neste documento, sua missão é mostrar aos homens de boa vontade que ciência e técnica contribuem ao bem comum se colocadas a serviço da pessoa humana e de seus direitos.

 

A seguir, o Pontífice comenta o tema da Assembleia em andamento nesses dias no Vaticano: “Envelhecimento e deficiência”.

 

“Com efeito, nas nossas sociedades se constata o domínio tirânico de uma lógica econômica que exclui e, às vezes, mata, da qual hoje muitas são as vítimas, a começar pelos nossos idosos”, escreve Francisco.

 

Citando sua Exortação Apostólica Evangelii gaudium, o Papa recorda que a cultura do descartável não somente explora e oprime, mas produz outro fenômeno: a exclusão. Os excluídos não são “explorados”, mas são “resíduos”, sobras. A situação sociodemográfica do envelhecimento revela claramente esta exclusão da pessoa idosa, principalmente se doente, deficiente ou vulnerável. “Com frequência, se esquece que as relações entre os homens são de dependência recíproca, que se manifesta em diferentes graus durante a vida e emerge de maneira mais evidente em situações de doença, deficiência e de sofrimento em geral.
Para o Pontífice, na base das discriminações e das exclusões há uma questão antropológica, do valor do homem e no que se baseia este valor – e a saúde não pode ser considerada um critério. “A falta de saúde ou a deficiência jamais são boas razões para excluir, ou pior, para eliminar uma pessoa; e a privação mais grave que os idosos sofrem não é o enfraquecimento do organismo e suas consequências, mas o abandono, a exclusão e a falta de amor.”
Francisco aponta a família como mestra de acolhimento e solidariedade, porque é em seu seio que se aprende a não cair no individualismo e a equilibrar as relações sociais. “O testemunho da família se torna crucial diante de toda a sociedade em reconfirmar a importância do idoso como sujeito de uma comunidade, que tem sua missão a cumprir”, afirma ainda o Papa, recordando que os anciãos são também “esperança dos povos”, contribuindo com sua memória e a sabedoria da experiência. E conclui:
“Queridos amigos, abençoo o trabalho da Academia para a Vida, muitas vezes difícil porque requer ir contracorrente, sempre precioso porque atento a conjugar rigor científico e respeito pela pessoa humana.”

O Papa Francisco no último Angelus do ano exorta a reflectir sobre o drama «dos idosos que são tratados como presenças incômodas»

Fuga para o Egito

 

 

Mais uma vez, os prófugos, os refugiados, os migrantes frequentemente rejeitados, as vítimas do tráfico de pessoas e as do trabalho escravo, estiveram no centro das preocupações do Papa Francisco nestes dias de festa.

Ainda mais ontem, domingo 29 de Dezembro, dia em que a Igreja celebra a festa da sagrada Família de Nazaré, a primeira que sofreu a vergonha do exílio, da fuga devido às perseguições. Um destino, disse o Pontífice, que é partilhado hoje por milhões de famílias em muitas partes do mundo. São as famílias dos prófugos, dos imigrados. Nem sempre, acrescentou, «encontram acolhimento verdadeiro, respeito, apreço pelos seus valores». As suas expectativas legítimas muitas vezes encontram situações de dificuldade, que acabam na exploração. Tal sorte une sobretudo as «vítimas do tráfico de pessoas e do trabalho escravo».

Mas o pensamento do Papa dirigiu-se também a quantos ele definiu «exilados escondidos», isto é, aqueles que vivem o exílio dentro das próprias famílias: «os idosos, por exemplo, que às vezes são tratados como presenças incómodas». E o Pontífice afirmou que para entender deveras o estado de saúde de uma família é preciso «ver como ela trata as crianças e os idosos».

A propósito o Papa Francisco repetiu as três palavras que julga ser as chaves certas «para viver em paz e alegria em família: com licença, obrigado e desculpa». Enfim, recordou que a família estará no centro da próxima assembleia sinodal e convidou os fiéis – aos da praça de São Pedro uniram-se os que estavam em ligação directa de Nazaré, Barcelona, Loreto e outras cidades do mundo – a recitar a oração que ele compôs para a ocasião.

 

Dia Mundial de Prevenção do Suicídio. Um milhão de pessoas por ano. Isso é mais do que mortes por conflitos, guerras e homicídios combinados

Dia-mundial-prevenção

O dia passou em branco. O suicídio é, realmente, um tabu no Brasil. Mas nestes tempos de despejos para as obras da Copa do Mundo, lembro para as autoridades do Executivo e para a Justiça:  Que  a segunda maior causa de morte está entre jovens de 15 a 25 anos. As taxas estão associadas à crise econômica, ao aumento no número de desempregados e também fatores sócio-econômicos, como urbanização e migração.

Estão previstos 250 mil despejos nas doze capitais que se candidataram para construir arenas para os jogos.

Em todo o mundo um milhão de pessoas por ano comete suicídio. Isso é mais do que mortes por conflitos, guerras e homicídios combinados. A declaração é da Organização Mundial da Saúde (OMS), que marca nesta segunda-feira (10), o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio.

Segundo relatório da OMS, a cada 40 segundos uma pessoa se suicida no mundo; o número de tentativas de suicídio chega a 20 milhões por ano; ou seja, 5% das pessoas no mundo fazem uma tentativa de suicídio pelo menos uma vez em sua vida.

O relatório afirma que os países precisam tomar providências de combate ao problema dificultando o acesso das pessoas a armas, álcool, drogas e pesticidas. Além disso, a simples construção de barreiras em pontes pode levar a uma diminuição de casos.

A agência da ONU informou que as tentativas de suicídio são mais comuns entre mulheres, porém o número de óbitos é maior entre os homens. E a segunda maior causa de morte está entre jovens de 15 a 25 anos. As taxas estão associadas à crise econômica, ao aumento no número de desempregados e também fatores sócio-econômicos, como urbanização e migração.

Uma outra causa para que alguém tente tirar a própria vida são os problemas mentais. Por isso, a OMS preparou uma série de diretrizes para a mídia pedindo que a representação do suicídio seja feita de forma responsável reduzindo a estigmatização desse grupo de pessoas.

Uma outra dica da agência para ajudar na prevenção é a identificação de pessoas com depressão e ansiedade.

Hojemente, no Brasil, quando se quer destruir uma pessoa, basta dizer que é louca. Nem precisa atestado psiquiátrico.

Outra face cruel: as pessoas fogem dos suicidas e dos velhos.

prevenir

Porque ninguém se preocupa, informo sem nenhum destaque: tradicionalmente o número de suicídios é maior entre os velhos, idosos e anciãos.

Papa criticou “a cultura de rejeição” dos idosos

Papa embarcou na manhã desta segunda-feira para a viagem ao Brasilfoto GIAMPIERO SPOSITO/REUTERS
Papa embarcou na manhã desta segunda-feira para a viagem ao Brasil. Foto GIAMPIERO SPOSITO/REUTERS

O papa Francisco, que se encontra, esta segunda-feira, em viagem para o Brasil, insistiu “no risco” de ver toda uma geração de jovens sem trabalho, ao mesmo tempo que criticou “a cultura de rejeição” dos idosos.

“A crise mundial nada fez pelos jovens. Corremos o risco de ter uma geração sem trabalho, e do trabalho provém a dignidade da pessoa”, sublinhou o primeiro papa sul-americano da história, perante os jornalistas que o acompanham no avião com destino ao Rio de Janeiro.

Francisco, que prega desde que foi eleito uma “Igreja pobre para os pobres”, vai chegar a um país onde os jovens realizaram manifestações em massa, em junho, por vezes violentas, contra a incompetência dos serviços públicos e a corrupção.

“O objetivo da minha viagem é encorajar os jovens a viverem inseridos no tecido social com as pessoas de idade”, acrescentou o papa argentino, numa crítica à “cultura de rejeição dos idosos, que transmitem a sabedoria da vida”.

Para o papa, de 76 anos, os jovens “são o futuro dos povos, mas não apenas eles”.

“No outro extremo da vida, as pessoas idosas têm a sabedoria da vida, da história, da pátria e da família, de que precisamos”, sublinhou.

Antes desta intervenção, o papa cumprimentou cada um dos 70 jornalistas a bordo do avião, afirmando não gostar de dar entrevistas. E antes da partida, Jorge Bergoglio garantiu que não faria qualquer declaração no avião, mas acabou por pedir “a colaboração” dos jornalistas na defesa “dos jovens e dos idosos”.

Esta é a primeira viagem ao estrangeiro do jesuíta argentino que em março sucedeu a Bento XVI na chefia da Igreja católica, também em crise, minada sobretudo por escândalos de pedofilia.

“Chego ao Brasil dentro de algumas horas e o meu coração está cheio de alegria porque em breve estarei junto de vós” para celebrar a 28.ª edição das Jornadas Mundiais da Juventude (JMJ), disse o papa numa mensagem divulgada na rede social Twitter, logo após a partida.

Cerca de 1,5 milhões de peregrinos de todo o mundo são esperados nesta ocasião, no Brasil, o maior país católico do mundo.

O papa deve chegar às 16 horas (20 horas em Lisboa), ao aeroporto internacional do Rio, onde será recebido pela presidente brasileira, Dilma Rousseff.

Francisco, que renunciou ao ‘papamóvel’ blindado, vai saudar a multidão no centro do Rio, a bordo de um jipe descoberto.

Durante a estada, o papa vai visitar uma favela e uma unidade hospitalar para toxicodependentes de ‘crack’, tendo ainda previsto encontros com detidos.

Movimentos de ateus e militantes de ‘Anonymous’ Rio convocaram manifestações para protestar, desde a chegada do papa, contra as despesas públicas (mais de 30 milhões de euros) criadas pelas JMJ.

O movimento ‘Anonymous’ convocou uma segunda manifestação para sexta-feira, na praia de Copacabana, no percurso do calvário das JMJ.

“Não é contra a Igreja católica. É mais um grito contra a corrupção e por serviços públicos dignos”, explicou o grupo na página da rede social Facebook.

As autoridades brasileiras destacaram 30.000 polícias e militares para garantir a segurança do papa e das JMJ, na “maior operação de segurança da história do Rio” de Janeiro, de acordo com a agência noticiosa francesa AFP.

(Jornal de Notícias/ Portugal)

Violência contra idoso aumentou 200%

PAI NOSSO QUE ESTÁ NO CÉU
PAI NOSSO QUE ESTÁ NO CÉU

Entre os atendimentos a idosos, os principais tipos de violação denunciados no ano passado foram 68,7% por negligência, 59,3% de violência psicológica, 40,1% de abuso financeiro, econômico e violência patrimonial, e 34% de violência física

Para apressar a morte dos velhos, quem tem 60 anos, sem emprego e sem dinheiro, fica esperando os 65 anos, quando é idoso, para entrar com um pedido de aposentadoria por idade, para receber miseráveis 330 dólares.

Depois dos 45 anos é difícil arranjar emprego no Brasil. A violência contra os idosos faz parte da cobrança de familiares que ofereceram hospedagem e alimentação antes e durante a velhice. É uma cobrança cruel. Tão danosa quanto os despejos judiciários.

O PAI ETERNO E O ESPÍRITO SANTO
O PAI ETERNO E O ESPÍRITO SANTO

A Campanha de Enfrentamento à Violência Contra a População Idosa promovido pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República foi lançada durante o encontro Nacional de Promotores, Defensores e Delegados. A campanha é uma parceria com o Ministério Público, Ministério da Justiça e órgãos que atuam na promoção dos direitos da pessoa idosa.

Segundo a ministra Maria do Rosário (Secretaria de Direitos Humanos), de janeiro a novembro de 2012, o Disque Direitos Humanos contabilizou um aumento em todos os módulos, considerando o mesmo período de 2011. “No nosso módulo sobre idosos tivemos um crescimento de aproximadamente 200%. Desde o ano de implantação (2011), identificamos abandono, negligência, violência psicológica, violência física, violência sexual e discriminações”, afirmou.

Entre os atendimentos a idosos, os principais tipos de violação denunciados no ano passado foram 68,7% por negligência, 59,3% de violência psicológica, 40,1% de abuso financeiro,econômico e violência patrimonial, e 34% de violência física.

O objetivo da campanha é constituir o apoio necessário para implementar ações governamentais de promoção e defesa dos direitos do idoso, ferramentas adequadas e medidas concretas para valorização da inclusão e independência. “Nós queremos formar uma rede para defender os direitos da população idosa, uma rede que possa trocar experiência, que possa buscar recursos específicos, que possa trabalhar para chegar mais perto da pessoa idosa.”